segunda-feira, 16 de março de 2009

VOCÊ FOI O ESCOLHIDO...

" Ô bate o pé, bate o pé, bate o pé.. ô, bate assim,bate assim como eu, ô bate o pé, bate o pé, baté o pé...foi assim que meu anjo me prendeu"... Na boa, ultimamente, não sei o porquê...rs...mas tenho me sentido assim.. meio portuguesinha...rs...Ah gente, essa viagem pelos blogues portugueses está sendo tão boa que não me contive em ficar mais um poquinho por lá...e convidar nosso amigo Fernando Andrade do blog Cidadão de corrida para nos contar um pouquinho da sua vida, dos treinos, anseios...enfim...nos dar a honra de conhecer mais um pouco de Portugal por suas palavras. Vamos lá???

1) Quando e por que vc começou a correr?

Comecei a correr por volta de 1975/76, quando a Revolução de Abril abriu novos horizontes e mostrou às pessoas que, mesmo na rua, sem grandes recursos, se poderia praticar regularmente desporto. E a Corrida, apresentava-se como a modalidade mais acessível, que se podia praticar só ou acompanhado, sem instalações especiais, sem horários…enfim, era o desporto em que via mais afinidade com a expressão “Liberdade” que o povo português acabara de conquistar. Era a “gaivota que voava, voava” como dizia a cantiga que, repetidamente, passava na rádio de então.
Por outro lado, sentia que me devia libertar do vício do cigarro! Tinha 21 anos e sentia que estava a ficar arreliadoramente dependente: via os dedos que seguravam o cigarro a ficarem com aquela cor amarelada; tinha de sair de casa à noite, para ir fumar; acordar de manhã com a boca a saber literalmente a merda. Comecei a achar que o prazer do cigarro não compensava os dissabores. Era preciso fazer qualquer coisa que substituísse o maldito vício. Escolhi a Corrida, pois correndo não apetecia “puxar do cigarrinho”.
E foi assim ! Há 33 anos, mais coisa menos coisa.


Maratona do Porto -Out.2008



2) Como surgiu a idéia do blogue e por que "Cidadão de corrida"?

A ideia do blogue surgiu há dois anos. Foi a Ana Pereira a nossa amiga “MariaSemFrioNemCasa”, que me convenceu, mas como eu entendo pouco de computadores e de internet, fui adiando, adiando, até que experimentei colocar um texto e “saiu”. Dantes apenas escrevia nos fóruns de Corrida. Comecei a usar o Atletas.Net e depois, o Mundo da Corrida e, enquanto durou, o Pista Oito. Foi aí que tomei consciência das potencialidades incríveis que a internet proporcionava na criação de novas amizades que, em vez de partilharem apenas o gosto pela Corrida, partilhavam também o gosto pela escrita e pela vontade de saber. Mas nos fóruns, damos os nossos contributos nos vários tópicos e existe alguma dificuldade em reunirmos aquilo que foi feito. Não é que tenha grande importância, mas já tem acontecido querer ir buscar um texto sobre este ou aquele assunto e ter dificuldade nisso. Através de um blog, se bem que tenha um leque de leitores mais restrito (acho eu) toda a nossa “produção” está concentrada num espaço que utilizamos a nosso bel-prazer, permitindo, no entanto, os comentários dos leitores. No meu caso não coloquei qualquer filtro ou censura aos comentários.
Porquê “Cidadão de Corrida”? Bom… conforme digo no perfil, sou uma pessoa que procura cumprir com as suas obrigações, mas que também gosta de ver os seus direitos reconhecidos. E esta “evocação” da cidadania surge numa altura em que precisei dela e recorri a várias instâncias para que fosse travada uma afronta urbanística frente à minha casa, que estava a ser perpetrada por um empresário de renome. As diligências resultaram no embargo da obra. Vi, depois, que deveria separar os assuntos e então criei um segundo blogue “OutroGaloCanta”, para essas questões e no Cidadão de Corrida ficou a Corrida e, uma vez por outra, uma incursão pela poesia.

3) No teu blog há um misto de poesia, amor pela corrida...as duas andam juntas na sua vida??? Daria para escolher entre uma e outra?

Seria uma grande maldade fazerem-me escolher entre a Corrida e a Poesia . Se a primeira faz bem ao corpo, a segunda faz bem ao espírito. Dissociar uma coisa da outra é contrariar os benefícios de ambas. Mas de facto, o que me trouxe aos fóruns e aos blogues foi falar de Corrida. Mas reparei que um grande amigo nosso (conhecido dessa forma), o saudoso Sálvio Nora, alimentava um tópico, a que chamava o seu “jardim” para, diariamente colocar aí algumas “pérolas” da poesia portuguesa, ilustrando assim, as suas brilhantes intervenções. Isso deu-me alguma “coragem” primeiro para fazer a minha primeira intervenção e depois, para “brincar” aos poemas, pois nunca eu tive a pretensão de chamar poemas aos meus versos.
Donde vem o gosto pela poesia? Foi um gosto que adquiri já na idade madura. Lembro bem que considerava intragável a leitura e compreensão de Os Lusíadas, quando tive de estudar a obra. Porém, uns anos depois, é que comecei a dar-lhe outro valor e a reparar na riqueza e no alcance daqueles versos. E decorei várias estrofes (mais de 50) das passagens que considerava mais interessantes ( … e a lembrar-me do jeito que isso me tinha dado, se o tivesse feito na altura certa). Não tenho dúvidas que isso influenciou muito a minha preferência pelos versos decassilábicos.

4) Ainda falando de poesia, você conseguiria ter inspiração após um treino ou uma prova ruim?

A inspiração tanto põe vir nas horas boas como nas horas más

Eu não tenho vistas largas
Nem grande sabedoria
Mas dão-me as horas amargas
Lições de filosofia!

(Dizia o António Aleixo, poeta popular algarvio, analfabeto (ou quase).

Mas falar de ” treinos ou provas ruins” é coisa que não posso fazer. Porquê ? Tenho tido sorte: os treinos são sempre adaptados à disposição do momento sem a preocupação de uma disciplina rígida por um plano pré-estabelecido. Se não apetece correr, volto para casa ao fim de 3 minutos. Nas provas também não tenho tido grandes problemas, pois se completar a maratona em 3,20 fico contente; se acabar em 4,10 é porque vim a passear algum tempo, logo, fico contente também.

Maratona de Sevilha (entrando no Estádio) -Fev.2009



5) Você não esconde a preferência por longas distâncias. Qual seria o seu limite...?

Ninguém sabe qual é o seu limite. O que se sabe é que tem de haver uma preparação mínima que torne realista um objectivo que se trace. Gostaria muito de um dia fazer uma prova de 100km, como os 101km de Ronda, mas isso implica uma disponibilidade para a sua preparação que, nesta altura, não possuo. Contento-me com umas maratonas e com a Ultra Melides-Tróia (43km na areia)

6) Imagine a seguinte hipótese: Você está no meio de uma prova de 10km, onde o percurso é feito em 2 voltas de 5km. Você percebe que uma mulher/homem corta o caminho. Na hora da premiação, ela/ele sobe ao pódio. Qual sua reação?

Nunca gostei de pactuar com a fraude, por isso, numa situação dessas e em nome da verdade desportiva, denunciaria o caso.


7) Já sofreu alguma lesão durante a corrida? Qual o tratamento?

Felizmente, não me lembro de alguma lesão durante a corrida. No Duatlo e Triatlo sim, mas no segmento de ciclismo, com quedas aparatosas, uma das quais (Duatlo do Cadaval) me obrigou à desistência e ir na ambulância para o Hospital fazer radiografias aos ossos todos,eheh. Mas estava tudo bem.) Na corrida, em treinos, já me aconteceu uma ou outra entorse, mas nada que algum descanso não curasse.




Raide 2008



8) No seu blog você nos conta que por algum tempo liderou o ranking de corridas e em seguida manifestou sua "tristeza"...por cair para o 2º lugar. Na sua opinião, o 1º colocado é sempre o melhor????

Falar de “tristeza” foi apenas uma expressão de brincadeira! Nem tão pouco eu alguma vez contava liderar fosse o que fosse. Calhou ter feito 3 corridas, somar 100 Km e ficar na frente, apenas até que viesse o seguinte e me “ultrapassasse”.
Ser o primeiro num determinado momento, não quer dizer que se seja o melhor. No final é que se fazem as contas e aí, naquilo que estiver em apreciação, quem estiver em 1º é porque foi o melhor. Mas só no final das contas.

9) Cada vez mais assistimos atletas sendo pegos em exame de dopping. A que você atribui esse comportamento dos atletas? Acha que a cobrança por resultados influi para o uso de drogas?

Entristece-me o recurso a substâncias proibidas para se alcançar performances ilusórias. Há falha em tudo: no resultado (que é fraudulento); na honra; na saúde do atleta; no prejuízo daqueles que tiveram um comportamento correcto; no enganar o público. Nenhum prémio merece que se corram riscos .

10) O que mais te irrita durante uma prova???

A falta de Fair Play irrita-me bastante. Detesto ver atletas a vociferar contra as organizações no final das provas, principalmente se não tiverem razão. E quando a têm entendo que há formas de se fazerem ouvir sem entrar em “baixaria”.

11) Quando você cruza a linha de chegada, qual a 1a coisa que te vem a cabeça???

Cada prova é um caso, mas não estou a lembrar-me nada de especial além do clássico “consegui!” Durante a prova sim, vêm-me à cabeça milhares de ideias, que me ocupam e distraem para combater algum desgaste que me possa assolar. Mas à chegada, não estou recordado.

12) Você tem algum ritual pré-prova? Qual?

Há um “ritual” que não dispenso que é o xixizinho antes da partida. Se, depois, me lembrar que o não fiz, durante a corrida, a vontade aparece logo!



Raide 2006


13) Há os que juram de pés juntos que "VIAGRA" (aquele remedinho que muitos homens adoram tomar para ter melhores desempenhos sexuais), melhora o rendimento na corrida. A moda agora é jogador de futebol ingerir os tais para render nos treinos. Você tomaria VIAGRA para correr melhor??? Por que?

Não tomaria nem Viagra nem qualquer outra substância ilícita para ganhar algum tempo.

14) Uma corrida que você nunca mais vai esquecer.

Para falar de uma posso não conseguir ser verdadeiro. Não vou, por isso, destacar nenhuma .Digo apenas que as Maratonas são as provas que mais gosto de fazer. Mas há uma que está gravada na minha vida desportiva, que acompanho desde o início, pois estive a sua direcção desde o seu nascimento, acompanhei-a ao longo de toda a sua existência até aos dias de hoje . Em Setembro vai ter a sua 33ª Edição. Refiro-me à Meia Maratona de S. João das Lampas. Posso dizer que assumi com essa prova um compromisso “vitalício”. Mas tenho a sorte de ter comigo um bom conjunto de rapazes e raparigas que se empenham para que ela subsista. É uma prova modesta, mas feita com grande calor humano. Por isso, se tenho que eleger uma prova, pois que seja esta.

15) Tem intenção de voltar ao triatlo?

Gostava, se bem que, presentemente não tenha condições físicas para treinar os 3 segmentos. Por outro lado, depois de uns trambolhões que dei de bicicleta, apanhei um bocadinho de “respeito”ehehe. Mas sou capaz de, pontualmente, vir a fazer um ou outro triatlo.

16) Uma dica para bolhas, unha preta e todas aquelas coisinhas que adquirimos ao correr.

Bolhas e unhas pretas é cá comigo! O que dana mais é sabermos que esses problemas só surgem por falta de cuidado. Sabemos que o sapato deve ser confortável e com alguma folga e que a peúga deve macia e sem rugas. Só que, às vezes, com a pressa, começamos a correr sem dar atenção a isso. Depois, a meio da prova, começa o desconforto. Na maratona de Lisboa de 2007, depois de andar 12km com uma bolha enorme, ao passar pelo carro, aos 32, troquei um sapato e lá consegui completar a prova.

17) Você se considera um corredor displinado? O que lhe faltaria para fazer parte da ELITE...rs...?

Sim. Às vezes, “estupidamente” disciplinado. Estou a lembrar-me de situações em que todo o pelotão arrepia caminho e eu vou –sozinho- dar a volta pelo sítio certo. A falta que já tenho cometido é correr em provas em que não estou inscrito, utilizando o dorsal de outro, ou correndo mesmo sem dorsal. Sei que é errado e não aconselho a ninguém mas… é a minha confissão pública.

A minha prova de eleição -Meia Maratona de S. João das Lampas (fotodiploma do último vencedor)



18) Durante uma prova, você usa alguma estratégia? Qual?

A única estratégia é equilibrar a preparação feita, com o ritmo que devo imprimir, para dosear o esforço, permitindo-me fazer a prova sem sacrifício.

19) Complete a frase: Não dá para correr se....

…não me apetecer !

20) Um conselho para quem está começando agora.

No começo não devemos querer atingir muito depressa, grandes resultados. Muitos nunca os atingirão e isso não deve ser motivo para o abandono da modalidade. Estar na corrida é estarmos entre gente que também corre e não precisamos chegar primeiro para sermos vencedores. A grande vitória é o bem estar que a Corrida nos proporciona.
A alta competição já é outra estória, mas não é para falar dela que aqui estamos.


Ai, ai...como me orgulho de segunda-feira!!!!!! Nando (sim.. pois agora estamos íntimos.. eu e todos os leitores...sabemos muito de sua vida...)...muitíssimo obrigada pela entrevista, pela simpatia e espero que tenha gostado de participar desse meu cantinho dedicado a todos nós...pois é um presentão ler histórias como a sua!!!! Vlwwwwwwwwwwwwww...

E você que está lendo o post.. fique atento, pois na semana que vem você pode estar aqui no VOCÊ FOI O ESCOLHIDO!

14 comentários:

Xampa disse...

opa pois pois .., parabens pela entrevista.
é muito passear pelos blogs do mundo.

Mayumi disse...

Luciane! Eu pensei que a entrevista fosse com o Roberto leal! Poxa, eu sou fã dele! Rsrs. Esta entrevista está muito boa! É legal "viajar" virtualmente para as provas! Obrigada!

AMALI disse...

adorei a entrevista e entrevistadora
agora este site é visita fixa
besos cariñosos
amalia

Maria Sem Frio Nem Casa disse...

Olha o meu amigo Fernando Andrade!!!!

Parabén Luciane por este espaço que criaste!

Um beijinho
Ana Pereira

Mark Velhote disse...

Olá

Outro grande Mestre das Corridas!
Um abraço para ele !
Parabéns !

joaquim adelino disse...

Olá amiga Lucianie.
Parabéns por trazer aqui o Fernando Andrade, grande amigo e desportista.
Uma bonita entrevista, que permitiu saber histórias e conhecer ainda melhor este homem dedicado à causa do Atletismo.
Parabéns por este seu sucesso, e o meu obrigado também por dividir com este lado do Atlântico esta sua feliz iniciativa.
Um abraço e bons treinos.

Jorge disse...

Uma lição de vida, que o Fernando nos dá Parabéns amigo por ser o escolhido tenho aprendido muito com esses relatos.
Valeu Lucy. Uma pergunta não tenho nada contra quem vc escolhe, mais não será que tá na hora de entrevistar uma CORREDORA...hehehe...

Um abraço e bons treinos...

JORGE CERQUEIRA
www.jmaratona.blogspot.com

NK disse...

Este Fernando é O grande exemplo do corrredor!

Parabéns pela entrevista

Paulo Silva disse...

Parabéns pela entrevista, o atlântico é apenas um pequeno lago com as novas tecnologias

Paulinho Stone disse...

Muito legal esta entrevista, acho muito legal esta "coluna" no teu blog!

e a tua lesão?? como está? nos mantenha informados hein!!!

Abração
Paulinho Stone
www.paulinhostone.blogspot.com

Ricardo Hoffmann disse...

Ótima escolha Luciane! Valeu a entrevista F.A.

runningirl disse...

Lucy

Great interview!!! Opa, adorei a entrevista.. super boa.. daria para continuar lendo e lendo.....

Acho ótimo esta sua "Coluna" ehhhhhhhh... a gente sempre tem muito que aprender de outros corredores.

Espero que esteja se recuperando de sua lesão.

Um abraço,
Sandra

Fernando Andrade. disse...

Quero agradecer a todos os que aqui se pronunciaram sobre esta entrevista e as palavras simpáticas proferidas.
Da parte que me toca, apenas me limitei a responder (sem a capacidade de síntese que por vezes se impunha), mas o mérito vai inteirinho para a Luciane, que formulou as perguntas.
E assim, um a um, graças à perspicácia da Lucy vamos conhecendo melhor, nesta coluna, a forma como andamos na Corrida.
Foi um prazer ter colaborado.
Obrigado a todos, em especial à Luciane.
FA

...tuttA... disse...

Mais uma bela entrevista.
Valeu Lucy.
Parabéns pelas histórias contandas a todos nós Fernando.

...tutta...
ubiratã-pr.
www.correndocorridas.blogspot.com