quarta-feira, 13 de abril de 2011

OS MINIMALISTAS....



Quando Todd Byers resolveu correr a Maratona de São Francisco de 2008, talvez não fizesse idéia de que iria atrair tantos olhares. Não pela vestimenta, até porque estava normal: shor, camiseta..porém algo lhe diferenciava no meio de milhares de corredors:  estava descalço.

Hoje a gente até ache esquisito, até pela quantidade de tênis para corrida, mas talvez naquela época (julho de 2008)  a coisa ainda não era tão normal assim.
Hoje, alguns anos depois..talvez fosse uma boa idéia correr descalço. Muito se diz a respeito do assunto: lesiona, faz mal para as articulações...Porém uma outra corrente sustenta que não adianta gastar uma grana preta em tênis que promete isso e aquilo, porque no final das contas a prvenção das lesões não estáligada somente ao tênis, mas sim a outros fatores e à mecânica da corrida...

Eu mesma já disseaqui várias vezes que corri descalça por pelo menos 3 anos e nunca sentí nada. Hoje, corro com t^rnis porque achmais seguro...não preciso me preocupr com gravetos á beira mar, cacos de vidros e tudo aquilo que a gente pode encontrar no meio do caminho. Edscalça na pona dos pés e que qualquer pedrinha, incomoda...rs...então...tênis nos pés...

Porém, há uma galera aí que vem adotando uns modelos bem modernos, leves e que dão a sensação de que estão correndo descalços. São eles, os tênis minimalistas. Alguns corredores estão convencidos de que ficam melhor descalços, ou com sapatos que são pouco mais que luvas finas para os pés, conhecidos como Five fingers.

Na verdade eu acho que é uma conversa que vai longe. Chama aí os médicos especializados em medicina esportiva, chama aí os blogueiros, corredores que amam, corredores que amam correr descalços e não esqueça de chamar as indústrias de tênis...essa conversa vai ou não vai longe????

E com a poêmica também surgiram novas empresas (Vibran, Feelmax e Terra Plana)  com calçados que tentaram unir  os benefícios de correr descalço com uma camada de proteção. Uma loucura no mundo dos minimalistas...

Obviamente as grandes empresas de tênis com Nike, Asics, Mizuno, semprepuxarão a sardinha, digo o cadarço para os eu lado. Vocês tem noção de quantos modelos de tênis para corrida são  lançados no ano? Nem eu. . Cada hora é uma coisa nova.. “sistema de orientação de impacto”,  unidade de calcanhar com amortecedor de choques. E ajuda os atletas a ter um melhor desempenho e a proteger seus pés de torções e também consertar a pisada...sinceramente muita informação pra ente que só quer acordar e sair correndo..de chinelão mesmo sefor precso...rs...

Agora o que essas indústrias de tênis escondem é que muito embora haja um crescente avanço tecnológico da indústria, especialistas dizem que o índice de ferimentos entre os corredores é praticamente o mesmo desde a década de 1970, quando foi lançado o calçado de corrida moderno.

Algumas lesões aumentaram, como as que envolvem o joelho e o tendão-de-aquiles. Não há muitas evidências de que os calçados de corrida fizeram as pessoas melhorar. Na verdade tudo depende de muitos fatores. Imaginemos uma pessoa com sobrepeso correndo com um tenis minimalista??? Tadinho do joelho...

Eu acho difícil  esses modelos pegarem. Acho que, como eu disse, há muita informação e há muita nformação não dita...o que faz om os corredores leiam revistas sobre corrida, com inúmeas propagandas de tênis com isso e com aquilo o que faz com que optem pelos tradicionais. No entanto, o livro best-seller "Born to Run" de Christopher McDougall" pode ter aumentado o interesse pelo assunto.


Um número crescente de pessoas hoje acredita em correr descalço ou o mais perto possível disso. Elas ainda são um minúsculo segmento da população. Mas métodos de treinamento populares, como o ChiRunning, assim como o livro best-seller “Born to run”, de Christopher McDougall, aumentaram o interesse. O livro foi escrito depois que o autor, Christopher McDougall, queria descobrir porque o pé dele doía ao correr poucos quilômetros. Christopher não entendia porque a corrida tinha um grau tão grande de lesões comparado com outros esportes. A sua ânsia de poder voltar a correr o levou a pesquisar (e comprar) o tênis com o maior amortecimento do mundo, que encontrou em algum país da Europa. Em dias normais conseguia correr por volta de 45 minutos antes das dores aparecerem. Com um calçado com ultra-hiper-amortecimento, tinha certeza que conseguiria correr por mais tempo. Então ele comprou o tal do calçado.

Quando o pacote chegou ficou super empolgado e saiu para uma corrida. Sabe quanto tempo ele conseguiu correr até as dores começarem? 15 minutos! Neste momento ele achou que alguma coisa grande estava errada. Ele havia comprado o tênis com maior amortecimento do mundo e o resultado era que conseguia correr menos do que com os seus tênis normais?! A partir daí ele começou uma busca milenar pela corrida. Descobriu uma tribo de índios norte-americanos, os Tarahumara, conhecidos por correr centenas de quilômetros com meras sandálias, as Huaraches. Conheceu também a corrida descalço e viu que desta maneira conseguia correr por mais tempo do que se estivesse de tênis.

Claro depois deler o livro, você realmente começa a sequestionar se todos esses avanços beneficiam mesmo o atleta ou se as lesões advindas do esporte épor culpa de um mal treinamento. Tipo...se a gente está com um tênis de última geração,porém corre, corre, horas e horas sem descanso semanal, duvido deodó que o tênis previna voce de uma fratura por estress ou qualquer outra lesão...Entenderam???

Outra coisa que também pode chamar a nossa atenção para o lado dos minimalistas é o método ChiRunning. O Chi Running propõe-se a reeducar posturalmente o corredor para que ele faça menos esforço, vá mais longe e não tenha lesões. A ideia por trás do método é que as lesões são decorrentes de uma má postura e também de uma forma errada de se correr.

O criador, Danny Dreyer, depois de se cansar das lesões, estudou os movimentos do Tai Chi Chuan e os aplicou à corrida. Esse método étão bacana que vale a pena eu fazer um post só disso mais tarde....

Na verdade nem os próprios criadoresdo Five Fingers, acreditavam que eles poderiam fzer sucesso entre os corredores, já que imaginaram que o modelo agradaria  velejadores e iogues. Mas os calçados, que custam entre US$ 75 e US$ 85, viraram moda entre os corredores.




Mas alguns especialistas advertem que essa abordagem pode ser perigosa. Para eles, um número muito pequeno de pessoas são biomecanicamente perfeitas, por isso, a maioria precisa de algum tipo de suporte ou corretivo no calçado. Para 95% ou mais de pessoas, correr descalças vai levá-las a um  consultório médico mais cedo ou mais tarde.

É...polêmicas á parte...quem lê o Just Run! fica enformado e se vai corrrer com um Five Fingers ou com outro sabe o por quê da coisa...  ...rs.........

2 comentários:

Ingrid disse...

A informação é bem abrangente sobre o tema em questão.
Me joguei num "minimalista" que estava em liquidação e acabei num consultório médico.
Hoje, uso o bonitinho só para trabalhar...eheheh
Bjo!!

Jorge disse...

---------\\\\|/---------
--------(@@)-------
-o--oO--(_)--Ooo-
Já vi vários corredores correndo com esse tênis minimalistas e até descalços inclusive maratonas, eu não correria com esse tipo de tênis ainda mais ultramaratonas que tem muito impactos.

Bons treinos,

Jorge Cerqueira
www.jmaratona.com