quinta-feira, 31 de janeiro de 2008


ATLETISMO MUNDIAL.....

CAMPEÃO OLÍMPICO DEIXA TÉCNICO E ENTRA EM DISPUTA JUDICIAL....

O norte-americano Jeremy Wariner tem um compromisso importante este ano. Atual campeão olímpico, ele pretende defender o título em agosto nos Jogos Olímpicos de Pequim, mas nem por isso deixa de fazer escolhas ousadas durante sua preparação. Ele encerrou a parceria com o técnico Clyde Hart e agora vai enfrentar uma batalha judicial com seu ex-mentor.
Os dois vinham trabalhando juntos há cinco anos e, segundo Hart, o pupilo queria pagar menos do que pagou pelos contratos anteriores. No ano anterior, o treinador recebia uma porcentagem dos ganhos do atleta, mas na renegociação Wariner pretendia diminuir este valor.
'Quanto melhor ele se saía, melhor o treinador era compensado', afirma Hart. 'Se ele não fosse bem, eu sofreria também'.
Além do título olímpico, o meio-fundista também foi campeão mundial em 2005 e 2007 e obteve a melhor marca de sua carreira sob a supervisão de Hart. Ele também é agente do recordista mundial Michael Johnson, outro que treina com o mesmo técnico.
'É uma situação estranha', admite o treinador, sem especificar se os problemas com Wariner influenciarão sua situação com Johnson. O nome do novo treinador do campeão olímpico ainda não foi anunciado.

quarta-feira, 30 de janeiro de 2008


LONGÕES....


2008 tá aí, carnaval está chegando e fevereiro recomeça tudo de novo. É hora de traçar novos objetivos e pensar nas provas que vamos participar neste ano. Há quem diga que este ano correrá uma maratona, há outros que ainda achma cedo demais pra pensar nessa possibilidade. No meu caso, me enquadro na 2a opção...Talvez lá pra 2009 ou 2010, quem sabe. O imporante mesmo é termos em mente que os maratonistas sabem que é preciso fazer treinos longos. Mas qual a distância máxima que se deve treinar ? De quantos em quantos dias ? Qual o ritmo ? ã, ã, ã??? São tantas perguntas que eu passaria os 42km perguntando e perguntando...rs...

Mas vamos lá, dei uma pesquisada entre o pessoal e eis aí, as perguntas mais frequentes:

Qual a principal finalidade dos treinos longos ?
As corridas longas lhe dão a oportunidade de treinar as habilidades necessárias para participar das maratonas (42 km), como por exemplo, beber líquidos durante a corrida. As corridas longas desenvolvem a confiança do corredor, e também desenvolvem a paciência necessária para completar provas longas.
De um ponto de vista mais científico, também podemos dizer que as corridas longas aumentam o número de mitocôndrias e capilaridades nos músculos ativos, melhorando a capacidade destes músculos em utilizar oxigênio. Mas a razão mais importante dos treinos longos para quem pretende participar de maratonas, é a capacidade dos músculos retardarem o aparecimento da fadiga.

Qual a melhor distância para maratonistas ?
Não existe uma distância exata, mas a maioria dos treinadores entrevistados concordam que a corrida longa não deve passar dos 32 km, pois a partir daí trariam um desgaste excessivo.
A distância mais utilizada por eles, fica em torno dos 30 km.
A partir dos 25 km, já se pode dizer que você está dentro da faixa onde aparecem os reais benefícios.
Mas existe um outro ponto a ser levado em consideração: o tempo gasto neste tipo de treino. O tempo necessário para percorrer estas distâncias vai depender do condicionamento de cada corredor. Devemos tomar o cuidado de: não deixar o treino longo ir além dos 32 km, e também não deixar que ultrapasse 3 horas de duração. O corredor mais lento deve se preocupar mais com este limite de tempo de duração.

Qual a velocidade a ser utilizada nos treinos longos para maratona ?
Durante os treinos longos, devemos correr cada quilômetro num ritmo cerca de 20 a 60 segundos mais lento do que o ritmo que usamos nas competições de maratona.

Quantas corridas longas devemos fazer antes da competição ?
Se você vai correr uma maratona (42 km) pela primeira vez, basta incluir uma ou duas corridas longas no seu programa de treinamento. Esta pequena quantidade servirá para lhe dar confiança para enfrentar os 42 km da maratona (aqui o objetivo é apenas completar a maratona). Mas se você resolver fazer muitas corridas longas, corre o risco de obter alguma lesão.
Os maratonistas experientes, e os atletas de elite, não precisam fazer um treino longo toda semana, mas precisam fazer de três a seis corridas longas durante a sua preparação para competir numa maratona. Devem procurar dar um intevalo de 14 dias entre uma corrida longa e outra. Para os mais experientes, não basta completar a prova. O objetivo é fazer a melhor marca possível.

Podemos parar para caminhar durante o treino longo ?
Você pode andar por alguns segundos, e aproveitar para beber líquidos.
Quanto tempo devemos descansar após um treino longo ?
Os maratonistas mais experientes conseguem se recuperar em dois ou três dias, mas o corredor novato pode precisar bem mais do que isto.
No dia seguinte ao treino longo, o maratonista deve ficar sem correr ou fazer apenas uma corrida leve para relaxar. No outro dia, deve fazer uma corrida leve. No terceiro dia, se já estiver se sentindo bem recuperado, pode fazer um treino forte, desde que este treino não seja outro treino longo.

Existe algum truque para recuperação rápida ?
Infelizmente, não. Mas é muito importante que você dê bastante atenção à hidratação, antes, durante e após os treinos longos.
Também é importante que você cuide da alimentação, repondo suas energias ingerindo bastante carboidrato.

As corridas longas são importante para corredores de distâncias menores (5km, 10km, etc.) ?

Sim ! Até os corredores de 5 km podem obter benefícios de treinos longos, mas devem limitar a duração dos treinos longos a não mais do que uma ou duas horas, porque se fizerem treinos muito longos como os maratonistas, estarão desperdiçando energia que vão precisar depois para os treinos mais específicos (treinos de velocidade para provas de 5 e 10 km).


Estão vendo???? Antes de sair correndo por aí, achando que é um maratonista, pesquise....

Depois de ter lido a respeito, talvez lá pra 2020...rs...eu comece a pensar numa maratona.... (brincadeirinha)....

segunda-feira, 28 de janeiro de 2008




AH, ESSAS BOLHAS...

Eu já falei aqui sobre lesões, dores nos joelhos, fadiga muscular, unhas negras e agora vou falar de oturo probleminha que vira e mexe atormenta nós corredores. Ás vezes fico pensando que se algum iniciante acompanha meu blog, vai achar que correr não é lá um grande negócio, já que são inúmeros os problemas advindos da prática do pedestrianismo. Mas isso é normal. Assim como os lutadores de jiu-jitsu ficam com as orelhas deformadas, os tenistas sofrem com problemas nos quadris e joelhos, nadadores com lesões nos ombros, a corrida também traz consigo seus probleminhas, que na minha opinião são pequenos demais perto do prazer que nos proporciona.
Ok, a bola da vez agora são as BOLHAS!!!!!
Quem é que não sofre com bolhas nos pés que atire o primeiro tênis! Fala sério, atleta que é atleta sempre sofre com essa coisa...e o pior, só se dá conta que ela tá ali, no meio de uma prova, o que acaba muitas vezes prejudicando o resultado final.
A bolha aparece quando há atrito entre pés, meias, tênis e o solo. No meu caso, é só eu usar uma meinha mais grossa, que pronto, lá está aquela coisinha linda na ponta do meu dedão.
A bolha, é mais comum em regiões em que o osso está saliente, como nos calcanhares e no dedinho. Ela se forma quando uma camada de pele se descola (por causa da fricção) e enche de líquido, geralmente incolor. Caso algum vaso sangüíneo rompa no descolamento da pele, a bolha enche de sangue....ui, ui....e dóiiiiiiiiiiiiiiii....

Olha a DICA:

Quando aparecerem bolhas nos pés, o ideal é furá-las, para evitar que aumentem de tamanho.
Use uma agulha esterilizada com álcool, para evitar inflamações.
Não esquente a agulha no fogo, pois isto pode liberar partículas de carbono, que podem causar inflamação.
Não remova a pele. Use esparadrapo ou gaze para proteger a região da bolha e evitar bactérias.
Quando for correr, mantenha o esparadrapo firme, para evitar que a região da bolha se movimente e ela se solte, mas se puder, fique alguns dias sem treinar para não piorar o problema.
Depois de alguns dias a "pele" da bolha terá secado e sairá naturalmente.

domingo, 27 de janeiro de 2008

OS BRUTOS TAMBÉM CORREM...




Este domingo aconteceu mais um corta-mato em Perton, uma prova anual no condado de Staffordshire, em Inglaterra. E definitivamente está não é uma prova para mauricinhos e patricinhas. Vamos combinar, não é uma prova para qualquer um não.. tem que ser muito macho, pois na minha minha opinião, esta não é uma corrida normal. Esta prova é só para duros, sejam homens ou mulheres.




O percurso é cheio de obstáculos e, entre áreas alagadas ou a arder, ganhar fica para segundo plano, pois, se participar já tem algo de heróico, chegar ao fim é uma grande vitória.


Pelas fotos, dá pra perceber...talvez mesmo quem serviu o exército ou já assitiu Rambo por várias vezes deva admitir...não é fácil meeeeeeeeeeeeeesmo...mas há quem tenha enorme paixão por esse tipo de coisa, digo..rs...corrida, se é que me entendem...

Eu mesma não encararia, aliás, acho que nem passaria pela cabeça participar de algo tão "bizarro"....Pra falar a verdade acho que até foge um pouco do meu conceito de pedestrianismo, onde eu faço meu aquecimento, dou minha alongada, parto em busca da chegada e termino com a sensação de dever cumprido pensando na próxima prova...

De toda forma...fica aí a dica pra quem quiser algo assim.. digamos.. diferente...rs....

RAPIDINHAS...

* Osaka (Japão) - A britânica Mara Yamauchi conquistou o primeiro título em maratonas de sua carreira na madrugada deste domingo, vencendo a Maratona de Osaka. Yamauchi registrou o tempo de 2h25min10, sua melhor marca pessoal. A segunda colocação ficou com a local Tomo Morimoto (2h25min34), seguida pela queniana Julia Mombi com 2h26 e por outra local, Miki Ohira com 2h26min09.

* Glasgow (Escócia) - Campeão mundial nos 1.500m, o norte-americano Bernard Lagat abriu a temporada olímpica de 2008 com vitória. Neste sábado, ele obteve o bicampeonato da prova no Meeting de Norwich Union em pista coberta, completando a distância com o tempo de 3min45s89.
Quando venceu na Escócia no ano passado, Lagat, queniano de nascimento, competia pela primeira vez com a cidadania dos Estados Unidos. Hoje, ele garantiu o bicampeonato, assumindo a ponta nos últimos 200 metros da disputa.

* Nairóbi (Quênia) - A violência generalizada levou ao fechamento de vários centros de treinamento, inclusive o de Rift Valley, onde treina parte da elite de corredores quenianos. 'Ficamos limitados aos treinamentos dentro de bases militares desde os incidentes nos quais atletas foram ameaçados enquanto outros sobreviveram a ataque de grupos hostis a caminho do treino', disse à Reuters o ex-campeão mundial dos 5.000m, Benjamin Limo.
Há uma semana, um grupo de atletas foi ameaçado e obrigado a deixar um ônibus a caminho de Ngong. Ninguém ficou ferido. 'Desde então, nós não treinamos fora das bases militares o que tem limitado nosso treinamento', diz o campeão olímpico dos 1.500m em Sydney-2000, Noah Ngeny. 'Atletas precisam de subidas para testar sua resistência e se não podem sair dos campos isso nos prejudica', lamenta.

sábado, 26 de janeiro de 2008

SAÚDE...


UNHA NEGRA... TERROR DOS CORREDORES



Vamos combinar, atleta com pézinho bonito só mesmo passando pelo fotoshop...rs... Até Daniela Ciccarelli, modelo e maratonista, sempre dá um jeitinho de esconder as unhas dos pés, ou pelo menos, o que sobram delas. Quem nunca viu suas unhas caírem após uma competição? Eu por exemplo, sempre costumo dizer que se meu marido tivesse fissura por pés, com certeza eu seria carta fora do baralho...rs...
Lembro bem da primeira vez que vi meus pés em estado de calamidade... Meia Maratona da Praia Grande, não sei se a 1a ou a 2a. Empolgada, troquei de tênis 1 semana antes da prova... (que mancada). E fui além, como uso número 34, comprei um tênis 34. Lá fui eu, orgulhosa do meu par de tênis Nike pink...rs.. Os primeiros quilômetros foram formidáveis. Nem sei se pela sensação de usar um teênis novo, ou pelo simples fato de estar preparada para encarar a prova. Todavia, começou a chover assim que entramos na orla da praia, altura do km 10. Meus pés começaram a inchar.. sentia os dedos totalmente esmagados. Resisti, com dor, mas ainda assim, resisti. Fiz um tempo razoável até, o que talvez fosse responsável por me fazre esquecer até o dia seguinte as dores que eu estava sentindo em todos os meus dez dedinhos dos pés, que até aquela data, nem eram tão feios assim..rs. Mas, no dia seguinte.. minha gente.. o que era aquilo??? Todas as minhas unhas, sim, eu disse todas, estavam pretas, e eu não conseguia sequer enconstar em nenhuma delas. Nos dias que se sucederam, a coisa piorou... além de pretas, elas ficaram penduradas e eu num esforço descomunal fui arrancando uma a uma.. estavam em carne viva... A partir daí nunc amais fui a mesma, quer dizer, meus dedinhos nunca mais foram tão mais ou menos belos como costumavam ser...
Por este motivo, resolvi falar um pouco sobre isso que tem um nomezinho bem feio até...Unha negra.
A Unha negra, refere-se a um coágulo de sangue debaixo da unha, é uma situação comum em corredores, especialmente depois de uma corrida mais longa, causada essencialmente pela colisão constante entre o dedo do pé, contra a caixa dos sapatos, é claro que também pode ser causada por um traumatismo, como por exemplo depois de tropeçar ou deixar cair algum objecto pesado sobre a unha, de notar que tal como os calos e as bolhas as unhas negras são praticamente inexistentes nas populações do terceiro mundo que não utilizam calçado, sendo por isso uma lesão atribuível ao calçado e à sua acomodação. Estatisticamente esta é a segunda causa de lesões mais frequente nos corredores de fundo, afectando maioritariamente os dois primeiros dedos. Trata-se de uma hemorragia de sangue entre a unha e a derme, levando muitas vezes à perda total da unha, podendo converter-se numa situação verdadeiramente dolorosa e incapacitante.




A unha negra é bastante comum em indivíduos cujo pé apresente o formato morfológico designado por “Pé Grego”, por vezes também designado por “Dedo de Morton”.O pé grego é o pé que apresenta o segundo dedo maior que o primeiro e o terceiro, ao comprar calçado este factor deve ser tomado em conta, devendo o segundo dedo servir para verificar o tamanho correcto em lugar do primeiro, evitando que o calçado fique demasiado pequeno impedindo a expansão natural do pé, batendo desta forma contra o sapato, causando o hematoma (unha negra).




Pé Grego, o segundo dedo é maior que o primeiro e o terceiro. Ok, mas como evitar as unhas negras?O factor mais importante a ter em conta para evitar as unhas negras é a expansão dos pés durante o exercício físico, dependendo do tipo de pés, o pé de um atleta em carga é completamente diferente do pé em repouso. O formato e as dimensões são alterados, o pé expande e alarga durante o exercício (não só em comprimento), por isso a dificuldade de acomodar um par de sapatos de UM tamanho num par de pés com DOIS tamanhos (um em repouso e outro em exercício). Para permitir essa expansão natural do pé evitando que a unha seja pressionada contra a caixa dos dedos, deve ser deixada uma folga igual à largura da unha do nosso dedo polegar entre o final do dedo mais longo e a caixa dos dedos dos sapatos, esta folga deve ser medida com todo o peso do corpo em cima do pé, parece realmente simples, mas mesmo corredores com alguma experiência não verificam esta folga correctamente, tomando as unhas negras como algo inevitável.




Este espaço extra, vai servir para a expansão natural do pé em exercício, ajudando o seu trabalho de distribuição de forças e evitando as unhas negras, entre outras lesões. O melhor deste “truque” de acomodação é que a folga não é igual para todos, por exemplo para uma criança a folga é igual a largura da unha do seu polegar, e como a criança vai crescendo, também a folga a deixar…




Evitem as unhas negras, utilizem o calçado com folga suficiente para que o pé possa funcionar como foi projectado pela mãe natureza: descalço.
Eu mesma até resolvi o problema. Quando fui na Berkanas, uma loja de tênis, e expliquei o que tinha ocorrido, o vendedor foi prático e certeiro em sua resposta: "Use sempre um tênis maior do que o seu número quando for correr". A partir de então, minha vida mudou..rs. Ao invés de eu comprar um 34, como a esperta aqui fez, compro sempre um 35. Os dedinhos ficam com folga e dificilmente as unhas caem. Mas confesso, meus pés contiunam para todo sempre não sendo a 8a maravilha do mundo!!!! Faz parte!!!!

MARÍLSON GOMES COMEÇA TEMPORADA DE 2008 COM PÉ DIREITO...


O brasiliense Marílson Gomes dos Santos abriu a temporada 2008 com vitória. Na manhã desta sexta-feira (25), o recordista sul-americano de

meia-maratona venceu o Troféu Cidade de São Paulo, prova que integra o calendário de comemorações pelo aniversário da cidade. No feminino, a vitória ficou com a baiana Edielza Santos.
Marílson completou os 10km de percurso com o tempo de 29min12. Em segundo lugar ficou Francisco Barbosa dos Santos (29min54), seguido por Paulo Roberto de Almeida Paula (30min07). “Foi uma boa prova. Fiz um bom tempo e fiquei feliz com o resultado. Agora é aprimorar ainda mais”, diz o corredor, que elogiou o comportamento da torcida. “Acho que a cidade de São Paulo é onde eu tenho mais torcedores. Durante o percurso, eu cruzava com os retardatários e o pessoal gritou muito. Fiquei impressionado”.
Apesar da segunda colocação, Francisco Barbosa, o Chiquinho, mostrou satisfação por correr junto ao ídolo Marílson. “Foi uma emoção a mais na prova. No km 4 eu cheguei a ficar bem perto dele e pensei ‘será que é hoje?’”.
No feminino, Edielza fechou a prova em 34min27, seguida por Maria Sandra Pereira (36min03) e Michele Cristina das Chagas (36min20). “Fui bem na prova. O percurso tinha bastante variação, mas a temperatura e o clima ajudaram”, comemorou a campeã.
O Troféu Cidade de São Paulo é organizado pelo ex-corredor José João da Silva, bicampeão da Corrida Internacional de São Silvestre. O prefeito Gilberto Kassab e o secretário dos Esportes, Lazer e Recreação, Walter Feldman, acompanharam o evento. 'A cidade de São Paulo faz 454 anos e iniciamos a festa de aniversário com essa atividade, a atividade de esporte. Uma cidade de 11 milhões de habitantes precisa ter atividades culturais, de lazer e esportivas é o que acontece hoje no Parque do Ibirapuera nesta festa maravilhosa”, elogiou Kassab.
Esta é a primeira prova de Marílson após sua participação na Maratona de Nova York, em novembro de 2007. Campeão da prova em 2006, ele ficou em oitavo.

FRANÇA FAZ CAMPANHA ANTIDOPING...


Vira e mexe a gente lê alguma notícia de doping. Seja aqui no Brasil ou lá fora, o fato é que isso já virou moda e alguma svezes tenho a sensação de que nenhum atleta bom mesmo seja capaz de resultados sem tomar alguma dessas drogas horrorosas. Após uma sucessão de casos de doping envolvendo atletas de ponta no país, a Federação Francesa de Atletismo decidiu fazer uma campanha de orientação e alerta sobre o problema para evitar surpresas antes dos Jogos Olímpicos de Pequim, em agosto. 'Não queremos que os jovens pensem que para conquistar uma medalha você precisa usar drogas', diz o presidente da Federação, Bernard Amsalem.
O programa tem como foco atletas profissionais, jovens e o público em geral e será desenvolvido através de mensagens em anúncios. Estão previstas também a realização de sete a oito conferências com a participação de especialistas e atletas que já fizeram uso de substâncias proibidas e se reabilitaram.
Segundo o dirigente francês, em 2008 a modalidade deve aumentar o número de testes antidopings feitos em relação ao ano passado, quando foram realizados cerca de 1.200 exames. Somente durante o mês de janeiro já foram feitos mais de 100 testes em atletas.
Em 2007, a barreirista Naman Keita pegou dois anos de suspensão por causa de um resultado positivo em teste realizado antes do Campeonato Mundial, em Osaka, no Japão. Especialista nos 800m, Florent Lacasse também foi suspenso por dois anos por uso de testosterona.
Há dois anos, a juíza Anne-Marie Bellot encabeça uma investigação por suspeita de tráfico de produtos dopantes no meio do atletismo francês.

É, minha gente.. a coisa tá feia mesmo...e feia com "F" maiúsculo. Acho sim muito válido por que não dizer "essencial" uma campanha que se arraste no meio do esporte e fora dele tb. Mas não campanhas bonitinhas dizendo o quanto é feio e ruim misturar drogas com esporte, até porque até quem é pego no antidooing já sabe disso. Deve ser uma campanha séria, mostrando punições e aplicando punições. É inconcebível que o esporte, em especial o atletismo seja sempre noticia com um caso de anabolizantes e outras coisas do gênero.

Esporte é vida, é saúde, é consiência de um bem estar e qualidade de vida.

sexta-feira, 25 de janeiro de 2008


MARATONANDO... BOA DICA...


Um sujeito apaixonado é capaz das coisas mais improváveis. A paixão do jornalista Rodolfo Lucena pelas maratonas, por exemplo, fez com que ele abandonasse uma vida sedentária e passasse a dedicar grande parte do seu tempo a treinos, alongamentos e sessões de musculação. Fez ainda com que ele viajasse pelo mundo todo, indo da ensolarada Califórnia à Muralha da China, passando pela Finlândia e pela Rússia. Maratonando: Desafios e Descobertas nos Cincos Continentes é um relato dessa paixão e dessas viagens. Um relato cheio de emoção e também de informação. O livro é fruto da coragem de Lucena, pronto para superar seus limites e testar sua resistência. Após passar anos lendo sobre as experiências de corredores de maratona, ele decidiu se aventurar e agora compartilha essa vivência. O livro nasceu como uma série de reportagens isoladas e reúne textos que Rodolfo escreveu para revistas especializadas, além de outros inéditos. "Como eu fazia maratonas em lugares diferentes, disputando provas que apresentavam desafios inusitados em relação às corridas mais conhecidas, passei a relatar as experiências em publicações especializadas. Depois de um tempo, vi que tinha massa crítica para oferecer ´algo mais´", explica Lucena. Ao mesmo tempo que narra as maratonas, Lucena pinta painéis dos países pelos quais passou. "Minha intenção, desde a primeira reportagem, foi mostrar que correr uma maratona envolve experiências muito diversas, aprendizados diferentes, em vários níveis: o físico, o autoconhecimento e suas relações com as pessoas e o mundo externo", argumenta o autor. Lucena acredita que o mais complexo em Maratonando: Desafios e Descobertas nos Cincos Continentes Maratonando: Desafios e Descobertas nos Cincos Continentes foi tentar produzir um texto que chamasse a atenção e seduzisse não apenas o corredor, mas também esportistas em geral e o público "leigo": "que pode não correr ou praticar esportes, mas se interessa por enfrentar desafios e procura, na vida cotidiana, romper as barreiras que a própria vida tenta nos impor", finaliza.


O preço médio do livro é de R$ 32,00.


FOI A DICA.

quinta-feira, 24 de janeiro de 2008


MARATONISTA QUENIANO MORRE AO SER ATINGIDO POR FLECHADA...

Foi com uma flechada envenenada certeira no peito que morreu nesta segunda feira, dia 23, no distrito de Transmara, oeste, o maratonista queniano Wesley Ngetich, mais uma uma vítima dos conflitos no Quênia.
O queniano, foi vencedor da maratona de Duluth, Minnesota (Estados Unidos), em 2005 e 2007, mas a onda de violência que afeta parte do país desde as polêmicas eleições presidenciais de 27 de dezembro haviam obrigado Ngetich, assim como outros 13 atletas, a desistir da competição em 2008.
Ngetich, cujo melhor tempo era de 2 horas, 12 minutos e 10 segundos, obtido na maratona de Houston (Texas) em 2006, era casado e pai de três filhos.
Pelo menos 780 pessoas morreram nos enfrentamentos de caráter étnico, especialmente entre simpatizantes da oposição e do presidente Mwai Kibaki, mas também entre a polícia e os manifestantes favoráveis à oposição.

Deixo aqui meus pêsames...

quarta-feira, 23 de janeiro de 2008



INICIANTES: PREPAREM-SE PARA CORRER 10KM COMO NUNCA...


Vcs já perceberam que o nosso calendário de corridas anual cresce, cresce, em velocidade maior do que os quenianos..rs..Ok, mas tb devem ter percebido que a maioria das provas são de 10km. Eu mesma me iniciei numa prova de 10km, os 10km "A TRIBUNA", a mais tardicional da baixada santista. Depois disso, experimentei uma meia maratona e uma de 25km. Mas sempre tive a sensação, depois que termino as provas de que poderia ter ido melhor...acho que não sou uma estranha no mundo por pensar assim. Pois bem. A distância mais popular do Brasil exige união de resistência e velocidade. Descubra como ser mais veloz ou terminar inteiro em suas próximas competições. A distância de 10km, é tanto o foco principal de atletas que buscam melhorar marcas pessoais ou pódios em disputas, como trampolim para desafios maiores, substituindo longões de final de semana. Porém, as competições na distância são tão corriqueiras na vida da maioria dos corredores que muitas vezes os atletas não rendem tanto quanto poderiam. E rendimento é assunto sério. Com uma estratégia de treinamento própria, comparação sistematizada de dados e escolhas certas antes e durante as provas, seus melhores 10km ainda estão por vir, aliás, acho que o meu tb está por vir, já que tenho certeza que twenho muito a melhorar.. só me falta uma palavrinha chamada... "disciplina"...rs... O primeiro passo é saber como o esforço na distância atua no corpo. Se comparadas à meia maratona e maratona, pode-se chamá-las de 'curtas'. Um exagero para quem está dando os primeiros passos no esporte, mas o fato é que em 10km seu corpo precisa, mais do que resistência, de velocidade. Ou melhor, permanecer o maior tempo possível no máximo de velocidade que consegue imprimir. Se olharmos do ponto de vista fisiológico, significa que o organismo do corredor, mesmo trabalhando prioritariamente no metabolismo aeróbio, passa a maior parte do tempo na zona mista, em que também se faz presente o metabolismo anaeróbio. São estes os dois metabolismos energéticos nos quais o corpo trabalha. O aeróbio é aquele em que a quebra da glicose resulta em energia. No anaeróbio o mesmo processo ocorre na ausência de oxigênio e forma ácido láctico. O resultado é que o primeiro fornece mais energia que o segundo, que causa desconforto justamente devido ao aumento nos níveis de lactato. Ambos atuam em conjunto durante a atividade física. A predominância de um sobre o outro depende da duração e da intensidade, ou seja, em exercícios de baixa intensidade e longa duração 'manda' o metabolismo aeróbio, enquanto que em atividades de alta intensidade e curta duração atua o anaeróbio. Justamente para fazer com que o corpo lide da melhor forma possível com tal esforço, os programas de treino, costumeiramente, contam com intervalados ou fartleks, que condicionam o organismo a trabalhar no anabolismo. O segundo passo é se encontrar no meio disso tudo. De acordo com o técnico Nelson Evêncio, da Nelson Evêncio Assessoria Esportiva, pode-se considerar um iniciante em 10km aquele corredor que tem pouco tempo de treino, já participou de provas em distâncias menores, mas que poucas vezes, ou nunca, percorreu distância igual ou maior que 10km, tanto em treinos como em provas. "É aquele que quando faz uma prova dessas tem o desafio de simplesmente completar, de preferência sem muito sofrimento, que normalmente treina três ou no máximo quatro vezes por semana", completa. Para o intermediário nos 10km, a distância já não é novidade. "Ele almeja ou pratica provas em distâncias maiores. Normalmente treina há mais de um ano e costuma se cobrar um pouco mais em relação à melhora do tempo", classifica Evêncio. O intermediário corre entre quatro e cinco vezes por semana, com pelo menos um treino forte no período. O avançado também faz provas e treinos em distâncias maiores, mas, pelo menos quando o assunto é 10km, busca chegar bem colocado na categoria ou até no pódio. "É aquele que vê na prática da corrida algo mais competitivo. Normalmente é um pouco mais privilegiado geneticamente, mas não se considera um atleta de elite", acredita o treinador. Corre de cinco a seis vezes por semana, com um ou dois treinos fortes. Evêncio alerta que é difícil estabelecer limites de tempo para determinar o nível dos corredores, pois este depende de outras variáveis, como faixa etária, por exemplo. No entanto, o atleta que corre 10km em menos de 40 minutos pode ser considerado avançado. Estratégias de treinamento Engana-se quem pensa que otimizar a performance em corrida significa apenas baixar o tempo. Afinal, em provas diferentes ou condições climáticas diversas pode ser difícil correr mais rápido. No entanto, sentir-se bem, mais 'inteiro' ao final de uma competição, não pode deixar de ser considerada uma vitória. Essa melhora pode ser percebida ao longo das provas, no entanto, variantes como tipo de percurso, clima e período de treinamento podem mascarar dados. Para evitar que isso ocorra, o treinador Luiz Fernando Bernardi, diretor técnico da Find Yourself, recomenda que o corredor faça testes durante as sessões de treino. Partindo do pressuposto de que para baixar a marca nos 10km é preciso correr de forma mais rápida os 5km, Bernardi trabalha tendo em vista que o praticante consiga diminuir a diferença entre o tempo que faz para percorrer 1.000m e a marca dos 10km, para, assim, conseguir eqüacionar da melhor maneira velocidade x resistência. "Simulo situações de ritmo de prova com distâncias menores para ajudar o organismo a se adaptar. Com o passar do tempo, essas distâncias são ampliadas nesse ritmo ou mesmo a intensidade da velocidade fica mais forte para distâncias mais curtas", explica. Tais avaliações devem ser repetidas a cada quatro a oito semanas. "Como a prova de 10km exige resistência de velocidade, a ênfase no treinamento deve ser conseguir trabalhar numa tolerância de velocidade que se aproxime da média dos 5.000m. Quando conseguir ter essa média otimizada, escolhendo a prova correta, os objetivos nos 10km ficam muito mais fáceis de ser alcançados", completa. Outras estratégias de ganho em performance indicadas pelo treinador incluem rodagens, intervalados progressivos e trabalhos com ritmos oscilantes, ou seja, o planejamento de momentos em que haverá quebras de ritmo, como em subidas, por exemplo. Nelson Evêncio alerta que a quantidade de treinos de velocidade deve respeitar o nível de cada corredor. "Isso é individual e também depende do período em que se encontram, mas, em geral, os iniciantes fazem um por semana, os intermediários um ou dois e os avançados até três, com intervalos de, no mínimo, dois dias." Mas não é só com velocidade que se melhora a marca nos 10km. Dependendo do rendimento do atleta, ao invés de correr mais rápido, é necessário um trabalho de resistência, o que é determinado pela análise da resposta em testes na fase de preparação. "É na fase específica do macrociclo que fazemos isso, ajustando pequenos detalhes que refletirão na performance final", explica Bernardi. Para manter a resistência, recomenda não deixar cair muito o volume semanal de quilômetros rodados e manter, pelo menos a cada 15 dias, um treino longo. Outra saída é utilizar parte dos longões para simular situações vividas em provas de 10km, como quebras de ritmo. "Associa-se a resistência geral (estimulando fibras de contração lenta) nos quilômetros rodados confortavelmente à resistência de velocidade (nos quilômetros de maior intensidade)." Seja qual for a necessidade, é importante controlar os dados que o corredor fornece a cada treino para avaliar a evolução. Evêncio recomenda que sejam anotadas variáveis como temperatura, freqüência cardíaca média, máxima e de recuperação, ritmo por quilômetro e horário do treino. Como a evolução nem sempre pode ser medida em números, o técnico também destaca a sensação subjetiva de dificuldade do atleta em completar o programado. É sempre bom lembrar que os treinos estão aí para ajudar os corredores a forçar cada vez mais seus limites. Mas pode haver um ponto de estagnação. O treinador Mário Mello, do Mário's Team, vê a avaliação laboratorial como aliada para dimensionar até onde o atleta pode chegar. "A parte genética é fundamental na corrida. Daí a importância de determinar o VO2 máximo do aluno. Quanto mais alto, melhor", explica. Além da análise fisiológica, o técnico acredita que correções na mecânica de corrida podem fazer a diferença - desde que haja o que corrigir. "Quanto mais falhas, mais pode avançar. Com o treino, vão caindo os vícios e deficiências, como erros na hidratação, por exemplo. É natural que um iniciante melhore constantemente porque a condição geral dele também se aprimora", defende. Escolhas certas Uma vez bem treinado, o corredor se sente preparado para testar seu desempenho. Para tanto, opções não faltam, principalmente nas grandes cidades, onde competições de 10km pipocam a cada final de semana. Mas é necessário ser cauteloso para não confundir treinos com corridas para valer, adverte Mário Mello. "O problema é participar de muitas e não se preparar para nenhuma. O fato de ter mais provas deveria representar a oportunidade para escolher melhor e não para fazer todas", alerta. Para o treinador, o ideal é programar-se para conseguir baixar o tempo pessoal ou obter uma performance mais tranqüila do ponto de vista físico. Mello acredita que três meses de preparação para uma competição-alvo seja suficiente - e seguro. Não que, durante esse período, o corredor não disputará provas, mas seu ritmo será diferente, assim como sua mentalidade. "Quem vai para todas as corridas com a intenção de competir, não consegue melhorar. Tem que ir com o espírito de participar, encarar como treino", explica. O técnico recomenda duas provas por mês durante o período de preparação, desde que o nível do atleta seja de intermediário a avançado. Em relação aos iniciantes, o número cai para uma a cada 30 ou 45 dias. "Apesar de motivá-los muito, o exagero pode levar a lesões ou overtraining, pois sua resistência muscular é menor. Eles têm que treinar mais do que competir", alerta o treinador. Além do número de provas, saber escolher quando e onde correr pode fazer toda a diferença. Fatores como altimetria do percurso, temperatura, umidade e número de inscritos podem prejudicar o rendimento. Para os corredores de nível intermediário e avançado, é necessária atenção nas competições com número de inscritos elevado ou que não tenham divisão na largada de acordo com o ritmo. Para os iniciantes, os piores inimigos são altimetria desfavorável e temperatura elevada, destaca Evêncio. Entretanto, independentemente do nível, o treinador recomenda que o atleta escolha a prova de acordo com suas características. "Alguns não têm muita facilidade com subidas e descidas, outros encaram sem o menor problema", conta. A observação do clima na época em que acontece a prova também não pode ser deixada para trás. De acordo com o estudo "Equações Aplicáveis ao Cálculo do Desempenho de Corredores de 10.000 metros em Diferentes Condições Climáticas", de Sílvio Gusmão de Holanda e Sérgio Bastos Moreira, publicado na revista Motus Corporis, da Universidade Gama Filho, em maio de 1998, a condição considerada fácil para a corrida na distância é com temperatura entre 12°C e 20°C e umidade relativa do ar entre 50% e 75%. Com indicadores acima destes, torna-se difícil a prática do esporte, mas quando passam de 28°C e de 90% de umidade relativa, correr é classificado como muito difícil. Dia D Assim como um ator de teatro, que ensaia durante meses uma peça para decorar cada detalhe de sua interpretação, um corredor aprende a se conhecer durante os treinos. Mas, assim como na estréia do artista, o dia da prova traz a expectativa do atleta colocar em prática tudo o que foi 'ensaiado', além da ansiedade pela competição em si. Mesmo com tudo cuidadosamente preparado, alguns fatores poder fazem com que o 'espetáculo' não saia como planejado. De acordo com o treinador Mário Mello, a evolução de quem passa a fazer treinos de velocidade é certa, mas, para repetir o desempenho dos treinos nas provas é preciso muito autoconhecimento e uma pitada de sorte. "Se não conseguir se segurar, pode sair muito rápido e jogar a prova fora, da mesma forma que, se quem largar por perto for mais rápido ou devagar, pode prejudicá-lo a desenvolver seu próprio ritmo", afirma. Ritmo próprio. Essa é a chave para o sucesso. "Você só conhece seu ritmo se tiver treinado bem", define Mello. "Numa corrida existem outros fatores, como a motivação e o descanso, mas, geralmente, os testes que o atleta faz antes servem como um bom parâmetro", completa. O técnico recomenda que o corredor cumpra a distância de 10km em alguns treinos, como 'ensaio geral', o que também pode ser feito durante provas de preparação, mas sempre tendo em mente que, nesse caso, a competitividade deve ser deixada em casa. Para medir o ritmo, a dica é usar o mesmo mecanismo utilizado durante os treinamentos. Por exemplo, se estiver acostumado a controlar a velocidade no cronômetro, não mude de estratégia na hora H. O mesmo ocorre para quem preferir medir a freqüência cardíaca, mas com um adendo. "Geralmente os batimentos ficam um pouco mais rápidos durante a corrida devido à competitividade", avisa Mello, que diz preferir unir os dois parâmetros para o controle mais preciso. "Mas isso só funciona se o corredor estiver habituado." Outra dica do treinador é sempre fazer a primeira parte da prova num ritmo ligeiramente mais lento que a segunda, quando o percurso for uniforme. Por exemplo, se a meta é cruzar a linha de chegada em 40 minutos, os primeiros 5km seriam completados em 21 ou 22 minutos e o restante em 18 ou 19. "Quanto menos condicionado, mais importante é para o corredor segurar na primeira parte." Correr 10km deve ser, antes de tudo, uma atividade prazerosa. Seja apenas para completar o percurso ou derrubar marcas, a preparação correta permite aproveitar ao máximo o próprio potencial na distância mais popular da corrida de rua.

Como escolher a melhor prova? Focar uma competição-alvo com três meses de antecedência para preparação; • Antes da competição-alvo, o atleta pode correr algumas provas, mas sem pretensão de melhorar o tempo;• Ficar atento ao número de inscritos, especialmente intermediários e avançados;• Atenção ao clima; quanto mais quente e úmido, pior, principalmente para os iniciantes;• O percurso deve ser escolhido de acordo com as características de cada corredor. Quanto mais uniforme, melhor para controlar o ritmo.


Dados retirados da Revista Superação ed 43.

segunda-feira, 21 de janeiro de 2008

VELHINHA MARATONSITA DÁ PAU EM LADRÃO...
Como todos que acompanham meu blog, eu tb acompanho os dos amigos. Essa manhã, li o blog do Rodolfo Lucena, editor de informática da Folha de São Paulo, ultramaratonista e autor do livro "Maratonando. Lá, vi uma matéria muito engraçada, que vale a pena passar pra vcs. Segue abaixo:

Margo Foster, uma simpática e atlética senhora moradora da pacata localidade de Lighthouse Point, na Flórida, chegou em casa na sexta-feira de manhã, depois de seu treino de tênis, para encontrar a sala revirada e uma ladrão mexendo nas suas coisas, no quarto.
A velhinha (para os padrões da mocidade moderna) nem pensou duas vezes e se atirou no ladrão, que, surpreso com o ataque, saiu correndo levando uma mochila da própria Foster, carregada com propriedades da atleta amadora.
Maratonista, a vítima transformada em caçadora saiu atrás do ladrãozinho e o perseguiu por sete quarteirões.
Já cansado, o garoto tentou escalar uma cerca para escapar. Então Foster, 53, que também é faixa-preta em caratê, agarrou-o pela camisa, deu-lhe uns pára-te-quieto e recuperou a mochila roubada.
Na confusão, o moleque se mandou de novo, e a senhora ficou na dela: "Pode fugir que eu vou te pegar, eu corro há 40 anos". Seguiu atrás, só cozinhando o galo e, no caminho, pediu para um motorista que chamasse a polícia.
Resumo da ópera: o cara, de 24 anos, acabou preso, a polícia elogiou a coragem da corredora, mas reafirmou que não recomenda que ninguém reaja a ladrões, que podem estar armados, e a maratonista simplesmente disse: "Eu corri mais. Ele não tinha nenhuma resistência cardiorrespiratória".
Fala sério gente, vale ou não a pena praticar pedestrianismo??? rs....


CHUVA E LAMA NA CORRIDA DAS TORRES...

Aconteceu ontem (domingo) a 2a edição da Corrida das Torres, cabendo dizer pela enézima vez..rs...que na minha opinião, é uma das melhores provas.
Na largada o tempo estava meio nubladinho, mas durante o percurso pancadas de chuva e muita lama garantiram adrenalina e dificuldades para a prova.
Para quem quiser ver as fotos é só acessar o link abaixo. As fotos foram tiradas por um casal amigos meus que conheci em uma das corridas que participei e se tornaram amigões pessoais. Já contei a história deles aqui no blog, mas vale a pena contar de novo. Marinete e Roberval são casados. Val, como todos o conhecem começou a correr e após a filha mais velha do casal ter casado e se mudado para o exterior, Marinete viu na corrida a saída para não cair em depressão. E desde então, nunca mais pararam... Em todas as provas da baixada e algumas fora do Estado, lá estão eles.. grudadinhos e com a máquina fotográfica na mão. E detalhe: correm o percurso todo tirando fotos, o que nos leva a toda hora relembrar com precisão de exatamente todos os detalhes do percurso...Quem participa das provas em que val e Nete estão presentes, sempre encontra uma fotinho, e o melhor, sempre em momentos muito legais. Na foto acima, Nete, como é chamada, aparece na esquerda.

Quer ver detalhes da prova????




PRA QUEM NÃO SABE....
Para aqueles que não receberam o e-mail da runner brasil, No dia 27 deste mês, será realizada a 26ª Volta ao Cristo. A largada será às 9h, no estádio municipal Ronaldo Junqueira. O público poderá acompanhar a largada e a chegada nas arquibancadas do local.
O percurso possui 16 quilômetros e abrange ruas do centro da cidade, estradas para a Serra de São Domingos e as avenidas João Pinheiro e Mansur Frayha. Atletas famosos estão confirmados na corrida, entre eles, a corredora tricampeã Marizete Resende, e a equipe do Cruzeiro E.C. "É um evento de grande porte e queremos que continue atraindo além dos atletas, muitos turistas para a cidade", avalia o secretário de Esportes, Antônio Carlos Pereira.
A Secretaria Municipal de Esportes vai distribuir R$ 30 mil em prêmios, divididos entre os campeões de várias categorias. Cada corredor usará um chip de cronometragem.
O evento é realizado pela secretaria com o apoio do DMAE (Departamento Municipal de Água e Esgoto), DME (Departamento Municipal de Eletricidade), Demutran (Departamento Municipal de Trânsito), 103º Grupo de Escoteiros Pinheiros, Guarda Municipal, Sesc, Defesa Civil, Corpo de Bombeiros, Polícia Militar, Unimed, secretarias de Obras, Saúde e Serviços Urbanos.
As inscrições podem ser feitas no site www.runnerbrasil.com.br ou na Secretaria Municipal de Esportes (Travessa Santa Cruz,149, Complexo Santa Cruz, bairro dos Funcionários). Outras informações pelo telefone 3697-2338.
Premiação
Geral Masculino (inclui troféu)1° colocado: R$ 5.000 2° colocado: R$ 2.0003° colocado: R$ 1.0004° colocado: R$ 600 5° colocado: R$ 4006° ao 10° colocado: R$ 300
Geral Feminino (inclui troféu)
1° colocado: R$ 5.0002° colocado: R$ 2.0003° colocado: R$ 1.0004° colocado: R$ 6005° colocado: R$ 400
Categorias (inclui medalhão):
1° colocado: R$ 1502° colocado: R$ 1003° colocado: R$ 50
Juvenil - masculino e feminino (18 anos)Adulto A masculino e feminino (19 a 24 anos)Adulto B masculino e feminino (25 a 29 anos)Adulto C masculino e feminino (30 a 34 anos)Adulto D masculino e feminino (35 a 39 anos)Veterano A masculino e feminino (40 a 44 anos)Veterano B masculino e feminino (45 a 49 anos)Veterano C masculino e feminino (50 a 54 anos)Veterano D masculino e feminino (55 a 59 anos) Veterano E feminino (60 anos e acima)Veterano E masculino (60 a 64 anos)Veterano F masculino (65 a 69 anos)Veterano G masculino (70 anos acima)
Meta volanteMasculino e Feminino R$ 200 (primeiro atleta a chegar ao Cristo e completar a prova)
EquipesMasculino: troféu - 1° ao 5° colocadosFeminino: troféu - 1° ao 3° colocados
Premiação Cidade de Poços (inclui medalhão)1° colocado: R$ 250 2° colocado: R$ 200 3° colocado: R$ 150
Juvenil masculino e feminino (18 anos)Adulto masculino e feminino (19 a 40 anos)Veterano A masculino (41 a 50 anos)Veterano feminino (a partir de 41 anos)Veterano B masculino (51 a 60 anos)Veterano C masculino (60 anos ou mais)

domingo, 20 de janeiro de 2008


CAMPEÃO DE DUBAI FAZ EXIGÊNCIA PARA OLIMPÍADAS....

Devido aos altos índices de poluição que a cidade chinesa de Pequim apresenta, o recordista mundial de maratona, o etíope Haile Gebreselassie, ameaça não participar da prova nas Olimpíadas se providências não forem tomadas para melhorar a qualidade do ar na capital da China.
'Se a poluição continuar em níveis altos, tentarei correr outra distância em vez da maratona', disse Gebreselassie, que há pouco tempo fez o segundo melhor tempo da maratona em Dubai, nos Emirados Árabes - 2h04min53s, ficando apenas 27 segundos de seu recorde mundial.
Não é a primeira vez que o recordita deixa de participar de
competições devido a problemas respiratórios. No ano passado, ele não correu a maratona de Londres.
Não é só Gebreselassie que reclama das péssimas condições atmosféricas. A inglesa Paula Radcliffe, recordista mundial feminina, também preocupa-se com a poluição, pois ela sofre de asma. Radcliffe pediu ajuda a um especialista para elaborar um plano de prevenção. 'Talvez ela tenha de adaptar as doses do remédio que toma, mas não acho que seja um problema', disse Gary Lough, seu marido e representante, em agosto de 2007.
Para preparar-se para Pequim-2008, Gebreselassie afirmou que a partir de agora e até os
Jogos correrá somente provas de distâncias mais curtas...


UBIRATAN DOS SANTOS FATURA MAIS UMA...


A temporada 2008 começou dourada para Ubiratan dos Santos. Neste domingo, o atleta de Pernambuco cruzou em primeiro lugar a linha de chegada da 4ª Corrida Internacional de São Sebastião, no Rio de Janeiro. Ele terminou os 10 km da prova em 29min35.
Com uma rotina de treinamentos em altitude na cidade de Campos do Jordão-SP, o calor do Rio de Janeiro dificultou a performance dos atletas. 'Aqui está muito abafado, mas foi uma boa corrida. Graças a Deus deu tudo certo. O trabalho que estamos fazendo em Campos do Jordão está sendo positivo e consegui mais uma vitória', comemorou Ubiratan.
Com o resultado positivo deste domingo, Ubiratan conquistou sua terceira vitória em 2008. Ele venceu as Corridas de Reis de Brasília e de São Bernardo do Campo. O atleta tentará mais uma vitória, nesta sexta-feira, na 48ª Corrida Internacional de Apucarana para fechar o primeiro mês do ano com uma conquista dourada.

SAÚDE


CORRENDO DEMAIS? CUIDADO COM A IMUNIDADE


Vamos a uma perguntinha básica: Quantos resfriados você pegou no ano passado? Vale contar até aquele narizinho escorrendo também. Mais de três? E qual foi, em média, a frequência e intensidade de seus treinos? Você não lembra, ou não acha importante lembrar, então preste atenção na matéria a seguir:

A função do sistema imunológico é reconhecer os corpos estranhos que entram emn nosso organismo, combatendo-o para levar nosso corpo de volta ao seu estado ideal de funcionamento e equilíbrio. Tudo que passamos ao longo d eum dia afeta esse sistema, que é formado por 3 componentes básicos: o sistema linfático, a medula e as células de defesa presentes no sangue.

Geralmente, o efeito dos exercícios físicos no funcionamento do sistema imunológico é positivo, desde que sejam moderados.Inúmeros estudos já comprovaram que exercícios leves fortalecem as reações naturais do corpo, pois aumentam a produção de glóbulos brancos.Contudo, exercícios físicos muito intensos e excesso de treinos parecem ter efeito contrário: o sistema imunológico se enfraquece e tem sua capacidade diminuída.

Durante os treinos de corrida intensos, a produção de NK (natural Killer), responsável pelo combate a tumores e infecções virais diminui, inibindo a resposta imunológica. Para piorar, a maior produção de cortisol e adrenalina conhecidos como os hormônios do estresse, fazem a pressão arterial e os níveis de colesterol aumentarem, suprimino o sistema imunológico. É por isso que os corredores de longa distância, como maratonas e ultras, ficam mais sucetíveis a doenças.

Eu sei que o caendário anual de corridas vem crescendo em velocidade espantoso e sei também que á vontade de participar d etodas as provas, ams isso é um erro muito comum e grave entre nós corredores. Eu achei uma tabelinha (abaixo) das provas, tempo de recuperação que um atleta leva, tempo ideal até a prova seguinte e qtas provas por ano seria o ideal...dá uma olhadinha só...


Evento Recuperação após a prova tempo ideal até a seguinte por ano


maratonas 8 semanas 6 meses 3

Meia maratona 6 semanas 3 meses 3

Iron Man 8 semanas 6 meses 2

Corrida (24hs) 12 semanas 3 meses 3

10km 2 semanas 1 mês 12


Como saber qual o limite entre a melho preparação física e a depreciação do sistema imunológico? Com moderação e adequação da intensidade nos treinos. Percebia que quando eu treinava muito, aparecia um herpes na boca. E num intervalo de 15 dias, apareceram 2. Fui à dermatologista e ela me pediu alguns exames... conclusão: palquetas baixas, queda da imunidade e algumas recomendações que sigo até hoje...

* se eu estou doente, evito treinar, mesmo que der aquela coceirinha.

* Se eu estou só um pouquinho resfriada, mas sem febre, faço treinos leves, só trotando, pois isso até me faz sentir melhor.

* Repouso bastante.

*Como bastante frutas, carboidratos, pois o segundo, repõe os estoques de glicogênio muscular queimados na corrida a as proteínas ajudam na reconstrução muscular.

* Respeito meu corpo, quando sinto que ele não está muito afim de correr, eu até dou uma brigadinha com ele, mas no final das contas a última palavra é sempre a dele.


FOI A DICA.

sexta-feira, 18 de janeiro de 2008

SEM QUEBRA DE RECORDE

Bicampeão olímpico nos 10 mil metros, Haile Gebrselassie venceu nesta sexta-feira a Maratona de Dubai. O etíope completou a prova em 2h04min53, tempo apenas 27 segundos mais lento que o recorde mundial, que já é de sua autoria.
Se batesse a própria marca, Gebrselassie colecionaria o 26º recorde mundial na versátil carreira, que inclui títulos nas mais variadas distâncias. Ele ganharia também um prêmio-extra de US$ 1 milhão. “A idéia era completar a primeira metade na casa dos 62 minutos, mas cheguei até ali quase meio minuto mais rápido. Paguei o preço disso na parte final da prova”, afirmou ele, que pela vitória embolsou um cheque no valor de US$ 250 mil.
Contando com boas condições climáticas, Gebrselassie impôs uma velocidade alta desde o início da maratona. Quando chegou à marca de dez quilômetros, estava 45 segundos à frente do recorde e, na metade do percurso, seu tempo já ultrapassava o antigo em um minuto.
Entretanto, a partir da marca de 30 quilômetros a intensidade do etíope diminuiu, não conseguindo bater o recorde obtido em Berlim, no ano passado. “Tentar quebrar um recorde mundial numa prova de longa distância não é fácil. Tudo precisa ser bem planejado e todas as condições precisam estar perfeitas”, justificou Gebrselassie.
Três segundos atrás do etíope apareceu o queniano Isaac Macharia (2h07min16), seguido pelo compatriota Sammi Korir (2h08min01).



Entre as mulheres, a prova foi mais competitiva. Na marca da meia maratona, por exemplo, havia sete mulheres no pelotão principal. Mas também etíope Berhane Adere, campeã de Chicago em 2006, conseguiu sair do pelotão nos quilômetros finais e garantir assim o primeiro lugar do pódio.Berhane também ganhou 250 mil dólares. O segundo lugar foi para a etíope Bekele Bezunesh seguida por Askale Magarska, a campeã de Dubai no último ano. As três primeiras colocadas foram representantes da Etiópia. Campeã mundial nos 10 mil metros em 2003, Berhane Adere venceu a maratona com um tempo de 2h22min42. Ezun Unefh (2h23min09) e Taka Askale (2h23min23) vieram a seguir.


ALIMENTAÇÃO...


SEIS ERROS NUTRICIONAIS QUE PODEM PREJUDICAR A CORRIDA...

Ok, tem muita gente por aí que acha que para ser um corredor, basta ter um tênis e participar de provas por aí a fora. Nãnãnãnão...Lêdo engano. O verdadeira corredor deve sim ter um tênis e sair correndo por aí a fora, mas também cuidar da alimentação, elemnto primordial para que se consiga bons resultados. Alimentar-se e hidratar-se corrtamente é quese tão importante quanto treinar direito, e cá entre nós, nossas bizavós não eram atletas mas já entendiam do assunto quando diziam: "Saco vazio, não pára de pé". Tenho certeza de que cada um de vcs já fez ou presenciou um dos 6 erros abaixo:


Iniciar dieta uma ou duas semanas antes de uma competição: Todo mundo sabe que atletas leves correm mais rápido. Porém, uma dieta pré-prova pode prejudicar e muito, a performance, pois fornece menos combustível para a corrida. Algusn atletas chegam ao extremo de tomar diuréticos para perder peso rapidamente. Com isso se desidratam, perdem sódio e podem ter cãimbras, hipertermia e desmaios. Não vou citar nomes aqui, até porque nesse meio todo mundo se conhece, mas em quase todas as competições que participo, observo uma atleta da categoria 50-54. Minutos antes da largada, ela corre para o banheiro. Depois para quem entra, o cheiro é insuportável. Uma fonte (ah, essas fontes) me revelou o segredo: um remedinho que lava tudo por dentro, assim, "aparentemente" se corre mais leve. Na boa, eu não sou adepta a esse tipo de coisa, mas....a minha missão é essa, relatar o que acontece no mundo do pedestrianismo.

Comer demais: Na onda do "carboidrato é bom", muitos corredores exageram na ingestão de aliemtnos na semana da prova. ganham peso, ficam lentos e prejudicam seu desempenho. O ideal é buscar um equilíbrio... deve-se sim comer carboidrato, mas na medida. Eu mesma sempre como um prato de macarrão ou mesmo pizza no jantar da noite anterior à competição. Mas é claro, não como tarde, caso contrário correria um sério risco de não aparecer no dia seguinte por indisgestão...

Experimentar u novo suplemento no dia da prova: Para cada suplemento existem variáveis de quantidade, tipo e concentração. Um suplemento diferente no dia da prova pode causar enjôos e vômitos. Bom, nesse assunto, meu pai também já tirou diploma. Meu pai toma todos os dias o mesmo cafézinho e pão com queijo, seja em dias de treino ou competição... é sagrado. Mas na 1a Meia Maratona de Praia grande, sobre meus protestos, o mocinho resolveu, na altura do km13, aceitar um sachê de uma atleta que nos acompanhava...conclusão... ânsia, vômito e um péssimo resultado final. E não pensem que ele aprendeu a lição depois disso. Nos 10km da Tribuna, antes da largada, é um tal de garrafinha colorida passar pra lá e pra cá...Nesse dia, uma dessas parou na mão do meu pai... era um líquido cor de rosa, estranho, não dava pra identifcar o que poderia estar ali dentro..era um tipo de coquetel molotov...rs...Por sorte, dessa vez, eu intervi na mesma hora, lançando a tal garrafinha pra longe... mas dei uma bronca no meu pai... poxa, será que valia a pena tomar isso justamente no dia da prova? E os treinos que fizemos durante toda a preparação??? Hoje, acho que ele pensa um pouco diferente...rs, ou pelo menos deveria.

Fazer jejum: Numa competição ou treino forte, o corredor chega a 80% de deu V02 máximo e por isso precisa de carboidratos. Sem eles, o ritmo diminui e pode haver hipoglicemia. Portanto, se alimente bem antes da prova...jejum nem pensar!!!!

Não se hidratar corretamente: Sem água, seu sangue fica mais viscoso, sua frequência cardíaca sobe e você se cansa mais facilmente. A ingestão excessiva de água também é prejudicial hen?, pois dilui a quantidade de sódio no organismo, deixando o corredor desidratado e propenso a cãimbras. Devemos beber de 500 a 750ml de água ou isotônico a cada hora de exercício. Eu pelo menos tenho o hábito de tomar um copo de água antes do treino ou da prova... assim na largada minha boca não fica tão seca. E procuro também tomar um golinho de água em cada posto no trajeto da prova, nem que seja para molhar a boca rapidamente.

Correr com fome: Fome significa glicemia baixa, menos energia e performance prejudicada. Se não der tempo de comer antes, opte por barras de cereias ou outros suplementos. Antes de sair de casa, eu sempre preparo um saquinho com banana, cereais e um iogurte. Chego na prova tranquila, pego meu kit e quando faltam mais ou menos 1 hora para a largada, lanço mão do meu kit de sobrevivência, o que sempre me garantiu boas provas sem fome.

FOI A DICA.

quinta-feira, 17 de janeiro de 2008


INSISTIR EM CORRER LESIONADO...ERRO QUE PODE CUSTAR CARO...


Eu corro há aproximadamente 16 anos (nossa me custou muito a dizer isso.. o tempo passa..rs...). E durante todo esse período me lembro com exatidão das dores que senti: dores no calcanhar, nos dedos(todas as unhas caíram), na panturrilha e principalmente dores nos joelhos.. ah,. minhas dores nos joelhos... indiscritíveis e dolorosas...posso dizer até traumatizantes. Mas como a maioria dos corredores, sofria de algo chamado: vício de correr...Não importava o que eu estava sentindo, o que valia mesmo era sair por aí correndo sem rumo. Já disse aqui várias vezes, cheguei a treinar chorando e gemendo pela rua com dores nos dois joelhos, mas não parava. Felizmente tive a consciência de tratar esse problema, que graças a Deus nunca mais me assombrou depois de ter entrado na musculação e fazer exercícios específicos para os joelhos. Ele precisava se fortalecer, pois com o impacto da corrida, toda força recaía sobre eles, e eles, coitadinhos, não suportavam...Todavia, meu pai, que tb é corredor, aliás, hoje bem menos devido às dores que sente no calcanhar não aprende a lição d eforma alguma. Hoje no almoço se queixou várias vezes de que não consegue mais correr sem ter que andar tambem. Mas devo dizer, há mais de 2 anos e meio ele sente essas ores e já passou por vários médicos que lhes dizem a mesma coisa: vc tem que dar um tempo nos treinos e descansar, caso contrário, o roblema se transformará em crônico ( o que na verdade já acho que aconteceu).Essa foto aí em cima, foi da 2a Meia Maratona de Praia Grande em que eu participei com ele. Quando vi essa foto, fiquei assutada, porque nunca tinha visto meu pai parar em competições, em treinos sim, mas em competições nunca. Ele fica trsite até hoje só de lembrar que treinou tanto e na hora "h" a tal da lesão falou mais forte...aliás... doeu mais forte por assim dizer...
Pequenas lesões fazem parte da vida de quem quer superar limites.. isso é fato. Não há melhora nos resultados sem esforço e não há esforço sem a dor, costumo dizer...O problema é não tratar corretamente lesões ou voltar aos treinos antes que elas estejam completamente curadas. Isso faz com que a lesão nunca se cure, podendo, como eu disse, ficar crônica. Esse alerta se torna ainda mais importante àqueles que correm por conta própria (como eu), pois geralmente os atletas autoditadas costumam se machucar com mais frequência na ânsia de melhorar o resultado e fazer treinamentos que exigem além das forças.
Procure um médico e siga o tratamento. Se o tratamento exigir descanso total, nem pense em trotar "20 minutinhos", pois esses 20 podem lhe custar meses.
Se o cross trainning estiver liberado, aproveite para nadar e pedalar, atividades que não causam impacto e oferecem ganhos cardio-vasculares semelhantes ao da corrida.Assim, vc não perderá o condicionamento físico (isso dá pânico só de pensar).
Se vc começar a correr e a dor não passar depois de 3 minutos, pare imediatamente e volte ao médico....

Essa é uma dica valiosa de quem já sofreu...rs....

RAPIDINHAS....

* US$ 1 milhão é o prêmio prometido pela organização da Maratona de Dubai conhecida como a maratona mais rica do mundo, para quem bater o recorde mundial da distância na prova desta sexta-feira. Atual recordista, Gebrselassie melhorou a marca mundial (2h04min26) há apenas três meses, em Berlim.

* A velocista Ana Guevara anunciou sua aposentadoria das pistas nesta quarta-feira. Vice-campeã olímpica nos 400m nos Jogos de Atenas-2004, a velocista comunicou sua decisão quatro meses após denunciar práticas rotineiras de corrupção em seu país.
Quarta colocada no Mundial de Osaka, no Japão, em agosto, Guevara ameaçou não participar dos Jogos de Pequim, caso a Federação Mexicana de Atletismo não passasse por mudanças estruturais. Criticada pela imprensa local, que a acusou de tentar desviar a atenção de sua perda de competitividade, a corredora diz que a decisão é irreversível.


* 'Quero que as pessoas entendam que, todo mundo comete erros... Eu realmente acho que o caráter de uma pessoa é definido pela admissão de seus erros e, além disso, o que eu posso fazer?', disse a ex-campeã olímpica Marion Jones nesta quarta-feira durante o The Oprah Winfrey Show. Esta foi sua primeira entrevista à tevê após ser condenada a seis meses de prisão por mentir durante investigações de uso de esteróides e fraude bancária.

quarta-feira, 16 de janeiro de 2008


10km A TRIBUNA FM DISTRIBUIRÁ PREMIAÇÃO RECORDE

Ah, eu sempre falo com um carinho muito especial desta prova, porque de fato, foi nos 10km da Tribuna que eu me iniciei no mundo das corridas. como já disse aqui, corria desde os 14 anos, mas somente com 22 tomei coragem para começar a competir e nenhuma prova melhor do que a mais tradicional da baixada. Eu costumo dizer que nessa prova, vc não s eimporta com o tempo, mas sim com a diversão, com o prazer de estar simplesmente correndo no meio de uma multidão de gente que te leva e te apoia até a chegada.
Tradicionalmente realizada no terceiro domingo de maio, a corrida de 10km da Tribuna FM chega ao seu 23º ano consecutivo, sendo que eu participei das últimas 8 edições. Este ano, a prova será realizada em 18 de maio, João Victor já terá completado 1 mês de vida e eu tentarei, se Deus quiser voltar às ruas extamente na prova em que comecei.
O evento reunirá cerca de 14 mil participantes e contará com renomados atletas do Brasil e do exterior, que poderão se inscrever a partir de 18 de março. O maior atrativo desta 23ª edição é a premiação recorde de R$ 120 mil, além de dois automóveis que serão dados aos vencedores.
A largada como sempre, acontecerá na Avenida João Pessoa e a chegada, na praia do Gonzaga. Por ser um percurso plano, em sua maioria, e com retas longas, é fácil que recordes sejam feitos. O melhor tempo pertence a Vanderlei Cordeiro de Lima, desde 1997, com a marca de 28min01. Já no feminino, o recorde fica por conta da equatoriana Martha Tenório, que terminou a prova em 32min57, em 1998.
Os atuais campeões da competição são o queniano Lawrence Kiprotich e Ednalva Lauriano, a Pretinha, que entrou para história, pois sagrou-se como a única tricampeã do evento.
Ai, ai,... mal posso esperara para sentir novamente o friozinho na barriga ao ouvir a buzina.. fuóóóóó´.................
PRÓTESES DEIXAM ATLETA FORA DE PEQUIM...
O sul-africano Oscar Pistorious, que para correr utiliza-se de duas próteses de fibra de carbono no lugar das pernas amputadas, foi proibido de disputar as Olimpíadas deste ano, que serão realizadas em Pequim, na China, de oito a 24 de agosto. Pistorious, atual vice-campeão da Golden League, de Roma, pretendia disputar os jogos, mais precisamente a prova dos 400 metros, fora do evento para-olímpico.
A responsável pela proibição foi a IAAF (Federação Internacional de Atletismo), que se baseou em um estudo realizado pela Universidade de Colônia, da Alemanha, segundo o qual, as próteses utilizadas pelo
atleta sul-africano proporcionam significativa vantagem sobre os outros corredores. “Pistorius está capacitado para correr com suas próteses a mesma velocidade que os outros velocistas, mas com 25% menos de esforço”, argumenta Peter Bruggeman, médico responsável pela pesquisa.
A proibição segue as modificações que a IAAF realizou em seu regulamento no ano passado, proibindo o uso de qualquer suporte técnico, rodas e demais elementos externos na hora de competir, a fim de evitar eventuais vantagens de alguns corredores sobre outros.

terça-feira, 15 de janeiro de 2008



PISA NO FREIO ZÉ.....

Hoje estava andando pelo canal 1 de Santos quando vi um corredor passar por mim, sentido praia numa velocidade violenta....Com o sol que estava fazendo.. eram 14:30 da tarde, pensei: "Não é possível, esse cara vai parar daqui há no máximo 2 quilômetros, ou então vai começar a ver miragens com pocinhas de água"... Não demorou nem os 2 quilômetros, minha gente.. na outra esquina, ele deu uma respirada ofegante e atravessou a rua andando.
Aí, pronto pensei em escrever sobre as largadas fortes....E olha que eu já sofri muito com isso no começo. Até hoje, admito, há provas em que acordo e digo pra mim mesma: Hoje a prova será suicida...rs...que é aquela que eu largo forte e se tiver pernas ótimo, se não....senta e chora....
Na verdade, tanto faz se é uma prova ou um treino importante, se você começar muito forte, está arriscado a ficar com os músculos tão cheios de ácido lático que não conseguirá manter o ritmo até o fim. O primeiro quilômetro é o fundamental. Podem perceber que é aquele em que a respiração é ofegante, o ar falta, tudo acontece. Até os 3 minutos de corrida, produzimos o ácido lático. Depois disso, entramos no aeróbio e vem aquela sensação mais confortável. Se até o 3 minuto você produzir muito ácido, pode "queimar" sua prova. Se for uma corrida curta, essa perda é irrecuperável.
Há uns 2 anos atrás participei de uma prova de 6km de Itanhaém. Como era uma prova rápida, utilizei esse esquema de largar rápido, felizmente me dei bem. Entretanto, quando participei dos 25km de Itanhaém, larguei forte...olhei no relógio e estava a 4:55 no primeiro quilômetro... conclusão... no 17º já começou o meu martírio e tive que parar e andar uns 200m...amarguei a perda do pódio só pra deixar de ser besta...
O correto é utilizarmos o treino para conhecer bem o seu ritmo de corrida e saber o quanto pode forçar-se. Tinha vezes que durante a prova, eu acabava excedendo o meu ritmo para ultrapassar alguém que eu sabia que era da minha categoria... e aí...começava a ter ânsias ...parei com isso também...
Na prova, monitoro o meu ritmo a cada quilômetro para ver se está dentro do meu ideal de treino...
Por isso para os aceleradinhos....pisa no freio Zé...
COMECE A SE PREPARAR... VEM AÍ....

No dia 13 de abril (pertinho do nascimento do João Victor, meu filhote), será realizada mais uma meia maratona Corpore “Running With the Bulls”.
Entrei no site da corpore e achei algo bem interessante, principalmente para aqueles que nunca correram uma Meia e agora estão dispostos a encarar esse desafio, que na minha opinião, é muito gostoso....
A Corpore lançou 2 treinamentos: 1 para iniciantes e outro para intermediários. Toda segunda feira, a partir de do dia 14 de janeiro (portanto começou ontem), haverá um treino semanal...
O treino foi elaborado pelo Prof. Mário MelloMembro da ATC - Associação dos Treinadores de Corrida de São PauloTreinador Voluntário ADD.
Dá uma conferidinha no link:
FOI A DICA.

segunda-feira, 14 de janeiro de 2008



CHERUIYOT VENCE A MARATONA DE HOUSTON


O queniano David Cheruiyot manteve seu reinado na Maratona de Houston, realizada no último domingo, nos Estados Unidos. Com o tempo de 2h12min32, ele obteve sua terceira vitória no evento em quatro anos. A segunda posição ficou com o etíope Kasime Adilo, em 2h12min53.
Na prova feminina, a vitória foi etíope e com direito a recorde. Tire Dune, de 22 anos, completou o percurso em 2h24min40, repetindo a primeira posição de 2007 e registrando um novo recorde da prova. Sua compatriota Worknesh Tola cruzou a linha em segundo, marcando 2h35min38.
Nas provas de
meia-maratona, vitórias para os norte-americanos James Carney e Kate O'Neill. Assim como no ano passado, a prova em Houston equivaleu ao campeonato nacional na meia-maratona.


ADRIANO BASTOS É PENTACAMPEÃO NA MARATONA DA DISNEY....


Nem só de quenianos vivem as Maratonas.. rs... O brasileiro Adriano Bastos tornou-se pentacampeão da maratona da Disney, nos EUA, que acontece todos os anos na cidade de Orlando e tem percurso que atravessa os parques da Disney. O maratonista venceu, neste último fim de semana, a prova com o tempo de 2h20min56.
Entretanto, neste ano, a conquista do título não veio com muita facilidade devido ao cansaço do atleta. “Ao contrário do que aconteceu em 2006, que consegui encaixar bem os treinos, desta vez senti bater um cansaço enorme. Treinei durante o mês de dezembro todinho sentindo uma enorme fadiga. Mesmo assim segui adiante com treinamentos e não deixei que o desânimo me abatesse”, contou o corredor que, em novembro, participou da maratona de Curitiba e, em seguida, continuou com os treinamentos para a competição norte-americana.
No decorrer do percurso, Bastos sentiu-se bastante confiante, pois percebeu que seu corpo estava descansado e relaxado. “Logo na primeira milha percebi que comecei a abrir uma boa vantagem para os demais competidores e a sensação de que eu estava confortável e descansado parecia um milagre.”

è, mas o caminho para o penta, não foi fácil não... Como a largada da prova acontece às 6 horas da manhã, já que a competição acontece dentro do Complexo Disney e deve acabar antes de os parques abrirem, os atletas têm que levantar bem cedo para ir para a largada. “Acordei às 3h da madrugada, como é de costume. Fui para a largada e comecei a aquecer às 5h35. Por incrível que pareça, senti-me muito bem, com a musculatura relaxada e a sensação de que faria uma grande prova”, conta Adriano.
Dada a largada, pontualmente às 6h da manhã, com direito a muitos fogos de artifício, Bastos repetiu a cena dos anos anteriores, assumindo a liderança logo na primeira milha. Porém, na terceira milha, quando os dois grupos de largada se juntam, o atleta tomou um susto e percebeu que não era o líder. “De repente, vi um corredor a cerca de 100 metros à frente. Apertei para alcançá-lo e na milha 6 eu já liderava a prova. A partir da milha 15, percebi que a vantagem era grande e comecei a aliviar o ritmo. Depois de tanto sacrifício, treinos extenuantes, finalmente concluí a prova cruzando a linha de chegada em 1º.”
Com a vitória. O atleta garante a participação em 2009, quando tentará mais um título inédito: a conquista do hexacampeonato.
Resultados Masculino

1. Adriano Bastos (BRA) - 02:20:56
2. John Garton (EUA) - 02:35:01
3. Lance Jones (EUA) - 02:37:57
4. Matthew Dobson (EUA) - 02:41:03
5. Kevin Lyons (EUA) - 02:41:59
Vlwwwwwwwwwww Adriano....