quarta-feira, 7 de julho de 2010

SUBINDO, SUBINDO.....
Bom, eu não poderia ter contado sobre a prova antes de ter dito sobre o resultado né....Aquilo estava preso na garganta. Mas, agora sim, muito embora não tenha tido grandes emoções, nem grandes resultados, vale a pena contar.

Dessa vez, apenas eu e meu pai encaramos o desafio. Meu marido nem cogitou a idéia de participar disso, aliás, eu fui a 1ª pessoa a não incentivá-lo, até por saber que pra ele, poderia trazer grandes traumas....rs....

Chegamos na concentração com alguma antecedência. Consegui colocar meu chip,pegar meu kit, colocar as coisas no guarda-volume e tomar meu lanchinho tranquilamente.

Eu estava nervosa. Sabe aquela sensação de que você deveria ter treinado mais??? Pois é. No fundo eu sabia que não dava para ter treinado mais, mesmo que eu quisesse. A garganta estava debilitada, e arriscar a saúde por conta de uma prova não estava nos meus planos....aliás, nunca estará.



Após 7,5km de pura subida...até que o rostinho continua de 33 aninhos...rs...




Meu pai tb fez bonito....carinha de 65...rs....



Faltando 30 minutos para a largada, fui ao banheiro. Enquanto eu esperava meu pai, um homem me disse: “Oi, você é a Luciana, não é????” Mostrei o meu numeral que constava meu nome e disse: “Luciane”. “Vc tem um blog não tem?” “Tenho”. “Eu também tenho...sou o Eduardo”....Antes que ele fizesse qualquer outra pergunta, perguntei: “O Acácio?” “Sim”....Pronto...já nos abraçamos e foi uma festa. Até queria ter dado um pouco mais de atenção a ele e parabenizá-lo por aquela ser a sua 100ª corrida, registrar o momento com a máquina...mas eu estava tão nervosa e tão ansiosa para começar logo o sofrimento, digo, a prova...rs...que ficou mesmo no abraço e satisfação....

Na largada, mesma coisa... neguinho que caminha, querendo ficar lá na frente fantasiado de índio, de duende.... f....o povo não aprende....Assim que foi dada a largada, meu pai saiu na frente feito louco. Eu segurei. Sabia que não adiantava apertar e aquilo ali nem era prova pra apertar.

No km 1, o povo animado, ninguém queria parar... Podia ta rasgando tudo, mas ninguém queria parar...rs...Já no km 2....a gente já via o povo passando a mão na coxa, na panturrilha, falando ai, ai, ai....No km 3...começou o grande martírio mesmo. Quando eu via uma enoooorme subida, não encarava não....andava mesmo. A prova se chama Desafio e o desafio não é terminar, é conseguir subir aquilo sem parar nenhuma vez. Eu andei várias vezes. Era o que mais se via. Por um lado era bom... Você não era tão ruim, ou pelo menos não era ruim sozinho. Na verdade ninguém ali era ruim. A prova é dura mesmo, e não éa toa que é conhecida como uma das mais dura do país.

Pelo menos aqui eu já estava conseguindo ficar ereta e respirar....rs...




Acabei encontrando no caminho uma menina que estava ao meu lado na largada. Era sua 1ª vez na prova. Lá embaixo eu aconselhei a ir devagar. Ela me parecia empolgada. Já no caminho, quando ela chegou ao meu lado, as duas caminhando, apenas me disse esbaforida: “ 1ª e última vez”. Eu apenas disse a ela qe não desistisse, pois todo mundo ali estava sofrendo, não era só ela.



Passei pelo meu pai algumas vezes, num esquema revezamento.. eu corria, ele parava, ele corria e eu caminhava....rs...uma loucura. O engraçado é que ele não me viu nenhuma vez, mesmo correndo esbarrando no braço dele... concentração é tudo....rs.....


Na altura do km 6, onde você não sente mais nada: não sente os bracinhos, não sente as perninhas, não sente os pezinhos, não sente nada...rs....era tudo ou nada. Faltava apenas 1,5km....Eu estava sofrendo muito, sem expectativa de fazer um tempo bom, e nem mesmo a paisagem maravilhosa que a gente pode ver lá de cima, me animava. Eu queria chegar logo. Foi quando lembrei do meu post sobre a dúvida sobre que t~enis eu usaria no dia da prova. Optei pelo Nimbus 11, achando que me daria mais amortecimento e estabilidade. Me lasquei de verde e amarelo, pois como a partir do km 6, dá pra apertar o passo um pouco e assim eu quis fazer, me senti como aqueles prisioneiros com grandes bolas de ferro amarrados na canela. Tava pesadaça. Horrível. Eu tinha força, mas não tinha perna. Aliás, acho que elas (pernas) ainda estão em algum lugar lá na Mata Atlântica, pois não consigo senti-las completamente....rs...

Quando vi a chegada nunca senti tanta alegria... juro por Deus. O problema foi me erguer... Não consegui me erguer completamente .. doía muito o abdômen. E não pensem que passou rápido a dor não...Custei pra conseguir ficar inteira ereta. Pouco mais de 2 minutos após a minha chegada, vem meu pai. A 1ª coisa que disse pra ele foi: “Nunca mais venho aqui, nunca mais”. Ainda não sei dizer se posso levra essa frase a sério, mas acredito que na metade do segundo semestre eu já possa ter mudado de idéia...rs....todos nós somos assim.... É como a dor do parto....pode doer, mas a gente esquece.....

Tiramos algumas fotos, tomamos nosso chocolate quentinho (pelo menos isso nos deram) e fomos embora no ônibus da organização. Quase 1 hora pra descer.....mas foi bom pra descansar um pouquinho....

Assim que chegamos no estacionamento, meu pai, abre o porta malas e simplesmente me mostra um artefato de comida....pão integral com requeijão, isotônico, bolacha, mexerica, maçã, banana....kkkkkkkkkkkkk... o que era aquilo???? O que eu tinha a fazer....? não fiz uma boa prova, estava toda dolorida, a saída...comer tuuuuuuuuuuuuuudo...rs...



eita....







dale comida....


mas é magra de ruindade mesmo....

Ah...peguei um panfletinho no carro do lado falando sobre uma prova em cubatão...rs...vou me inscrever.....

O importante eu fiz....corri, cheguei....e estou aqui....já pensando no próximo desafio!!!!É assim sempre e espero que sempre seja, porque quando não for...quando eu não sentir mais vontade de saber quando é mesmo a próxima prova, quando é mesmo que eu vou sofrer de novo... será hora de parar....tenha certeza....

8 comentários:

MarLee disse...

Eu dou muita risada com seus post´s, vc escreve de uma forma alegre e divertida!!!
Parabéns por mais uma prova cumprida!!!
www.marleemove.blogspot.com

Felipe de Souto disse...

OI Lú!!!!! Que prova hein!!! E olha que para vc dizer que não quer mais correr essa é porque deve ter sido punk mesmo! De outro lado, correr com o pai deve ser muito gratificante!! Privilégio para poucos, que orgulho você deve ter dele e ele de vc!
Parabéns!

Felipe de Souto

Dona D disse...

Oi Luciane!!!

Que prova dura, hein!!! Mas juro que me deu vontade de participar no próximo ano!!!

Parabéns!

Beijinho!

BLOGUEIRO EXECUTIVO disse...

OLÁ ADMIREI SEU BLOG E COLOQUEI ELE EM MEU BLOG ROLL, TAMBÉM SOU CORREDOR E TENHO UM BLOG SOBRE MINHA VIDA DE CORREDOR, PASSA LÁ DEPOIS:

http://laeelc.blogspot.com/

satrijoe disse...

Muito divertido seu relato.

Mas o mais legal foi ver o relato anterior consertando a cag@¨*& da organização rs

Parabéns! Avise qdo voltar a vontade de participar da prova outra vez! kkkk

Inté,
Shigueo

Mayumi disse...

Afff, fiquei cansada só de ler! Rsrsrs. Parabéns pela subidona! Um dia, ainda enfrento essa! E parabéns pela justiça!

tutta disse...

Dizem que esta prova é bastante difício mesmo.
Pretendo fazê-la um dia. hehe
Parabéns por tê-la completada e pela atitude tomada em entrar em contato com a organização e dizer que você não havia ficado na terceira colocação na sua categoria citado no post anterior.


tutta

Ingrid disse...

Luciane, resolvi escrever nesse post, porque foi a partir desse que te descobri.
Teu blog é muito humano e apaixonante.
Sempre passo por aqui e é uma honra de verdade saber que tu me segues. Sério!! Te acho incrível! Uma super mulher,mãe... ( deves ser uma esposa genial também ) e uma corredora 100% apaixonada.
Quem sabe ainda nos cruzamos nesse Brasil imenso de tantas provas legais.
Bjo no coração!