segunda-feira, 29 de setembro de 2008



TÁ PROCURANDO UM MOTIVO PRA CORRER? TE DOU 13....


Correr sempre foi seu sonho. Mas a falta de tempo, o fôlego curto e a preguiça acabam adiando até a passadinha no shopping para a compra de um tênis novo. Você nem imagina o que está perdendo. Eu é que io diga.. comecei por hobby e cá estou eu com um blog e totalmente viciada em correr... aliás, eita vício bom!!!!Esse esporte é uma atividade física completa, que faz bem ao corpo todo. Duvida? Então confira abaixo a lista de benefícios que o exercício proporciona a você. Mas não se deixe enganar: para usufruir de tudo isso, é necessário dar piques regulares. O ideal para quem está começando é correr em dias alternados, de três a quatro vezes por semana, e fazer outra atividade aeróbia como bicicleta e natação nos outros dias.

Quanto a isso, ainda tenho que me progrmas. Antes da garvidez, eu corria segunda quarta, sexta, e sábado e fazia musculação terça e quinta, sendo que na quinta tb fazia spinning. Agora só tenho corrido, mas já estou vendo algum horário para voltar para a musculação... É importante fortalecer os membros, principalmente o lombar e os joelhos que sofrem muito durante a corrida.

Se você já corre há muito tempo, vale fazer treinos mais puxados e específicos de três a quatro vezes por semana e treinos moderados ou leves nos outros dias. O tempo também pode variar de acordo com o condicionamento físico, as necessidades e os objetivos de cada um. Mas é possível ter benefícios com 30 a 60 minutos a cada prática. Em todos os casos, entretanto, a musculação e os alongamentos são essenciais para dar um bom suporte ao corpo, além de ajudar a melhorar a performance na corrida , completa. E, antes de começar, não deixe de ir ao médico e fazer uma avaliação física. Isso vai prevenir lesões e outros problemas de saúde que podem prejudicar a sua motivação. Vamos ver se eu te convenço...


1. Coração: a corrida exige que o coração aumente o fluxo de sangue para todo o corpo. As fibras do músculo se fortalecem e a cavidade aumenta. Há uma hipertrofia excêntrica do miocárdio (alteração na parede e na cavidade do ventrículo esquerdo) melhorando a ejeção sanguínea. Desta forma o coração bombeia mais sangue com menos batidas, se tornando mais eficiente. Com o aumento da circulação sangüínea pelo corpo, cresce a entrada de oxigênio nos tecidos.

2. Pulmões: correr faz com que o volume de ar inspirado seja maior, aumentando a sua capacidade de respiração. Há também um aumento da quantidade de oxigênio absorvido do ar atmosférico.

3. Ossos: estimula a formação de massa óssea, aumentando a densidade óssea evitando problemas como a osteoporose.

4. Pressão arterial: correr estimula a vasodilatação, o que reduz a resistência para a circulação de sangue. Há trabalhos específicos para alunos hipertensos, como trabalhar a velocidade em terrenos planos. Uma maneira de diminuir a sua pressão é trabalhando a velocidade em terrenos plano.

5. Cérebro: aumenta os níveis de serotonina, neurotransmissor que regula o sono e o apetite. Em baixas quantidades, essa substância está associada ao surgimento de problemas como a depressão.

6. Peso: quanto maior a intensidade do exercício maior a queima calórica e de gordura. A corrida ajuda a gastar muitas calorias, favorecendo a perda ou manutenção do seu peso. Em uma hora de treino, um atleta chega a queimar até 950 calorias.

7. Colesterol: diminui os níveis de LDL (colesterol "ruim"). Corredores de longas distâncias têm o nível mais alto de HDL (colesterol bom ), encarregado de transportar os ácidos graxos no sangue e de evitar o seu depósito nas artérias.

8. Estresse: com a corrida, há liberação do hormônio cortisol, aliviando o estresse e a ansiedade.

9. Sono: fazer atividade física, melhora a qualidade de sono. Correr faz a pessoa dormir melhor. Após o exercício, o corpo libera endorfina, substância que provoca a sensação de bem-estar e ajuda a relaxar.

10. Músculos: a corrida ajuda a melhorar a resistência muscular e também queima a gordura dos tecidos musculares, deixando-os mais fortes e definidos.

11. Rins: com o aumento da circulação, há também uma melhora da função dos rins, que filtram o sangue e reduzem o número de substâncias tóxicas que circulam pelo corpo.

12. Articulações: correr torna a cartilagem das articulações mais espessa, o que protege melhor essas regiões tão frágeis do nosso corpo.

13. Aumenta a libido: após 30 minutos de corrida, há um aumento da testosterona que permanece assim, por mais uma hora aproximadamente. No caso das mulheres, também há um aumento dos hormônios relacionados ao desejo, além de aumentar a auto-confiança.

Eu podia passar a tarde inteira falando de mtivos e mais motivos para se praticar a corrida, mas na minha singela opinião, acho que dá pra começar... tô errada?

domingo, 28 de setembro de 2008


Gebrselassie bate o recorde mundial da maratona


Mais uma vez no percurso plano da Maratona Internacional de Berlim, o etíope Haile Gebrselassie bateu o recorde mundial da distância. A exemplo do que já havia feito no ano passado, o africano melhorou a marca mundial, desta vez correndo abaixo das 2h04. Neste domingo, ele venceu a prova com o tempo de 2h03min59.
Esta foi a terceira vitória consecutiva de Gebrselassie na prova alemã, o tricampeonato é inédito em Berlim. 'Hoje, eu estou muito, muito, muito feliz. Tudo foi perfeito hoje', comemorou.
O clima ameno ajudou a performance do etíope, que não teve dificuldades para controlar a prova desde a largada. Aos 35 anos, Gebrselassie teve uma preparação complicada para a disputa.
'Eu tive uma pequena lesão muscular na barriga da perna e tive de parar por uma semana, somente há uma semana pude voltar a treinar. Então, para hoje eu tinha algumas dúvidas... mas tudo foi realmente muito bom', comemorou.
Em agosto, Gebrselassie abriu mão de defender seu título olímpico na maratona temendo que as más condições de poluição em Pequim comprometessem seu futuro. Com isso, ele correu apenas os 10.000m, mas não foi capaz de repetir as vitórias obtidas em Atlanta-96 e Sydney-2000, terminando na sexta colocação.
O recorde deste domingo é o de número 26 na carreira de Gebrselassie e mantém uma tradição do percurso alemão, que já permitiu a muitos corredores conquistarem a marca mundial. Foi assim cinco anos atrás com o queniano Paul Tergat, pentacampeão da Corrida Internacional de São Silvestre, quando ele estabeleceu o tempo de 2h04min55. Foi a primeira vez que alguém completou os 21.195km abaixo de 2h05.
Na prova feminina deste domingo, a alemã Irina Mikitenko venceu com o tempo de 2h19min19. Esta é a quarta melhor marca feminina da história na distância. Somente a recordista mundial Paula Radcliffe, Catherine Ndereba e Mizuki Noguchi já foram mais rápidas que ela.
A segunda colocação ficou com a etíope Askale Magarsa (2h21min31), seguida pela queniana Helena Kirop (2min25s01).

sábado, 27 de setembro de 2008

NASCEU MAIS UM BLOG DE CORRIDA....
Olá pessoal, no meio de tanta notícia e tanta correria (literalmente falando..rs), acabei esquecendo de contar....Nasceu mais um blog de corrida... Sim, estamos nos multiplicando como coelhos...Por isso eu sempre digo "Podemos sabotar quantas corridas quisermos....rs....é só não nos respeitar"...rs...
Mas como eu ia dizendo...o blog é do Bruno Thomaz, lá de Porto Alegre, muito bacana e vale muito a pena visitar diariamente, já que está sempre atualizado com matérias bem legais....
Para quem quiser dar uma espiadinha...tá aí o link...
TÀ AÌ A DICA....


ULTRAMARATONSITA TEM PERNA AMPUTADA POR CAUSA DE BOLHA


Um fato terrível aconteceu na 16ª etapa da Transe Gaule, uma ultramaratona de 1.166 quilômetros que corta a França e é disputada em 18 etapas.

Uma bolha no pé esquerdo de Chiu Shu-jung, 51, experiente corredora de Taiwan estourou. Achando que seria um problema corriquiero de qualquer corredor (sim, todos nós temos bolhas nos pés), a atleta seguiu em frente até a etapa final concluindo a exaustiva prova em segundo lugar no feminino, 17º no geral, fechando em um total acumulado de 125h07min24., no dia 30 de agosto.
Infelizmente, pouco depois, teve de ser hospitalizada por causa de fortes dores em seus pés. Ela já estava com infecção adiantada nos pés e teve de ser transferida para um hospital em Montpellier.
Atacada por uma bactéria conhecida como "comedora de carne", a corredora foi vítima de fasciite gangrenosa. Foi submetida a sucessivas operações e acabou por ter sua perna direita amputada, no dia 31 de agosto, assim como parte do pé esquerdo, em cirurgia no dia seguinte. Segundo o boletim médico, as amputações foram necessárias para evitar que a infecção se espalhasse.
Ela está sendo mantida em coma induzida e, segundo o último boletim médico (do dia 16 de setembro), seu estado, apesar de grave, como se pode imaginar, é considerado estável.
Chiu, de 51 anos, tem dois filhos e é uma das grandes ultrmaratonistas do planeta. Integra a equipe nacional de Taiwan para provas de 24 horas e, no ano passado, classificou-se no 40º lugar no geral na conhecida Spartathlon (corrida de 246 km de Atenas a Esparta).
"Nunca pensei que fôssemos sofrer tanto", disse o marido de Chiu, Lu Hua chieh, que pela primeira vez a acompanhou em uma prova. Ele disse esperar que os médicos estudem bem o caso para que, no futuro, seja dado um atendimento melhor a corredores que enfrentem
situação similar.
Nossa, que coisa triste Meu Deus!!!!!! O que podemos fazer é rezar por ela...além de ficarmos mais atentos do que nunca a uma simples bolha nos pés....

BOLT REBATE LEWIS: "EU SEI QUE ESTOU LIMPO"


Alvo de múltiplas insinuações de doping desde que faturou os títulos de todas as três provas que disputou nos Jogos Olímpicos de Pequim, sempre com recordes mundiais, o jamaicano Usain Bolt reagiu às acusações. Em entrevista à Reuters, nesta sexta-feira, o campeão olímpico dos 100m, 200m e 4x100m negou o consumo de qualquer substância proibida.
'Eu sei que estou limpo. Trabalho duro pelo que eu quero', disse o velocista. Na China, ele impressionou logo em sua primeira final, baixando o recorde do mundo em três centésimos de segundo ao estabelecer a marca de 9s69. Mais que o tempo, sua performance chamou a atenção pela facilidade com que foi conquistada.
Bolt fechou a prova diminuindo o ritmo nos metros finais e começando a comemoração mais cedo. Especialista nos 200m, ele já tinha chamado atenção ao bater o recorde mundial, que pertencia então a seu compatriota Asafa Powell, em maio.
Dono de nove medalhas de ouro olímpicas, o norte-americano Carl Lewis foi um dos que ficou intrigado com a evolução do atleta. Um dos títulos de Lewis foi conquistado após a descoberta do doping do jamaicano, naturalizado canadense, Ben Johnson, nos Jogos de Seoul-88. 'Ainda estou trabalhando o fato de ele baixar de 10 para 9s6 em um ano. Acho que existem algumas questões... países como a Jamaica não têm programas (de controles de doping) aleatórios. Então, eles podem passar meses sem ser testados', disse Lewis em entrevista à Sports Illustrated.
Bolt não acusou o golpe. 'Eu sei o que ele disse. Para mim, realmente não importa o que ele disse, muitos estão dizendo isto. Quando você corre os 100m é o que consegue. Quão rápido você seja, eles começam a falar isto. É como um padrão. Estou tentando mudar isto. É uma imagem negativa para o esporte. Carl Lewis pode dizer o que ele quiser. É apenas sua opinião'.
Para Bolt, só há uma explicação para sua evolução: trabalho duro. 'Os 200m também são velocidade, esta é a chave. A única coisa que eu tive de fazer foi acertar minha largada e eu acertei. É por isso que meus últimos 50m são tão bons porque eu tenho velocidade e resistência'.
Aos 22 anos, o velocista rebate os argumentos de poucos antidopings apresentado pelo norte-americano. 'Claro que somos testados no Caribe. Eles gostam de chegar na nossa casa de manhã cedo. Não é legal ser levantado às seis, sete horas quando você está aproveitando o sono. Mas eu sei que o que é e isto é justo. Somos testados sempre'.
A despeito do que os adversários e observadores têm dito, Bolt garante que estará na defesa de seus títulos em Londres-2012. 'Eu vou estar em Londres... e espero que não esteja frio', brincou. 'Estou ansiando por isto. Eu posso voltar a ser campeão. Vou ter 26 anos, tenho muito tempo em minhas mãos. Tudo o que eu preciso é manter o foco, treinar duro e estar pronto'.
PORTO ALEGRE RECEBE SÉTIMA ETAPA NESTE DOMINGO

A cidade de Porto Alegre recebe a sétima etapa do Circuito Caixa de Corridas de Rua neste domingo, a partir das 8 horas. A prova de 10km conta pontos para o ranking nacional da modalidade, que garante aos dez primeiros colocados ao final da temporada ajuda de custo por um ano.
Atual líder no feminino, Sueli Aparecida Vieira quer defender esta situação. “Preciso correr bem para manter a liderança. A etapa de Porto Alegre é a que mais gosto no ano, pois o percurso é plano e exige maior velocidade. Quero fazer minha melhor corrida em 2008”, diz.
Com apenas oito pontos de diferença, Marizete Moreira dos Santos acredita na recuperação depois de ficar fora da etapa de Ribeirão Preto. “Espero me recuperar em Porto Alegre. Apesar da forte concorrência, acredito que posso fazer uma boa prova e subir no pódio”.
Quem espera surpreender novamente as rivais é Adriana Aparecida da Silva. A corredora do Pinheiros, que conseguiu sua primeira vitória no Circuito em Ribeirão Preto, busca se firmar entre as principais atletas do País. “Passei um período de recuperação pós-cirúrgica e sabia que só atingiria meus melhores resultados no fim deste ano, o que ficou comprovado com a vitória em Ribeirão Preto. A expectativa é de um bom desempenho em Porto Alegre”, explica.
Sem a presença de Giomar Pereira da Silva, líder do ranking e vencedor das quatro etapas do Circuito que disputou em 2008, a competição masculina promete ser extremamente equilibrada. O favorito é Ivanildo Pereira dos Anjos, quarto colocado do ranking com 160 pontos, 46 a menos que Giomar. O atleta do Cruzeiro espera conseguir um bom resultado em Porto Alegre para diminuir a diferença para o rival.
É uma boa oportunidade para subir no ranking. Vou brigar pela vitória para somar o máximo de pontos possíveis e encostar no Giomar. O Circuito tem sido minha prioridade neste ano. Tenho a mantido a regularidade em todas as etapas e espero ir bem em Porto Alegre”, destaca Ivanildo.
Em sua segunda edição na capital gaúcha, a competição contará com a participação de 1.150 atletas. O crescimento foi de 53% em relação ao número de inscrições no ano anterior. Desde 2004, 33.600 corredores já participaram do Circuito. Ao todo, serão 10 etapas em 2008, passando por oito estados diferentes.

sexta-feira, 26 de setembro de 2008


CORRENDO BONITA....


Opa, correr é muito bom, mas fazer umas comprinhas de acessórios para corrida também é ótimo!!!!! Hoje fui até São Paulo com uma amiga minha...Fomos até a José Paulino...Daí, entra em rua aqui, entra em rua ali, me deparei com uma loja grande de acessórios esportivos...Até parece que eu resisti... Se tem uma coisa que eu não resisto são coisas de esporte...Quando compro alguma coisa nova pra correr, um boné, um short, o que seja, parece até que o treino flui mais leve...rs...è bom correr bonito!!!

Como eu ia dizendo adentrei a loja e queria comprar tuuuuuuuuudo....Claro que me contive, mas não saí de mão abanando não....Comprei uma viseira e um relógio da ADIDAS....obaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa.... e também minha touca de natação, pois a partir da semana que vem, meu pimpolho entrará e eu loóógico, vou atrás....Para quem fez natação durante 9 anos, ver o filho dando suas primeiras nadadas...ai, ai....Quem sabe não será o primeiro passo para nascer aí um tri-atleta???? Na natação já vai estreiar, correr, tem tudo pra gostar, se puxar a mãe aqui, e pedalar...ah....disso os avós se encarregam...rs....

Amanhã não vou treinar (sábado), nem domingo, pois meu pimpolho será batizado...sim, o tempo passa minha gente e o guri já tá com 6 meses!!!!!! Agora na segunda-feira, ninguém me segura, de viseira e relógio zero-bala....rssss....

quarta-feira, 24 de setembro de 2008

RESPOSTA DO ENIGMA.....


Bem amigos... Muitos aqui sabem que sou advogada, mas ultimamente tenho adotado uma nova profissão: repórter investigativo...rs... Como prometi, fui atrás para dar a resposta correta a todos os atletas desrespeitados pelos organizadores da Corrida horrorosa ....os 10km da Ilha Porchat.
Na segunda-feira enviei um email para a Confederação de atletismo a fim de saber se os esclarecimentos e as desculpinhas esfarrapadas dadas pelo Sr. Alexandre eram mesmo verdadeiras...Hoje recebi a resposta que segue a baixo...a qual transcrevo na íntegra com todo o prazer do mundo!!!!!
Prezada Luciane:

Acusamos recebimento de sua mensagem de 21 de setembro corrente, a qual trata da não realização de corrida de rua em São Paulo. Informamos que solicitamos a nossa filiada Federação Paulista de Atletismo esclarecimentos a respeito e, assim, prestamos-lhe as seguintes informações:

1. A prova não foi realizada, pois a Prefeitura da cidade não permite a realização de eventos desportivos nas vias da cidade sem a apresentação de autorização para a prova, emitida pela Federação Paulista de Atletismo, sendo que o organizador da mesma não quis seguir as normas da Federação, não obtendo a autorização e, via de conseqüência, não teve autorização da Prefeitura para realizara aprova. A exigência desta autorização é determinada pelo Art. 67 do Código Nacional de Trânsito.
2. Segundo a FPA, o organizador tentou realizar a prova mesmo assim, mas foi impedido por uma liminar impetrada pela Federação.
3. A CBAt não cobrou nenhuma taxa dessa prova, já que a mesma não solicitou a nós, em nenhum momento, reconhecimento como corrida de rua nacional.
4. Igualmente a FPA não cobra taxa para emissão da autorização, basta o organizador cumprir as normas e regras de corrida de rua para obter a mesma.
5. O desconto para os idosos não é uma determinação da Confederação e sim do Estatuto do Idoso, Lei Federal, que dá esse direto aos maiores de 60 anos. É a Lei Federal 10.741 de 1º de outubro de 2003, que diz em ser Artigo 23:
Art. 23. A participação dos idosos em atividades culturais e de lazer será proporcionada mediante descontos de pelo menos 50% (cinqüenta por cento) nos ingressos para eventos artísticos, culturais, esportivos e de lazer, bem como o acesso preferencial aos respectivos locais.”
Para os idosos, a participação em corridas é considerada como atividade de lazer.
6. Quando não houver o desconto previsto em Lei, recomendamos que o atleta entre com reclamação no PROCON contra o organizador da prova, a fim de que a Lei seja respeitada.

Atenciosamente,

Martinho Nobre dos Santos
Secretário Geral
Como podem ver, o Sr. Alexandre mais uma vez desrespeitou todos os atletas que se inscreveram nessa provinha....o que foi uma coisa muito feia não é companheiros???? Afinal de contas mentir para os atletas que entrou com uma liminar e fazer listinha de protesto, quando na verdade quem entrou com a liminar foi a Federação...é vergonhoso!!!!!
Então pessoal, cumpri o meu papel e esclareci tudo aqui. É claro, que sempre como faço, abro espaço, caso o sr. Alexandre queira falar alguma coisa (eu particularmente permaneceria calado pra não complicar mais ainda).
O que nos resta e nunca mais participar de nada cuja organização seja feita por este senhor...e tentar passar a situação para o máximo de pessoas possíveis.. pois somos muitos e podemos sim....exigir respeito!!!!!

terça-feira, 23 de setembro de 2008

CORRENDO CONTRA A GRIPE
Aff...dessa não deu pra fugir mesmo. Também, admito, facilitei. Ante ontem resolvi bater perna no Gonzaga e com essa mudança de tempo louca que vem fazendo aqui me Santos de de manhã fazer sol, de trade frio, de noite nevar...acabei sendo surpreendida pela danada da gripe... e conclusão...já estou há 3 dias de molho, já que nunca gostei de correr gripada, apesar de muita gente jurar de pés juntos que é muito bom pra curar maia rápido... Será mesmo???
Correr com gripe abre as portas do seu organismo para doenças mais sérias Os exercícios enfraquecem ainda mais o sistema imune, por isso tem que se recuperar em repouso.
A gripe é um processo infeccioso, normalmente, desencadeado quando seu corpo apresenta baixa resistência imunológica. Por isso, quem corre precisa dedicar atenção em dobro à alimentação: o exercício envolve um alto gasto energético, enfraquecendo o organismo que não estiver devidamente preparado. Além disso, é preciso levar em conta as alterações na temperatura do corpo, que acontecem durante o treino, e as variações de clima que se apresentam a quem pratica esportes ao ar livre.Tem muita gente que, mesmo com o nariz congestionado e o corpo dolorido, sai para correr, a justificativa é que o treino ajudaria a desintoxicar o organismo. Cuidado com isso. Uma doença é sinal de que você está frágil e precisa poupar energia para combater os microorganismos causadores do problema.O efeito preventivo das atividades físicas, entretanto, não deixa dúvidas. Um estudo recente, publicado na revista do American College of Sports Medicine (um dos mais importantes centros de pesquisa em medicina esportiva do mundo) constatou: o exercício, quando praticado com regularidade e num ritmo agradável, diminui as chances de surgirem infecções. Mas os exageros fazem o inverso. Os corredores que treinam de maneira árdua estão mais suscetíveis a gripes e problemas respiratórios. A explicação para essa aparente incoerência está num aminoácido chamado glutamina, presente no tecido muscular. Consumida pelo corpo durante o treino, ela também alimenta os leucócitos (células de defesa imunológica).A saída para garantir apenas o bom efeito da atividade física é a moderação ou, no caso dos esportistas profissionais, a suplementação. Os aminoácidos de cadeia ramificada, conhecidos como "BCAAs", são usados na produção de glutamina e podem suprir essa carência, diminuindo as chances de doenças como gripes e resfriados. Já é comprovado também que os exercícios regulares estimulam a produção de citocinas, imunoglobulinas e das células chamadas natural killers. Estas últimas, como o próprio nome inglês diz, são definidas como assassinas naturais, pois têm a capacidade de reconhecer e matar células tumorais.Estudos recentes revelaram que a atividade física regular e moderada regula o sistema imunológico, fazendo com que ele fique preparado para resistir a infecções. Já os treinamentos intensos, e sem um cuidado maior, debilitam as defesas do organismo humano.
Eu, vou aguardar bonitinha no quentinho essa danada ir embora.. e só então...voltarei com a corda toda....

domingo, 21 de setembro de 2008


E A PROFECIA SE CUMPRIU....
Não é de hoje que venho falando aqui sobre as más organizações nas provas de rua. Também não é de hoje que venho dizendo que há certas provas que deveríamos boicotar siiiiiiiiiiiiiimmmmmmm, a fim de que nós corredores pudéssemos ser um pouquinho mais respeitados pelos denominados " organizadores". Pois bem...
Quem acompanha meu blog, deve lembrar que cheguei a postar sobre um boicote à 2a edição dos 10km da Prova Ecológica Ilha Porchat. Na ocasião enumerei as falhas da 1a edição como medalha de madeira, falta de troféus, cheques sem fundos para a premiação e assim foi. Como protesto, pedi para que o máximo d epessoas possíveis não comparecessem à 2a edição, já que ao telefonar para o Sr. Alexandre (organizador) e questioná-lo sobre o fato de não dar aos maiores de 60 anos (meu pai) desconto de 50% nas inscrições, o mesmo disse, de forma muito confusa, que não poderia fazê-lo pois não tinha patrocinador...Ahã... e eu com isso? Como boa protestante...rs...nem eu, muito menos meu pai nos inscrevemos. Todavia, mesmo não fazendo parte dos atletas que mais uma vez foram lesados, recebi um e-mail do amigo Manuel lá de Registro que me pediu para que postasse sobre o ocorrido neste domingo...Pois bem...vamos à 2a edição da palhaçada...
No sábado, Manuel, se dirigiu ao local para a retirada do kit, levando cnsigo 1 quilo de alimento não perecível, conforme o exigido (o que já é um absurdo, posto que querem afzer caridade ás custas de nós corredores...por que não então, abaixar o valor das inscrições para aqueles que contribuírem???). Prosseguindo...a moça que o atendeu, confirmou a prova para domingo, com largada `s 08:00 para caminhantes e ás 09:30 para corredores.
Hoje pela manhã, Manuel, após todo o seu ritual pré-prova, se dirigiu à largada, cabendo dizer, que ele mora em Registro, cidade um tanto quanto longe de Santos, ficando há aproximadamente 2 horas e meia daqui.
Para sua surpresa, menos para a minha que já tinha previsto alguma coisa desse tipo, foi avisado sobre o cancelamento da prova, e conforme palavras do próprio atleta Manuel: "segundo o Sr. Alexandre, da Associação Corre Litoral Paulista, o (qual também se intitula organizador), a corrida foi cancelada porque a Federação Paulista não emitiu o Alvará para realização da corrida e a Prefeitura de São Vicente, então não liberou as ruas para realização do evento. Ainda, segundo ele, a Associação teria realizado o pagamento de uma taxa e a Federação, após vistoriar o trajeto estava exigindo o pagamento de outra taxa para emissão do Alvará. Ele entrou com uma liminar e lá no local passou um abaixo-assinado de protesto. Não contente com tudo isso às 09h30 eles resolveram fazer um treino pelo percurso da prova... Eu vim de Registro, haviam corredores de São Paulo, São Bernardo, gente que trocou a data da folga pra poder estar hoje lá.... Ele ia tentar marcar uma nova data e o pessoal da Runner Brasil, que fez as inscrições pela internet e ia fazer a cronometragem disse que iria enviar um e-mail dizendo o que aconteceria...
Veja bem minha gente, isso é no mínimo um absurdo!!!! Em 1º lugar não acredito nessa história de liminar, e se por acaso foi verdade, a mesma foi negada, já que o objeto de uma liminar deve ser julgado antes que o fato ocorra, com o intuito de resguardar um direito. Portanto, se o mesmo entrou com uma liminar, de duas uma: ou ela seria concedida e a prova aconteceria, ou seria negada (o que de fato deve ter sido) e aí o povo ficaria na mão...como ficou.
Eu não deveria estar feliz com o que aconteceu, até porque, muitos atletas, como por exemplo, o manuel, pagaram a inscrição de R$ 35,00, saíram de suas casas, algumas perto, outras longe, e foram totalmente desrespeitados, ficando sem saber o que acontecerá, ficando na esperança de talvez receber um e-mail da runnerbrasil, que ao meu ver, também é uma vítima da tal organização...
Para tentar desvendar o problema, mandei um e-mail para a Aconfederação Paulista de Atletismo, a fim de tentar saber se realmente o que ocorreu foi a não liberação do percurso, ou se foi algo mais, já que não conceder os 50% de desconto nas inscrições dos acima de 60 anos, por si só já seria fato impeditivo para a prova ser aprovada pela confederação.
De toda forma, fica aqui, mais uma vez um protesto e principalmente mais uma profecia cumprida...Àqueles que me ouviram e não se inscreveram, muito obrigada, e àqueles que mesmo sendo aletados, como o Manuel, o qual no e-mail ainda disse:"Me inscrevi, mesmo sendo avisado por vc"...fica aí, mais um alerta. Temos que escolher direito as provas que participamos. Eu sei, e digo com propriedade, é difícil deixar de se inscrever nas provas, principalmente, quando acontece na nossa cidade, mas é preciso garimpar...
Fico por aqui totalmente indignada.....
NOIVAS DISPUTAM CORRIDA PARA GANHAR CASAMENTO GRÁTIS


Uma competição no mínimo bizarrinha acontece neste domingo (21). Dezenas de mulheres participam da competição na Bielorrússia. A grande vencedora leva dinheiro e uma cerimônia com tudo pago.
Será mesmo que elas estão correndo atrás de uma cerimônia grátis, ou será que estão correndo atrás de um bom partido???? rs....

É cada uma.....

sábado, 20 de setembro de 2008


DILATADOR NASAL AJUDA A CORRER OU É CONVERSA FIADA?


Vamos combinar, bonito a gente tem que concordar que não é mesmo!!!! Agora se funciona mesmo, se faz com que o corredor facilite a corrida, aí, é outra conversa. tem gente que diz que sim, outros dizem que é balela. Eu mesma nunca usei, até porque, em primeiro lugar, respiro pela boca e segundo, meu pai já usou e não sentiu lá grandes diferenças... Ok, ele não sentiu diferença nenhuma!!! Mas essa foi apenas a opinião dele....o que abre espaço para uma grande polêmica...

Polêmicos são fatos, objetos, idéias e até mesmo pessoas que deixam margem para dois e apenas dois tipos de reação: amor ou ódio. Simples assim. Frente a eles é impossível disfarçar, ficar indiferente, permanecer em cima do muro: ou você adora de paixão ou detesta e não quer nem ouvir falar. Dilatadores nasais estão longe de merecer tal classificação. Mas talvez você esteja simplificando demais as coisas ao fingir que eles não existem.

Que ninguém duvide: respirar corretamente durante a atividade física reduz a freqüência cardíaca, aumenta a eficiência cardio-respiratória e ajuda a melhorar o desempenho. Nesse sentido, respirar pelo nariz sempre foi tudo de bom. Ao contrário do que ocorre com a respiração oral, além de alertar o sistema imunológico sobre a presença de gases perigosos, o ar que passa pelo nariz chega aos pulmões filtrado, umidificado e com sua temperatura ajustada, prontinho para ser rapidamente convertido em energia. Infelizmente nem sempre é possível respirar dessa maneira o tempo todo.
A válvula nasal é a passagem mais estreita do nariz, contribuindo com aproximadamente 50% da resistência oferecida à passagem do ar durante o trato respiratório. A partir da descoberta de que mesmo pequenas alterações na sua abertura proporcionavam mudanças significativas no fluxo de ar, vários dispositivos foram inventados tanto no sentido de tentar alargá-la como para evitar que se feche durante a inspiração. Em meio a tanta criatividade - até clipes de prender papel foram entortados na tentativa de cumprir a missão! -, dois tipos de dilatadores se destacaram.

POR DENTRO OU POR FORA? A ESCOLHA É SUA


Inventado por Bruce Jonhson, o tipo "Breath Rigth" é um dilatador tipo externo. Fixado horizontalmente à pele do dorso do nariz, consiste de uma estreita tira adesiva que contém duas lâminas paralelas de plástico. Indo de uma asa à outra do nariz e atuando como molas, a finalidade dessas tiras é evitar que as abas das narinas se fechem. É descartável e produzido em tamanhos variados. Embora exista um modelo impregnado com mentol, os fabricantes afirmam que seus produtos não contêm qualquer droga ou princípio ativo, sendo sua ação apenas mecânica, não química.
Criado pelo sueco Björn Petruson, o tipo "Nozovent" é um dilatador tipo interno. Melhor seria dizer-se semi-interno, já que fica parcialmente para fora. Confeccionado em silicone e em vários tamanhos, quando dobrado e posicionado na cavidade nasal, age como se fosse uma alavanca, empurrando simultaneamente as duas asas nasais para fora. Embora possa ser reutilizável, após três meses de uso diário perde o efeito mola e precisa ser substituído.
Até de abril de 2006 haviam sido publicados mais de 60 estudos científicos sobre os vários dilatadores nasais. Muitos foram feitos em pacientes, outros em pessoas saudáveis, de diferentes raças, em descanso e durante exercício, antes e depois de descongestionamentos nasais. Em todos esses trabalhos foram consideradas tanto as sensações subjetivas dos voluntários como feitas medições objetivas das áreas transversas mínimas de suas cavidades nasais.
Com a dificuldade de comparar resultados sendo reduzida tanto graças ao uso de aparelhos modernos como pela utilização de protocolos padronizados, parte dos estudos voltou-se para a obtenção de dados físicos. Em trabalhos dessa natureza, onde o colapso (fechamento total) da válvula nasal durante a inspiração é geralmente parte do problema, os parâmetros de inspiração nasal dão as informações mais importantes.
No entanto, ao considerarem as necessidades específicas dos atletas, 13 estudiosos resolveram ir mais longe nas suas pesquisas. Pensando em quem pratica atividade física, eles definiram não a válvula nasal em si, mas sim a freqüência cardíaca e o consumo de oxigênio como sendo os principais fatores a serem analisados. São esses os trabalhos que nos dizem respeito mais diretamente.

EVIDÊNCIAS CIENTÍFICAS


Doutora do Departamento de Otorrinolaringologia do Kungsbacka Hospital, na Suécia, Eva Ellegard, ela própria uma pesquisadora profundamente interessada no assunto, reuniu no seu mais recente estudo todos os achados científicos apontados pelos diversos cientistas e publicados até abril de 2006. Do total de 138 trabalhos analisados, 46 foram por ela classificados como direcionados aos praticantes de atividade física, sendo que todos foram feitos pelos 13 cientistas anteriormente citados. À luz de tão expressivo cruzamento de dados, as observações da Dra. Eva têm, portanto, incontestável base científica.
A maioria das pessoas troca a respiração de nasal para oronasal (boca+nariz) tão logo o exercício atinge determin ada intensidade. Ainda assim, de 40 a 57% da respiração continuam sendo feitos pelo nariz. Nos esportes de contato, onde os protetores bucais são obrigatórios, tais números tornam-se ainda mais significativos. Durante o exercício, com os músculos nasais operando a válvula, o efeito prático adicional dos dilatadores mecânicos são menores que na situação de repouso. "Entretanto, frente a aumentos de carga, ambos os tipos de dilatador podem fazer com que a respiração exclusivamente nasal seja sustentada por mais tempo. Quando a intensidade do exercício por fim obriga à troca, a melhora na parte nasal permite comprovar pequenos aumentos de rendimento em alguns poucos casos. Nos demais não acontece absolutamente nada", afirma Dra. Eva em seu extenso trabalho.
De grande relevância para os atletas, o consumo máximo de oxigênio foi medido em diversos desses estudos. Por depender de fatores genéticos, treinamento e tipo de exercício praticado, varia de pessoa para pessoa e não se pode esperar que mude pela simples e pura dilatação nasal. Em apenas um dos testes, ao ser usado o dilatador externo, a ventilação melhorou e o consumo submáximo de oxigênio se reduziu. O fato se deu quando o exercício era feito em certa intensidade, acontecendo queda semelhante nos batimentos cardíacos. Em todos os demais testes nada houve a esse respeito. "A freqüência cardíaca durante o exercício não mostra alterações nem quando se compara o uso do dilatador nasal com a aplicação de um pregador nasal. Idêntica reação aconteceu entre indivíduos que haviam sentido maior facilidade em respirar pelo nariz ao usar dilatadores externos placebo em situação de repouso", diz Dra. Eva.

DIRETO AO PONTO


Adesivos nasais podem aumentar o desempenho dos corredores? Quando, como e por que? - nos respondeu que o trabalho mais interessante feito a respeito indica uma possibilidade de melhora de 3%. Complementa a resposta dizendo ser muito importante observar que há diferenças consideráveis entre os indivíduos e a forma como funcionam suas respectivas aberturas nasais. Se elas colapsam na inspiração forçada, e se o dilatador oferece resistência a esse colapso, é possível que a pessoa se beneficie com o uso.
Publicado em 2004, o trabalho citado pela Dra. Eva Ellegard foi feito pelos pesquisadores DJ Macfarlane e SK Fong. Com os testes feitos em pista, eles analisaram 30 estudantes chineses, todos homens, adolescentes e atletas. Quando comparado ao uso de placebos, a utilização de dilatador externo verdadeiro aumentou o pico aeróbio e proporcionou um ganho de 3% na velocidade da corrida, que foi medida em km/h. Os autores argumentam que os testes de campo (não laboratoriais) e a utilização de atletas proporcionaram resultados com menor variação intra-individual, o que para eles explica o fato de terem encontrado uma diferença tão pequena e ao mesmo tempo tão significante. Não houve nenhuma melhora durante o teste anaeróbio. Até o momento não se tem conhecimento de qualquer outro trabalho feito em bases semelhantes que confirme ou mesmo reproduza tal achado.
Na falta de polêmica e na sobra de controvérsia, considerando que os resultados obtidos até aqui com os dilatadores são individuais e se ligam a sutilezas como as descritas acima; que os três fabricantes consultados se furtaram a dar informações tanto sobre vendas como sobre as propriedades de seus produtos; que a Associação Brasileira de Rinologia não quis se manifestar a respeito; que vários médicos brasileiros evitaram discutir o assunto (um deles tendo inclusive trabalho científico já publicado); que voluntariamente apenas duas leitoras responderam à consulta feita na CR sobre suas experiências com os dilatadores (ambas positivas); que o investimento na compra de dilatadores é baixo e que os efeitos colaterais de seu uso são praticamente nulos (no máximo uma pequena irritação na pele do nariz), caso você realmente deseje de sua parte encerrar a questão, o melhor a fazer talvez seja você mesmo cuidar da própria experimentação. Nesse caso, na melhor das hipóteses você poderá virar um coelho.

Lembrei de uma matéria que eu li algum tempo atrás no Pan Rio. Juliana e Larissa inovaram no visual durante o Pan do Rio. Até nos treinos elas usaram ditaladores nasais. Quando chegaram à cidade, disseram que era para melhorar a respiração, já que vinham de uma pequena gripe. Uma pessoa ligada às jogadoras, no entanto, explicou que elas recebem um bônus por cada foto em que elas aparecessem usando os dilatadores durante o Pan.

Portanto, para o bolso a gente já sabe que faz bem...rs..... Seja como for, vá em frente. Crie sua polêmica.

quinta-feira, 18 de setembro de 2008

MUDANÇA DE PLANOS...

oK, depois de ter feito a minha grande marca de 51:48 na última etapa do santista, no Domingo passado, fiquei 4 dias sem treinar... Sim, isso mesmo...E não estou com peso na consciência não, se é que querem saber. Isso porque sempre que participo de alguma prova, seja ela de 10km, 15km ou qualquer distância, me entrego ao deacaso total...Faz parte... aliás, uma parte bem importante, já que descansar também faz parte dos treinos. Há quem diga que 4 dias sem treinar é um exagero, mas isso depende muito de cada um. Quando volto a correr, volto cheia de gás, e digo mais, com um tempo bem abaixo do que eu corria antes do descanso.
Amanhã, recomeço, e recomeço com mudanças de planos. Eu havia dito aqui, que correria a Corrida das Torres no dia 21 de setembro (sábado que vem) e o Circuito de Mongaguá, 3a etapa (dia 27 de setembro). Todavia, resolvi não correr nenhuma das duas. A das Torres, porque meu pai, ainda não se recuperou do bico de papagaio.. e como ele não poderia correr comigo, ficaria muito preoucpadao, devido às condições do percurso...Sim...é bem perigoso, já que é no meio da mata atlântica, em uma trilha suuuuuuuuuper apertadinha em que vc corre sozinha por um longo tempo....Quanto ao circuito de mongaguá, desisti em cima da hora, pois só agora percebi que a corrida será na véspera do batizado do meu pimpolho...(ele cresceu gente... vai virar cristão no dia 28)...Como a prova seria às 17:00hs, optei por não correr, já que eu ficaria com uma aparencia cansada no dia seguinte, não poderia ir ao cabelereiro ficar linda para o meu rei...então.. missão abortada.
Mas sabem que até agradeci...POis será bom um tempo de descanso nas provas, já que a próxima será só em novembro (10km Santa cecília), onde no ano passado peguei pódio e neste ano, quero arrasar, na casa dos 50min....
Enquanto isso, treino bastante sem pressão...rs...Se bem que corredor qu é corredor, adora uma pressão...rs....
E vamo que vamo.....

terça-feira, 16 de setembro de 2008


ANEMIA E CORREDORES: UMA RELAÇÃO PERIGOSA

Cansaço, fraqueza, sono, taquicardia, dificuldade de deglutição e/ou evacuação e diminuição da resistência física podem ser sintomas de uma das condições mais comuns em atletas: a anemia. Esta é definida como uma diminuição do tamanho e número de hemácias (células vermelhas) em nosso sangue. As hemácias contêm uma proteína rica em ferro, denominada hemoglobina, capaz de realizar o transporte de gases em nosso organismo. Com a diminuição do número de hemácias, hemoglobina ou ambas, o transporte de oxigênio é limitado, tornando a contração muscular e o desempenho aeróbio muito menos eficientes.

Existem diversos tipos de anemia e suas causas incluem deficiência de nutrientes necessários para a síntese normal de hemácias ou de hemoglobina, como proteína, ferro, vitamina B12, piridoxina, vitamina E, ácido ascórbico e ácido fólico. As anemias também podem resultar de condições não nutricionais que incluem hemorragia, anormalidades genéticas, doenças crônicas, uso de antiácidos ou antiinflamatórios e atividade física prolongada.

"FALSA ANEMIA". A diminuição dos níveis de hemácias e hemoglobina é uma condição normalmente observada em atletas de resistência. Esta chamada "falsa anemia" é uma adaptação fisiológica benéfica que ocorre durante e após a prática de exercícios aeróbios. Isto acontece porque quando nos exercitamos, transpiramos e perdemos líquidos. Para manter nossa hidratação, pressão sanguínea e bem-estar, nosso organismo libera hormônios que fazem a concentração de água no plasma aumentar novamente, expandindo-o acima do normal. Assim, as hemácias diluem-se, alterando os exames, porém sem diminuir a capacidade de realização de exercícios físicos. Esta condição é transitória e a capacidade de adaptação representa, inclusive, um indicador de bom preparo físico aeróbio.

Mas como saber se a redução dos níveis de hemoglobina sanguínea decorreu apenas da atividade física e não de uma deficiência de ferro? O ideal é controlar os níveis de ferritina sérica. A ferritina é um complexo utilizado por nosso organismo para o armazenamento do ferro. Estoques normais indicam que o indivíduo não tem anemia ferropriva. Neste caso a suplementação de ferro não é indicada, uma vez que o consumo exagerado do mineral aumenta a formação de radicais livres, moléculas instáveis que podem acelerar lesões nas artérias, provocar envelhecimento precoce e aumentar o risco de câncer.

FERROPRIVA: ANEMIA POR DEFICIÊNCIA DE FERRO. Na carência de ferro, o estoque encontra-se depletado (ferritina diminuída) e as hemácias não só estão em pequena quantidade, mas tornam-se também pequenas (microcíticas) e pálidas (hipocrômicas), em decorrência da carência real de ferro. A deficiência deste mineral é a mais comum na população e também em atletas. A anemia ferropriva em atletas pode ser decorrência do baixo consumo de ferro (pela alimentação), problemas absortivos, perda de ferro no suor ou menstruação, destruição das hemácias ou perdas gastrintestinais (comuns em maratonistas e ultramaratonistas).

MULHERES ATLETAS: a perda menstrual aumenta a necessidade de ferro em mulheres e se a atleta estiver seguindo plano alimentar hipocalórico com o objetivo de perda de peso o consumo dificilmente será atingido exclusivamente pela alimentação.

ATLETAS VEGETARIANOS: A diminuição ou eliminação do consumo de carnes reduz a absorção da melhor fonte de ferro, já que o mineral presente nas frutas, hortaliças e cereais não é tão bem absorvido. Estes atletas também podem desenvolver a anemia "perniciosa", decorrente da deficiência de vitamina B12, a qual só é bem absorvida a partir de fontes de origem animal. A deficiência de B12 provoca alterações na forma e na função das células vermelhas e também das células brancas (leucócitos), responsáveis por nossa imunidade. O tratamento da anemia perniciosa consiste na injeção intramuscular da vitamina B12 (100 micrograma uma vez por semana), associada à dieta rica em proteína.

ATLETAS DE RESISTÊNCIA: perdas por sangramento gastrintestinal (por menor oxigenação da área), suor, urina e fezes têm sido observadas em atletas de endurance. Maratonistas também podem danificar veias nas solas dos pés devido ao impacto repetitivo na região, o que aumenta as perdas de ferro. Outra causa da anemia nestes atletas são os treinos ou tempo de provas demasiadamente longos, que dão ao corpo pouco tempo para a recuperação e absorção de ferro. Por isto, a recuperação dos estoques após uma ultramaratona pode levar de 6 a 14 dias, mesmo com dieta adequada e suplementação.

COMO PREVENIR. A prevenção da anemia ferropriva se dá seguindo-se uma alimentação saudável, com quantidades adequadas dos diversos nutrientes responsáveis pela formação das hemácias: ferro, ácido fólico, vitamina B12, vitamina C, vitamina E e proteína.

Indivíduos não anêmicos, porém com estoques de ferritina baixos, podem fazer uso de suplementação com sulfato ferroso.

Indivíduos com anemia já instalada precisarão de tratamento medicamentoso com ferro, em quantidades que variam entre 50 a 325mg/dia para adultos por 4 a 6 meses, conforme avaliação médica.

COMO DESCOBRIR. Através de exame de sangue (hemograma), que custa de 15 a 20 reais, ou gratuito a pedido de médico de convênio ou de atendimento público.

fONTE: Revista Contra o relógio

domingo, 14 de setembro de 2008


OPERAÇÃO ROLETA-RUSSA TOTALMENTE APROVADA....EU GARANTIUUUUUU..

Eu não estava alimentando grandes expectativas para esta prova de hoje não...até porque depois da Meia Maratona descansei 1 semana e só treinei para esta 6a etapa do Santista no domingo passado e nesta segunda, ou seja, fui com a cara e com a coragem, mesmo sem treinar por 5 dias...


Ontem à noite, o tempo virou e eu senti que podia ter problemas, já que correr com vento nunca foi e nunca será o meu forte...Na madrugada ouvi o temporal caindo e o vendaval na minha janela...João acordou pela 1a vez À 01:30hs e eu temi ter uma noites daquelas em que ele acorda de 2 em horas...mas não, o mocinho, como em todas as provas, cooperou e acordou pela 2a vez só às 06:30, hora programada para eu levantar msmo....

Olhei pela janela, o frio assustou um pouquinho e a garoa fininha me fazia acreditar que não seria uma boa prova...Meu pai passou aqui às 08:00 hs e lá fomos nós....




A presepada começou logo cedo....Recebi um e-mail de um amigo dizendo que a largada da prova tinha sido transferida para o canal 3...Ok, ao chegar no local, faltando 40 minutos para a largada, o que eu vi? Nada...Isso mesmo... vi um monte de CET sozinhos, colocando cavaletes, mas nenhum atleta...nenhunzinho....aí, o bicho pegou...

Então pensamos...Bem, a prova é dos Comerciários, e a corrida é do SESC, o jeito é ir até o SESC pra ver o que há...ufaaaaaaaa... Logo na quadra que antecedia o clube, pude ver alguns atletas encolhidinhos debaixo de marquizes... que alívioooooooo.....

Corri para pegar o chip. Enquanto isso, meu pai encontrava-se totalmente mau-humorado, pelo fato de não poder correr esta última etapa, devido ao bico de papagaio e o repouso absoluto receitado pelo médico. Na boa, morri de pena dele...Chegou uma hora que ele soltou a seguinte frase de partir o coração de qualquer corredor: " Nunca mais me faça isso, nunca mais me chame pra ver uma corrida sem que eu possa correr. Eu tô quase saindo correndo no meio desse povo e seja o que Deus quiser"... Ah, gente, me doeu ouvir isso...Mas é assim mesmo... Quando eu me inscrevi para a Corrida dos Atletas slidários de São Vicente, peguei Dengue 3 dias antes da prova e também tive que assitir meu pai correndo. Confesso, quando ouvi o fuóóó, escorreu lágrimas dos olhos, mas...preferi me recuperar...e assim ele também deve fazer, por mais difícil que seja...


Comecei o meu ritual...rs....Água, água, água....água...água...e mais água....

Banana, banana e mais banana...rs... Terminado o ritual, bem abastecida e totalmente preparada para encarar o último desafio do campeonato Santista desse ano, fui em busca dos amigos...Kd os Matungos, Pangarés e Amigos????


Opa, olha a galera aí gente...Vai, perguntem.. Por que eu não estou com a camisa? Porque eu estava com muuuuito frio...e correr de regatinha é coisa pra macho!!!! rs....Dessa vez só eu de mulher... ÊÊ Patrícia....(filha do Marildo), que papelão foi esse de preferir a cama à correr???? Mas tudo bem, a força feminina foi bem representada por minha pessoinha...rs... Estão vendo a faixa lá atrás??? Não???? Peraí...


Que chicccccccccccccccccccccc... É nóóóóisssssssss....Valeu marilo, ficou show de bola....Serei sempre parte dessa grande família!!!!! uhuuuuuuuuuuuu......

Ok, tudo muito bom, tudo muito bem...mas é hora da largada...E lá fomos nós....Coloquei na cabeça que eu iria para o tudo ou nada. Muito embora eu soubesse que ficar sem treinar por 5 dias e largar forte, seria bem arriscado, queria baixar o meu tempo de 0:52:59 da última etapa. Era a última, eu tinha que caprichar...Logo na primeira esquina, meu mp3 parou...Eu não estava acreditando...Não tinha trabalhado o meu psicológico para isso...rs...Acredito até que perdi uns segundinhos dando uns mini-socos no coitado pra funcionar.. Sorte minha... funcionou...Reslvido o problema técnico, lá fui eu... larguei fortíssimo...Queria manter o ritmo...mas ao ao mesmo tempo achava que eu iria quebrar... Tínhamos que ir até o canal 2, depois voltar até pouco mais do 6, e voltar novamente até o 5...esse era o percurso...Todavia, logo de cara, o vento mostrou que não ia ser fácil...Mas não me intimidei não. Lembrei dos treinos na areia com vento em que eu não diminuía o ritmo...ali não podia ser diferente...Na volta, o vento estava de lado...Estava tão forte que eu, levinha, chegava a tropeçar no meu próprio tênis...

Na altura do km 7, senti o ritmo forte que eu estava impondo, mas pensei que não poderia colocar tudo a perder. De que adiantaria eu ter largado tão forte e morrer na praia??? Era prefeível então ter largado mais devagar e acelerar no final...Não, nada disso, bebi um gole dágua e continuei...eu sabia que eu podia....Quando vi a placa do km 9, sabia que estava bem perto, mas as pernas doiam, e as costas também pelo esforço contra o vento. Faltava muito pouco...Ouvi a frase de um corredor que já havia terminado a prova, mas voltava para incentivar quem ainda não tinha chegado: " Corredor não desiste, corredor não sente dor"... Nossa, que frase de impacto!!! rs...Quer saber? Foi o que Deus quis minha gente...

Acelerei e quando vi de longe o relógio na casa do 0:50 min, vi que eu chegaria no 51 e pouquinho...abri um sorrisão e fui....cheia de alegria...sem nem lembrar da dor que eu estava sentindo na panturrilha...Quando olhei para o relogio... 051:48...o narrador disse: "Opa, assim que é bacana, chegar sorrindo, nada acontecendo...." ...Que maravilha...Consegui...



E cumpri o prometido...chegar na última etapa na casa dos 51min...Nessa hora, o mau humor do meu pai já tinha ido embora, dando lugar a um montão de informações: "olha, o cara caiu no tapete....", "Caramba, chegou um cara gritando Obrigada meu deus do céu", Sabe aquela velhinha que corre na praia, então ela fez em 53...." Que bom...agora ele estava feliz e veio todo empolgado contando o lado de expectador....Dava risada e estava empolgado para correr Mongaguá...não esta etapa do dia 27, mas a próxima...

E pra quem não acreditava que eu podia voltar de uma gravidez correndo feito gente grande.. tá aí... E digo mais... os quilinhos se foram totalmente....E se antes da gravidez eu pesava 49kg, hoje, 5 meses depois de ter tido o meu maio presente, estou na categoria peso pena...rs...pesando nada mais nada menos do que 47,5kg, é mole???? Isso é um incentivo para a mulherada, que pensa que só porque teve um filho, a vida esportiva foi por ralo abaixo... é nada!!!! Agora mais do que nunca, me esforço mais e mais para superar todos os meus limites....

E assim termina, mais um Campeonato Santista... Em 2009, prometo correr todas as etapas, trazer meu marido para pelo menos 1 delas e continuar firme e forte vestindo a Camisa dos matungos, Pangarés e Amigos....uhuuuuuuuuuuuuuuu....

sábado, 13 de setembro de 2008



FALTA DE TEMPO NÃO É DESCULPA PARA NÃO CORRER....


Tempo é assunto recorrente entre corredores, sempre em combate contra minutos e segundos na intenção de melhorar marcas. Mas o tema aqui é diferente. Trataremos do tempo sob a ótica de quem pratica ou quer participar da corrida de rua, mas dispõe de menos de uma hora diária para encaixar a modalidade e conciliá-la com as atividades cotidianas. Treinadores especializados no esporte apontam ser possível realizar um bom treinamento mesmo com apenas 30 a 45 minutos disponíveis por dia. Buscar a qualidade de vida deve estar entre as prioridades dessas pessoas e falta de tempo não servirá de empecilho para isso. A grande questão para quem não tem como passar horas treinando é saber adaptar o período com o objetivo. Não adianta fazer pequenas rodagens e sonhar completar uma maratona, por exemplo. O treinador André Campos, da equipe André Campos Performance, lembra que é possível, sim, fazer um treino bom com uma janela de 30 a 45 minutos. "Qualquer indivíduo que venha a participar de um programa de treinamento terá êxito com esse período de disponibilidade, mas teremos que pensar outros pontos importantes, como as características das provas. Se for uma corrida mais longa, as exigências serão outras e, provavelmente, este volume estará abaixo do que se necessita para adaptações fisiológicas, osteomusculares e psicológicas", aponta. Manter uma rotina de treinamento possibilitará resultados satisfatórios. "Novas pesquisas científicas valorizam a qualidade do treinamento e não a quantidade. Podemos observar, em pouco espaço de tempo, as melhoras de todo um sistema integrado, como se fosse uma engrenagem na qual cada peça faz parte de um todo. A quantidade de sessões por semana, a qualidade do treino, o consumo dos estoques de glicogênio muscular, o tempo de recuperação após cada estimulo realizado, os aspectos motivacionais e o comprometimento que os impulsiona à ação de querer se superar", diz Campos. Para o treinador Nelson Evêncio, da Nelson Evêncio Assessoria Esportiva, dentro de período de 45 minutos sobram apenas 25 para o trabalho principal. "É preciso levar em conta que para fazer um treino legal, longe do risco de lesões, é necessário aquecer, trotando e alongando por pelo menos 10 minutos, e repetir o processo no desaquecimento, também por mais 10 minutos. Nesses 25 minutos restantes daria para rodar uns 5 ou 5,5 quilômetros ou realizar um trabalho intervalado bem rápido", aponta o treinador. Outra alternativa de trabalho para um período curto seria a realização de um Circuit Training, com três a quatro séries de oito exercícios - de 10 a 15 repetições - com intervalo de 1 quilômetro correndo, totalizando, no máximo, 4 quilômetros, mais um de aquecimento e um de desaquecimento. "Com esse pouco tempo de treino dá para participar de provas com, no máximo, 10 quilômetros de distância. Maratona, nem pensar. Esse volume não seria suficiente para encarar o desafio", aponta Evêncio. Em seu grupo de trabalho, Evêncio conta que os atletas dispõem de mais tempo para a atividade, em geral de 1h a 1h30. "Quando meus alunos chegam atrasados e têm pouco tempo para treinar, peço para que já comecem a correr, sem aquecer e alongar, mas começando em ritmo bem lento, aumentando a velocidade gradativamente. Em 40 minutos dá para percorrer uns 6,5 a 7 quilômetros e sobra uns 5 minutinhos para o alongamento final", conta. Os treinadores são unânimes em afirmar a importância de o corredor se exercitar sempre com prudência, conhecendo e respeitando as próprias limitações (isso vale até mesmo para os mais experientes). "Quando o período para treino é curto, faça sua parte, mantenha-se em forma e supere os percursos dentro daquilo que você é capaz", afirma Evêncio, lembrando que um atleta com menor disponibilidade de tempo jamais deve se comparar ou tentar acompanhar colegas com mais horas rodadas. Esse é um passo gigantesco em direção a uma lesão. Um fator importante para quem não tem muitas horas para treinar durante a semana, já que existem outros compromissos como trabalho, família, etc., é o de poder realizar uma rodagem maior aos sábados e domingos, aproveitando a folga semanal para desenvolver a capacidade aeróbia. Periodicidade Todo o treinamento esportivo possui seus princípios e a periodicidade está ligada ao tempo necessário para que a 'engrenagem' funcione corretamente. Quanto mais assíduo o corredor for, principalmente se tiver acompanhamento profissional que direcione corretamente o que deve ou não fazer nesse período, mas rápido vai adquirir condição física e psicológica para disputar provas e suportar os quilômetros que virão. "Isso trará uma adaptação mais segura e consistente ao esportista", avisa Campos. O treinador ressalta que um dos fatores que proporcionam desequilíbrio em todo o processo e que poderá resultar numa futura lesão está no não cumprimento das fases de adaptações do corpo aos estímulos do treino. "Elas estão interligadas diretamente com o volume e a intensidade da atividade. Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), exercitar-se três vezes por semana possibilita uma adaptação positiva para a qualidade de vida e saúde", explica, lembrando que, para o amador, o bem-estar físico e mental deve estar acima de resultados. Variações Além do treinamento da corrida, dependendo da planilha estabelecida junto do treinador, pode-se optar por atividades paralelas em outros dias, com o mesmo período de duração que a agenda permite. Por exemplo: se o atleta treina três vezes por semana, pode utilizar de um a dois dias 'livres' para massagens, aulas de alongamentos específicos e flexibilidade, fortalecimento muscular, natação e hidroginástica, entre outras. Independentemente de possuir 45 minutos ou horas para o treinamento, o importante é se exercitar. Com acompanhamento profissional, aval médico e disposição, todos podem vencer as barreiras do tempo e distância. E, mais importante, fazer da corrida um ato saudável para corpo e mente.


COMO VAI SUA QUALIDADE DE VIDA? (Teste para verificar o foco no uso do tempo) Responda SIM ou NÃO às questões abaixo:


1. Quando você faz algum trabalho, fica correndo para terminar porque quer fazer logo outro? SIM ( ) NÃO ( )

2. Você costuma se preocupar em controlar o tempo rigidamente? SIM ( ) NÃO ( )

3. Você usualmente adia seus projetos, planos ou realização de um sonho para não desagradar a outras pessoas?

SIM ( ) NÃO ( )

4. Você freqüentemente trabalha mais que os outros, chegando mesmo a desenvolver tarefas de 2 ou mais pessoas? SIM ( ) NÃO ( )

5. Você quase sempre leva trabalho "na cabeça" para casa? SIM ( ) NÃO ( )

6. Você deixa para fazer quase tudo na última hora? SIM ( ) NÃO ( )

7. Você deixa de viver o presente porque precisa cuidar do futuro? SIM ( ) NÃO ( )

8. Diante de um projeto de trabalho ou familiar você fica sempre dizendo: "E se acontecer isso? E se acontecer aquilo?" SIM ( ) NÃO ( )

9. Você quase sempre deixa de colocar em prática algum plano por medo de ser criticado? SIM ( ) NÃO ( )

10. Você quase sempre se sente culpado pelo não cumprimento dos prazos? SIM ( ) NÃO ( )

11. Você nem tira hora de almoço para não perder tempo? SIM ( ) NÃO ( )

12. Você afirma sempre que trabalha muito e não tem tempo para o lazer? SIM ( ) NÃO ( )


RESULTADO

Se você respondeu SIM de: 0 - 3 questões: sua Qualidade de Vida é MUITO BOA. Parabéns! Você vê o tempo como um aliado. De modo geral, prefere AGIR a se preocupar e, desta forma, não adia compromissos.

4 - 6 questões: sua Qualidade de Vida é BOA, mas, ATENÇÃO! Já há indícios de que você vive gastando energia preocupando-se ao invés de AGIR ou PLANEJAR. Pode apresentar ansiedade em relação ao tempo e seu controle e inquietação por deixar de executar planos por medo de ser criticado ou de desagradar os outros.

7 - 9 questões: sua Qualidade de Vida é RAZOÁVEL, cuidado! Você já pode estar pouco estressado. Não deixe para fazer tudo na última hora e nem fique preocupado em agradar os outros ou ser criticado. Não brigue com o tempo, veja-o como ALIADO.

10 - 12 questões: sua Qualidade de Vida está RUIM. Tudo indica que você está vivendo um momento de estresse. Não fique preocupado com o resultado do teste, pois ele pode ser o início de uma vida melhor. AJA! Procure se amar um pouco mais e tente aos poucos se desligar se deixa os outros insatisfeitos ou não. Seja determinado no processo de mudança, mas tolerante consigo mesmo. Caia e levante, mas esqueça da queda e lembre que levantou. Procure planejar o seu dia. Classifique as tarefas de acordo com a sua importância e urgência para a organização, família ou vida pessoal.

Corredor que é correrdor sempre arruma um tempinho....tenha certeza disso!!!!
TÁ DECIDIDO...

Ok...Não dá mesmo para abraçar o mundo...Tive que optar...Como eu disse, estava em dúvida sobre correr 4 corridas seguidas...e optei... Vou pular a Corrida das Torres do dia 21 de setembro...ficando apenas com a de amanhã e a do dia 27 de setmbro que é a Circuito Mongaguá...Na verdade, meu pai me deu uma foricnha para a difícil decisão... Como eu disse, ele sentiu dores muito forte na lombar. Graças à deus, foi ao médico, Dr. Márcio Vuono, especialista em mediciana desportiva e ficou contatada a causa...bico de papagaio. Menos mau, pois com apenas 15 dias de repouso, isso bem feito, é lógico, ele poderá voltar às corridas. Mas o que meu pai em a ver com isso? Bem, a Corrida das Torres fica entre Santos e Caruara e portanto de difícil acesso para ir sem carro...portanto... já que eu estava na dúvida e agora meu pai está de molho, sem nem poder dirigir...talvez como aviso dos Deuses....fica para a próxima...até porque vem tanta coisa por aí...
Ainda tenho a etapa final de Mongaguá, o Circuito das Praias, os 7km de Guarujá, os 8km da At revista...aff...portanto, nem dá tempo de ficar pensando nessa corrida....
Ah pessoal, nasceu um blog novo de corridas hen??? Vale a pena visitar...

quinta-feira, 11 de setembro de 2008



CORRA ATRÁS DA MOTIVAÇÃO...


Eu sempre escrevo no meu blog alguma coisa que está acontecendo, ou que aocnteceu. Daí puxo uma linha e pesquiso uma matéria. Hoje mesmo, encontrei um amigo meu de longa data. Há tempo não nos víamos. Foi quando ele me perguntou: E aí, você ainda está correndo? Respondendo que sim, e que inclusive participaria d euma corrida no domingo, percebi em seu semblante uma pontinha de inveja...rs...Então ele me disse: Pw, casei, agora nem dá...volto do trabalho cansado...!" .
Nem preciso dizer que discursei por pelo menos 10 minutos sobre minha condição, explicando, que agora sou mãe e mesmo assim, com o tempo apertadíssimo, sempre arranjo um jeito d etreinar, mesmo que para isso, eu chegue ao final do dia com a sensação de que fui atropelada.
Na verdade eu sei que muita gente passa por isso...A falta de tempo, a vida corrida, a indiposição traz uma questão bem bacana pra gente falar aqui...Falta de motivação....
'A partir de agora vou correr para valer!' Quem nunca se pegou fazendo uma promessa do tipo, mesmo que seja falando baixinho, para ninguém ouvir? As semanas passam, os meses passam e nada muda? Um dia de treino fica para trás porque está muito quente, outro porque está muito frio, outro para sair com os colegas de trabalho... e a promessa permanece em segundo plano. Se você se identifica com esse perfil, saiba que não está sozinho. De acordo com o Instituto Nacional de Saúde dos Estados Unidos, menos da metade das pessoas continua a perseguir objetivos propostos. Metas irrealistas. Falta de disciplina. Vários são os fatores que podem contribuir. E a verdade é que a promessa só vai deixar o papel se a corrida se tornar rotina. A maneira como o corredor vê a prática é determinante para seu sucesso na empreitada de não deixar para trás uma grande meta, ou mesmo impedir que ele pare a atividade. "A grande maioria desiste dos seus objetivos por falta de motivação e persistência. Muitas vezes seu foco com a corrida é meramente superficial, como, por exemplo, praticar visando apenas suor, charme e um corpo bonito. Isso pode até acontecer, mas chega um certo momento em que se torna sem valor, cansativo, pois não lhe oferece nada mais que isso, porque seu foco é superficial", alerta o treinador Maurílio Santana, da Santana Training Systems. O professor de psicologia do esporte e presidente do CEPPE (Consultoria, Estudo e Pesquisa da Psicologia do Esporte), João Ricardo Cozac, prefere falar em escala de prioridades. "Muitos não cumprem suas metas por falta de comprometimento e de valorização. Falta empenho em reconhecer a atividade física como importante", explica. Assim, outros fatores na vida da pessoa acabam tomando o lugar que seria do treino, como estar com a família, trabalhar, etc. Santana acrescenta. "A prática esportiva deve ser vista como um meio de terapia, como o momento que você se dedica a si, superando-se, divertindo-se e, naturalmente, sua saúde física e emocional sofrerá uma grande transformação." Transformação é o que o campeão mundial de ultratriathlon de 2005, Sérgio Cordeiro, vive diariamente. Afinal, com 25 anos de história no esporte, muitas maratonas, ultramaratonas e desafios no currículo - como percorrer 217km no deserto debaixo de um calor de 60ºC e enfrentar o frio de 40ºC negativos numa altitude de 6.150m na Maratona do Monte Everest -, buscar novas fontes de motivação é com ele mesmo. Para Cordeiro, a vitória é relativa. "Participei, em janeiro, da Brooks Brazil135, um circuito de ultramaratona de 135 milhas (217km), de Águas da Prata (SP) a Paraisópolis (MG), conhecido como o 'Caminho da Peregrinação'. Mais uma vez pude perceber que ao participar, mesmo não vencendo, ganhei cultura, experiência, novos amigos e encontrei tudo que a natureza podia me proporcionar como um verdadeiro peregrino", conta. É claro que a história acumulada de Cordeiro com a atividade o faz lidar melhor com a preguiça e o cansaço. Afinal, criou-se um hábito, mental e físico. Para tanto, foi necessário um longo caminho de disciplina, traçado diariamente. A falta de motivação pode não ser apenas uma questão de tempo. Enquanto a preguiça está aliada à falta de disposição mental, afeta o físico e resulta em morosidade e lentidão, o cansaço é meramente físico e normalmente é indício de alguma sobrecarga. "Quando o tal cansaço bate, é porque algo está errado", avisa Cordeiro. Então, o ideal é consultar um médico para verificar se há alguma alteração orgânica ou psíquica, tendo em vista que essa dificuldade para treinar pode significar até depressão. João Ricardo Cozac recomenda que o corredor visite um especialista no caso de se desmotivar facilmente. "Se a atividade não é um momento de prazer, pode significar que não é bem administrada. A apatia se torna uma espécie de autodefesa", explica. O corredor deve avaliar como vai sua alimentação e seu sono, ingredientes fundamentais para o bom funcionamento do corpo. E não perder o foco. "Quando planejamos uma meta a ser alcançada, devemos sempre levar em conta todos os fatores que fazem parte. Não devemos nos preocupar só com a qualidade do treinamento. Os fatores motivacionais são de extrema importância", acredita o atleta. Volta por cima Se não ter ânimo para treinar e, conseqüentemente, estagnar nos resultados - sejam físicos ou relacionados à performance - já é ruim, imagine, então, a frustração de uma lesão ou um resultado muito abaixo do esperado, mesmo depois de grande esforço. É aí que a sua preparação mental será mais testada. "O corredor deve pensar que esse período ruim vai servir para que ele se fortaleça ainda mais, superando os desafios e obstáculos que a vida coloca em seu caminho. Isso também faz parte do treinamento, o atleta deve saber superar-se nas situações mais difíceis e reconhecer que aquele é só um momento, o próximo será uma grande surpresa. É melhor sempre estar preparado para uma nova e boa oportunidade de crescimento, seja no esporte ou na vida", acredita Santana. Para o treinador, o principal é aceitar que períodos ruins são naturais e podem envolver problemas familiares e financeiros. "O corredor deve ter em mente que sua vida como atleta, seja iniciante, amador ou profissional, não vai depender daquele treinamento que foi ruim, ou aquele período em que está recuperando de uma lesão." A chave é perserverar, sempre e com muita paciência, acima de qualquer dificuldade. Para Cordeiro, este pode ser o momento de reavaliar a relação com o esporte. "Devemos repensar não só as estratégias, mas as formas pela qual procedemos. Entendermos que somos seres humanos passíveis de erros e acertos e que, quando não alcançamos, não é sinal de erro. Por mais que treinemos, fatores que não conseguimos controlar, como o equipamento ou o clima, podem fazer a diferença", opina. Para Cozac, a hora é propícia para trabalhar as vitórias, os bons momentos que o esporte trouxe, e não focar as derrotas. "Depois de uma lesão, principalmente, é comum ter certo desânimo, por isso procuramos resgatar tudo o que a pessoa fez para chegar até ali. Para não deixar a auto-estima cair, usamos técnicas imaginativas que mantém o reflexo de competição e treinamento", revela. Tais práticas incluem meditação, técnicas de respiração, entre outras, a fim de incentivar que o atleta permaceça focado em si. O profissional considera a promoção do autoconhecimento essencial para manter a motivação alta. Sérgio Cordeiro concorda. "Essa é uma grande fonte de energia. Você aprende a ouvir seu corpo, característica fundamental para o atleta de longa distância." Metas realistas Para não se perder no meio do caminho e, ao invés de correr mais, dar passos para trás na preparação, é imprescindível estabelecer metas - desde que elas sejam compatíveis com seu nível de condicionamento e disponibilidade para o esporte. O objetivo fará com que você crie o hábito e este o ajudará a afastar a preguiça. Para isso, é importante contar com a ajuda de um profissional, que avaliará algumas variáveis, como aptidão física, histórico esportivo, limitações, aspectos emocionais e condicionamento físico. Depois de tudo computado será mais fácil e certeira a prescrição de treinamentos. Além disso, tais dados servirão, no futuro, para comparar os resultados e ratificar - ou não - a meta inicial. Errar na dose logo no início de uma nova jornada pode trazer mais prejuízos do que parece. "De nada adianta prescrever um treino para um iniciante em corrida com volume e intensidade muito altos em um horário em que o sol está muito forte, por exemplo. A única coisa de que ele vai lembrar é do sofrimento que é correr. A configuração dos treinamentos vai depender das avaliações e resultados obtidos a cada treino, somente assim é que se deve prescrever a próxima atividade. Saber dosar volume de treino, intensidade, freqüência e descanso são fatores vitais para o bom andamento e melhora do seu condicionamento físico e manter-se motivado", indica Santana. O treinador recomenda que o corredor tenha planos variados. "Trace metas realistas a curto, médio e longo prazo. Com o passar do tempo, reveja-as, cheque se elas estão dentro da sua realidade. Converse com seu técnico e, juntos, definam essas metas. Sabendo onde queremos chegar tudo fica mais fácil, mas não pense no final, pense passo a passo como fazer e o que fazer para chegar lá da melhor maneira possível." Pensar passo a passo também entra nas recomendações de Sérgio Cordeiro, que destaca a importância dos treinamentos. "Ter um objetivo é uma forma de não perder o foco. O atleta precisa ter a sabedoria de que não é só o treinamento que faz um campeão. Uma das técnicas é ter sempre em mente que o treino é um simulado da competição, em que testamos tudo, temos que estar sempre atentos ao mundo ao nosso redor, clima, equipamentos que usamos (tênis, short, camisa, meia). Ele sim pode nos tirar de uma prova", acredita. Ciente das metas, a hora é de colocar os planos em prática. Para isso, uma boa dose de disciplina é a melhor pedida. "Costumo dizer para meus alunos que a palavra motivação é auto-explicativa. Não há motivação maior do que fazer o esporte, pois o retorno que você tem com essa prática é o grande fator motivacional", pondera Cozac. Cordeiro concorda. "Não existe motivação melhor do que correr, principalmente uma maratona, e completá-la. O primeiro passo positivo é vencer a si mesmo." Sendo assim, o jeito é colocar as mãos à obra. Em todo caso, o treinador Maurílio Santana elaborou dicas para quando a inevitável preguiça bater:


• Tenha metas: é preciso ter objetivos realistas e atingíveis, caso contrário você será um corredor frustrado;• Disciplina: é a chave para alcançar o sucesso, ainda mais na corrida;

• Mantenha o foco em cada treino: dê o máximo de si para cumprir os treinos propostos pelo seu treinador, mesmo que naquele dia seja dia de descanso. Aproveite e relaxe;

• Faça um diário: relate o que foi realizado em cada treino, distância, tempo, calorias, FC, temperatura, tipo de piso, tênis utilizado. Esse diário será um grande aliado nos treinos para comparar os resultados posteriormente e mostrar sua evolução;

• Visualize-se correndo: olhe como se estivesse de fora, dedicando-se aos treinos, cumprindo toda a planilha. Mentalmente, veja-se participando daquela corrida de que sempre teve vontade de participar;

• Reúna os amigos: treine com eles de vez em quando para variar;

• Presenteie-se: vale uma lembrança ou recompensa a cada meta alcançada;

• Compare: conte para os amigos sua nova marca de tempo nas corridas. Quem sabe pode até gerar uma disputa saudável entre vocês;

• Mude de ares: corra em lugares novos, com novos ambientes, nos quais você tenha oportunidade de conhecer pessoas e fazer amigos.


Eu mesma, às vezes sinto uma desmotivação. Nessa hora, vale tudo...Acrescento novas músicas no MP3, mudo o percurso do treino, compro roupas novas de corrida...tem dado certo....então....MOTIVE-SE....

quarta-feira, 10 de setembro de 2008


ABERTAS INSCRIÇÕES PARA 3A CORRIDA ESCOLAR

Ah, eu particularmente, não vejo a hora do joão completar idade suficiente para começar a participar....acho que vou ter um troço....