domingo, 23 de março de 2008

É PÁSCOA.........
Páscoa é tempo de recomeço,de esperança,de muita garra.
É o momento em que nos é dada a oportunidade de nos aperfeiçoarmos para que possamos realizar todos os nossos sonhos.
Lembrem -se:
Se você pode sonhar, você PODE fazer!
Feliz Páscoa a todos os amigos que diariamente acompanham o blog.
Luciane Cássio e João Victor

sábado, 22 de março de 2008



SÉRIE: LESÕES EM CORREDORES


III- FRATURA POR ESTRESSE



Fraturas por estresse (ou de esforço ou por sobrecarga) são pequenas fissuras ósseas que ocorrem freqüentemente em decorrência de um impacto excessivo e crônico.
Li numa revista, que determinada fratura chega a atingir 10% dos atletas de elite!!! Nos corredores, os ossos da parte média do pé (metatarsais) apresentam uma tendência especial a esse tipo de fratura. Os ossos que apresentam maior probabilidade de fratura são os metatarsais dos três dedos médios. O osso metatarsal do hálux é relativamente imune à lesão, devido à sua força e ao seu tamanho, e o osso metatarsal do dedo mínimo do pé habitualmente fica protegido, pois a maior força de impulsão é exercida pelo hálux e pelo dedo adjacente (segundo pododáctilo).


PROVÁVEIS CAUSAS:
Os fatores de risco das fraturas por estresse do pé incluem:

* os arcos acentuados;
* os calçados de corrida com mecanismo de absorção de choque inadequado;
* o aumento súbito da intensidade ou do tempo do exercício.
* distúrbios alimentares (deficiência de calcio)
* distúrbios hormonais
* tipo de piso;
* sobrecarga;
* deformidades estruturais em varo do retropé e do antepé que resultam em pronação excessiva e até erros no treinamento.

As mulheres na pós-menopausa podem ser particularmente sensíveis às fraturas por estresse devido à osteoporose. Ê, mulherada, sobrou pra nós!!!! Mas são os homens os campeões de incidência desse tipo de lesão, devido o tipo de calçado utilizado e fundamentalmente, aos erros no treinamento.


SINTOMAS:
O principal sintoma é a dor na parte anterior do pé, geralmente durante uma série longa ou intensa de exercícios. Inicialmente, a dor desaparece alguns segundos após a interrupção do exercício. Contudo, caso o programa de exercícios seja continuado, a dor retorna mais precocemente durante o treinamento e dura mais tempo após o indivíduo parar de se exercitar.
Finalmente, a dor intensa pode impossibilitar a corrida e persistir mesmo durante o repouso. A área em torno da fratura pode tornar-se edemaciada. O médico pode freqüentemente estabelecer o diagnóstico baseando-se na história dos sintomas e no exame do pé. O local fraturado dói à palpação. As fraturas por estresse são tão delicadas que é comum não serem detectadas imediatamente nas radiografias. No entanto, elas podem detectar o calo ósseo que se forma em torno do osso fraturado duas a três semanas após a lesão, à medida que o osso cicatriza.


TRATAMENTO:
A cintilografia óssea pode confirmar o diagnóstico mais precocemente, mas esse procedimento raramente é necessário. O indivíduo não deve correr até tenha ocorrido a consolidação da fratura por estresse, (sei que essa parte é muito difícil para nós corredores), mas lhe é permitido praticar atividades esportivas substitutas.
Em geral nas fraturas por estresse, na fase inicial do tratamento, preconiza-se, o uso de medidas fisioterapêuticas específicas para reduzir o quadro álgico : gelo, Ultra-som para acelerar a produção do tecido ósseo e o laser como cicatrizante, utilizando-se também, dos medicamentos anti-inflamatórios, para reduzir a síntese das prostaglandinas, responsáveis por ativar as terminações nervosas livres, que levam a informação sensorial ao cérebro, aumentando a percepção da dor.


COMO EVITAR:
Após a consolidação, a recorrência do quadro pode ser evitada com o uso de calçados esportivos com suportes adequados com boa absorção de impacto e da prática de corrida sobre grama ou outras superfícies macias.
O uso de aparelho gessado raramente é necessário. Quando utilizado, o aparelho é removido após uma ou duas semanas, para evitar o enfraquecimento da musculatura. O processo de cura geralmente leva de três a doze semanas, mas pode levar mais tempo nos indivíduos idosos ou enfermos.


PRÓXIMO TÓPICO: CANELITE

sexta-feira, 21 de março de 2008

CBAt CONFIRMA RIO COMO SEDE E ABRE PROVAS PARA NÃO FEDERADOS

A Confederação Brasileira de Atletismo confirmou nesta quinta-feira o Rio de Janeiro como sede do próximo Campeonato Brasileiro de corridas de fundo em pista. A competição acontecerá no dia 4 de abril, a partir das 18h20, na pista do estádio Célio de Barros, no Maracanã.
A competição contará com provas de 10 mil metros e de três mil metros com obstáculo, e poderá ser disputada por fundistas profissionais e atletas não-federados. Segundo a CBAt, o objetivo é permitir que corredores sem vínculos com clubes participem também de provas de pista, já que eles costumam competir apenas em provas de rua.
Para os competidores federados, a idéia é proporcionar uma competição de alto nível, de forma que se preparem adequadamente para os principais eventos do ano – caso, por exemplo, dos Jogos Olímpicos de Pequim, que acontecem em agosto. No ano passado, por exemplo, nomes como Marílson dos Santos, Ednalva Laureano e Sabine Heitling foram campeões da prova.

quinta-feira, 20 de março de 2008


SÉRIE: LESÕES EM CORREDORES

II - SÍNDROME DO TRATO ILIO-TIBIAL


Bom, esta lesão assim como a dor anterior do joelho, que falamos ontem, também atinge o mesmo membro. Ela ocorre na região lateral do joelho e sua denominação correta é de “Síndrome do Trato Iliotibial”. É comum em corredores que tem pouco tempo de pratica e que correm regularmente em torno de 14 km por semana. É a inflamação e dor na parte externa do joelho. A banda ou trato iliotibial é uma camada de tecidos conectivos. Ela começa no músculo perto da parte externa do seu quadril e se dirige para baixo pela parte externa da coxa atravessando o lado externo do seu joelho e se ligando a parte externa de cima do osso da sua canela (tíbia).

Como ocorre?
Ocorre quando a banda atrita-se repetidamente contra a saliência do osso da coxa (fêmur) perto do joelho, causando irritação à tira. Tal situação ocorre com mais freqüência quando você corre.Essa condição pode resultar de:

• Possuir uma tira iliotibial tensa.
• Possuir músculos tensos no quadril, pélvis ou perna.
• Suas pernas não possuírem o mesmo comprimento
• Correr em superfície inclinada (ladeira).
• Correr com calçados que causem muito desgaste na parte externa do calcanhar.

Sintoma e diagnóstico:
O sintoma para esta lesão é uma na parte externa do joelho. Seu médico examinará seu joelho a procura de sensibilidade no local em que a tira passa sobre a saliência na parte externa do seu joelho. Sua tira iliotibial pode estar tensa.

Tratamento:
O tratamento pode incluir o seguinte:
• Coloque compressas de gelo sobre a tira iliotibial por 20 a 30 minutos a cada 3 ou 4 horas por 2 a 3 dias ou até que a dor vá embora.
• Você também pode fazer massagem com gelo: Congele água em uma xícara e rasgue a parte de baixo da xícara. Esfregue o gelo sobre o joelho por 5 a 10 minutos.
• Tomar medicamentos antiinflamatórios de acordo com a prescrição do seu medico.
• Faça os alongamentos recomendados pelo seu médico e fisioterapeuta.Seu médico pode lhe aplicar uma injeção de cortisteroide para ajudar a diminuir a inflamação e a dor. Enquanto seu joelho se recupera, você terá que mudar sua atividade esportiva para uma que não piore a sua condição. Por exemplo: Você pode andar de bicicleta ao invés de correr.

Quando voltar a correr?
O objetivo da reabilitação é o de você retornar ao seu esporte ou atividade o mais rápido e seguramente possível. Se você retornar muito cedo poderá piorar a sua lesão, o que poderia levar a um dano permanente. Todos se recuperam de lesões a uma velocidade diferente.Retornar à corrida será determinado por quão cedo o seu joelho se recupre, não por quantos dias ou semanas se passaram desde a ocorrência da sua lesão. Geralmente, quanto mais tempo você tiver sintomas da lesão e não for ao médico para começar o tratamento, mais tempo levará para melhorar.Você poderá seguramente retornar à corrida quando começando do topo da lista e progressivamente até o final, cada dos seguintes for verdade:

• Dobrar e esticar totalmente o seu joelho sem sentir dor.
• Seu joelho e perna recuperarem a força normal em comparação ao joelho e perna não lesionados.
• Correr em linha reta sem sentir dor ou mancar.
• Correr em linha reta a toda velocidade sem mancar.
• Seu joelho não estiver inchado.
• Fazer viradas bruscas ou abruptas a 45º.
• Fazer viradas bruscas ou abruptas a 90º.
• Você puder correr fazendo o oito de 18 metros.
• Correr fazendo o oito de 9 metros.
• Pular com ambas as pernas sem sentir dor e puder pular com a perna lesionada sem sentir dor.

Dá pra evitar a síndrome? Claro que dá...é só fazer aquecimento antes de correr e alongar-se. Vai, não é difícil, aliás, isso deveria fazer parte de todos os treinos que a gente faz. Eu até confesso ser meio preguiçosa pra fazer um aquecimento, mas partindo da premissa de que grande parte das lesões podem ser evitadas através desse simples hábito... só nos resta esticar, esticar e aquecer, aquecer...
Eu até achei alguns exercícios de recuperação para quem sofre com esse tipo de lesão...dá uma olhadinha.. é fácil e dá pra fazer em casa mesmo...






PRÓXIMO TEMA: FRATURA POR ESTRESSE

quarta-feira, 19 de março de 2008

ÚLTIMAS DA NOITE....

* Definitivo. Recordista mundial da maratona, o etíope Haile Gebreselassie confirmou ao jornal espanhol El País de que não irá disputar nas Olimpíadas de Pequim a prova na qual é especialista e favorito ao título. O motivo são os altos índices de poluição na capital chinesa. Para ele, entrar nesta disputa será algo como cometer o “suicídio”.
É uma decisão puramente pessoal, que tomei por mim mesmo e por minha saúde. Não quero colocar meu futuro em perigo. Não quero me suicidar lá fazendo algo equivocado”, criticou o africano, que, no entanto, não abdicará por completo dos Jogos Olímpicos. “Quero voltar a ser campeão olímpico e, por isso, busquei uma saída, que será correr de novo os 10 mil metros, algo que fiz em Atlanta, Sidney e Atenas. Correr maratona naquelas condições é impossível”, acredita.


* No Torneio da FPA (Federação Paulista de Atletismo), disputado em São Paulo, nesse sábado, Bruno Lins, que venceu os 100m, ficou a apenas um centésimo de segundo do índice A para as Olimpíadas, marcando 10s22. Bruno já está classificado para a prova dos 200m no evento de agosto.
Com esta marca, Bruno deixou para trás Vicente Lenílson, que chegou em segundo com 10s26, e José Carlos Moreira, em terceiro, com o tempo de 10s27. Lenílson e Moreira, o Codó, estão classificados para os 100m em Pequim.
Já a prova dos 200m contou com a vitória do panamenho Alonso Reno, que fez 20s96. O brasileiro Sandro Viana terminou em segundo lugar, com o tempo de 21s28, e Basílio Moraes ficou em terceiro, com 21s78.


* O maratonista Marílson dos Santos, não acredita que os fatores climáticos da capital chinesa possam ser decisivos na disputa. “Não estou muito preocupado com isso, não. Até porque a gente treina perto de São Paulo (em São Caetano do Sul) e, se estiver ruim para mim, vai estar para todos”, falou o atual medalhista de prata na prova dos 10.000m nos Jogos Pan-americanos.
Entretanto, ele apóia a idéia proposta de mudar as provas de atletismo para outra cidade que tenha o ar menos prejudicado. “Deve se pensar no lado humano do atleta. Se for prejudicial para a saúde (correr em Pequim), tem que mudar o local, sim”, afirmou.
Quando perguntado sobre suas chances de subir ao pódio nas Olimpíadas, Marílson mostrou-se realista. “Me vejo como mais um que tem condições de conquistar alguma coisa no meio de tantos”, disse o atleta, que aposta na alta competitividade do evento. “Os meus adversários serão difíceis. Maratonistas novos e bons estão aparecendo”, concluiu.


* Atualmente principal nome da América do Sul nas provas de fundo, Marilson dos Santos confirmou que defenderá o Brasil no Campeonato Mundial de Cross Country. A disputa está programada para o dia 30 de março na cidade escocesa de Edimburgo.
Número 1 do ranking nacional da maratona (2min08s37) e qualificado para os Jogos Olímpicos de Pequim, Marilson venceu em fevereiro a Copa Brasil de Cross Country no Rio de Janeiro, e o Campeonato Sul-Americano da modalidade, no último dia 2, no Paraguai.
Entre outros destaques, a equipe brasileira terá, ainda, Cosme Ancelmo de Souza, também com índice olímpico na maratona, e seu irmão gêmeo, Damião. No feminino, estará a campeã brasileira de cross country Zenaide Vieira, também medalha de bronze nos 3.000 m com obstáculos nos Jogos Pan-Americanos de 2007.
Com a vitória também por equipes no Sul-Americano, o Brasil conquistou o direito de competir completo no Mundial em três categorias: 12 km masculino adulto, 8 km feminino adulto e 8 km masculino juvenil. No total, a Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) convocou 14 corredores. Os treinadores serão Adauto Domingues e Henrique Viana.






ABERTAS AS INSCRIÇÕES PARA A 2A MARATONA DE REVEZAMENTO DE BRASÍLIA...


As incrições para a 2a edição da Maratona de revezamento de Brasília abriram hoje e vão até 7 de abril e são limitadas a 1.200 equipes e 5.000 corredores. AS inovações na 2ª Maratona Brasília de Revezamento que aocntece no próximo dia 21 de abril, não se limitam ao aumento do número de inscritos — 5 mil — e maior premiação, este ano para os três primeiros colocados das equipes masculina, feminina e mista, conforme o Correio Braziliense divulgou ontem. Outra novidade para o principal evento esportivo no dia do aniversário de Brasília será a ampliação das áreas de transição em frente ao Iate Clube, altura do quilômetro cinco, e na Esplanada dos Ministérios, local de largada e chegada da prova.

Os espaços serão maiores, permitindo melhor movimentação dos atletas e equipes de apoios das academias participantes. Além disso, todos os corredores receberão chips individuais, garantia de maior fidelidade na apuração dos resultados.

Assim como em 2007, os grupos poderão ser masculinos, femininos ou mistos. Nesse último caso, serão compostas, obrigatoriamente, por 50% de atletas de cada sexo. Já os atletas com deficiência física poderão disputar nas categorias andante e cadeirante. AS inscrições desses competidores serão feitas pelo Centro de Educação Física Especial (Cetefe). Promovida pelo Correio Braziliense, com apoio do Governo do Distrito Federal, a 2ª Maratona Brasília de Revezamento manterá a tradição dos maiores eventos de rua nacionais e internacionais, oferecendo jantar de massas na véspera da corrida. Nesse quesito, inclusive, haverá uma surpresa, conforme adiantam os organizadores.

Já no dia da prova, quatro bandas da cidade darão ritmo aos corredores, em locais estratégicos do trajeto, executando música baiana, rock, chorinho e clássica ligeira. O melhor, porém, está reservado para o final, com a entrega aos três primeiros colocados em cada categoria da maior premiação já oferecida em uma corrida de rua do país, com mais de R$ 100 mil distribuídos entre carros Celta, motos Suzuki, televisões e aparelhos de DVD. 2ª MARATONA BRASÍLIA DE O valor da incrição é de R$ 28 por atleta




Pra quem quiser dar uma olhadinha no percurso, é só clicar no link aí...




SÉRIE: LESÕES EM CORREDORES

I- DOR ANTERIOR DO JOELHO

Quem já não sentiu uma dorzinha no joelho nos treinos ou nas competições realmente pode ser considerada uma pessoa de sorte. Eu já sofri tanto com o meu, que realmente não desejaria nem de longe ao meu pior inimigo os apuros que passei por causa desse membro.

Fato é que, joelho é um dos pontos mais delicados dos membros inferiores e para nós corredores, um dos membros que talvez mais sofra, uma vez que cada vez que damos uma passada jogamos todo o peso do nosso corpo em cima do pobrezinho... e haja peso viu??? Por ser uma dor tão comum, foi este o tema escolhido para iniciarmos a série de lesões... vamos lá?

Entre os problemas que acometem os membros inferiores , está a dor anterior do joelho, também chamada de síndrome patelofemoral.
Mas no que consiste exatamente essa dor? É o desalinhamento do osso anterior do joelho, geralmente para a lateral, gerando dor por compressão da patela sobre o osso da coxa (fêmur).
A causa pode ser explicada pelo excesso de treinamento; desvios posturais como joelho valgo ("para dentro" ou em X, mais comum em mulheres, por terem quadril mais largo) ou joelho varo (pernas arqueadas); músculos posteriores da coxa encurtados por falta de alongamento...
O sintoma é uma dor difusa, sentida principalmente, ao dobrar o joelho para subir e descer escadas, andar ou correr em terreno inclinado ou após ficar sentado por muito tempo.
A dor normalmente começa com leve intensidade.A dor aumenta quando faz atividades que flexionam e estendem os joelhos repetidamente (como pular, agachar, correr etc.)Sem o tratamento adequado vai havendo atrofia progressiva dos músculos das coxas (principalmente o qudríceps) e seus joelhos podem começar a dar sensação de falseio.


FATORES DE RISCO / PREVENÇÃO
A anatomia complexa do joelho que o permite flexionar enquanto suporta altas cargas é extremamente sensível a pequenos problemas no alinhamento dos membros e no seu treinamento. Pressões inadequadas podem puxar a patela para fora do sulco do fêmur, chamado de tróclea, causando dor. Existem inúmeros fatores de risco:
1- Falta de alongamento dos músculos da coxa que sustentam o joelho
2- Desvio angular dos joelhos ou rotação anormal dos quadris
3- Uso de técnicas de treinamento ou equipamentos impróprios
4- Excesso de atividade
Você pode prevenir as recidivas deste tipo de problema com as seguintes recomendações:
1- Uso de calçados apropriados para sua atividade
2- Fazer aquecimento e exercícios de alongamento antes e depois da atividade física
3- Parar imediatamente qualquer atividade que esteja provocando dor
4- Limitar a distância de sua corrida nos treinamentos e nas competições


OPÇÕES DE TRATAMENTO:
Gelo, repouso e reabilitação específica são as diretrizes gerais para o tratamento dos problemas fêmoro-patelares no adolescente. Os antiinflamatórios são utilizados somente nos quadros de dor forte e só no início do tratamento.
Gelo: para aliviar o edema e a dor momentaneamente. Não deve ser feito isoladamente.
Repouso: para dar tempo de cicatrização dos tecidos inflamados e lesados.
Reabilitação ou fisioterapia: é a fase mais importante do tratamento e deve incluir exercícios para fortalecimento, ganho de amplitude, alongamentos musculares específicos e para recuperar agilidade e coordenação dos seus joelhos. Somente o seu médico pode prescrever exatamente o tratamento necessário para cada tipo de problema.


Entretanto, quando o repouso, o tempo e medidas conservadoras apropriadas falham em aliviar a dor e a incapacidade, a intervenção cirúrgica pode ser justificada para eliminar lesões especificas ou um desequilíbrio patelo-femoral (subluxação ou tilt). Apenas a cirurgia que é destinada a problemas definidos e específicos é indicada.Para se fazer o diagnóstico correto, o clinico sábio deve ouvir cuidadosamente o paciente a fim de determinar a origem da dor. Colher a história é extremamente importante em pacientes com dor patelo-femoral.
As primeiras questões devem se relacionar ao início da dor. Ela ocorreu espontaneamente ou houve uma lesão especifica? Um início espontâneo da dor pode ser resultado de overuse, portanto estabelecer o nível de atividade do paciente e a associação da dor com a atividade irá ajudar a estabelecer a origem desta. O paciente sente dor durante uma corrida (joelho estendendo) ou durante atividades com flexão excessiva de joelho como durante o agachamento?
O paciente deve apontar com um dedo o local da dor para o seu médico. Surpreendentemente a maioria consegue fazer com boa precisão. O médico, por sua vez deve ficar atento a medida que o paciente descreve sua dor. É a dor vaga e difusa ou em pontada e bem localizada? É intermitente ou constante? Quanto está relacionada à atividade? É a dor profunda e "atrás da patela" ou mais superficial? Está acima ou abaixo da patela? Se irradia para cima ou para baixo?
Procure saber de outros problemas ou condições. A doença de Lyme por exemplo, pode se manifestar como um único joelho inchado e doloroso. Pergunte sobre rash cutâneo, gota, outras condições médicas, problemas no quadril . Problemas no quadril em particular podem produzir dor anterior no joelho.
O trabalho dos médicos é árduo. Ele deve verificar se houve instabilidade associada com a dor. Houve deslocamento ou episódio de falta de controle? Houve travamento ou a sensação de um fragmento solto dentro do joelho? Essa é a hora de se determinar se a incapacidade primária do paciente está relacionada à dor ou à instabilidade. Se o problema é de instabilidade, quando há a perda de controle do joelho, com qual frequencia e em que grau de flexão isso ocorre?
Fato é, que, muitas são as causas da dor anterior do joelho, como inflamações ou degenerações do ligamento da patela, osteocondrites (inflamações na cartilagem de crescimento), bursites e patologia na plica sinovial (tecido embrionário presente no joelho de mais de 70% da população). "As lesões causadas por traumatismos (seqüelas de quedas ou contusões), instabilidades da patela (sensação de falseio), e hiperpressão lateral da patela (aumento da pressão na parte lateral da patela) também são causas de dor anterior", explica o médico Cristiano Laurino.


Por isso, é essencial através do exame subjetivo confirmar a articulação patelo-femoral como fonte de dor do paciente/atleta. Apenas então um tratamento específico pode ser aplicado com a expectativa de sucesso, ou seja, eliminação da dor.


PRÓXIMO TEMA: SÍNDROME DO TRATO ILIO-TIBIAL

terça-feira, 18 de março de 2008

VALE A PENA VER ...
A partir de hoje o Programa Globo Esporte da Tv Globo iniciou uma série de reportagens sobre as modalidades em que o Brasil ganhou medalhas nas Olimpíadas de Atenas e qual a evolução desses esportes nesses 4 anos que se passaram...E vejam só... começaram falando das maratonas. Vale a pena ver, a reportagem é bem legal e relembra fatos bacanas como o daquele louco que atravessou a pista e abraçou Vanderlei Cordeiro. Fala também de Marílson, suas chances... ah, clica aí, senão não tem graça....rs...
FOI A DICA.
ABERTAS AS INSCRIÇÕES PARA OS 10KM "A TRIBUNA FM"

oK, corredor santista que se preze não perde essa prova por nada. Aliás, contam nos dedos os dias que faltam para participar dessa festa. Óbvio que estou falando dos 10km "A tribuna FM" a prova mais tradicional da baixada.
A notícia é que hoje abriram as inscrições e por isso não pode bobear não, até porque, apesar do número de inscrições este ano subir para 14.000 atletas, deixar para a última hora é correr um grande risco de ficar de fora dessa farra.
Talvez essa prova seja marcada pela minha volta às corridas, já que se realizará dia 18 de maio e João Victor terá nascido, aliás estará com 1 mês e pouquinho de vida...Só preciso saber mesmo se nascerá de parto normal ou cesária para que eu possa me dedicar aos treinos.
Os kits serão entregues nos dias 15, 16 e 17 de maio na Expo Esportes.


É DISSO QUE PRECISAMOS....

Confesso que fiquei imensamente feliz ao ler o e-mail que recebi esta manhã enviado pelo Marildo Nascimento sobre projetos de lei encabeçados pelo deputado Luciano Batista. É desse tipo de projeto que precisamos, ainda mais cidades litorâneas como as nossas repletas de pessoas que vêem a qualidade de vida como algo essencial. Abaixo seguem os projetos de lei para inclusão no calendário da cidade das corridas: AT Revista, Meia Maratona de Praia Grande e Corrida escolar a Tribuna São Vicente.


PROJETO DE LEI Nº 164, DE 2008
INCLUI NO CALENDÁRIO TURÍSTICO DO ESTADO DE SÃO PAULO A “CORRIDA AT REVISTA GUARUJÁ 8 KM”, QUE SE REALIZA ANUALMENTE, NO MÊS DEZEMBRO, NO MUNICÍPIO DE GUARUJÁ.
A ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE SÃO PAULO DECRETA:


Artigo 1º - Fica incluída no Calendário Turístico do Estado de São Paulo, a “Corrida AT Revista Guarujá 8 Km”, que se realiza anualmente no mês de dezembro, no município de Guarujá.
Artigo 2º - Esta lei entra em vigor na data de sua publicação.

JUSTIFICATIVA
A corrida de rua já se tornou referência entre aqueles que querem manter a boa forma e ainda garantir uma vida saudável.
E, apesar das competições ainda serem marcadas por uma maioria masculina, cada vez mais as mulheres têm demonstrado estarem preparadas para enfrentar quilômetros até a linha de chegada. É por isso que desde 2005 acontece o AT Revista Guarujá 8K, uma corrida voltada apenas para o público feminino, que reúne cerca de 900 atletas em busca do melhor tempo.
Este ano, o evento chega a sua 3ª edição, na praia da Enseada, e promete repetir o sucesso dos outros anos, garantindo a presença das melhores corredoras do país, além de desempenho das amadoras. Charme e força de vontade fazem parteda corrida que distribui R$20 mil reais em dinheiro, incluindo o prêmio às campeãs das categorias por faixa de idade.
Em 2006, o destaque ficou para Bertha Sanches, campeã dos 10Km Tribuna FM, que garantiu o primeiro lugar com 24 minutos e 26 segundos. O segundo lugar ficou por conta da santista Sirlene Pinho, que 49 segundos atrás fez a prova em 25m15. Marizete Moreira dos Santos ficou em 3º lugar, com 25m33.
A AT Revista Guarujá 8 Km tem o patrocínio da Prefeitura Municipal de Guarujá, Unilus, apoio Ultragaz, supervisão Federação Paulista de Atletismo, colaboração Nunes e Grossi, FMA Notícias e Sabesp, e realização e organização Triesportes.
Pelos motivos acima expostos, conclamamos os nobres pares para a aprovação da presente propositura.
Sala das Sessões, em 14/3/2008
Luciano Batista – PSB


PROJETO DE LEI Nº 165, DE 2008 INCLUI NO CALENDÁRIO TURÍSTICO DO ESTADO DE
SÃO PAULO A, “MEIA MARATONA A TRIBUNA PRAIA GRANDE”, QUE ACONTECE ANUALMENTE NO MÊS DE AGOSTO, NO MUNICÍPIO DE PRAIA GRANDE. A ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE SÃO PAULO DECRETA:

Artigo 1º - Fica incluída no Calendário Turístico do Estado de São Paulo, a “Meia Maratona A Tribuna Praia Grande”, que se realiza anualmente no mês de agosto, no município de Praia Grande.
Artigo 2º - Esta lei entra em vigor na data de sua publicação.

JUSTIFICATIVA
Após três anos de sucesso, será realizada neste ano a 4ª edição da Meia-Maratona A Tribuna Praia Grande. As inscrições acontecem até o dia 10 de agosto ou quando completarem o limite de competidores, ou seja, 3.200 atletas. O valor é de R$35,00.
Os corredores percorrerão 21km de ruas e avenidas planas e os caminhantes 5Km, passando por diferentes pontos da cidade. A largada e a chegada ocorrem em frente à Prefeitura, na Avenida Presidente Kennedy, 900.
Ao todo serão R$35 mil reais em prêmios para a elite geral masculina e feminina, dividido entre os 10 melhores colocados de cada categoria. O 1º lugar receberá a quantia de R$3.700,00, além do troféu. Os 5 primeiros colocados de todas as categorias por idade também serão premiados com troféu.
Todos os inscritos serão contemplados com camiseta alusiva ao evento e aqueles que concluírem a prova receberão medalha de participação. Em 2006, a vitória ficou para a catarinense Márcia Narloch e o queniano Mathew Cheboi que demonstraram estar preparados para enfrentar a competição que já é considerada uma das principais do País na distância. A distância oficial da meia-maratona é de 21.097 metros, que corresponde à metade da clássica distância da Maratona
(41.195 metros). A Federação Internacional das Associações de Atletismo (IAAF) promove anualmente o Campeonato Mundial de Meia Maratona desde 1992. A 4ª Meia-Maratona A Tribuna Praia Grande tem patrocínio da Prefeitura Municipal de Praia Grande e Unilus, com o co-patrocínio da Osan e a apoio do Banco Real, supervisão da Federação Paulista de Atletismo, realização e organização de A Tribuna, colaboração da Tri FM e FMA Notícias.
Pelos motivos acima expostos, conclamamos os nobres pares para a aprovação da presente propositura.
Sala das Sessões, em 14/3/2008
Luciano Batista – PSB


PROJETO DE LEI Nº 166, DE 2008
INCLUI NO CALENDÁRIO TURÍSTICO DO ESTADO DE SÃO PAULO A “CORRIDA ESCOLAR A TRIBUNA SÃO VICENTE”, QUE SE REALIZA ANUALMENTE NO MÊS DE OUTUBRO, MÊS DAS CRIANÇAS.
A ASSEMBLÉIA LEGISLATIVA DO ESTADO DE SÃO PAULO DECRETA:

Artigo 1º - Inclui no Calendário Turístico do Estado de São Paulo, a “Corrida Escolar A Tribuna São Vicente” que se realiza anualmente no mês de outubro, no município de São Vicente.
Artigo 2º - Esta lei entra em vigor na data de sua publicação.

JUSTIFICATIVA
A Corrida Escolar A Tribuna São Vicente chega este ano em sua segunda edição já com a expectativa de repetir o sucesso do ano passado. O evento que acontecerá no dia 28 de outubro, mês das crianças, e será realizado novamente no Centro de Convenções da Costa da Mata Atlântica, no Parque Bitarú. O objetivo é reunir 1.500 alunos dos quatro aos 15 anos de idade em 12 categorias (masculino e feminino), por faixa etária, cada uma com distâncias específicas, indo dos 50 aos 800 metros. Diferentemente das outras provas realizadas durante o ano, a Corrida Escolar, além de ser voltada exclusivamente para o público infantil e jovem, foi criada não apenas para incentivar o condicionamento físico dos atletas, mas sim para promover lazer, educação e também iniciar os pequenos no esporte, favorecendo assim a saúde e o desenvolvimento das crianças. Os pais são os que mais demonstram satisfação e comparecem com alegria para prestigiar os filhos.
Para garantir que os familiares possam apreciar cada momento do evento, este ano, uma das novidades será a montagem de uma arquibancada para os torcedores. Além disso, para que não haja preocupação com os baixinhos, a organização disponibiliza serviço médico para qualquer tipo de emergência. Haverá ainda monitores para orientação aos participantes, postos de hidratação e sanitários. Logo após a corrida os presentes são ainda contemplados com uma grande festa,
com direito a guloseimas especiais para as crianças. Dessa forma, há motivos de sobra para que os pais inscrevam seus filhos na Corrida Escolar e colaborem para que as crianças comecem desde cedo a entenderem a importância do esporte como uma forma de integração, manutenção da saúde e ainda outros valores importantes para o futuro. A Corrida Escolar tem o patrocínio da Prefeitura Municipal de São Vicente, com a colaboração da FMA Noticias. Organização e realização do Triesportes, apoio da Turma da Mônica e supervisão da Federação Paulista de Atletismo.
Diante do exposto, reconhecendo no esporte importante ferramenta para o engrandecimento social e econômico de nosso Estado, conto com o apoio dos nobres pares para a aprovação do presente projeto.
Sala das Sessões, em 14/3/2008
Luciano Batista - PSB

Ao Deputado Luciano Batista, em nome de todos os corredores, PARABÉNS!

segunda-feira, 17 de março de 2008



LESÕES: O TERROR DOS CORREDORES DE RUA

Dor. A palavra é pequena, mas o sofrimento atrelado a seu significado pode ser enorme. Quem corre está sujeito a conhecer diferentes graus de intensidade. Essa sombra que paira sobre o atleta a cada treino, cada prova, tem várias origens e pode aparecer em diferentes partes do corpo. Importante saber como evitá-la. Porém, se ela surgir, o corredor precisa conhecer mecanismos para lidar com o problema, utilizando o tratamento correto. Afinal, as dores são sintomas de que algo está errado. Resumindo em uma palavra, significa sério risco de lesão. Tenho muitos amigos meus que correm com dor. Eu mesma já corri muitas vezes. Treinava chorando com dor. Mas isso não é correto...não mesmo!!!!
De acordo com o médico Newton Barros, presidente da Sociedade Brasileira para Estudos da Dor, é possível que o próprio corredor avalie qual é o seu tipo de problema. "A dor que é relacionada ao exercício não demora. Permanece por horas ou até mesmo um ou dois dias. É algo passageiro, que tende a se normalizar. A que permanece mais tempo, por uma semana, por mais de um mês, é o que chamamos de dor crônica e precisa de uma abordagem diferente", explica.
Segundo Barros, os males típicos dos atletas estão entre os mais comuns entre a população. "Um estudo mostra que a dor de cabeça é a 'campeã' de freqüência entre as pessoas, seguida pela dor na coluna e as dores articulares e musculares. Essa é uma estatística mundial", aponta.
Pesquisa elaborada por médicos da Sociedade Brasileira de Medicina do Esporte sobre lesões desportivas na elite do atletismo brasileiro (publicada na Revista Brasileira de Medicina do Esporte), aponta um maior número de lesões nas provas combinadas (3,5 lesões por atleta durante o período do estudo), seguidas por eventos de velocidade (2,6 lesão/atleta), resistência (1,9 lesão/atleta) e saltos (1,9 lesão/atleta), respectivamente. Foram entrevistados 47 homens e 39 mulheres que representaram o País em competições oficiais entre 2003 e 2004. Consideraram-se lesões, dores ou afecções músculo-esqueléticas resultantes de atividade física suficientes para causar alterações no treinamento, seja na forma, duração, intensidade ou freqüência.
"O principal mecanismo causal (das lesões) é a alta intensidade, acometendo preferencialmente velocistas e fundistas. Outra forte associação foi observada entre lesões musculares e provas de velocidade, que também apresentam preferência para ocorrência de lesão na região da coxa. As atividades com elevada intensidade foram as principais responsáveis por lesões musculares, enquanto as osteoarticulares e tendinopatias ocorrem com excesso de repetições", aponta o estudo.
A professora doutora afirma que a dor não deve ser algo comum para o esportista. "Na realidade, se o treinamento específico para aquela prova foi adequado, conseqüentemente não é para o corredor ter dor ou lesão alguma", opina Vera Aparecida Madruga, coordenadora associada de graduação e professora doutora em atividade física e adaptação da Faculdade de Educação Física da Unicamp (Universidade Estadual de Campinas). "Se ele fez um treinamento um pouquinho mais forte e lesou a musculatura, o ideal é que pare e faça o tratamento adequado. Persistir na prova ou no treino, com essas dores, pode acarretar até um afastamento do atleta por um longo tempo.""É muito comum as pessoas associarem a atividade física à dor. Depois de fazer esporte, ao sentir dor, alguns ficam felizes. Esse conceito está completamente ultrapassado. Quando se tem algum problema, tem que investigar", recomenda Vera Madruga.
De acordo com a professora da Unicamp, na maioria das vezes as lesões ocorrem em virtude de uma preparação inadequada. "Muitas das pessoas que praticam atividade física, principalmente as de fim de semana, que se inscrevem para participar de provas sem nenhuma preparação, não respeitam os limites do corpo. O corpo é muito perfeito. Ele dá as dicas que está no limite. É um sinal de que está acontecendo algo errado. Somos nós que, muitas vezes, não queremos ouvir."
Vera Madruga explica um sintoma comum e conhecido como dor do dia seguinte. "Quando se faz atividade física mais intensa, acontecem microrupturas na musculatura, nas fibras. Muitas pessoas, principalmente aquelas sem hábito, não conseguem suportar essa 'dor tardia'. Elas não sabem que é preciso executar mais trabalhos aeróbios para obter uma demanda maior de oxigênio para limpar essa "sujeirinha" (o ácido lático) que ficou para trás. Aí ela recorre para analgésicos, mascarando a dor. Quando a dor é suportável, típica por excesso de exercício, se respeitar 24h de descanso e voltar a fazer uma atividade, para manter a demanda de oxigênio, ela vai desaparecer", conclui.
Certo é que há inúmeros tipos de lesão, tanto que nem dá pra contar no dedo. O que importa é que a maioria delas ños causa muita dor. Então, a partir de amanhã, irei começar uma nova série (adoro isso, acho chic...) e vamos falar de vários tipos de lesões, o que fazer para evitá-las, o que fazer para amenizar o problema, enfim, vou tentar esclarecer e aprender um pouquinho mais sobre esse terror para nós corredores....
E o tema escolhido para iniciar será: DOR ANTERIOR DO JOELHO....Aguardem
II ETAPA DO CIRCUITO BARSILEIRO DE CORRIDAS EM MONTANHAS FOI ADIADA

Pessoal, para quem se inscreveu na II etapa do Circuito Brasileiro de Corridas em Montanha que seria realizada no dia 13/04/2008, vai um alerta: sua data foi alterada para o dia 20/04/2008 por conta da coincidência com a Meia Maratona da Corpore.

A prova será realizada no complexo do Velhão, localizado na Serra da Cantareira, extremo Norte de São Paulo.

Maiores informações no site
www.corridasdemontanha.com.br

domingo, 16 de março de 2008


MARATONA DE ROMA TEVE QUEBRA DE RECORDE

A 14ª Maratona de Roma, disputada neste domingo, foi marcada pela vitória da russa Galina Bogomolova, que estabeleceu o novo recorde de maratonas disputadas na Itália, 2h22min53. A marca anterior pertencia à Margaret Okayo, que fez 2h24min59 em Milão, em 2002. Outro destaque foi para a presença dos quanianos na prova masculina, dos dez primeiros colocados, oito eram do país africano.
Imprimindo um forte ritmo desde o começo, a russa liderou a prova de ponta a ponta, chegando com uma folga de mais de cinco minutos para a segunda colocada, a também russa Larissa Zousko, que fez 2h10min02. O pódio foi completado pela húngara Aniko Kalovics (2h10min16).
'Comecei segurando o ritmo na primeira parte da corrida. Quando percebi que eu poderia realmente correr na casa de 2h23, acelerei nos últimos quilômetros', disse Bogomolova.
Na prova masculina, o Quênia dominou as primeiras posições. Jonathan Kiptoo Yego, com o tempo de 2h09min59 foi o primeiro, seguido por Philip Sanga Kimutai (2h10min02) e Henry Kimeli Kapkyai (2h10min16).
'Hoje, eu fiz uma boa corrida. Vou utilizar o dinheiro que ganhei para ajudar a minha família e os jovens que pretendem seguir uma carreira no
atletismo na minha cidade', declarou Yego, que ganhou 16.000 euros pela vitória.

Confira a classificação geral:

Masculino

1. Jonathan Yego Kiptoo (QUE) 2h09min58
2. Philip Sanga Kimutai (QUE) 2h10min02
3. Henry Kimeli Kapkiay (QUE) 2h10min16
4. Peter Korir (QUE) 2h10min48
5. Jonathan Kipkorir Kosgei (QUE) 2h11min13
6. David Tarus (QUE) 2h11min18
7. Dejene Birhanu (ETI) 2h11min23
8. Michael Kimani Njoroge (QUE) 2h11min37
9. Antonenko Mikola (UCR) 2h11min57
10. Philip Singoei (QUE) 2h12min05

Feminino

1. Galina Bogomolova (RUS) 2h22min53
2. Larissa Zousko (RUS) 2h28min18
3. Aniko Kalovics (HUN) 2h29min04
4. Flora Kandie (QUE) 2h32min39
5. Baysa Atsede (ETI) 2h33min07
6. Lema Haile Kebubush (ETI) 2h34min03
7. Anastasiya Padalinskaya (BLR) 2h34min08
8. Hellen Cherono (QUE) 2h34min45
9. Tanith Maxwell (AFS) 2h37min35
10. Justyna Bak (POL) 2h38min03

GEBRSELASSIE VENCE, MAS FICA LONGE DE MELHOR MARCA

A Meia Maratona de Lisboa, em Portugal, disputada neste domingo, teve domínio integral do etíope Heile Gebrselassie e da queniana Salina Kosgei, que conquistou sua terceira vitória consecutiva na prova portuguesa. Mesmo com a vitória, o etíope não ficou satisfeito com sua performance.
A partir dos 10km, o recordista mundial de meia-maratona não tinha mais adversários, o que impediu o
atleta de ser mais rápido. Entretanto, o etíope se culpou pela marca de 59min15, distante de seu melhor, 55min48.
'Eu tentei empurrar-me para um melhor desempenho, mas não pude fazer melhor. Aqui é um pouco mais quente, estou me sentindo bem, mas eu não poderia atingir o meu objetivo. Não é desculpa, mas eu estou um pouco preocupado com a saúde do meu pai. Estou em boa forma e eu não posso explicar o motivo não conseguir correr mais rápido.', falou.
A segunda posição ficou com Charle Kamathi (1h00min45), do Quênia, que nos últimos metros ultrapassou seu compatriota Robert Kipkoech Cheruiyot, que terminou em terceiro com o tempo de 1h00s50.
Se Gebrselassie dominou toda a prova masculina, entre as mulheres, as favoritas correram juntas durante grande parte da corrida. Só nos últimos metros Salina Kosgei abriu dois segundos de sua compatriota Pamela Chepchumba e Souad Aït Salem, da Argélia, finalizando o percurso em 1h09min57.

Confira os resultados
Masculino

1. Haile Gebrselassie (ETI) 59min15
2. Charle Kamathi (QUE) 1h00min45
3. Robert Kipkoech Cheruiyot (QUE) 1h00min50
4. Samuel Karanja (QUE) 1h00min52
5. Eduardo Henriques (POR) 1h02min10
6. Manuel Damião (POR) 1h03min07
7. Paulo Gomes (POR) 1h03min20
8. Hermano Ferreira (POR) 1h03min22

Feminino
1. Salina Kosgei (QUE) 1h09min57
2. Pamela Chepchumba Q(UE) 1h09min59
3. Souad Aït Salem (ALG) 1h09min59
4. Berhane Adere (ETI) 1h10min01
5. Tigist Tufa (ETI) 1h10min03
6. Atsede Habtamu (ETI) 1h10min15
7. Jo Pavey (ALE) 1h10min39
8. Madai Perez (MEX) 1h11min02
FRASE DO DIA....

"Enquanto caminha a humanidade... nós corremos".
MARATONAS DE FLORIPA SÃO CANCELADAS...


A cidade de Florianópolis (SC) tinha duas maratonas programadas para 2008, uma com o título de "Maratona de Florianópolis" (23/03), válida para o ranking Caixa da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) e outra com o título "Maratona de Santa Catarina" (20/04), organizada pelo mesmo grupo que promove a Maratona de Porto Alegre. Muita confusão envolveu a primeira prova, já que há menos de um mês de sua realização, ninguém sabia como se inscrever e nem mesmo se a prova ocorreria. Já o segundo evento está confirmado.A organização da Maratona de Florianópolis estava a cargo da Acavem (Associação dos Clubes de Atletas Veteranos do Mercosul), mas devido a problemas internos, desistiram de realizar o evento de 42,1 quilômetros. Após este percalço, a mesma empresa resolveu promover uma meia, evento que também não será realizado conforme o comunicado publicado no site www.acavem.org.br e reproduzido a seguir na íntegra.
"A Acavem costuma realizar eventos em parceria com a Fundação Municipal de Florianópolis, onde um deles é a Meia Maratona. Infelizmente, estamos passando por dificuldades no que tange a realização da Meia, por problemas internos da Fundação.
Para 2008, a Fundação propôs a troca da Meia Maratona por uma Maratona para o dia 30 de março, com a participação da Federação Catarinense de Atletismo. Mais uma vez parece que esse evento encontra-se malfadado a não sair.Por parte da Acavem, lamentando o que vem ocorrendo, pedimos nossas mais sinceras desculpas para atletas, apoiadores e público em geral, pois havíamos anunciado a Maratona para o dia 30 de março".
Em relação ao Ranking Caixa, a CBAt se pronunciou dizendo que devido ao cancelamento da referida competição, "no futuro será definida uma nova prova no local, que contará pontos para o Ranking Caixa/CBAt de Corredores de Rua 2008".
A entidade ainda não atualizou em seu site o calendário oficial do ranking, onde ainda consta a Maratona de Florianópolis como etapa válida para pontuação.Substituição - De acordo com informações da Federação Catarinense de Atletismo haverá sim uma meia maratona na cidade, mas com organização de outra empresa, a TGM Assessoria e Eventos. A prova acontecerá no dia 13 de julho e será válida como seletiva para o Mundial da distância, a ser realizado em 12 de outubro no Rio de Janeiro.A TGM é uma empresa nova de marketing esportivo criada em 2007, que ainda não realizou nenhum evento próprio e fará a estréia durante esta meia. Segundo informações de um dos seus diretores, haverá uma reunião no começo da semana que vem com a Federação, para acertarem todos os detalhes e efetivarem a prova no calendário.
Fonte: webrun

sexta-feira, 14 de março de 2008

ATENÇÃO: Por um erro do sistema, muito embora esta matéria tenha sido postada na data de hoje (14.03), também apareceu postada com data de 13/03.
VOCÊ SABIA?????
Sempre que eu corro pela orla da praia ou mesmo dou aquela caminhada certas coisas ainda me chocam, muito embora, infelizmente, já faça parte dos hábitos dos moradores daqui de Santos como por exemplo: andar de bicicleta na calçada, mesmo com tantas pessoas e principalmente circulando no local; correr pela grama do jardim, mesmo sabendo que é proibido, jogar lixo da rua, mesmo sabendo que a menos de 100m sempre há uma lixeira á disposição e por aí vai. São coisas que já fazem parte do cotidiano e principalmente da má educação das pessoas.
Por este motivo, achei bem legal falar das regras de utilização do Parque Ibirapuera, o qual é um dos parques mais famosos da cidade de São Paulo. Ele foi inaugurado em 1954 para a comemoração dos 400 anos da capital paulista e desde então se tornou um centro de atividades físicas e culturais da cidade. Hoje cerca de 20 mil pessoas frequentam o parque seja correndo, caminhando, pedalando ou mesmo descansando com a família. Nos finas de semana esse número sobe para 130 mil visistantes.
Na verdade eu nem sabia que essas regras existiam, mas fiquei extremamente feliz em saber que a ATC - Associação dos Treinadores de corrida de São Paulo, em conjunto com a Administração do Parque do Ibirapuera, criou algumas medidas que colaboram para o convívio de todos os usuários, inclusive corredores do parque.
Isso é bacana, porque pelo menos uma vez vemos o todo sendo beneficiado e não uma pequena maioria como de costume. Vamos dar uma olhadinha nessas regras?



1)Todos os treinadores que utilizarem o parque para ministrar treinamento de corrida, deverão estar cadastrados na Adminitração do parque, além de estarem devidamente registrados no CREF (Conselho Regional de Educação Física)


2) Todos devem recolher o lixo e zelar pelo espaço que utilizam


3) Os Treinadores de Corrida devem orientar seus alunos a jogarem os copos de água no lixo e não nas ruas ou no gramado do parque, ficando o treinador responsável por estes corredores.


4) Os Treinadores de Corrida devem orientar seus alunos para a utilização de percursos alternativos pata trotes e treinos de baixa intensidade.


5) A grama não pode ser usada para corridas (exceção feita a volta da grade) e nem para a instalação de colchonetes, plásticos, lonas etc.


6) As concentrações de corredores devem ser feitas fora da via de circulação, nas corridas.


7) Paradas para beber água e conversar também devem ser feitas fora da pista de corrida e caminhada.


8) Caminhadas e corridas em grupo não devem impedir a passagem dos outros usuários do Parque. Os grupos devem ser pequenos.


9) Os Treinadores de Corrida devem orientar seus alunos para que evitem choques, confrontos e qualquer ato de desrespeito aos demais usuários do Parque.


10) As estruturas montadas devem ser parcimoniosas, limitadas ao estritamente necessário.


11) É proibido qualquer tipo de banner e guarda-sol, com logomarcas da assessoria ou de patrocinadores.


12) Os treinadores não poderão comprar e nem recomendar a compra de produtos de ambulantes não cadastrados no parque.


Quando você verificar alguma irregularidade, informe a ATC pelo e-mail mailto:diretoria@atcsoapaulo.com.br, que ela tomará as providências cabíveis.


FOI A DICA.
DICA DO DIA...

"Enquanto corre, respire também pela boca, não apenas pelo nariz. Dessa forma, respirará mais oxigênio e o exercício será mais simples e cômodo".

quinta-feira, 13 de março de 2008



QUANDO EU CRESCER QUERO SER ASSIM...





Buster Martin é o nome de um homem com 101 anos que quer ser o homem mais velho do mundo a percorrer e acabar uma maratona de 30 milhas (50 km). Treina todos os dias para a maratona que vai acontecer em Londres em abril e quer fazer bonito. Recentemente ele participou da Meia-maratona Roding Valley também em Londres e terminou o percurso em 5h13. Nada mau hen? "Poderia ter sido mais rápido", diz ele, mas como teve que parar para beber uma cerveja e fumar um cigarro, foi o que se pode arranjar.
Ele fuma, bebe e fica acordado até tarde e provavelmente é essa a razão de ainda estar vivo” disse Charlie Mullins o director da empresa onde Buster Martin trabalha. Quando não está a trabalhar, Buster Martin pode ser encontrado em um ginásio a preparar-se para a maratona. Não parece afetado pelo espanto das pessoas e disse numa entrevista a ABC News, que apenas quer correr a maratona e chegar ao fim. Buster disse “Nunca se é velho de mais para se fazer aquilo que se gosta” e ele adora correr mas logo de seguida rematou “..mas não tanto como gosto de cerveja!”.
Querem conhecer mais sobre esse velhinho, dá uma olhada nesse link...é incrível...

http://video.aol.com/video-detail/maratonista-de-101-anos-treina-e-bebe-cerveja/165118784

Eita velhinho danado de bão sô...quando eu crescer quero ser que nem que ele...rs...Será que dá????


CORRIDINHA BÁSICA...

O maratonista francês Philippe Fuchs, de 57 anos, deixou paris nesta sexta feira (7 de março) para uma corridinha básica...rs... de 10.000 quilômetros até a China. Ele quer chegar a tempo para as Olimpíadas.
Philippe irá percorrer 85 quilômetros por dia em 20 semanas, o que para ele nem parece tão ruim assim, já que percorreu distãncias entre Paris-Bracelona e Paris-Atenas.
Os fãs do esporte podem acompanhar as passadas do maratonista pela internet. Se tudo der certo, Phillipe espera chegar á China até 24 de agosto.
Esse desafio tem como objetivo construir um modelo tridimensional do pé do atleta para estudar os eforços e as consequências da corrida.
Sensores vão permitir que cientistas monitorem a frequência dos passos e as batidas do coração.
Eventualmente, esse estudo pode ajudar a melhorar e desenvolver novos t~enis para a prática do esporte.
ÚLTIMAS DO ATLETISMO.....

Recordista mundial da maratona, o corredor egípcio Haile Gebrselassie anunciou que irá tentar se classificar para a disputa dos 10000m de Pequim-2008. Atual bicampeão olímpico da prova, ele ainda não tomou a decisão final sobre a sua participação na maratona, pois teme os efeitos da poluição chinesa em sua saúde.
Eu não teria tomado esta decisão caso não confiasse na minha capacidade. Vou competir em Pequim”, afirmou o atleta, que tentará atingir o índice A (27min50s) no Meeting de Hengelo (Holanda), programado para 4 de maio. “Vou correr o mais rápido possível, pois quero competir em Pequim. Isso é muito importante para mim”, emendou.
Em relação à Maratona, Haile diz ainda não ter certeza de nada...


VOCÊ SABIA?????

Sempre que eu corro pela orla da praia ou mesmo dou aquela caminhada certas coisas ainda me chocam, muito embora, infelizmente, já faça parte dos hábitos dos moradores daqui de Santos como por exemplo: andar de bicicleta na calçada, mesmo com tantas pessoas e principalmente circulando no local; correr pela grama do jardim, mesmo sabendo que é proibido, jogar lixo da rua, mesmo sabendo que a menos de 100m sempre há uma lixeira á disposição e por aí vai. São coisas que já fazem parte do cotidiano e principalmente da má educação das pessoas.
Por este motivo, achei bem legal falar das regras de utilização do Parque Ibirapuera, o qual é um dos parques mais famosos da cidade de São Paulo. Ele foi inaugurado em 1954 para a comemoração dos 400 anos da capital paulista e desde então se tornou um centro de atividades físicas e culturais da cidade. Hoje cerca de 20 mil pessoas frequentam o parque seja correndo, caminhando, pedalando ou mesmo descansando com a família. Nos finas de semana esse número sobe para 130 mil visistantes.
Na verdade eu nem sabia que essas regras existiam, mas fiquei extremamente feliz em saber que a ATC - Associação dos Treinadores de corrida de São Paulo, em conjunto com a Administração do Parque do Ibirapuera, criou algumas medidas que colaboram para o convívio de todos os usuários, inclusive corredores do parque.
Isso é bacana, porque pelo menos uma vez vemos o todo sendo beneficiado e não uma pequena maioria como de costume. Vamos dar uma olhadinha nessas regras?

1)Todos os treinadores que utilizarem o parque para ministrar treinamento de corrida, deverão estar cadastrados na Adminitração do parque, além de estarem devidamente registrados no CREF (Conselho Regional de Educação Física)
2) Todos devem recolher o lixo e zelar pelo espaço que utilizam
3) Os Treinadores de Corrida devem orientar seus alunos a jogarem os copos de água no lixo e não nas ruas ou no gramado do parque, ficando o treinador responsável por estes corredores.
4) Os Treinadores de Corrida devem orientar seus alunos para a utilização de percursos alternativos pata trotes e treinos de baixa intensidade.
5) A grama não pode ser usada para corridas (exceção feita a volta da grade) e nem para a instalação de colchonetes, plásticos, lonas etc.
6) As concentrações de corredores devem ser feitas fora da via de circulação, nas corridas.
7) Paradas para beber água e conversar também devem ser feitas fora da pista de corrida e caminhada.
8) Caminhadas e corridas em grupo não devem impedir a passagem dos outros usuários do Parque. Os grupos devem ser pequenos.
9) Os Treinadores de Corrida devem orientar seus alunos para que evitem choques, confrontos e qualquer ato de desrespeito aos demais usuários do Parque.
10) As estruturas montadas devem ser parcimoniosas, limitadas ao estritamente necessário.
11) É proibido qualquer tipo de banner e guarda-sol, com logomarcas da assessoria ou de patrocinadores.
12) Os treinadores não poderão comprar e nem recomendar a compra de produtos de ambulantes não cadastrados no parque.
Quando você verificar alguma irregularidade, informe a ATC pelo e-mail mailto:diretoria@atcsoapaulo.com.br, que ela tomará as providências cabíveis.


FOI A DICA.


QUER ESPANTAR O TÉDIO? CORRIDA DE REVEZAMENTO

Tenho muitos amigos corredores que às vezes reclamam do tédio de correr sozinhos por horas a fio. Muitos deles já até dessitiram de correr após tentar de tudo...correr ouvindo mp3, correr por lugares diferentes, e no entanto nada disso resolveu. A Jacke, por exemplo, do blog "Correr é viver" já comentou que procurou uma assessoria esportiva para ganhar novos estímulos. No caso dela, funcionou....
Uma grande opção para espantar todo o tédio é justamete essa: aderir às equipes de treino a seguir um plano de exercícios sozinhas. É por isso que existem cada vez mais assessorias esportivas repletas de alunos, que acabam formando ciclos de amizades entre uma sessão de corrida e outra. Se correr acompanhado é mais estimulante, participar de uma competição em grupo não pode ser diferente.
E isso vem crescendo bastante. Vejam só... no dia 16 de março, teremos a Maratona de Revezamento do Guarujá onde participam 2 ou 4 corredores; dia 6 de abril teremos a Ultramaratona de Cubatão com 5 atletas, e em 12 de abril a Volta à Ilha em Floripa, uma corrida suuuuuuuper divertida de 150km ao redor da ilha onde participam de 8 a 12 corredores.
Como podem ver, opções não faltam.
As provas de revezamento são um atrativo à parte para os esportistas, pois têm embutido em seu conceito um misto de espírito de companheirismo e divisão de responsabilidades. Se você acha um pouco distante da sua realidade completar uma maratona, que tal partir para uma maratona, sim, mas de revezamento?Eu mesma já pensei nisso várias vezes. É um bom método para experimentar a sensação de terminar com êxito o desafio dos 42 km. Apesar de o atletismo ser um esporte individual, o mais comum é o atleta exigir muito do seu corpo em uma prova de revezamento com o intuito de não atrasar a equipe. No entanto, é necessário ter uma certa cautela com essa postura, já que em uma competição o corredor tem de dar o seu máximo, mas sempre de acordo com o seu condicionamento físico para não sofrer depois ou mesmo no meio do percurso com uma lesão. A grande expectativa implícita em fazer parte de um time e querer oferecer o melhor de si a ele deve ser dosada para que a gana de completar logo o seu trecho da prova não ultrapasse os limites do seu organismo e se torne prejudicial à sua saúde.
De qualquer forma, tanto para os mais experientes como para quem está começando a degustar a sensação de realizar competições de corrida de rua, o revezamento é um estímulo e também uma diversão. A torcida dos companheiros que o esperam na troca da pulseira ou do bastão ou na chegada fornece ainda mais garra àquele que está correndo. E a confiança no seu potencial e na sua capacidade de finalizar uma prova logo na estréia em competições aumenta, pois é praticamente certo que todos aqueles que iniciam um revezamento conseguirão concluí-lo. Como as distâncias são curtas – normalmente 5 km ou 10 km –, em apenas um ou dois meses de treinamento é possível estar preparado para se sair bem na disputa.

Outras preocupações na preparação para o revezamento
Como as outras competições, esse tipo de prova exige um preparo emocional, além do trabalho de condicionamento físico. A resistência à dor e às possíveis cãibras que podem surgir ao longo do caminho, por exemplo, acaba sendo maior, já que não é apenas você que está competindo, outras pessoas dependem do seu desempenho. Uma leve indisposição no dia da competição que talvez o fizesse desistir de correr naquele evento muitas vezes também é relevada pelo fato de que se um desistir, é o fim da prova para os colegas. Por esses motivos é importante mais uma vez ressaltar a necessidade de respeitar os limites do corpo tanto durante os treinos como no momento de competir. Qualquer problema que aconteça, certamente você não será o único prejudicado.

Na hora de ver os resultados
Em geral, os esportistas se esforçam no seu limite máximo nas provas de revezamento devido ao comprometimento com os companheiros de equipe. Dessa forma, o habitual é realizarem suas melhores marcas naquela distância. Os resultados individuais costumam ser sempre inferiores aos índices obtidos até então. Contudo, no final de uma maratona de revezamento, espere fazer um tempo maior que as marcas médias obtidas em maratonas individuais. Isso porque as paradas de troca são tumultuadas e o corredor precisa reduzir o seu ritmo para entregar a pulseira ou bastão ao companheiro, o que resulta em segundos ou minutos a mais na somatória total dos tempos.

A seqüência dos corredores
Não é a performance que determina a ordem em que os atletas correrão. As distâncias percorridas serão as mesmas para todos e o percurso também, portanto, como os tempos de cada um são somados no final, é indiferente se o primeiro a realizar o trajeto foi o mais veloz ou não.Na realidade, o que interessa na escolha do esportista que correrá primeiro, no meio ou por último é a experiência de cada um. O melhor é deixar os corredores menos experientes no meio da prova. Os iniciantes podem se atrapalhar ao abrir o revezamento. Podem seguir os mais rápidos e não agüentar o ritmo ou irem lentos demais e acabar atrasando a equipe. Também ocorre muito, por causa da ansiedade e da longa espera até o momento de correr, de se atrapalhar na hora de concluir o percurso. Ou seja, o mais indicado é que o atleta que já tenha participado de uma disputa se responsabilize por essas tarefas, enquanto para os principiantes é aconselhável que se posicionem no meio do revezamento.

A opinião de uma campeã
Destaque em diversas provas nacionais, ela acredita que começar realizando uma maratona de revezamento é o caminho mais lógico para quem almeja completar futuramente os 42 km sozinho
Para Marily dos Santos, as competições de revezamento reforçam os laços de amizade e, por proporcionarem um ambiente amistoso, favorecem o bem-estar físico e mental. “É uma festa. Une os amigos, além de incentivar a melhora de tempos e os treinamentos”, diz a atleta. Segundo ela, esse tipo de disputa é ótimo para quem está começando a competir, já completou apenas provas menores e pretende futuramente realizar uma maratona. “É uma maneira de incentivar o atleta a correr cada vez mais. Lembrando sempre da importância da orientação de um profissional de educação física”, observa. E completa: “É o caminho mais lógico”.

Treino e estratégia
Nas competições de revezamento, o indicado é deixar o individual de lado e pensar no coletivo. “Às vezes, um atleta pode preencher a necessidade de outro integrante da equipe. Por exemplo, correr em um dia de muito calor. Se o último integrante não estiver habituado e tiver um desempenho ruim, prejudicará o resultado da equipe”, relata Marily.Quanto aos treinos preparatórios para o percurso, a corredora recomenda dar uma atenção especial às sessões que ajudarão a melhorar a intensidade de sua performance: “Como as distâncias são menores o ideal é trabalhar melhor a velocidade“. Quanto aos cuidados durante o trajeto, ela ressalta que se deve prestar bastante atenção ao momento de passar o bastão ou pulseira, instante sempre um pouco conturbado. “Se os integrantes da equipe passarem direto, o grupo todo acaba se perdendo e vira aquela confusão (risos)”, finaliza.

Outra forma bacana de se livrar do tédio é entrar para uma equipe. Só o fato de se reunirem para dar um trotinho, já é uma alavanca para espantar a falta de estímulos. Não precisa correr revezando, basta treinar conjuntamente. Além da festa no dia da corrida de encontrar todo mundo vestindo a mesma camisa...um colorido, uma legria contagiante como acontece nos 10km da Tribuna todo ano aqui em Santos. A festa das equipes acaba roubando a cena incluisive da elite.
Eu fiquei extremamente feliz quando dia desses o Marildo do blog 4corredores me convidou para entrar para a equipe dos Mutangos aqui em Santos. Tá aí.. gostei. Tão logo o João nasça e aproveito pra dizer pra todos... estamos em contagem regressiva.. faltam apenas 3 semanas....eu vou sim participar da equipe...
De toda forma, é o que eu sempre digo...enquanto vc tiver prazer em correr, seja lá a forma que escolher, sozinho, em dupla ou em carreata...rs... corra, pois tédio maior do que correr sozinho e dar as mãos ao sedentarismo....

quarta-feira, 12 de março de 2008

DICA DO DIA...

"Além de todos os benefícios que traz para a saúde, a corrida também pode ser vista como uma fonte de juventude. Isso porque a atividade retarda em até 50% o declínio da capacidade intelectual que ocorre naturalmente ao longo dos anos".

PRA VISITAR....

Pessoal, tem mais um site bacana pra gente visitar, ficar mais inteirado no mundo do pedestrianismo, além de apreciar o trabalho desse atleta de futuro que é o Gladson Alberto. Pra quem não lembra dele, ou não conhece, o Gladson foi campeão da Corrida Pan-Americana 2007, onde paticiparam atletas de peso.
Dá uma conferida no site.... vale a pena...


http://www.gladsonalberto.com/

FOI A DICA


A IMPORTÂNCIA DOS EXERCÍCIOS EDUCATIVOS
Ainda que correr seja um esporte aparentemente bastante simples, que não requer experiência nem muitos equipamentos, os trabalhos técnicos são imprescindíveis para quem deseja apresentar um bom rendimento na modalidade. Os chamados exercícios educativos são os responsáveis por aperfeiçoar os gestos aplicados à corrida e, dessa maneira, auxiliam muito o desempenho daqueles que se dedicam à atividade.

Esses exercícios foram elaborados para atuar em cada fase da passada. Os educativos de corrida, quando bem trabalhados, fazem com que o corredor melhore a postura, o equilíbrio, a coordenação e, conseqüentemente, possibilitam que o esportista sofra menos durante o esforço.

Como esses movimentos que aprimoram a técnica são feitos em apenas alguns minutos, tomam somente uma pequena parcela da sua sessão de treinamento e podem ser incluídos no aquecimento. O treino consiste basicamente em harmonizar os movimentos do corpo que serão realizados ao longo da corrida para evitar frenagens desnecessárias e perdas inúteis de energia e eficiência mecânica.

Nos exercícios educativos, devem estar embutidas correções de desvios posturais como correr sem elevar de modo suficiente os joelhos ou manter o tronco inclinado.Uma boa técnica é fundamental para qualquer tipo de corredor, desde velocistas a atletas de longa distância. E com uma corrida mais eficiente, é possível reduzir a incidência de lesões e melhorar os resultados em provas.
Quer um exemplo factual disso? Um maratonista que tem um tempo de competição de 3h30, correndo em uma freqüência de 180 passadas por minuto, terá dado 37 800 passadas ao final do percurso.

Se esse esportista conseguir – com os exercícios educativos – elevar sua amplitude de passada em 2 cm, ganhará 500 m ao término da maratona, o que significará um pouco mais de 2 min que serão subtraídos da sua marca anterior.Só há o que ganhar com os treinos de técnica e, para realizá-los, é necessário despender pouquíssimo tempo. Não existe desculpa para deixá-los de lado!

Nada de treinos extremamente complexos. Não é necessário ser complicado para ser eficiente. Planeje sua corrida de forma que cada trecho que se segue seja ligeiramente mais intenso que o anterior e veja os resultados nas competições!
Comece devagar. Aumente gradualmente a intensidade das passadas. Por fim, termine de acelerar até o seu ritmo máximo.



Essa é a síntese do treinamento progressivo. Seqüência simples de exercícios e com excelentes resultados para quem deseja aprimorar seu tempo em competições. “A maioria das melhores marcas é conquistada com a segunda parte da prova realizada de forma mais veloz que a primeira metade”, pondera o técnico de corrida Emerson Bisan. “É possível também dividir o trajeto em partes e percorrer cada parcial mantendo um ritmo. Tenho visto ótimos resultados com meus alunos com a estratégia de corrida progressiva nos treinos e nas provas”, completa.

O treino progressivo é uma estratégia de execução de treinamento, indicado para todos os estágios de condicionamento físico e para programas que tenham como objetivo competições acima de 10 km. É válido para qualquer tipo de treino, seja rodagens longas ou séries. Também é muito aconselhado para corridas logo pela manhã, pois o corpo dificilmente consegue alcançar um ritmo forte instantes após despertar, e para ajudar a soltar os músculos, o que torna a parte intensa da atividade mais eficiente.

Dicas do treinador

1. Tenha consciência da velocidade que você consegue manter. Para isso, faça testes de VO2 máximo para saber o limiar da sua velocidade máxima.
2. Controle o tempo constantemente. Habitue-se a usar um relógio e acostume-se a olhá-lo sempre.
3. Monte uma planilha. Anote suas marcas a cada quilômetro.
4. Analise seu desempenho e, de acordo com ele, estabeleça o ritmo que você precisa sustentar em cada trecho da corrida.
5. Procure desenvolver uma boa sensibilidade para conhecer o próprio corpo e, assim, saber reconhecer as intensidades do exercício.

Pratique!
O treino progressivo, também chamado de split negativo, é uma das variações de treinamentos dentro de uma programação. A programação semanal de um corredor consiste basicamente em três sessões essenciais mais treinos complementares.