segunda-feira, 30 de março de 2009

ESSE TAL DE HORÁRIO...
O assunto é conhecido de todos, mas a resposta não é unanimidade. Cada um fala uma coisa. Qual o horário melhor para correr? Esta semana que passou para mim, foi um horror. Com a festinha do meu meu filho sendo totalmente organizada por mim, tendo que trabalhar, treinar ficou para 2º, 3º.. vamos lá.. 4º plano. Treinei na segunda-feira e só...1 semana depois (hoje) voltei ás areias totalmente desconpensada, já que senti meu rendimento cair muuuuuuuuuito e o cansaço subir muuuuuuuuuuuuuito também.

No meio da festinha do meu filho (domingo) uma amiga me perguntou em que horário eu costumava correr, já que ela gostaria de começar a treinar. Respondi sem muito pensar: " No horário que der...às 06:00 da manhã,`ao meio dia (lasca coco), à noite...qdo dá querida, quando dá"...

Há quem prefira correr depois do expediente. Eu já fiz muito disso, aliás, corria antes e depois... louca de pedra! Quem nunca calçou um tênis na vida, fica com vergonha de dizer que adoraria pular da cama e dar um pique, mas tem preguiça. Bobagem...

Omelhor horário do dia para treinar é aquele que se encaixa na sua rotina. É sabido que, pela manhã, o ar das grandes cidades está em seu momento mais agradável. A temperatura e a umidade do ar também estão mais amenas. Mas o nosso metabolismo, claro, não atingiu o ápice do rendimento diário. No meu caso, correr pela manhã é o melhor...entendo-se que manhã seria às 11:00 horas...rs...
Correr à tarde, significa dizer que o organismo responde melhor à sobrecarga de treino daí a evolução mais rápida. Na verdade você, já passou pelo café d amanhã, pelo almoço...de repente já deu uma dormidinha...rs...Quando comecvei a correr, optei por correr à tarde. Lá pelas 16:00 horas, todos os dias, lá ia eu...Hoje não tenho mais paciência e nem tempo, já que trabalho. è claro que correr à tarde também tem seu lado ruim, já que as condições ambientais não favorecem tanto.

Eu sempre digo para meu amrido começar a correr. Ele me jurou que começaraá. Já deu o 1º passo. Se inscreveu na minha equipe...Irá também correr os 10km da Tribuna em maio. O problema dele e de centenas de corredores é justamente a falta de tempo tanto pela amnhã quanto pela tarde...e porque não dizer pela noite, já que o coitado chega em casa de fretado lá pelas 20:30hs. Dá pra ter pique nese horário, depois de acordar às 05:30 da madruga, trabalhar o dia inteiro? Sem contar o peso na consciência que ele fica, pois quando chega vai direto brincar com o João (nosso filho) e correr nesse horário, implicaria em não vê-lo acordado durante a semana, já que João dorme às 22:00 pontualmente.

Entretanto, tenho que admiti, correr no horário noturno, é perfeito para quem tem a agenda lotada de compromissos desde cedo. Eu também já experimentei correr á noite. Chegava do meu estágio às 18:30...E às 19:00 lá estava eu no calçadão. O probelma de correr á noite para mim, é ter que correr pela calçada, o que eu detesto e também a falta de segurança, já que á noite, há muitos maloqueiros e pouco policiamento. Foi um dos motivos que deixei de correr à noite.



Aqui na minha cidade, no dia do Desafio, onde uma cidade enfrenta outra em quem consegue levar mais atletas a praticar uma atividade física, realzia-se uma prova noturna de 7km. É uma delícia. Na verdade noturna, quero dizer com largada às 0:00hs. Sim, isso mesmo. Mas é tão bom.. a temperatura chega a ser de inverno...Algumas pessoas saem para correr de pijamas...rs...

No entanto, verdade seja dita: Independentemente do horário, o que vale é se exercitar. E nunca deixe de se alimentar e cuidar da hidratação. E, se for treinar durante o dia, prefira locais arborizados, que são menos suscetíveis àsvariações de clima (principalmente no calor).

Para quem ainda está em dúvida sobre qual o melhor horário para seguir, abaixo segue algumas vantagens e desvantagens (como tudo na vida) para cada horário.


Manhã:


Vantagens


1. O treino sempre está encaixado na agenda. Mesmo que surjam compromissos de surpresa, você já correu;

2. Dá mais disposição para as tarefas do dia;

3. A temperatura e a umidade são mais amenas, pois o sol ainda não está tão forte;

4. Para quem quer competir, vale como adaptação. A maioria das competições é feita pela manhã.



Desvantagens


1.É preciso se acostumar a comer pela manhã (mas lembrando que o desjejummais reforçado pode vir depois do treino). Isso é um problema para quemnunca teve o hábito de comer bem logo ao despertar;

2. A disposiçãotem de ser mais forte do que a preguiça, mesmo nos dias em que não foipossível dormir o suficiente. O ideal é criar uma regra: véspera etreino é dia de deitar cedo.


Tarde


Vantagens


1. O metabolismo está próximo do pico de rendimento;

2.O atleta já está mais alimentado, tendo feito pelo menos trêsrefeições. Isso garante a reserva de glicogênio muscular necessáriapara um bom rendimento.


Desvantagens


1. A exposição ao sol e à temperatura alta, além da umidade baixa

2. Treinar só nesse período pode dificultar a aclimatação em dia de provas, que geralmente são realizadas de manhã


Noite Vantagens


1. A temperatura é mais amena neste período;

2. Ajuda a relaxar quem é agitado demais, proporcionando uma boa noite de sono.


Desvantagens


1. Qualidade do ar pior, com mais concentração de gás carbônico na atmosfera;

2. Treinar só nesse período pode dificultar a aclimatação em dia de provas, que geralmente são realizadas de manhã;

3. O estresse das atividades diárias pode afetar o rendimento na corrida;

4.Com a evolução do treino, a qualidade do sono pode sai prejudicada emfunção das descargas adrenergéticas provocadas pelo esforço;

5. Maior risco de acidentes, pela baixa iluminação. Fique atento aos terrenos irregulares com possíveis desníveis e buracos.


Acho que dá para escolher agora, não dá?????? De toda forma, o mais importante é...começar a correr!

quinta-feira, 26 de março de 2009


VAI ENTENDER....


Atletas e acadêmicos brasileiros, especialistas em treinamento esportivo, continuam recomendando a prática de alongamento, antes e depois de corridas. Porém, um estudo feito pelo Centro de Controle de Doenças dos Estados Unidos (CDC, na sigla em Inglês) colocou em dúvida a eficácia dessa prática na prevenção de lesões durante os esportes.O estudo foi feito com base nos efeitos do alongamento sobre o corpo dos atletas durante 60 anos. O relatório final caiu como uma bomba no mundo do atletismo. Não foram encontradas evidências científicas que comprovem benefícios ou prejuízos do alongamento para corredores, sejam eles amadores ou competitivos.Os estudiosos americanos dizem que o alongamento não evita a contração e extensão simultânea do músculo (causa da maior parte das lesões). Além disso, eles dizem que a prática pode causar ainda danos ao esqueleto e mascarar a dor muscular, que costuma ser um pré-sinal de lesão. O professor Marcelo Netto Gonçalves, pós-graduado em treinamento esportivo pela FMU (Faculdades Metropolitanas Unidas), de São Paulo, e treinador da Gama Assessoria Esportiva, defende a prática. "O alongamento dá mais mobilidade aos músculos, permitindo passadas maiores e maior elevação da perna, fatores que contribuem para um melhor desempenho nas provas".No entanto, Gonçalves afirma que existem situações em que o alongamento não é recomendado. Uma delas é quando os músculos estão frios, que são menos flexíveis do que quando estão aquecidos. Por outro lado, músculos superaquecidos também não devem ser alongados, pois o atleta estará sem a noção de flexibilidade, ficando sem saber até onde pode alongar sem provocar lesão.O treinador diz que o ideal é reservar de 40 a 45 minutos, duas vezes por semana, para sessões exclusivas de alongamento. "O atleta deve procurar uma academia para aprender a maneira correta de executar a técnica".A professora Kelly Ferreira, especialista em fisiologia do exercício pela UniSantos (Universidade Católica de Santos), também defende o alongamento. "O músculo alongado tem mais força e menos chance de sofrer lesões. Além disso, o alongamento após o exercício facilita a eliminação do ácido lático, que provoca dor muscular".


E agora? ...vai entender....
TÁ FEITA E BEM FEITINHA....

Hoje fui fazer a minha inscrição para os 10km " A TRIBUNA FM" que aocntecerá no dia 17/05. Já falei aqui sobre essa prova, aliás, foi a primiera prova que participei e desde então venho correndo desde 2000 ininterruptamente, com exceção do ano passado em que eu tinha acabado de ter o meu filho. Portanto esse ano será mais do que especial, já que essa prova é praticamente uma São Silvestre Santista.
Aqui, aproveito para fazer um covnite a todos os blogueiros e corredores. Se programem para correr esta prova. Todo mundo corre alegre, fantasiado...é uma loucura. É claro que tem sempre o pelotão de frente, até porque os prêmios em dinheiro e um carro é chamariz até para Queniano, mas, vale a participação pela medalha, que este ano está bem legal e principalmente pelo encantamento da prova, onde o público lota todo o percurso com aplausos, e palavras de apoio...Quem quiser saber como chega entre outras informações, me pergunte...
Este ano reunirá 15.000 corredores. Não é uma prova para baixar tempo e sim para curtir. Amanhã, farei a inscrição para o Campeonato Santista que tem início no dia 05/04. Depois farei a inscrição para a 2a etapa do circuito das Praias...Amo muito tudo isso... 3 corridas marcadas... entende-se aqui...obrigação de treinar muuuuuuuuuito. isso dá um ânimo!!!!!

terça-feira, 24 de março de 2009

SEMANA TESTE-RUNNING...


Olá pessoas!!!!! Na semana que passou fiz várias coisas diferentes no meu treino. A intenção era testar novos métodos e saber se dá ou não resultado. Pois bem...Gostei do que eu vi...na verdade do que senti...
Comecemos pela corrida mesmo. Geralmente meus treinos são 4x1, ou seja, 4 dias corridos e um de descanso, sendo que os 2 primeiros são de 10km em ritmo regular, o 3º longo e o 4º de 10k/12k em ritmo de prova. Optei por um treino não mais light, porém mais eficaz na minha singela opinião. 3x1... O 1º e 2º dias fiz um treino forte, em ritmo de prova e o 3º mais solto, e não tão longo. No descanso me senti melhor, e quando voltei para treinar, no 5º dia, fiz 10k em ritmo tranquilo. Achei que tal mudança, deixou meus músculos mais soltos, já que mudar os ritmos de prova para os primeiros treinos, já me deixava descansada para o dia de descanso..rs...Achei que funcionou melhor até na questão d emelhora de tempo, já que em apenas 1 semana, consegui fazer os 5k em 26:02, quando geralmente era feito em 28:15...Conclusão... TOTALMENTE APROVADO.
Lendo a Revista Runner´s World, observei uma matéria sobre absdominais específicos para corredores. Eu sempre fiz abdominais, mas confesso que eram aqueles com efeitos somente estéticos. Resolvi aderir a uma nova série. Optei por três legais: a posição super-homem, a posição de ponte e a posição em que levantamos uma perna alternada com um braço. Devo dizer mulherada: a coisa funciona mesmo...Senti a parte do abdomen totalmente endurecida. Chegou a aparecer alguns gominhos...Eu nunca tive gominhos e aqui tenho que dizer... nunca senti inveja dos gominhos da Graciane Barbosa...rs..mas quando os vi em mim, achei o máximo. Na verdade muito mais do que bonitos, achei que o abdome enrijecido me ajudou bastante na corrida. Talvez esses menutos que fiz abaixo do tempo, tenha mesmo sido por conta dos exercícios. E olha que nem gastei muito tempo com eles não, já que fiz 3 séries de cada um deles. Senti também os glúteos bem mais rígidos e menos dores lombares...Conclusão: TOTALMENTE APROVADO.
Por último, resolvi mudar o meu café da manhã, visando provas longas. Geralmente como uma banana e tomo um copo de iogurte. 5 minutos antes do treino, bebo 2 copos de água. Mudei. 30 minutos antes de treinar, tomo 1 copo de Carboidrato sabor mamão com laranja, mais duas fatias de pão de forma com requeijão e 1 barra de cereais. Ao invés de 2 copos de água, tomo 1. Aqui a resposta é simples, tentei tomar os 2, mas como já tinha tomado 1 copo de carboidrato, fiquei com vontade de ir ao banheiro e tive que voltar da esquina de casa...rs...Achei que a mudança me ajudou bastante, já que durante o treino me senti mais forte, talvez pelo carboidrato, não senti fome durante os longos e minha recuperação muscular também foi mais rápida. Já dá para eu fazer esta mudança em dias de provas, até porque a testei por 1 semana. Conclusão: TOTALMENTE APROVADO.

Como deu para perceber, às vezes é bacana dar uma mudadinha...já que podemos obter melhores resultados nos treinos...eu consegui....

sexta-feira, 20 de março de 2009

PREOCUPADINHA...

Vixe não sei não, mas....Ontem, após 10 dias quietinha, resolvi voltar a correr. Não senti nada, fiz um treino básico de 5km em 0:26:02. Todavia hoje, novamente treinei. Amentei um pouco mais a distância...7km...0:32:16. Cheguei em casa e senti que a or estava ali...Estou preocupada e pensando seriamente em voltar ao médico, já que uma amiga minha me deu uma notícia um tanto quanto desanimadora dizendo que infalamções em nervos não curam, sempre voltam e temos que viver sempre à base de anti-inflamatórios. E por falar nisso, meu pai viu uma pesquisa que dizia que sexo, isso mesmo, sexo, libera uma susbtância que cura as inflamações...será que a saída é essa? rs...
ps.: Excepcionalmente, o VOCÊ FOI O ESCOLHIDO será postado na quarta-feira, já que segunda meu filhote fará 1 aninho e o dia será só para ele!!!!

quinta-feira, 19 de março de 2009

CORRIDA X SOFRIMENTO



A hístória é sempre a mesma. Alguém me pergunta quantos quilômetros eu corro, eu respondo que depende, às vezes 10k, 15k, 21k e então o que vejo são olhos arregalados acompanhados da seguinte frase: "Nossa, você gosta de sofrer hen?".

Ontem à noite eu estava folheando a 5a edição da Revista Runner´s World e parei na matéria sobre a Corrida de Comrade.

Eu já tinha ouvido alguma coisa por alto, mas nunca tinha me aprofundado ou pelo menos lido com certa curiosidade sobre o assunto.

Para quem não sabe, A Comrade é uma prova de 89km, que acontece na África do Sul. Nos anos ímpares a Comrade é "em descida", saindo de Pietermaritzburg (650 m de altitude) e chegando em Durban, ao nível do mar. Mas isso é só forma de expressão, porque o percurso é cheio de subidas e descidas, e o declive no terço final nem dá para notar. Nos anos pares a distância é encurtada para 87 km, no sentido inverso.

Não é qualquer pessoa que pode corrê-la não, já que é necessário ter corrido uma maratona oficial no ano que antecede a Comrades, para poder se inscrever. Depois, na prova, os participantes têm tempos-limite para passar em determinados pontos do percurso, caso contrário são desclassificados. Essa postura visa impedir que corredores se "arrastem" pela parte final da ultramaratona, sem conseguir terminar. Além disso, a Comrades tem que ser completada até o relógio marcar 11:59:59. Se a pessoa chegar com 12 horas ou mais não recebe a tão sonhada medalha de participação, que são de 5 tipos, a depender do tempo que se completa.

Aí, eu mesma, e sem ter que esboçar qualquer cara de espanto ou olhos arregalados, me perguntei em voz baixa? " Caracas, nem a pau".....será que correr significa sofrer?"

Eu sempre digo aqui que nada do que eu digo é lei, mas sim, uma opinião de quem simplesmente ama correr. No entanto, fiquei meio, como posso dizer...inconformada com a vontade e capacidade de sofrimento que as pessoas adquirem conforme vão correndo e aumentando suas metas.

Eu jamais participaria da Comrades. E digo isso sem nenhum medo de me arrepender e morder a língua mais tarde por um desejo ímpeto de querer chegar aos 11:59:59 na linha de chegada e ganhar a tão sonhada medalha dessa prova.

Para mim...e aqui volto a dizer, esporte é saúde, é sentir-se bem, é correr sei lá... 30km debaixo de sol, tomar uma ducha e estar totalmente recomposto para enfrentar o dia de trabalho, a casa, o marido, os filhos e todos os problemas que enfrentamos ao longo de um dia.

Não entendo que sofrer esteja intimamente ligado á prática da corrida.

Sempre tive metas estabelecidas. Sei bem como treinar, quanto treinar e como enfrentar o dia de prova. Sei o meu ritmo, sei quando vou quebrar, sei quando estou forçando demais... isso se sabe com o tempo...isso se sabe quando se conhece o corpo, quando se respita os limites.

E nessa prova, a Comrade, não vejo nada de saudável, além de pessoas subindo e descendo, sacrificando todas as articulações existentes no corpo, esbaforidas, tentando vencer a dor do modo mais cruel....sentindo-a e aguentando-a por uma medalha... Óbvio... aí, alguns dizem.. mas não estamos falando d equalwuer meldalha, mas sim..."A MEDALHA".. o reconhecimento de que você é mesmo um grande corredor.

Eu me considero uma grande corredora. Mesmo nunca tendo corrido uma Maratona, já participei de 6 Meias, e pelo menos umas 40 de 10km e outras distâncias. Sofri em algumas, sim...mas não sacrifiquei meu corpo. É bem verdade que quem corre a Comrade está preparado, ou pelo menos, deveria, mas o que vi nas fotos, eram pessoas jogadas literalmente no chão, na linha de chegada, tendo uma síncope nervosa....Isso não é pra mim...não mesmo.

Gosto de sentir a vibração do povo me olhando na chegada, dar um arranque final, conseguir esboçar nem que seja um sorrisinho torto, mas ainda assim chegar "totalmente excelente"...rs.. Isso é o esporte.. é saúde...é vida...não sacrifício....é a minha opinião.

Aqui em Santos, acontece todo ano no mês de maio, os 10km A TRIBUNA FM. É como se fosse uma São Silvestre...mais de 15.000 pessoas...aqueles que já correm queremndo diminuir suas marcas pessoais, aqueles que nunca correram, caminham e arriscam uma corridinha no final. Uma prova bonita de se ver e participar. Eu mesma já participo há 8 anos seguidos. Em determinado trecho, onde dá para sentir o arrepio subindo...ouvimos o hino de Airton Senna (na época em que ele cruzava a linha de chegada), colocada por um senhor em sua casa. Todo ano ele faz isso. E todo mundo já sabe...

No ano retrasado presenciei uma cena que me deixou meio mau...aliás, 2 cenas. Após eu terminar a prova, voltei para o alambrado a fim de esperar alguém conhecido passar e gritar.. vaaaaaaaaaaaaaaaaaaiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii....rs...



O que eu vi, foi um senhor de porte atlético sendo garregado por 2 atletas até a linha de chegada. seu estado era deplorável...cada um segurava-o por uma das pernas e ele quase desmaiado. Logo ao lado, na grama, uma mulher jogada, cercada por vários curiosos (tirei uma foto dessa cena, mas não sei onde foi parar) e a ambulância pedindo passagem. Uma moça cega (também competidora) que estava ao meu lado fez a mesma pergunta que eu (só que ela em voz alta).. "Pra que isso?" E no final das contas, a medalha era a mesma para todo mundo...só que a minha tinha um gostinho mais saboroso, já que cheguei feliz, sorridente, bem...sem ter que ser carregada ou qualquer coisa do tipo...

Mais uma vez tenho que dizer.. não crucifico aqueles que amam associar corrida à dor, aqueles que dizem que a dor é temporária e que ao longo da prova, tudo passa...mas também não posso deixar de expressar que acho isso o fim da picada...Não acho bonito e acima de tudo, não acho saudável...e partindo da premissa de que o esporte é algo saudável....então...
De toda forma, seja como for, corram, se divirtam, cuidem do corpo, cuidem da mente...cuidem-se!!!!!!!!!!!!!!!!!!


quarta-feira, 18 de março de 2009

TÁ QUASE....MAS...

Bom, todos sabem que estou em recuperação de uma inflamação no nervo fibulotalar né??? Desde de domingo, dia 15, não venho correndo, assim de total consciência limpa, esperava curar o mais rápido possível essa coisa...
É bem verdade que mehorou bastante, já não a sinto quando mexo os pés à noite e tão pouco quando faço posição de salto alto (também não estou usando), mas ainda sei que ela está lá...levinha, mas está. Amanhã fará exatos 10 dias e começarei a treinar. Decidi colocar um ponto final nessa história. Ou vai ou vai...rs... acabou a paciência. Ainda mais porque saiu um novo calendário do Campeonato santista e a 1a etapa que estaria programada para o dia 29 de março e que eu nã participaria porque é o aniversário de 1 ano de meu filho foi transferida para o dia 05 de abril e portanto, totalmente dentro de meus planos. Preciso treinar.. me comportei direitinho.. acho que vai dar certo. E se não der, fazer o que não é mesmo???? As inscrições abrem na segunda-feira e eu já estou empolgadíssima, muito embora essa 1a etapa seja a pior de todas em termos de percurso, pois beira o Porto de Santos, e o cheiro não é dos mais agradáveis, além de parecer que todo o calor da face da terra se concentra nos 10km que a gente corre. è horrível...mas...é o que temos para o dia 5 de abril...rs...Nesse Campeonato não dá para visar pódio nem grandes resultados, mas para mim, já é um treino para o Circuito das Praias, onde a 2a etapa também é agora em abril e aí sim...luto pelo pódio e pelo título..vamos ver...

segunda-feira, 16 de março de 2009

VOCÊ FOI O ESCOLHIDO...

" Ô bate o pé, bate o pé, bate o pé.. ô, bate assim,bate assim como eu, ô bate o pé, bate o pé, baté o pé...foi assim que meu anjo me prendeu"... Na boa, ultimamente, não sei o porquê...rs...mas tenho me sentido assim.. meio portuguesinha...rs...Ah gente, essa viagem pelos blogues portugueses está sendo tão boa que não me contive em ficar mais um poquinho por lá...e convidar nosso amigo Fernando Andrade do blog Cidadão de corrida para nos contar um pouquinho da sua vida, dos treinos, anseios...enfim...nos dar a honra de conhecer mais um pouco de Portugal por suas palavras. Vamos lá???

1) Quando e por que vc começou a correr?

Comecei a correr por volta de 1975/76, quando a Revolução de Abril abriu novos horizontes e mostrou às pessoas que, mesmo na rua, sem grandes recursos, se poderia praticar regularmente desporto. E a Corrida, apresentava-se como a modalidade mais acessível, que se podia praticar só ou acompanhado, sem instalações especiais, sem horários…enfim, era o desporto em que via mais afinidade com a expressão “Liberdade” que o povo português acabara de conquistar. Era a “gaivota que voava, voava” como dizia a cantiga que, repetidamente, passava na rádio de então.
Por outro lado, sentia que me devia libertar do vício do cigarro! Tinha 21 anos e sentia que estava a ficar arreliadoramente dependente: via os dedos que seguravam o cigarro a ficarem com aquela cor amarelada; tinha de sair de casa à noite, para ir fumar; acordar de manhã com a boca a saber literalmente a merda. Comecei a achar que o prazer do cigarro não compensava os dissabores. Era preciso fazer qualquer coisa que substituísse o maldito vício. Escolhi a Corrida, pois correndo não apetecia “puxar do cigarrinho”.
E foi assim ! Há 33 anos, mais coisa menos coisa.


Maratona do Porto -Out.2008



2) Como surgiu a idéia do blogue e por que "Cidadão de corrida"?

A ideia do blogue surgiu há dois anos. Foi a Ana Pereira a nossa amiga “MariaSemFrioNemCasa”, que me convenceu, mas como eu entendo pouco de computadores e de internet, fui adiando, adiando, até que experimentei colocar um texto e “saiu”. Dantes apenas escrevia nos fóruns de Corrida. Comecei a usar o Atletas.Net e depois, o Mundo da Corrida e, enquanto durou, o Pista Oito. Foi aí que tomei consciência das potencialidades incríveis que a internet proporcionava na criação de novas amizades que, em vez de partilharem apenas o gosto pela Corrida, partilhavam também o gosto pela escrita e pela vontade de saber. Mas nos fóruns, damos os nossos contributos nos vários tópicos e existe alguma dificuldade em reunirmos aquilo que foi feito. Não é que tenha grande importância, mas já tem acontecido querer ir buscar um texto sobre este ou aquele assunto e ter dificuldade nisso. Através de um blog, se bem que tenha um leque de leitores mais restrito (acho eu) toda a nossa “produção” está concentrada num espaço que utilizamos a nosso bel-prazer, permitindo, no entanto, os comentários dos leitores. No meu caso não coloquei qualquer filtro ou censura aos comentários.
Porquê “Cidadão de Corrida”? Bom… conforme digo no perfil, sou uma pessoa que procura cumprir com as suas obrigações, mas que também gosta de ver os seus direitos reconhecidos. E esta “evocação” da cidadania surge numa altura em que precisei dela e recorri a várias instâncias para que fosse travada uma afronta urbanística frente à minha casa, que estava a ser perpetrada por um empresário de renome. As diligências resultaram no embargo da obra. Vi, depois, que deveria separar os assuntos e então criei um segundo blogue “OutroGaloCanta”, para essas questões e no Cidadão de Corrida ficou a Corrida e, uma vez por outra, uma incursão pela poesia.

3) No teu blog há um misto de poesia, amor pela corrida...as duas andam juntas na sua vida??? Daria para escolher entre uma e outra?

Seria uma grande maldade fazerem-me escolher entre a Corrida e a Poesia . Se a primeira faz bem ao corpo, a segunda faz bem ao espírito. Dissociar uma coisa da outra é contrariar os benefícios de ambas. Mas de facto, o que me trouxe aos fóruns e aos blogues foi falar de Corrida. Mas reparei que um grande amigo nosso (conhecido dessa forma), o saudoso Sálvio Nora, alimentava um tópico, a que chamava o seu “jardim” para, diariamente colocar aí algumas “pérolas” da poesia portuguesa, ilustrando assim, as suas brilhantes intervenções. Isso deu-me alguma “coragem” primeiro para fazer a minha primeira intervenção e depois, para “brincar” aos poemas, pois nunca eu tive a pretensão de chamar poemas aos meus versos.
Donde vem o gosto pela poesia? Foi um gosto que adquiri já na idade madura. Lembro bem que considerava intragável a leitura e compreensão de Os Lusíadas, quando tive de estudar a obra. Porém, uns anos depois, é que comecei a dar-lhe outro valor e a reparar na riqueza e no alcance daqueles versos. E decorei várias estrofes (mais de 50) das passagens que considerava mais interessantes ( … e a lembrar-me do jeito que isso me tinha dado, se o tivesse feito na altura certa). Não tenho dúvidas que isso influenciou muito a minha preferência pelos versos decassilábicos.

4) Ainda falando de poesia, você conseguiria ter inspiração após um treino ou uma prova ruim?

A inspiração tanto põe vir nas horas boas como nas horas más

Eu não tenho vistas largas
Nem grande sabedoria
Mas dão-me as horas amargas
Lições de filosofia!

(Dizia o António Aleixo, poeta popular algarvio, analfabeto (ou quase).

Mas falar de ” treinos ou provas ruins” é coisa que não posso fazer. Porquê ? Tenho tido sorte: os treinos são sempre adaptados à disposição do momento sem a preocupação de uma disciplina rígida por um plano pré-estabelecido. Se não apetece correr, volto para casa ao fim de 3 minutos. Nas provas também não tenho tido grandes problemas, pois se completar a maratona em 3,20 fico contente; se acabar em 4,10 é porque vim a passear algum tempo, logo, fico contente também.

Maratona de Sevilha (entrando no Estádio) -Fev.2009



5) Você não esconde a preferência por longas distâncias. Qual seria o seu limite...?

Ninguém sabe qual é o seu limite. O que se sabe é que tem de haver uma preparação mínima que torne realista um objectivo que se trace. Gostaria muito de um dia fazer uma prova de 100km, como os 101km de Ronda, mas isso implica uma disponibilidade para a sua preparação que, nesta altura, não possuo. Contento-me com umas maratonas e com a Ultra Melides-Tróia (43km na areia)

6) Imagine a seguinte hipótese: Você está no meio de uma prova de 10km, onde o percurso é feito em 2 voltas de 5km. Você percebe que uma mulher/homem corta o caminho. Na hora da premiação, ela/ele sobe ao pódio. Qual sua reação?

Nunca gostei de pactuar com a fraude, por isso, numa situação dessas e em nome da verdade desportiva, denunciaria o caso.


7) Já sofreu alguma lesão durante a corrida? Qual o tratamento?

Felizmente, não me lembro de alguma lesão durante a corrida. No Duatlo e Triatlo sim, mas no segmento de ciclismo, com quedas aparatosas, uma das quais (Duatlo do Cadaval) me obrigou à desistência e ir na ambulância para o Hospital fazer radiografias aos ossos todos,eheh. Mas estava tudo bem.) Na corrida, em treinos, já me aconteceu uma ou outra entorse, mas nada que algum descanso não curasse.




Raide 2008



8) No seu blog você nos conta que por algum tempo liderou o ranking de corridas e em seguida manifestou sua "tristeza"...por cair para o 2º lugar. Na sua opinião, o 1º colocado é sempre o melhor????

Falar de “tristeza” foi apenas uma expressão de brincadeira! Nem tão pouco eu alguma vez contava liderar fosse o que fosse. Calhou ter feito 3 corridas, somar 100 Km e ficar na frente, apenas até que viesse o seguinte e me “ultrapassasse”.
Ser o primeiro num determinado momento, não quer dizer que se seja o melhor. No final é que se fazem as contas e aí, naquilo que estiver em apreciação, quem estiver em 1º é porque foi o melhor. Mas só no final das contas.

9) Cada vez mais assistimos atletas sendo pegos em exame de dopping. A que você atribui esse comportamento dos atletas? Acha que a cobrança por resultados influi para o uso de drogas?

Entristece-me o recurso a substâncias proibidas para se alcançar performances ilusórias. Há falha em tudo: no resultado (que é fraudulento); na honra; na saúde do atleta; no prejuízo daqueles que tiveram um comportamento correcto; no enganar o público. Nenhum prémio merece que se corram riscos .

10) O que mais te irrita durante uma prova???

A falta de Fair Play irrita-me bastante. Detesto ver atletas a vociferar contra as organizações no final das provas, principalmente se não tiverem razão. E quando a têm entendo que há formas de se fazerem ouvir sem entrar em “baixaria”.

11) Quando você cruza a linha de chegada, qual a 1a coisa que te vem a cabeça???

Cada prova é um caso, mas não estou a lembrar-me nada de especial além do clássico “consegui!” Durante a prova sim, vêm-me à cabeça milhares de ideias, que me ocupam e distraem para combater algum desgaste que me possa assolar. Mas à chegada, não estou recordado.

12) Você tem algum ritual pré-prova? Qual?

Há um “ritual” que não dispenso que é o xixizinho antes da partida. Se, depois, me lembrar que o não fiz, durante a corrida, a vontade aparece logo!



Raide 2006


13) Há os que juram de pés juntos que "VIAGRA" (aquele remedinho que muitos homens adoram tomar para ter melhores desempenhos sexuais), melhora o rendimento na corrida. A moda agora é jogador de futebol ingerir os tais para render nos treinos. Você tomaria VIAGRA para correr melhor??? Por que?

Não tomaria nem Viagra nem qualquer outra substância ilícita para ganhar algum tempo.

14) Uma corrida que você nunca mais vai esquecer.

Para falar de uma posso não conseguir ser verdadeiro. Não vou, por isso, destacar nenhuma .Digo apenas que as Maratonas são as provas que mais gosto de fazer. Mas há uma que está gravada na minha vida desportiva, que acompanho desde o início, pois estive a sua direcção desde o seu nascimento, acompanhei-a ao longo de toda a sua existência até aos dias de hoje . Em Setembro vai ter a sua 33ª Edição. Refiro-me à Meia Maratona de S. João das Lampas. Posso dizer que assumi com essa prova um compromisso “vitalício”. Mas tenho a sorte de ter comigo um bom conjunto de rapazes e raparigas que se empenham para que ela subsista. É uma prova modesta, mas feita com grande calor humano. Por isso, se tenho que eleger uma prova, pois que seja esta.

15) Tem intenção de voltar ao triatlo?

Gostava, se bem que, presentemente não tenha condições físicas para treinar os 3 segmentos. Por outro lado, depois de uns trambolhões que dei de bicicleta, apanhei um bocadinho de “respeito”ehehe. Mas sou capaz de, pontualmente, vir a fazer um ou outro triatlo.

16) Uma dica para bolhas, unha preta e todas aquelas coisinhas que adquirimos ao correr.

Bolhas e unhas pretas é cá comigo! O que dana mais é sabermos que esses problemas só surgem por falta de cuidado. Sabemos que o sapato deve ser confortável e com alguma folga e que a peúga deve macia e sem rugas. Só que, às vezes, com a pressa, começamos a correr sem dar atenção a isso. Depois, a meio da prova, começa o desconforto. Na maratona de Lisboa de 2007, depois de andar 12km com uma bolha enorme, ao passar pelo carro, aos 32, troquei um sapato e lá consegui completar a prova.

17) Você se considera um corredor displinado? O que lhe faltaria para fazer parte da ELITE...rs...?

Sim. Às vezes, “estupidamente” disciplinado. Estou a lembrar-me de situações em que todo o pelotão arrepia caminho e eu vou –sozinho- dar a volta pelo sítio certo. A falta que já tenho cometido é correr em provas em que não estou inscrito, utilizando o dorsal de outro, ou correndo mesmo sem dorsal. Sei que é errado e não aconselho a ninguém mas… é a minha confissão pública.

A minha prova de eleição -Meia Maratona de S. João das Lampas (fotodiploma do último vencedor)



18) Durante uma prova, você usa alguma estratégia? Qual?

A única estratégia é equilibrar a preparação feita, com o ritmo que devo imprimir, para dosear o esforço, permitindo-me fazer a prova sem sacrifício.

19) Complete a frase: Não dá para correr se....

…não me apetecer !

20) Um conselho para quem está começando agora.

No começo não devemos querer atingir muito depressa, grandes resultados. Muitos nunca os atingirão e isso não deve ser motivo para o abandono da modalidade. Estar na corrida é estarmos entre gente que também corre e não precisamos chegar primeiro para sermos vencedores. A grande vitória é o bem estar que a Corrida nos proporciona.
A alta competição já é outra estória, mas não é para falar dela que aqui estamos.


Ai, ai...como me orgulho de segunda-feira!!!!!! Nando (sim.. pois agora estamos íntimos.. eu e todos os leitores...sabemos muito de sua vida...)...muitíssimo obrigada pela entrevista, pela simpatia e espero que tenha gostado de participar desse meu cantinho dedicado a todos nós...pois é um presentão ler histórias como a sua!!!! Vlwwwwwwwwwwwwww...

E você que está lendo o post.. fique atento, pois na semana que vem você pode estar aqui no VOCÊ FOI O ESCOLHIDO!

quinta-feira, 12 de março de 2009

FIM DA NOVELA...


Graças à Deus chegamos ao fim da novela...quer dizer.. chegamos ao fim do mistério, pois a novela só acaba quando eu voltar a correr normalmente.

Como eu disse há 2 posts atrás, não fui ao médico na segunda e sim na terça-feira. A espera quase me matou, confesso. Procurei um bom ortopedista (quer dizer bom mesmo a gente só sabe que é quando passamos por ele). A única coisa que eu sabia era que o Dr. Carlos Braga era médico especialista em medicina do esporte e médico do santos Futebol Clube. Ok.. se jogadores passam por ele...então lá vamos nós né??? Às 13:00 em ponto lá estava eu. Com o consultório cheio, pude pensar em várias coisas para perguntar para ele. É claro que esqueci mais da metade na hora "h". Quando fui chamada para entrar na sala, me deu uma coisa...um medo de ser uma lesão grave. Ele me perguntou o qu eu sentia. Nessa hora, aproveitei para me gabar um poquinho: "Sabe o que é Dr. no dia 15 de fevereiro participei d euma prova de 10km.. comecei a sentir uma dor estranha aqui no tornozelo..Então, no domingo ainda corri uma Meia Maratona em São Paulo e a dor piorou! É incrível como a palavra "maratona" causa impacto em quem ouve. Imediatamente ele deixou de escrever e olhou para mim. Parecia não acreditar que uma anã de 1,52...rs...corria uma meia maratona. Então me pediu para subir na maca. Apertou aqui, apertou ali e me disse para ir para a sala de radiografia. Jesus!!!!

Lá na sala, um Sr. muito simpático olhou para mim e disse brincando: " Vixe, coitadinha".... e eu ainda com bom humor (isso sempre), respondi: "Coitadinha não, ainda não sou coitadinha, mas posso virar a qualquer momento, depende do que você ver aí nessa coisa..." Ele sorriu e me pediu para que ficasse calma e que nada de grave seria. Pois bem, feita a radiografia e ainda denominada pelo Sr. de " biscuit"... sim... ele me chamou de biscuit e ser chamada de biscuit aos 32 anos de idade com 1 filho de 11 meses... é o máximo...rs...me dirigi novamente á sala do médico.

Estava ansiosa, ele olhou a radiografia.. e disse...:

(Segundo o médico, na foto do meio, há na parte de trás do pé, uma pequena abertura e é justamente aí, a inflamação)


tantanatnana...."Isso não é nada"...é muito comum em quem corre..." "Tá, legal, mas o que é Dr.?"... " Vou te tratar, é apenas uma inflamação no ligamento fibulotalar. "Ah, tá..." Eu nunca tinha ouvido isso, mas pelo menos ter ouvido que não era nada grave já foi um grande feito, aliás, o maior da tarde...Ele ia me receitar uma injeção, mas imediatamente lhe disse, que por eu sofrer de púrpura trombostopênica, não poderia recebr qualquer injeção intra-muscular. Dessa forma, abortou a missão e apenas me receitou 10 sessões de fisioterapia.

Ok...o que vem a ser esse ligamento fibulotalar?

É um ligamento do tornozelo e suas causas são por torções, sendo a lesão do ligamento fibulotalar anterior (85% dos casos) a mais comum. Ou seja, não estou sozinha nessa não!!!!!!!

Eu sempre preguei aqui que devemos ir ao médico...e fui...mas a partir de então, não serei uma menina tão boa assim, já que ao meu entender e olha que não tenho a menor vocação para a medicina, fisioterapia numa inflamação não seria o melhor remédio, mas sim... gelo, repouso absoluto na corrida e caminhadas leves dentro da água. Repito, não sou médica, mas farei isso, aliás, já comecei e hoje caminhei por dentro da água por 3,5km...até eu havistar um enome siri com patas gigantescas vindo em minha direção e encerrar a sessão de tratamento, pelo menos hoje...rs...(é incrível como essas criaturinhas são gostosas mas ao mesmo tempo apavorantes...rs...)

De toda forma, tá aí...nada grave...apenas uma inflamaçãozinha...que irá passar, pois só voltarei aos treinos na quarta-feira que vem, ou seja, 10 dias de molho...lalalalalalalalalalalal...iupiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiiii... não será desta vez que serei apenas uma blogueira e não mais uma corredora....Deus sabe o que faz!!!!!!


E A TODOS QUE TORCERAM POR MIM E ME MANDARAM BOAS VIBRAÇÕES...TÁ AÍ....VLWWWWWWWWWWW GALERAAAAAAAAAAAA!!!!

ps.: E que venham os Campeonatos!!!!!! rs...

AGORA É OFICIAL...

Gente, gente.. vcs não vão acreditar... mesmo com esse tempo muito do meia boca que eu fiz na Meia Maratona de Sampa (01:59:46)... fiquei em 9º na minha categoria, onde disputavam 59 mulheres...dá licença!!!!! rs....
Dá uma olhada nisso!
É mole?????

quarta-feira, 11 de março de 2009

NÃO FOI BOLINHO NÃO....


Salve, Salve galera blogueira. Primeiramente tenho a obrigação de começar este post agradecendo a todos que de alguma maneira me ajudaram.. seja com incentivo de que tudo correria bem, seja com desejos de boa sorte, de boa recuperação...O importante é que a profecia de cumpriu e mais 21km e alguns metrinhos..rs...foram para o saco...foram engolidos pelo meu par de tênis...tanã....rs...e é claro...essa proza deve ser narrada com detalhes sórdidos para vocês e por vocês!!!! (hoje eu estou empolgada...rs...)
No sábado que antecedeu a Meia Maratona de São Paulo, eu estava calma. Passei a tarde inteira entregando convites do aniversário de 1 aninho do meu filho e isso me fez esquecer um pouco o que me esperava no dia seguinte. Dentro do kit da corrida, veio um livreto explicando algumas lesões e tudo que eu lia, parecia que se encaixava perfeitamente ao que eu estava sentindo. Não deveria ter lido aquilo, mas...já era tarde.. na minha cabeça, tudo quanto era "iti" eu tinha nos pés...bursite, tendinite...aff...
05:00hs da manhã do dia da prova, João me acordou. Tomei um susto e pensei que o guri daria um show. Aliás, deu...mamou e voltou a dormir. Após deixá-lo na minha mãe, eu e meu marido pegamos a estrada. Um amigo nosso já tinha dado uma explicação do trajeto e falar que era no Pacaembu ajudou bastante, mas não o suficiente. Por sorte na estrada havistamos um carro com placa de Santos e ao emparelharmos pudemos ver que eram atletas e estavam indo para o mesmo lugar e o melhor...eu os conhecia! Resolvido.
Ao chegarmos nas imediações do Pacaembu, um alvoroço de flanelinhas já se formava. E aqui devo abrir um parênteses para falar dessa raça. Gente vagabunda, imprestável, folgada e que deveria ser exterminada da face da terra, ou pelo menos das vagas onde cabem nossos carros, vai, para não ser tão radical.
Pois bem. Vimos uma vaga dentro de uma loja de móveis. Entramos. A criatura se aproxima e lança: " Pode pagar adiantado chefe?" Já sabíamos que teríamos que pagar.. isso era fato...todo lugar é assim e ali não seria diferente. Então, meu marido perguntou o valor e eis que sem nenhuma timidez, o malandro solta: R$ è 20,00! Na hora, eu lancei a indignação: " Tu deve tá de brincadeira!". Entrei no carro e pedi para o meu marido tirar dali.. e sabem o que ainda tive que ouvir do palhaço do flanelinha de bosta??? (desculpem o palavriado, mas não há como me expressar com tanta indinação verdadeira, senão por meio da palavra "bosta". " Quer pagar quanto? 0,20? Eu sou homem!" Olha, até agora eu estou aqui me perguntando como foi que eu consegui ficar quieta diante dessa grande revelação: de que o flanelinha era homem! Sim, porque ser homem para ele, significava que eu era uma otária, já que queria ganhar 20,00 meu no mole...Saímos dali e mais adiante estacionamos...R$ 10,00...na rua, com direito a 2 arranhões na parte do para choque...é o Brasil!!!! fazer o quê???
Verdade seja dita: a adrenalina de estar ali era tanta, que eu queria memso era entrar no Pacaembu...eu e minha mochilinha da NIKE (nanananana..rs...). Aquilo era enorme....


Tudo perto de mim fica enorme...rs...Aliás, quem vier com aquela piadinha ridícula: " Sabem o que é um pontinho verde e amarelo na frente do Pacaembù? E aí sempre tem alguém para responder e perguntar em seguida: "Não, o que?" A Luciane do blog JUST RUN! "...Dã...rs...



Fiz questão de tirar foto lá dentro, já que estava liberado e também fiz questão de que fosse na parte verde do Estadio, já que SOU PALMEIRENSE, com muito orgulho. Meu marido ficou uma fera quando eu falei isso (ele é santista), mas...era Dia da Mulher...rs...e com a Lei Maria da Penha então (agressão à mulher dá cadeia..rs...)...

Para variar, a famosa dor de barriga...coisa chata que eu resolvi em alguns minutinhos...rs

Então, fui à procura dos blogueiros. Eu tentava olhar para os nomes nos numerais, mas ficava difícil...Então.. o jeito foi me contentar em achar o Marildo (blog 4 corredores), pois esse eu já conheço bem...Era hora de montar a tal barraca (aquela que ganhamos da Decathlon). Que luta!

Era um puxando daqui, outro de lá... E dale manual de instrução... e puxa de novo e nada levanta! e mais manual... Depois chegou o Marildo e resolveu logo o problema. A barraca não é tão funcional, já que é necessário sempre ter grama por perto para prender os apoios e não é sempre, aliás, quase nunca, temos grama por perto (há de chegar o dia em que correremos no meio da Selva, nem que seja correndo de leões, lobos selvagens, tenho certeza, mas enquanto essa corrida-safari não chega, tenho que admitir que a barraca é pouco funcional.

Enquanto a homarada se matava para fazer a barraca ficar de pé (rs...que expressão feia, mas é que a temos para hoje..rs...), eu estava ali do ladinho, todavia num ritual bem mais difícil....



Eu alongava, alongava....queria ver se sentia a dor...E ela estava ali...e não estava fraquinha não. Parei, passei "bengué".. voltei a alongar...Eu já sabia...ela não ia me abandonar.. não naquela hora. Ela correria comigo, porque ela treinou para isso...para estar ali...os 21km. Confesso que eu estava um pouco preocupada, afinal, eu não sabia o que poderia acontecer. Se fosse uma lesão, talvez eu quebrasse antes do meio da prova ( e o pior, sem ter a menor idéia de onde eu estava...rs...sem dinheiro para o táxi e sem coragem para subir numa ambulância de resgate...rs). De toda forma...era o que tinha para aquele dia de domingo...


Naquela hora eu só tinha uma coisa a fazer.. aliás.. algumas: comer minha banana, meu sanduíche de queijo, minha garrafa de carboidrato e me dirigir á largada. Optei pela palca de 01:40 a 2:00.hrs.. Na verdade pensava fazer acima desse tempo. Eu não estava com a menor condição de pensar em correr forte, tão pouco em quebrar recorde pessoal. Isso talvez seria para a próxima vez que eu estivesse ali ou no máximo em agosto na Meia Maratona da Praia Grande.
Como sempre, fui entrando calmamente no alambrado, verifiquei se o MP4 estava engatilhado, rezei meu Pai Nosso, conversei com meu escapulário. Esperei. Acabei ganhando uma bandana da ADIDAS, de um homem que estava na minha frente. Por alguns minutos pensei: Por que ele me deu isso? Será que eu estou com cara de dor, de desesperada e ele quis me deixar feliz? A partir de então, a bandana virou meu amuleto. Não quis colocá-la na cabeça, pois tirar o boné faltando 2 minutos era complicado...acabei colocando a bandana como os que os gaúchos usam no pescoço...rs...(O Bruno me disse que se chama "vincha".. que agora chama-se simplesmente lenço mesmo). Não ouvi o "fuóóó " da largada, apenas segui o fluxo. O 1º quilômetro foi crucial para saber se eu aguentaria. Eu sentia a dor, mas também sentia que podia aguentar e ser mais forte do que ela. Essa era a principal intenção...vencê-la.

Havistei a primiera subida. Achei estranho, porque me disseram que haveria 2km de subida...eu achei aquela subidinha muito fuleira, mas só então descobri, que aquela era só a primeira subidinha...A coisa ficou feia, quando cheguei numa placa do Arouche. Ali pdia ver um mar de gente ladeira acima... e eu ainda ladeira abaixo estava em pânico esperando o que aconteceria comigo...E vem a pergunta: O que aconteceu? Nada.. absolutamente nada. Fui tomada por uma emoção tão grande ao ver aquela multidão correndo junta... toda aquela gente unida por uma mesma paixão...a mesma que a minha, a mesma que a de vocês. A subida castigava, ainda mais porque depois sempre vinha uma descida e era onde eu mais sentia a dor. Só olhei no relógio 2 vezes...no primeiro quilômetro, onde marquei 5 minutos e 30 segundos e no 10km.

A intenção era beber água em todos os postos, como sempre faço e principalmente em Meias maratonas, mas como eu estava com fone no ouvido, não conseguia ouvir o staff informando: á direita água, à esquerda água...e parecia coisa, mas eu sempre estava no lado oposto da água. Assim, acabei perdendo 2 postos, oq ue não me causou nenhum problema, já que eu me hidrato muito no dia anterior á prova. Em determinada hora, um Staff logo a frente gritando.... Meia maratona à direita, 10km, á diante...rs...A vontade de seguir adiante passou quando eu já estava na metade da curva á direita...Estava quase na metade da prova... Quando chegou o 1oº quilômetro, olhei no relógio...0:56 min...O tempo era razoável...Geralmente a essa altura eu estaria a 0:53/0:52...e estar com 0:56 machucada já valia estar ali. Então, havistei um posto de hidratação. Dessa vez, não tinha água era Gatorade. Que chic! Chic nada...Um pobre coitado para atender milhares de atletas sedentos por um copo de gatorade... não tinha vencimento.. ahei o fim, mas sem precisar degladiar com ninguém, consegui meu gatorade. Antes mesmo daquela delicinha refrescar o estômago, veio a resposta do por quê estariam dando gatorade naquele momento...uma ladeira imensa...era mais ou menos o k 13...não sei ao certo. Ali eu senti, logo na descida que eu poderia quebrar se não soubesse administar. No entanto, a alegria era tanta, a felicidade era tanta, que aquelas ladeiras se tornavam totalmente planas. Quando havistava as pessoas ainda indo, quando eu já estava vindo do outro lado da pista, eu tinha a certeza de que eu era mais forte do que a dor. E digo mais, sem querer puxar saco ou parecer boba...por diversas vezes lembrei de muitos de vocês me dizendo que eu iria conseguir e em espcial da Ana do blog maria sem frio nem casa, onde num e-mail muito amigo, me confortou demais nesse momento difícil que é para um corredor (estar machucado).

Comecei a sentir o cansaço na altura do k 18, mas eu já não podia parar. Era questão de honra. o Sol começou a castigar a maioria dos atletas. Via-se rostos cansados, nitidamente castigados. Mas eu não...comigo não..ser casrigada pela dor, vá -lá.. mas pelo meu amigão...nem a pau juvenal!...rs...que venha os 38º que eu não tô nem aí....rs... Depois de muito sobe e desce...eu estava de volta...reconheci que faltava pouco, já que a chegada era no mesmo lugar...faltavam 2km...acelerei....estava totalmente amortecida...lembram daquela piadinha também antiga do Pi-piu...em que o frajola lhe pergunta: Você correu 5km Piu-piu, o que está sentindo? " Não estou sentindo nada". Você correu 10km Piu-piu, o que está sentindo?" " Não estou sentindo nada". Você correu 15km Piu piu, oque está sentindo?" "Não estou sentindo nada" Indignado com a boa forma de piu-piu, Frajola o faz correr uma maratona sem nenhum treinamento. " Você correu 42km piu-piu, oque está sentindo?" E só então o mistério foi desfeito: "Não estou sentindo nada, não estou sentindo meus bracinhos, não estou sentindo minhas perninhas, não estou sentindo meus dedinhos, não estou sentindo nada"...

Pois é... pelo menos no domingo... eu fui o Piu-Piu...rs...(Na segunda também...rs...). A placa de 20k me encorajou.. era a hora... acelrei o que eu pude...Não sentia dor, queria ver o Pacaembú de novo...Tirei o lenço do pescoço, enrolei na mão...eu queria entrar com o meu amuleto á mostra


Eu tinha conseguido.. eu tinha sim....Meu marido à postos...registrou a minha entrada. Eu sorri...aliviada. Mas ainda não tinha acabado...ainda não tinha pisado no tapete vermelho. Faltava pouco.




Eu não olhava para o meu relógio, não queria saber do meu tempo.. estava com medo...então num sprint final passei 1,2,3,4 pessoas...recebi alguns aplausos...cruzei a linha de chegada, abaixei, toquei o tapete vermelho, me benzi e apontei para o céu, dedicando aquele momento àquele que me concedeu a sorte de estar ali...Apertei a bandana em minhas mãos fortemente e mais uma vez beijei meu escapulário. Só então olhei para o meu relógio: 01:59:43, o que diferenciou um pouquinho do cronõmetro da prova, onde registrou minha passagem pelo tapete ás 2:01:23.


Mas que diferença fazia? A diferença eu fiz a partir da largada. Fui persistente. Tomei a dor que eu sentia...me deixei levar pela emoção da prova e pronto...deu tudo certo, graças a Deus. me dirigi à barraca das medalhas...Kitzinho safadinho, mas...(uma maçã, 3 chocolates, que aliás, uma menina de rua me pediu antes mesmo de eu poder ver a marca, óbvio que eu dei pra ela...uma barrinha de torrone e uma de cereais e um copinho de gatorade....quente ...

mas que naquela altura...era a coisa mais gelada que eu tomei nos últimos 30 anos...A medalha foi bonitinha...inha, inha vai.. já vi coisa smelhores. Aliás, um dos cadeirantes que estava ao meu lado na fila do gatorade estava meio revoltado, achando que o troféu foi safado...Também ahei viu.. pequeno...mas...simbolicamente falando...lindo! O saldo foi positivo pra mim... e muito mais do que eu mesma, qem mereceu esta medalha foi mesmo meus pezinhos...com ênfase ao tornozeloesquerdo...





esses sim foram astros...não se renderam à dor...batalharam e mostraram ser guerreiros...
Daí a famosa frase: "GRANDES DISTÂNCIAS NÃO SÃO PARA LOUCOS, MAS SIM, PARA POUCOS"...


O importante é sempre ter apoio... dos amigos...do maridão... do filhote que não acorda na madruga em véspera de prova e deixa a mãe descansar bastante... tudo isso conta...Tudo isso faz do esporte um vício.. que eu nunca vou abandonar na vida...se Deus quiser...

De volta à barraca, o saldo foi também positivo. O Clayton da nossa equipe fez para 01:39, a Patrícia correu os 10km e fez para 01:20, ótimo para quem odeia correr no sol. O ruim foi que o Marildo acabou não correndo, pois vinha de uma gripe e não se sentiu muito bem para participar...mas tava ali.. dando apoio para a galera que fechou esse dia tudo dentro da barraca...rs...



Eu achei por bem, finalizar este "pequeno" post...rs...com a minha super bolha, adquirida na constância do percurso...afinla de contas, não se trata de uma bolha nomal.. não...muito pelo contrário...é uma bolha Internacional...rs...


E quanto ao médico??? Sim eu fui, não na segunda-feira, pois ele acabou desmarcando porque se sentiu mal (sim, médicos também se sentem mal...rs) mas na terça...Todavia... isso fica para amanhhã...rs...

Vamos combinar, para uma advogada eu estou me saindo uma ótima escritora de novelas...rs..

segunda-feira, 9 de março de 2009

VOCÊ FOI O ESCOLHIDO...

Saudações queridos leitores e amigos... aliás, mais amigos do que leitores vai...rs...Hoje é dia...hoje é dia...lalalala...O Garfield que me perdoe e não me ouça, mas amo segunda-feira. E sabem por que?? Simples...é dia de VOCÊ FOI O ESCOLHIDO. Na semana passada, O Carlos Lopes nos contou um pouquinho de sua trajetória no mundo das corridas. Lá de Portugal, ele provou que correr, não importa onde estejamos, é muuuuuuuito bom. A viagem ao país de Carlos foi tão boa, que decidi continuar por lá, pois nosso entrevistado da semana também é um corredor português, ora pois pois...rs...Estamos falando de Joaquim Avelino do blog


1) Quando e por que vc começou a correr?

A minha primeira corrida aconteceu porque fui obrigado a correr. Tinha 20 anos mas queria ser Pára-Quedista, então nas provas de acesso tinha de correr 1500 metros à volta da pista com os outros 30 candidatos e sem saber como, fiquei em 1º lugar, acabando por ser selecionado com a ajuda da corrida. mas como eu vinha do futebol a minha actividade como corredor começou e acabou ali.Mais tarde e já quando tinha 39 anos voltei por força dos meus filhos, a Susana com 7 anos e o Hugo com 12 (ambos já andavam no Atletismo) e com um grupo de amigos formámos um Clube só para a prática do Atletismo e tornei-me, para além de dirigente, fui treinador e também praticante. Daí para cá nunca mais parei.


2) E aidéia de criar um blog veio quando? De onde surgiu o nome pára que não para?

Eu deixei a vida activa de funcionário público vai fazer 2 anos em Maio próximo devido a uma doença grave, fui operado e felizmente acabei por superar e vencer a doença, daí para cá e porque tinha mais disponibilidade, comecei a acompanhar mais de perto tudo o que se passava com a corrida. Como a Susana tinha um blogue, o Espraiar http://susanaadelino.blogspot.com/ , eu ia seguindo com bastante interesse o que ela lá ia fazendo, foi então que eu dicidi criar o meu próprio blogue. Foi no dia 18 de Julho de 2008, porquê? A minha situação de Aposentado obriga-me (por imposição própria) a estar activo, os treinos e as competições já preenchiam uma parte dessa necessidade mas não era suficiente, a criação do blogue veio preencher esse vazio. Para além de memorizar uma das paixões da minha vida, veio permitir também descobrir uma coisa nova que são os amigos da blogosfera, actuais e virtuais, com quem me relaciono humildemente muito bem. O nome "Pára que não pára" surge inspirado numa das paixões da minha vida, que foi ter sito Pára-quedista, daí o nome inicial aliado a esta mania que eu tenho de nunca estar parado.



Meia Maratona da Marinha Grande com o tempo de 1,16h. (melhor tempo na distância) à precisamente 18 anos atrás, tinha eu na altura 42 anos.


3) Paraquedista...espírito aventureiro. Não tem vontade de encarar uma corrida de aventura, com muito mato, lama, pedras? Em Caso negativo, por que?

Num conjunto de 5 irmãos, 4 foram pára-quedistas, por isso sempre fui um apaixonado pela aventura (o que acabou por me levar à guerra colonial em 1969). mas paixão pela corrida só começou por volta dos 40 anos. Nunca fui tentado nessa altura para provas de aventura. Vivemos uma ditadura de 48 anos que terminou em 1974 e foi a partir daí que se deu a explosão das provas de estrada aqui em Portugal. Hoje já se fazem algumas provas de aventura por aqui, mas apesar de eu gostar da natureza já não estou para aí virado.

4) Normalmente no meio das provas, você corre para pegar o da frente ou para escapar do de trás...rs...?

A maior parte das provas que eu faço são para me divertir, por isso muitas vezes faço-me acompanhar da máquina fotográfica para ir registando coisas interessantes que vamos observando, aí eu não me encomodo com quem vai atrás ou à frente, agora aí tem outras como as que fazem parte do Troféu do Município de Loures, aí tem de haver luta. Mas é uma luta muito saudável, é por isso que eu nestas provas corro para pegar o da frente, e tenho até aí um cara muito meu amigo, mais velho 4 anos que eu não consigo chegar, eu tento mas não dá. No fim damos um abraço.

5) Para você, a melhor sensação é ouvir o "fuóóóó" da largada ou havistar o cronômetro da chegada? Por que?

Um amante das corridas gosta de estar envolvido nas multidões de corredores, é ali que se respira a pureza e o simbolismo da arte de bem viver envolvido num mar de sensações de prazer e bem estar. Depois da partida o meu único objectivo é correr e desfrutar esse prazer, tem provas que olho para o cronómetro e só quero chegar, mas tem outras (e são a maioria) que não tenho pressa de chegar e essas são sempre as melhores.

6) vamos fazer um ping pong rápido, ok?

a) correr sozinho ou acompanhado? Nas competições, sozinho.
b) com música ou sem música? sem música
c) na areia ou no asfalto? No asfalto
d) em subida ou plano? Plano
e) no frio ou no calor? Frio


eu e os meus dois filhos


7) Você acha que a corrida de alguma forma mudou a sua vida? Por que?

Há 20 anos quando comecei a correr pesava 78 kg. mais 10 do que devia, ao fim de 1 ano eu já pesava 64 kg. e já conseguia correr abaixo dos 4 minutos por km. Para além de correr tinha outra paixão que era andar perto dos meus filhos e ajudar a encaminhá-los, quer nas corridas quer para a vida. hoje passados que são estes 20 anos sinto-me recompensado, 2 maravilhosos filhos, sem vícios e bem encaminhados para a sua vida. A corrida e todo o seu envolvimento contribuiram para eu hoje me sentir um homem tranquilo, com saúde e um grande bem estar, comigo e com os outros.


8) Já sofreu alguma lesão devido á prática da corrida? Qual? Como foi o tratamento?

As únicas lesões que eu tive foram entorses nos pés com alguma gravidade, os tratamentos forem sempre feitos à base de "mézinhas" (dicas que ia ouvindo) gêlo, pomada, anti-inflamatório, etç. O pior é que isto nunca se curava a 100% e hoje as consequências disso ainda cá andam. É por isso que eu digo sempre quando as lesões aparecem têm sempre de ser bem curadas, senão mais tarde sofremos por causa disso. Vejam o meu exemplo, já passei por isso e agora que já cheguei estou sentindo os erros que cometi.


9) Tem vontade de correr aqui no Brasil? Está se programando para isso algum dia?

Vontade quem não tem? O sonho eu tenho, concretizar é que é complicado. Um dia se puder eu vou, não tenha dúvidas.


10) Há atletas que sofem ao trocar de tênis. Criam um laço tão grande com os velhinhos que há os que digam que o rendimento cai consideravelmente quando usam tênis novos. Você é desses que preferem um tênis surrado?

Não sei porquê mas eu tenho um grande respeito pelos ténis que uso nas corridas. Só os deito fora quando descolam ou se desgastam por baixo ou na parte de fora do calcanhar. Nas corridas prefiro o ténis muito usado. Agora eu tenho uma dúvida, alguns problemas constantes de dor no gémeos, na canela ou nas articulações dos pés deverão ser causadas pelo uso dos mesmos ténis durante muito tempo, gostava que alguém me esclarecesse esta dúvida.

11) Você corre visando resultados, ou qualidade de vida?

Em primeiro lugar a qualidade de vida, (ás vezes esqueço-me desse pormenor) a base dos treinos é sempre feito ao ritmo de manutenção, raramente faço treinos específicos de intensidade, exactamente a pensar em não estragar a vontade e o prazer de correr. Nas competições é que existe um misto das duas coisas, mas vou ter de optar rapidamente só pela 2ª hipótese.



Com Daniel,companheiro de Susana


12) Qual a corrida que você mais gostou de participar? E aquela que você não morre sem correr?


A Meia-Maratona de Sevilha, aqui na vizinha Espanha, para lá chegar temos de viajar cerca de 600km e já conto 6 presenças nessa prova. Ainda à poucos dias falava com a Rosa Mota, acerca da S. Silvestre de S.Paulo que ela ganhou durante algumas edições e me dizia que era uma prova que lhe impunha muito respeito, pela qualidade e pela multidão que era assustadora. Pois é minha amiga, era essa que eu um dia gostaria de fazer, vou sonhando.


13) Aqui no Brasil, há uma corrida em que os atletas a cada 2km ingerem cerveja.. Vence aquele que cruzar a linha de chegada em, pé. Você não acha esse tipo d eprova um contransenso, já que esporte está ligado à vida saudável e não à bebidas alcólicas?

Considero um perfeito disparate, mas os atletas/corredores de bom senso de certeza que dispensam bem esse tipo de hidratação em competição ou então pura e simplesmente ignoram. Nós também temos aqui uma prova desse tipo, a única diferença é que o abastecimento é com vinho moscatel, existindo sempre em alternativa a água. E olhe que existem muitos que preferem o vinho.


14) Você se considera um corredor disciplinado, daqueles que fazem planilhas, se alimentam muito bem, vai ao médico com frequência...?

A minha disciplina advém do gosto pela corrida, não uso plano de treinos (planilha) porque gosto de planear o meu treino no dia a dia, isto não significa anarquia porque os objectivos quando estão traçados eu procuro treinar para enfrentar esses desafios. Mas eu aconselho sempre, todos devem treinar com plano de treinos, para além da disciplina que está sempre presente a orientação do treino deve ser sempre feita por alguém experiente e com saber. Ao contrário de muitos, eu não tenho grandes cuidados na alimentação, apenas evito carnes gordas e vermelhas, de resto sou um bom garfo e depois confio na queima dos resíduos nefastos durante aquela horinha diária que dedicamos à corrida. Falando de médico eu tinha consulta todos os anos, por imposição do serviço, agora após a Aposentação já não tenho. Obrigado por me lembrar.

15) Complete a frase: Não dá para correr se.....

Não dá para correr... se não tiver vontade, se tiver lesão ou qualquer dor, se tiver problema intestinal e e não tiver como resolver o problema,(o que acontece muitas vezes). Falei, mas isto nunca aconteceu comigo, deixa para lá.


16) Um ídolo no atletismo?

Eu tenho 3, Carlos Lopes, Rosa Mota e... Susana Adelino.



em plena corrida

17) O que te faria desistir de correr?

Enquanto tiver saúde e me puder movimentar não existe nada que me possa impedir de correr.


18) Diga em forma de propaganda (tentando convencer todos os blogueiros), um lugar na sua cidade ou país, que seja muito bom correr.

Caros amigos que comigo, e também sem mim, que navegam por aqui, convído-os e por vosso intermédio os vossos amigos a participarem na Meia Maratona de Lisboa no próximo dia 22 de Março de 2009 em Lisboa. Trata-se de um percurso espectacular e onde participarão cerca de 30.000 corredores, atravessaremos a Ponte 25 de Abril com uma linda vista sobre Lisboa e o azul brilhante do rio Rio Tejo ali sob os olhares a nossos pés e a perder-se no horizonte. No final amigos blogueiros, aproveitando o "robusto" saco do farnel oferecido após o final da prova, podemos acampar no maravilhoso Parque do Monsanto, e enquanto almoçamos podemos confraternizar e estreitar os laços de amizade que nos une neste mundo maravilhoso da blogosfera.


19) Como é a sua rotina de treinos?

Como o Parque Urbano onde treinamos fica a 1,5km de minha casa eu tenho de ir de viatura para lá, pode parecer estranho mas é simples de explicar, tem 1km de subida (bem dura) e depois podemos ter banho de água quente no final do treino, gratuito. Então a rotina diária: O treino começa todos os dias ás 5h. da tarde ainda com algum sol, existe um grupo de atletas que se vai formando no local da partida e à hora marcada todos vão correr. De início vão todos juntos mas passado pouco tempo a selecção de valores vai-se separando, eu por norma acabo por ficar sempre para último e sozinho, mas como já faz parte da rotina lido muito bem com isso. Com a cavaqueira no final dos treinos e o banho retemperador estamos prontos para no dia seguinte reiniciar tudo de novo.


20) Tem algum ritual antes da prova?

Não, a não ser o ritual de preparação que é obrigatório fazer antes de cada prova.


21) Um conselho para quem começou a correr agora ou quer começar a correr.

Se não tem experiência e é a primeira vez que corre eu pergunto-lhe o porquê de querer começar a correr. Só depois é que eu me sinto capaz de dar alguns conselhos, e existe um que todos sabem dar, ir a um médico e explicar-lhe porquê. Então ele tem que se motivar para ir, porque aqui é muito difícil arranjar consulta, e então não vão. Depois aconselho quais são as fases do treino que tem de fazer e de forma progressiva. Nesta fase do treino devem andar o mais possível em terreno plano e evitar subidas e descidas. Não queiram queimar etapas, como por exemplo fazer treinos em subidas com um grau de inclinação elevado, treinar em escadas ou em esteira com ritmos elevados, correr acompanhado, se possível com corredores com alguma experiência, se sentir alguma dor por efeito directo da corrida deve parar de imediato e aconselhar-se sobre o problema. tudo tem um tempo e o seu dia há-de chegar.


Gente, você acrditam que o Joaquim me disse que achava que ele ele falou demais e que ninguém leria além de sua filha? Vamos combinar, o cara é bom...tem bagagem e muita história para contar...
Joaquim...ficou ótimo. Tenho que agradecer por voce ter me dado a honra de tê-lo aqui nesse humilde espaço...Com certeza ganhaste muitos fãs viu...rs...


Ps.: Gente hoje vou ao médico depois das 13:00hs... Contarei tudinho para vocês de como foi a prova, como foi no médico.. aguardem....

sexta-feira, 6 de março de 2009


UM MAU EXEMPLO???


Estava eu aqui, hoje, pela manhã, passeando pelos blogs, como faço sempre de costume, quando parei no blog do Bruno, do correndo na chuva. Lá, ouvi o podcast dele (algumas matérias não escritas, mas falada)...achei o máximo. No entanto, abriu-se uma discussão. Uma coisa eu aprendi na minha vida: ouvir. Aliás, é o que mais faço, já que sou advogada e acabo sendo um pouco psicóloga. Ouço, ouço... horas a fio...calada e só então, tenho um parecer. No podcast do Bruno não foi diferente, já que após 14 minutos (passou rapidinho, pois é bem legal mesmo), é que comecei a pensar.

O Bruno abriu uma discussão no tocante à criação de blogs. Até então, tudo bem..que venham...Todavia, blogueiros desinformados acabam postando matérias de forma equivocada ou mesmo acabam trazendo maus exemplos aos leitores e segundo as sábias palavras de nosso amigão: " O blog torna o assunto público, daí a origem da palavra publicar" Pois bem. E aí, alguns perguntam: E daí, o que que isso tem a ver?

Eu admito que não tenho sido um bom exemplo na comunidade dos blogueiros, muito embora, confesso que em nenhum momento tive a intenção de assim parecer. Todo mundo sabe (pelo menos os que acompanham meu blog), que domingo correrei a Meia Maratona de São Paulo. Todo mundo sabe também, que estou sentindo dores no tornozelo e ainda não sei se é ou não uma lesão, pois só irei ao médico na segunda-feira. Eu sei que isso é errado. Todo corredor sabe que é errado correr com dor. A Ana Maria do blog Maria sem frio nem casa, me enviou 2 e-mails pedindo cautela. A Cris Folgar, me chamou de louca. Outros descordaram de minha atitude, mas ainda assim me desejaram sorte.

Mais uma vez repito. È uma opção. Não quero com isso que todo mundo que acompanah meu blog sinta uma dor e continue correndo porque eu farei isso e talvez nada aconteça.

Há cerca de 4 anos atrás, comecei a sentir uma dor no joelho. Era muito forte, muito, muito forte mesmo. Eu não queria parar de correr, pois estava chegando os 10km da Tribuna (principal prova de 10km aqui na minha cidade com 15.000 corredores). Continuei a treinar assim mesmo. Me lembro de uma cena até hoje. 17:00hs. Eu estava correndo pela calçada da orla da praia, chorando, literalmente. Meus joelhos pareciam que estavam abrindo. Não parei. Poderia ter sido uma lesão grave? Sim, poderia, mas por sorte resolvi com musculação apenas, fortalecendo os joelhos. No entanto, por conta dessa irresponsabilidade eu poderia estar aqui, mas apenas como blogueira e não mais como corredora.

Outro exemplo? No dia 1 de janeiro deste ano, fui correr. Senti dores na parte de trás das coxas. Parei imediatamente. Não fui ao médico, mas fiquei 15 dias de repouso absoluto. Resolveu? Sim...Mas dessa vez, ainda não sei o que está acontecendo.. pode ser que não seja nada, mas pode ser que seja alguma lesão sim. No entanto, optei por correr, já fiz minha inscrição e parar deu lugar ao vamos ver o que acontece.

Mais uma vez... serei repetitiva. Não façam isso...Procurem um médico. Sei que é um contrasenso eu dizer isso e sair correndo 21km machucada, mas...Eu ia correr hoje, fazer o último longo, mas preferi me polpar... portanto.. quinta, sexta e sábado sem correr. Talvez melhore, talvez não.. isso é que vou ver...aliás, vamos ver...

Admiro muito o Bruno por suas opiniões, as respeito, mas não farei dela uma chave para dessitir de correr pelo menos domingo. Eu poderia esconder o fato de estar machucada aqui no blog. Apenas dizer que iria correr os 21km, que estava empolgada, mas qual seria a função de um blog? Não é contar sua vida, suas vitórias, seus fracassos, suas irresponsabilidade, como esta??? Prefiro que seja assim...que mesmo que me considerem um mau exemplo, seja assim...transparente e talvez quem sabe, que eu possa contar essa história com um final bacana... ou seja...sem lesões, sem ter tido que parar.

Portanto pessoal, acho que tenho a obrigação de me desculpar por ter um bog de corridas, correr há tanto tempo (14 anos) e ainda assim, na altura dos 32 anos cometer essa pequena loucura. No entanto, acho por bem, terminar o post de desabafo, com uma frase também da Ana do blog maria sem frio nem casa: Qual corredor nunca correu com dor????