quarta-feira, 30 de abril de 2008


25KM DE BERTIOGA INICIA CIRCUITO INTERPRAIAS


É gente, mais um Circuito Interpraias se inicia, e a cidade de Bertioga, no litoral paulista receberá a primeira etapa, no dia 4 de maio com largada a partir das 8 hs.
O percurso será de 25 km totalmente plano à beira-mar, sendo 85% dele na praia e o restante em asfalto.

Eu participei dessa prova no ano passado e confesso, foi a prova mais bizarra que corri, já que não soube administrar o ritmo de prova e tive que andar 200m na altura do km 17 o que me rendeu perder o 5º lugar no pódio com direito a ver tudo escuo na minha frente, além de enjoar e quase desidratar....

O bacana foi que eu consegui arrastar meu marido pra Bertioga um dia antes. Então, ficamos numa pousada chamada TROPI, bem simples, mas que atendeu às nossas necessidades. Demos uma volta pela cidade, pelo forte, tiramos fotos e saímos à noite para comer uma pizza ali no centro mesmo, onde pudemos encontrar inúemros atletas, cada um exibindo uma camisa diferente rs.. seja da Maratona de São Paulo, seja da Praia Grande, seja de uma prova de 5km da chimboquinha perto da casa do cidadão. O importante era mostrar que aquela ali não era a primeira prova que participariam...rs...

O percurso da rova é bem legal, já que em grande parte é pela areia, mas no ano passado o sol tava a 40• graus.. foi bem complicado, mas eu cheguei..rs...decepcionada, mas cheguei.

Este ano não vou correr essa prova, mas no ano que vem...quem sabe...

A largada é na Praça de Eventos, próximo ao Forte São João, na Praia da Enseada, passando pelas praias do Sesc, Vista Linda e Indaía.
Os três primeiros classificados na classificação geral (masculino e feminino) e os cinco melhores por faixa etária e dupla receberão troféus.
A prova serve também de preparação para a Maratona SP que será realizada no dia 1º de junho.

BURSITES EM CORREDORES.. SAIBA COMO PREVINIR


As bursas, ou bolsas sinoviais, podem ser definidas como cápsulas protetoras preenchidas com líquido sinovial e estão presentes em áreas de maior atrito do corpo, entre tendões, ossos e músculos.
A bursite se dá quando ocorre uma inflamação dessas bursas e são várias as causas que podem provocar esse processo inflamatório, tais como: traumas diretos, lesões por overuse, ou seja, esforços repetitivos como nos esportes, infecções, doenças reumaticas entre outras.
Em atletas praticantes de corrida, as lesões acometem com grande freqüência os membros inferiores, tanto os quadris como joelhos e pés. Essas lesões podem ocorrer por diversos motivos e poderiam ser evitadas com algumas atitudes preventivas e orientações feitas aos atletas que estão iniciando a vida esportiva. desequilíbrios musculares e a falta de alongamento e aquecimento pré-atividade são fatores que podem levar o atleta a apresentar lesões, além de fatores extrínsecos como calçados inadequados.

Algumas das lesões muito freqüentes em corredores são:

- Bursite Trocantérica: Apresenta-se por uma dor na região lateral do quadril e pode ser causada por um desequilíbrio entre os músculos do quadril, região quem que músculos importantes na estabilização dessa articulação, como o glúteo médio, encontram-se enfraquecidos e o encurtamento dos músculos, como os isquiotibiais, banda iliotibial (região lateral) e adutores, também podem influenciar na sobrecarga que a região do quadril.

- Bursites Pré e Infra-patelares: Localizadas na região anterior do joelho, são comuns em diversos esportes alem da corrida. Além da dor local, também pode haver queixa durante o movimento de flexão e extensão extrema com resistência do joelho.

- Bursite do Calcâneo: Caracterizada por dor na região posterior do calcanhar, pode ser secundária ao esporão calcâneo e a tendinite de Aquiles e manifesta-se não só durante a corrida, mas também durante caminhas mais longas.
O tratamento das bursites pode ser dividido em duas fases:

- Fase Aguda: Nessa fase o objetivo é controlar a dor e a inflamação e, além dos medicamentos indicados pelo médico, a fisioterapia poderá ser útil com aparelhos e meios físicos proporcionem analgesia e conforto ao paciente. O repouso da atividade física nessa fase e importante.

- Fase Crônica: Nessa fase a reabilização é voltada para o reequilíbrio muscular com o intuito de evitar recidivas. São muito comuns em atletas lesões crônicas por falta de tratamento adequado e a dor é combatida com medicamentos, mas o problema não é tratado de maneira completa e retorna conforme os atletas retornam as atividades.
Grande parte dessas lesões podem ser evitadas se o atleta realizar o trabalho preventivo com aquecimento pré-atividade, alongamentos, fortalecimento dos músculos da perna como glúteos, quadríceps, adutores, isquiotibiais e panturrilha, Além de orientação do treinamento feita por um profissional capacitado.

Matéria retirada da revista o2

terça-feira, 29 de abril de 2008


MALDIÇÃO....

Mas que coisa...só foi eu dizer que iria começar a treinar hoje, para São Pedro derrubar sobre Santos uma tempestade...Tudo bem, até entendo que o Pedroca não curta mesmo o esporte, mas também não precisava exagerar. Eu até curto correr na chuva, mas enfrentar além da chuva, vento, trovoada, relâmpagos e se marcar um outro maremoto ou coisa do gênero lá na Ponta da Praia, nem pensar!

Logo hoje que eu iria testar o tênis novo que eu ganhei... Maldição!!!!
Mas tudo bem...amanhã não escapa...até porque " Um dia é do Pedroca, e outro do corredor"...rs... ó o trocadilho....kkkkkkkkkkkkkkk....

CONTUSÃO AFASTA ASAFA POWELL DAS PISTAS ATÉ JUNHO


Asafa Powell, recordista mundial dos 100m, ficará fora das pistas até junho em razão de uma lesão no peito. A contusão ocorreu duas semanas atrás, quando o jamaicano estava praticando levantamento de peso e distendeu o músculo peitoral.
A retirada das pistas de Powell é uma precaução e tem como objetivo não prejudicar a participação do atleta nas Olimpíadas-2008, que serão realizadas em agosto, em Pequim.
Ele (Powell) está desapontado. Ele adora competir, mas entende que é melhor se recuperar para os jogos olímpicos”, afirmou Paul Doyle, técnico do jamaicano, à Reuters.
MICHALE JOHNSON APOSTA EM GAY NOS 100 E 200m

Dono de cinco medalhas de ouro olímpicas e nove títulos mundiais, o ex-atleta Michael Johnson acredita que o norte-americano Tyson Gay levará medalha de ouro nas Olimpíadas de Pequim nos 100 e 200m. “Gay é mais consistente que Asafa Powell e se comporta melhor em grandes competições. Ele ganhará as duas provas de velocidade em Pequi. Powell é um grande talento, mas falha ou outra vez em compromissos importanetes”, afirmou Johnson.
Para o ex-corredor, Gay é o único candidato a bater seu recorde mundial dos 200m (19s32). “Todos os recordes serão batidos um dia, mas você nunca sabe por quem. Tyson Gay é a única pessoa no momento que eu julgo ser capaz, mas isso é difícil”, destacou Johnson, também detentor da marca nos 400m (43s18).
Questionado sobre a situação do ex-velocista Maurice Greene, que é acusado de ter se dopado durante a carreira, Johnson acredita que ele deve algumas explicações. “Ele tem um monte de perguntas a responder. Vai ser interessante ver o que acontece”, avaliou o norte-americano, que refutou a possibilidade de ser técnico. “Isso requer um talento especial que eu não tenho”, justificou.
Johnson ainda revelou acreditar na possibilidade de Haile Gebrselassie, atual recordista mundial da maratona, mudar da idéia e competir na prova em Pequim. “Não haverá poluição na cidade na época das Olimpíadas. Os chineses vão fechar as fábricas para ter certeza de que os céus estarão limpos”, destacou.
Ele também se disse contrário à possibilidade de boicote aos Jogos Olímpicos de Pequim por conta da questão do Tibete. “Os boicotes de 1980 foram péssimas idéias e as pessoas deveriam ter aprendido com eles”, opinou.

segunda-feira, 28 de abril de 2008

1A ETAPA DO CAMPEONATO SANTISTA FOI ABERTA DEBAIXO DE SOL
Aconteceu neste Domingo (27 de abril) a 1 a etapa do Campeonato Santista 2008, com a Corrida da Polícia Militar. Debaixo de muito sol, os atletas percorreram as ruas de Santos num percurso bem atraente já que incluía dentre as diversas ruas, a maravilhosa orla da praia.
A próxima etapa acontece no dia 1º de junho e as inscrições podem ser feitas a partir de hoje, bastando levar 2 latas de leite em pó integral e 1 cópia do RG.
É gente, hoje lá fui eu.. acordei cedinho e parti junto com meu pai em busca da incrição para a próxima etapa. O lance é correr logo para fazer, porque as vagas são limitadas e bem concorridas. Agora é só treinar...
Para quem correu a 1a etapa e quer dar uma conferidinha nas fotos, clica no link abaixo. Esse lnk é de um casal amigo meu, que eu já falei aqui algums vezes.. Marinete e Val que participam de todas as provas correndo com uma máquina fotográfica na mão. É impossível não achar uma foto sua...
VALE A PENA CONFERIR........

BALDAIA FALHA EM TENTATIVA DE ÍNDICE OLÍMPICO


A brasileira Maria Zeferina Baldaia falhou em sua tentativa de obter o índice A da maratona para os Jogos Olímpicos de Pequim. Domingo, ela disputou a Maratona de Hamburgo, na Alemanha, mas terminou acima dos 2h37 estabelecidos pela Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt).
A russa Irina Timodeyeva venceu a disputa com 2h24min14, seguida pela queniana Pamela Chepchumba (2h28min36) e pela etíope Asha Gigi (2h29min28). Baldaia completou o percurso em 2h38min34.
No masculino, a vitória foi para o queniano David Mandago com 2h07min23. Seu compatriota Wilfred Kigen terminou em segundo (2h07min48), seguido pelo etíope Tariku Jufar (2h08min10).
O brasileiro Alex Januário de Mendonça marcou 2h26min32 e também não obteve vaga olímpica. No momento, apenas Marily dos Santos alcançou o índice A feminino pelo Brasil e é a única classificada para Pequim. No masculino, as vagas estão com Vanderlei Cordeiro de Lima, José Teles de Sousa e Franck Caldeira.

IRINA TIMOFEYEVA VENCE COM DIREITO A QUEBRA DE RECORDE


O queniano David Mandago e a russa Irina Timofeyeva foram os vencedores da Maratona de Hamburgo, na Alemanha, neste domingo. Além de levar o ouro, a atleta ainda quebrou o recorde da prova, marcando 2h24min14, sendo que a antiga marca era de 2h24min35, conquistada pela alemã Katrin Dörre, em 1999, e pela etíope Robe Tola, em 2006.
Timofeyeva, com 38 anos de idade, impôs um ritmo muito forte na prova, abrindo uma vantagem de mais de quatro minutos para a segunda colocada, Pamela Chepchumba, do Quênia, que fez 2h28min36. Em terceiro lugar, chegou a etíope Asha Gigi, com 2h29min28.
'Foi uma corrida difícil, especialmente nos 10 quilômetros finais. Mas público me ajudou', comemorou a russa.
Mandago, com o tempo de 2h07min23, deixou para trás o favorito ao ouro, o espanhol quatro vezes campeão da prova, Julio Rey, que teve de se contentar com o 16º lugar. O espanhol não conseguiu manter o ritmo do pelotão a partir dos 25km, ficando para trás dos primeiros.
Por sua vez, o queniano comemorou a conquista. “Eu não esperava vencer aqui e não achava que esta será uma prova tão rápida”, falou Mandago.
O pódio masculino foi completado pelo etíope Wilfred Kigen, que repetiu o segundo lugar do ano passado. Tariku Jufar, da Etiópia, foi o terceiro.
Confira a classificação geral:

Masculino

1. David Mandago, QUE 2h07min23
2. Wilfred Kigen, QUE 2h07min48
3. Tariku Jufar, ETI 2:08:10
4. Tessema Abshior, ETI 2h08min26
5. Sammy Kurgat, QUE 2h08min55
6. Laban Kipkemboi, QUE 2h09min46

Feminino

1. Irina Timofeyeva, RUS 2h24min14
2. Pamela Chepchumba, QUE 2h28min36
3. Asha Gigi, ETI 2h29min28
4. Yesenia Centeno, ESP 2h31min16

domingo, 27 de abril de 2008


SOU NORMAL OU COMPULSIVO POR CORRIDAS?


Ok, que atire o primeiro tênis aquele que acha que não exagera um pouquinho na corrida. Quem nunca dormiu mal porque trabalhou até tarde e não conseguiu dar um trotinho nem que seja a té a padaria para comprar pão...Aquele que nunca disse a frase: "Cara, é estranho, quando não corro sinto que está faltando alguma coisa, sei lá" ou ainda aquela frase exibicionista no meio de um bate papo: "Não consigo ficar um dia sem correr!". Na pior das hipóteses aquela outra frasezinha: "Meus amigos dizem que sou maluco!". Frases desse tipo são, de certa forma, comuns entre corredores especialmente fundistas acostumados com uma quilometragem semanal de 80 a 120 quilômetros caracterizando a compulsão pela corrida.

Não resta dúvida nenhuma que fazer exercício físico, seja ele qual for, é benéfico à saúde. Porém, o excesso pode acarretar diversos problemas tanto físicos como psíquicos. No caso da corrida, uma atividade altamente motivadora e viciante pela quantidade de endorfinas que libera no corpo, vários estudos vem sendo feito a partir de Baekeland (1970).

Quando eu tinha uns 17 anos, ainda estava no colegial e então tinha a tarde toda livre. Nessa época, acredito que eu poderia ter sido uma vítima da compulsão pelo esporte. Na verdade eu corria, mas também incluía na minha rotina diária natação e karatê. Eu almoçava por volta do meio dia. Contava no relógio os minutos para chegar às 14:00, horário que pontualmente eu estava na praia. Na época, eu morava em São vicente, na Frei Gaspar há 2 quadras da praia do Gonzaguinha. E todos os dias batia cartão. 14:00 estava lá. Corria aproximadamente 1 hora e meia, voltava para a casa, e ia para o clube Tumiarú. Fazia natação por 1:45 sem parar.. eu fazia parte da equipe...meio contrariada, mas ainda assim fazia. Saía da aula 17:45 e já entrava na aula de karatê que começava às 18:15. Isso diariamente. Foi a época que eu mais magra fiquei em toda a minha vida. Depois disso, entrei no cursinho e como eu entrava às 13:00 e saía às 19:00hs, ~tive que deixar d evez todos os esportes. Passei dos 45kg para 51kg.. uma loucura. Quando não passei no vestibular na primiera vez em que prestei, comecei a estudar em casa e novamente tinha horários disponíveis para voltar ás atividades. Dessa vez voltei só para as corridas. No entanto não tão viciada. Entrei para a faculdade, comecei a fazer estágio e dessa vez a coisa ficou pior. Com medo de voltar a engordar, acordava às 07:00 da manhã, corria, ia pra faculdade, para o estágio e quando eu voltava lá pelas 18:00, corria novamente. Era loucura, mas se eu não fizesse isso, não dormia direito. Minha mãe e meu pai viviam reclamando do excesso. Mais tarde optei por um período só e entrei na musculação também...Corria na praia, voltava e ia para a musculação. Fiquei assim os 5 anos de faculdade. Depois abri meu escritório e com o cansaço excessivo, corria num dia e ia para a musculação no outro e alternava os dias de musculação com spining.

Até antes de eu ficar grávida era assim. Na gravidez ainda participei de 2 corridas e uma caminhada até os 6 meses. Mas não foi fácil. Dou graças a Deus por não ter desenvolvido nenhuma dependência mais séria em relação à corrida. Talvz tenha sido bom essa gravidez. Mas agora vou voltar e tenho certeza não serei muito doida...rs...pelo menos vou tenar não ser.

Com a Era Cooper dos anos 70 e o surgimento de várias maratonas no Rio de Janeiro e no Brasil, muitas pessoas descobriram o prazer e o que significa o grande "barato da corrida". Estudos posteriores tentaram qualificar os limites entre o bom e o mau. Ou seja, a partir de quando a corrida passa a fazer mal para o corpo e ou a cabeça. Glasser (1976) classificou como (Positive Addiction) "dependência positiva" os fatores ligados aos benefícios físicos e psicológicos especialmente a alta-estima gerada pela corrida. Já, Morgan (1979) fez uso do termo Negative Addiction considerando os transtornos psíquicos que afetam a vida de quem corre em excesso.

A dependência da corrida é similar a qualquer outro desvio psíquico ligados a corpo, tais como a anorexia nervosa, a vigorexia e a compulsão pela comida. Baekeland ao conduzir o seu trabalho, tentando identificar as alterações do sono quando um corredor tenha de suspender as atividades, constatou que alguns se recusaram a participar da pesquisa mesmo sendo-lhes oferecido dinheiro. "Parar de correr?" Por dinheiro nenhum!

Os corredores compulsivos têm algumas características comuns tais como:

1) Se recusam a fazer qualquer outra atividade complementar ou substituir quando estão contundidos.
2) Priorizam a corrida sobre qualquer compromisso cotidiano. Primeiro a corrida!
3) Toleram e suportam mais as dores musculares e por isso mesmo treinam mesmo sem condições.
4) Quando por motivo de força maior são obrigados a parar de correr, mesmo por poucos dias, demonstram irritação, depressão, ansiedade e etc.
5) Experimentam um alívio imediato ao retornar à rotina de treinamento.
6) Apesar do problema, têm consciência de que são viciados.
7) Querem correr sempre forte não respeitando o repouso passivo ou ativo.
8) "Batem de frente" com familiares não adeptos à corrida especialmente aqueles que costumam questionar ou acusá-los de "doido".
9) Só pensam "naquilo"... na corrida!
10) Alguns fazem até dietas para se manterem magros, sempre achando que qualquer grama extra na balança pode prejudicar a performance.
11) colocam sempre a culpa no tempo, chuva, muito calor, vento contra e etc. para justificar esporádicas performances ruins. Da mesma forma os percursos com muita ladeira, paralelepípedo, muito buraco na pista e etc.

Gente, eu fiquei passada!!!!!! Desses 11 ítens me enquadrei em 7!!!!! rs....É melhor assumir então?? Será que sou compulsiva???? Agora me preocupei.....rs....


Das pessoas que praticam exercícios físicos com freqüência e regularidade, 50% podem desenvolver algum tipo de dependência, conclui a pesquisa


Na década de 80, estudiosos americanos demonstraram que, após as corridas, alguns maratonistas sentiam euforia intensa, que os induzia a correr com mais intensidade e freqüência. O fenômeno foi batizado de runner's high. Em bom português, o barato da corrida. No estudo brasileiro, os pesquisadores submeteram 66 voluntários a testes de esforço físico máximo, com monitoria de equipamentos, e a várias análises bioquímicas. Eles responderam também a questionários que procuravam detectar seu estado mental antes e depois dos exercícios. Ao final das baterias, a metade dos que revelaram ter o hábito de praticar exercícios apresentou sintomas de compulsão

Essas conclusões foram relatadas num interessante trabalho com maratonistas brasileiros e publicado na Revista Brasileira de Medicina Esportiva Vol. 9, n° 1 - Jan/Fev. 2003, baseado num trabalho de Hailey e Bailey (1982). Os corredores mais sujeitos a esses problemas e a dependência, têm uma rotina de treinamento mais de quatro vezes por semana, de uma a duas horas por sessão e correm há mais de quatro anos. Os resultados não foram diferentes quando comparados homens e mulheres na questão da dependência embora, na prática, estatisticamente elas se machuquem menos e toleram melhor a abstinência. Elas, segundo Masters Lambert (1989) citado no estudo, sofrem uma pressão social muito maior de reprovação, ainda resultado da sociedade machista que vivemos. Ah, gente na boa, nós corredores realmente somos viciados em corrida, não tem jeito, mas depois dessas pesquisas, é melhor tomar um pouco de cuidado né?

Certo mesmo é que a corrida é tão espetacular que serve de base para qualquer outra modalidade esportiva quando se deseja desenvolver resistência. Como qualquer outra atividade, não é completa por si só mas deve ser praticada com bom senso.

sábado, 26 de abril de 2008



ABDOMINAIS PARA CORREDORES


Você é daqueles corredores que dispensa a aula de abdominal e pensa que esse tipo de exercício é apenas para aqueles que querem ficar sarados? Então, é hora de deixar essa idéia de lado e utilizar esses exercícios como aliados da sua corrida.
Na verdade muitas pessoas acham que só basta correr, mas esquecem que a corrida exige muito do corpo, motivo pelo qual precisamos fortalecer o corpo como um todo. A panturrilha, por exemplo, muita gente não gosta de fazer essse tipo de treino na academia. E quando eu digo muita gente, entende-se eu também... Acho chato, tedioso... enfim não gosto. Mas toda vez que vc sentir uma dorzinha no joelho, lembre-se dos dias que vc não quis fazer treinos com a panturrilha, já que grande parte do esforço que vc faz ao correr, recai sobre essa partinha chata do corpo, gerabdo resultados no joelho. E por falar em joelho... é outro mebro muito importante para exercitar.. joelhos fracos... tenha certeza.. dor na certa.
Mas vamos ao que interessa, falar do abdome...aquela parte que a gente ama quando parece um tanquinho e odeia quando parece um pudim...aff...
Fortalecer a região do abdômen é importante para o corredor, pois é essa parte do corpo que dá sustentação para todo o tronco e ajuda o atleta a ter uma boa postura.
Os músculos abdominais, assim como os dorsais, assumem uma função ímpar na estabilização do tronco na corrida. Estes músculos estão intimamente ligados à atenuação de sobrecarga na coluna, ou seja, quanto maior a força deles, maior será a proteção recebida pela coluna durante a atividade”, disse Rodrigo Lobo, bacharel em educação física pela Universidade de São Paulo e diretor da equipe Way 2 Run Assessoria Esportiva e Personal Trainer.
O treinador Rodrigo Lobo ressalta ainda que a execução de exercícios para os músculos abdominais é recomendada para a prevenção de dores na região lombar da coluna vertebral, chamada de lombalgia, e contribui para a redução de sobrecarga imposta aos discos invertebrais, que pode evitar hérnias.
Os músculos abdominais possuem características próprias de um músculo estabilizador e, por isso, a carga de exercícios deve ser adequada ao nível de treinamento de cada atleta. “Como a contração desses músculos é mantida por horas seguidas, sem intervalos de descanso, séries muito longas e diárias de exercícios abdominais podem gerar um quadro de fadiga crônica e, com isso, perda de eficácia de suas funções”, alertou Rodrigo Lobo.
Esses exercícios podem ser feitos de três a quatro vezes por semana, sempre respeitando o limite de cada um”, explicou o treinador esportivo Fabricio Artesi, da Ecofit Club, que ressalta a importância de ficar atento à proporção volume versus intensidade para não sobrecarregar o organismo. “O atleta deve descansar no mínimo 24 horas entre cada treino”, completa Rodrigo Lobo.
Manter os músculos abdominais fortalecidos não é tarefa fácil. O treinador Fabricio Artesi aconselha que o corredor escolha, juntamente com o professor, o exercício ideal para o seu objetivo. “Se em um momento do treinamento o atleta quer aumentar sua velocidade, deve dar ênfase a exercícios que estimulem a explosão. Já aqueles que estão se preparando para uma prova mais longa, farão exercícios de resistência”, afirmou.
Os melhores exercícios“Diversos músculos compõem a parede abdominal, porém o músculo reto abdominal é um dos mais requisitados durante a corrida”, disse Rodrigo Lobo, que alerta para o perigo da sobrecarga na coluna resultante da intensidade muito grande desses exercícios. “Por isso, antes de começar qualquer exercício, procure um profissional competente para orientá-lo”, aconselhou Lobo.
Havia um tempo, que eu estava viciada em abdominais. Sei lá da onde eu tirei isso, mas fazia 1.500 por dia!!! Eram séries e mais séries de 50... 50 de frente, 50 do lado esquerdo, 50 do lado direito.. uma loucura, pra não dizer, um tédio só.. já que eram intermináveis as tais séries criadas por mim mesma.... que idéia de rato a minha!!!! E pasmem, os resultados nem eram lá essas coisas não. Tudo bem, ficava com aquele risquinho que todo mundo quer, mas não aingia o objetivo principal que era a melhora na hora de correr. Depois, mais tarde, meu professor de musculação me passou um treininho mais eficaz, com menos séries, com caneleiras, o que fez com que o abdome ficasse mais forte para a corrida propriamente dita e não somente de maneira estética. Com isso me mostrou que risquinho no abdome não quer dizer que ele seja forte...muito pelo contrário, muitas vezes vemos na praia aqueles homens enormes, com abdome saradão, e no entanto, são fracas... para ter força é outro esquema....rs...aliás, bem menos chato, diga-se de passagem...
Para um iniciante, é recomendado começar pelos exercícios na posição deitada, executando flexão parcial do tronco e as pernas presas. Em seguida, o atleta evolui para movimentos com pernas elevadas e para exercícios de maior flexão do tronco com as pernas livres.
Veja alguns exercícios bacanas e fáceis para nós, corredores fazermos:
- Remador: iniciar deitado de barriga para cima com o corpo estendido, levantar o tronco, abraçar os joelhos e voltar à posição inicial.- Twist: iniciar sentado com os pés levantados, joelhos semi-flexionados e segurando uma medicine ball. Leve a bola para o lado direito e as pernas para o lado esquerdo fazendo uma rotação de tronco e alternando os lados sem parar.
- Estabilização de tronco: deitado de barriga para baixo, apóie os cotovelos e a ponta dos pés no chão e estabilize o tronco em linha reta por 30 segundos.
Uma coisa que meu professor sempre me dizia era para que eu fizesse todo o meu treino de musculação, seja lá qual fosse, sempre com o abdome contraído. Isso chama-se contração isométrica dos músculos abdominais.
Então galera, aqueçam, corram, desqueçam, façam musculação e separem um tempinho também para os abdominais...ufa... já até cansei..rs...
Matéria originada da revista O2.

sexta-feira, 25 de abril de 2008



MAIS QUE UMA CORRIDA, UMA CONCIENTIZAÇÃO ECOLÓGICA...





A Corrida Reebok 10km, que será disputada na USP, no dia 26 de abril, (sábado) às 19h30, busca unir um conceito diferente das demais provas de rua. Além de atrair o público que se preocupa com o físico e os freqüentadores da noite paulistana, o evento traz também a preocupação ambiental. Várias ações que visam um menor impacto ao meio ambiente serão utilizadas pelos organizadores para a obtenção do selo Sustentax (Selo de Sustentabilidade Socioambiental).
Durante o evento, toda a limpeza será feita por produtos biodegradáveis, o gerador de energia será abastecido por biodiesel e o carpete da áreas do lounge serão recicláveis. Outra grande novidade apresentada é a medição do CO2 produzido pela corrida, que será depois computado e transformado em plantio de árvores.
Todas as ações têm como finalidade causar o menor impacto possível ao meio ambiente e a obtenção do selo Sustentax, um título de sustentabilidade socioambiental dado a empresas e eventos ecologicamente corretos. Gestoras do processo de verificação do selo vão acompanhar desde a montagem até a finalização da corrida.
Para o diretor de marketing e vendas da Reebok Brasil, Tullio Formicola, a preocupação das empresas deve se estender além do mercado financeiro. “A relação de uma marca não deve ser só com o consumidor, deve ser também com o meio ambiente. E isso é uma preocupação global da Reebok e não somente as vendas de produtos em si”, explica.
Além da preocupação ecológica, a Corrida Reebok 10km, que está em sua segunda edição, traz show de luzes, telões de cinema, TV com transmissão instantânea para os competidores (os participantes podem se ver ao longo da corrida), arte em grafite digital, som com o renomado DJ Paulinho Bogosian durante o percurso e no lounge - área de descanso que terá também atividades de bem estar.
Os kits, contendo sacola, boné, meia, camiseta e número de peito, devem ser retirados até às 19h desta sexta-feira (25) na Reebok Concept Store, sito à Rua Oscar Freire 841. No domingo, o lounge para os atletas será aberto às 18h e uma hora depois, às 19h, haverá um alongamento e aquecimento, já que o tiro de partida será dado a partir das 19h30, na Praça da Reitoria.O percurso seguirá pela Avenida da Raia Olímpica e retornará ao mesmo local, com limite de tempo máximo estipulado em duas horas. A premiação ocorrerá a partir das 21h e os primeiros colocados, entre os homens e entre as mulheres, ganharão uma viagem com acompanhante para a Corrida Reebok Gran Finale, no dia oito de novembro em Cancun (México).
ABERTAS INSCRIÇÕES PARA 25KM CORPORE



Criada ano passado em comemoração aos 25 anos da entidade, a Corrida 25 km Corpore se consolida no calendário paulista e terá uma nova edição este ano, a ser realizada no dia 25 de maio na USP. A prova terá novidades para este ano, já que poderá ser disputada individualmente, ou em duplas. Os atletas que forem correr sozinhos darão duas voltas de 12,5 quilômetros no percurso, enquanto cada membro da dupla fará apenas uma das voltas e o resultado será a soma dos tempos. Segundo os organizadores, a prova é uma oportunidade de treino para os atletas que desejarem fazer provas de maratona e meia maratona.Haverá premiação na categoria individual para os cinco melhores colocados na categoria geral, além dos três melhores nas faixas etárias dispostas no regulamento. Para as duplas, a premiação será para a categoria geral e nas categorias feminina, masculina, mista e familiar, com troféus aos cinco primeiros colocados.A largada acontecerá a partir das 8h na Avenida Professor Luciano Gualberto, na Cidade Universitária da USP e a arena será montada na Praça do Cavalo. As inscrições já estão abertas e custam R$ 30 para associados Corpore e R$ 40 para não associados, através do site www.corpore.org.br.

Fonte: www.webrun.com.br

SERÁ QUE VAI DAR PRA VANDERLEI CORDEIRO???


Uma inflamação no osso do púbis impediu que o maratonista Vanderlei Cordeiro de Lima disputasse a Maratona de Turim, no início deste mês. Com isso, o paranaense foi obrigado a alterar sua programação na busca pelo índice para os Jogos Olímpicos de Pequim e só saberá se terá o nome confirmado na equipe olímpica na última hora.
Vanderlei correrá a Maratona de Praga dia 11 de maio, data final estabelecida pela Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) para obtenção da marca. Quarto colocado no ranking nacional da prova, ele precisa fazer marca inferior a do mineiro Frank Caldeira para ficar entre os três classificados para os Jogos chineses.
Medalha de bronze nos Jogos de Atenas-2004, Vanderlei está na lista com o tempo de 2h12min53, registrado em Milão no ano passado. Caldeira ocupa a terceira colocação com as 2h12min32 feitas em Paris no último dia 4 e a meta do adversário na República Tcheca é ficar, no mínimo, abaixo disso.
Segundo seu técnico, Ricardo D'Angelo, Vanderlei está recuperado, retornou aos treinos, mas mantém as sessões de tratamento fisioterápico. Apesar da confiança em seu
atleta, D'Angelo confessa que a mudança de programação preocupa.
"Lógico que faz diferença porque tivemos de interromper a preparação, mudar nosso plano de trabalho e reajustar as datas. Só esperamos que isto não interfira no resultado final".
Focado na disputa em Turim, Vanderlei passou três semanas treinando a 2.600m acima do nível do mar, na cidade colombiana de Paipa, mas acabou se machucando. "Ele ficou três ou quatro dias parados e agora já está treinando normalmente", destaca D'Angelo.
Aos 38 anos, Vanderlei tenta participar da quarta Olimpíada de sua carreira. Ele disputou os Jogos de Atlanta-96 (foi 45º), Sydney-2000 (75º) e Atenas-2004 (3º).
O ranking brasileiro de maratona é liderado por Marilson Gomes dos Santos com 2h08min37 (Londres-2007), seguido por José Teles de Sousa com 2h12min23.

quinta-feira, 24 de abril de 2008

ÚLTIMAS DO ATLETISMO....


Atual campeão olímpico de maratona, o italiano Stefano Baldini sofreu uma fratura por estresse na perna esquerda e não participará de competições por pelo menos um mês. A informação foi confirmada pela Federação Italiana de Atletismo nesta quinta-feira, em Milão.


A maratonista norte-americana Blake Russell está preocupada tão preocupada com a poluição do ar em Pequim quanto com a possibilidade de
disputar a prova sob forte calor nos Jogos Olímpicos, em agosto. "Não me preocupo tanto com a poluição quanto com o calor", confessa a corredora, que mantém uma expectativa positiva para a competição.


Alguns dos candidatos ao título na etapa de abertura do Circuito Caixa de Corridas de Rua prometem não se deixar abater pelas altas temperaturas previstas para este final de semana, em Campo Grande (MS). A prova tem largada programada para as 9h30 (horário de Brasília) deste domingo com previsão de 31ºC no termômetro e 75% de umidade relativa do ar.
”A expectativa é que esteja muito quente na hora da prova, mas acredito que isso não irá me atrapalhar. Estou acostumada com a competir nestas altas temperaturas”, garante a vice-líder do ranking nacional de maratonas Marizete Moreira dos Santos.
TUDO NOVO....

Obaaaaaaaaaaaa... Essa foi a frase que eu disse ao receber o meu uniforme da equipe Matungo, Pangaré e Amigos. O Marildo do blog 4corredores me enviou e obviamente eu tinha que mostrar para todo mundo. A camisa é lindaaaaaaaaaaaa...amo azul gente!!!!
Também veio esse tênis, que achei super engraçado devido à combinação de cores. Mas já soube que o tal faz milagres...rs...Ainda vou testar e responder essa afirmação ...tecnicamente falando d eé que me entendem...rs...
O Campeonato Santista começa domingo (dia 27), mas infelizmente ainda são participarei...Começo meus treinos na segunda. Se bem que ainda não posso chamar de treino, já que terei que começar do zero...caminhando, trotando. Eu cheguei a postar aqui que iria começar na semana passada, mas ainda não me sentia totalmente recuperada do parto.
Hoje, pela manhã, fui até a farmácia me pesar. Emagreci mais meio quilinho...Agora faltam 6 quilos. Isso pesa viu!!! Tive a certeza disso, quando num ímpeto de vontade de correr, dei uma corridinha até o prédio... Caramba, que peso! Vou ter um trabalhão. Mas com a vontade que eu tô, acredito que conseguirei bem rápido voltar a forma física e então correr a 2a etapa do santista que acontecerá em 01/06.
Também na segunda-feira vou fazer minha inscrição. Aproveito pra falar que quem quiser correr é só ir na SEMES ali na Pça Rebouças s/n com 2 latas de leite.
O bacana é que estou muito insentivada... nova equipe, novo uniforme, novos amigos.. tudo novo...isso ajuda viu. Essa lista aí embaixo é da nossa equipe... João logo logo também será um Matunguinho...rs...
Até pedi para o Marildo ver com o moço que confecciona as camisas se dá para fazer uma pro pimpolho!!!!
De toda forma, o trabalho será árduo, terei que ter prudência e principalmente paciência para recomeçar.
O bom é que não treinarei sozinha, e sim com uma amiga que não corre, mas que está querendo começar. Quem sabe é agora? Talvez mais uma amante do pedestrianismo está para nascer? Segunda é a hora da verdade, até porque eu sempre digo: "Não há meio termo, para quem corre, ou ama a corrida, ou odeia".
Acho que o difícil é começar, principalmente para aqueles que não sabem direito que treino seguir, o que não é o caso. Eu sei bem o que fazer, e volto a dizer, o que eu tenho que aprender é ter paciência!!!! Será que eu con sigo????
Mas eu vou postando aqui os meus tempos e distãncias e aí, até vocês podem me ajudar dizendo como estou em saindo, que tal??? Então, já sabem... é na segunda!!! rs...e vamos que vamos... pq...como eu já disse: ESTOU DE VOLTA!!!!!

quarta-feira, 23 de abril de 2008

RAPIDINHAS...

* Medalhista de prata dos 400m rasos nas Olimpíadas de Atenas, em 2004, a ex-corredora Ana Guevara entrou para a política. Nesta terça-feira, a mexicana foi anunciada como coordenadora de Cultura Esportiva, Física e da Saúde da Cidade do México.
A entrada de Guevara para a política ocorre três meses depois de a mexicana abandonar a carreira nas pistas devido a sua insatisfação com a Federação Mexicana de Atletismo.


* Campeão noMundial de maratona em Osaka, no Japão, no ano passado, com o tempo de 2h15m59s, o queniano Luke Kibet foi preterido pelo Comitê olímpico de seu país e não disputará a modalidade nas Olimpíadas de Pequim-2008. Desta forma, o atleta ficará na reserva, entrando no time apenas em uma eventual desistência de um dos titulares.
Mesmo sem o campeão mundial, o Quênia estará muito bem representado nos jogos olímpicos por Robert Cheruiyot, tetracampeão de Maratona de Boston e tricampeão da São Silvestre, Martin Lel, tricampeão da Maratona de Londres e Samuel Wanjiru, vencedor da Maratona de Fukuoka.


* A Confederação Brasileira de Atletismo anunciou nesta quarta-feira a alteração nas datas de dois GPs que serão disputados no mês de maio. O objetivo da mudança é adaptar-se ao calendário internacional e assim atrair mais atletas estrangeiros de ponta para as competições brasilerias.
“Precisávamos adaptar as datas ao calendário internacional. Com isso contaremos com um número maior de atletas de primeira linha em nossos eventos', afirmou Roberto Gesta de Melo, presidente da CBAt.
Pelo novo calendário, o Meeting de São Paulo, que ocorreria em quatro de maio, será realizado no dia 22 do mesmo mês, enquanto o evento de Fortaleza, teve sua data antecipada de 21 para 14 de maio.

WADA VOLTA ATRÁS, RETIRA APELO E JENKINS É LIBERADA PARA CORRER


A norte-americana LaTasha Jenkins ganhou a queda de braço contra a Agência Mundial Antidoping (WADA) e foi autorizada a retornar às competições. A velocista estava afastada das pistas por causa de resultado positivo para nandrolona em um teste realizado em julho de 2006, na Bélgica. Nesta terça, a WADA decidiu retirar uma apelação feita ao Tribunal Arbitral do Esporte (TAS) contra a atleta.
A liberação de Jenkins começou a ser definida no final do ano passado, quando o painel arbitral deu resultado desfavorável à Agência Antidoping Norte-americana (USADA) na argumentação da atleta. Segundo a defesa da velocista, a análise de seus exames foi comprometida por infringir as regras de procedimento antidoping. Os dois laboratórios europeus que fizeram a análise não utilizaram dois técnicos diferentes.
Com a vitória de Jenkins no painel de apelação, a WADA apelou no TAS em fevereiro, mas agora voltou atrás. Em pronunciamento oficial, a Agência Mundial justificou seus motivos para a desistência. 'Depois de rever cuidadosamente todas as informações científicas referentes a este caso, incluindo materiais que não estavam disponíveis no início das audiências, a WADA chegou à conclusão que as descobertas analíticas adversas não podem levar a uma punição'.
Vice-campeã mundial nos 200m em pista coberta em 2001 e bronze no Mundial ao ar livre na mesma prova, Jenkins comemorou a conquista. 'Estou feliz e aliviada que este processo de um ano e nove meses tenha terminado. Pretendo retomar minha carreira esportiva quando as circunstâncias permitirem', disse.
A atleta, hoje com 30 anos, já foi treinada pelo técnico Trevor Graham, indiciado por prestar falsas declarações à Justiça durante investigação federal. Graham será julgado no próximo mês.

ABERTURA DE CIRCUITO TEM NELSON PRUDÊNCIO COMO PADRINHO

Duas vezes medalhista olímpico no salto triplo, Nelson Prudêncio foi escolhido padrinho da etapa de abertura do Circuito de Corridas de Rua da Caixa. A disputa, em Campo Grande (MS), acontece neste domingo, com distâncias de 5km e 10km, a partir das 9 horas.
É sempre gratificante participar de uma ação como essa e ver um maior número de pessoas iniciando no esporte. Também é uma oportunidade para dialogar com as pessoas e incentivá-las a participar cada vez mais de uma atividade esportiva”, diz Prudêncio. Ele foi prata nas Olimpíadas da Cidade do México-68 e bronze quatro anos depois, em Munique. Na véspera da prova, Prudêncio aproveita a permanência em Campo Grande para visitar a sede da APAE.
O Circuito de Corridas de Rua conta pontos para o ranking da modalidade da Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) e terá dez etapas este ano. Com opção da prova longa e curta e ainda de caminhada, a competição é considerada porta de entrada para novos praticantes da modalidade. ”O Circuito de Corridas da Caixa é uma grande oportunidade para os
atletas testarem seus limites e abre muitas portas na carreira desses corredores”, ressalta Prudêncio.

terça-feira, 22 de abril de 2008


EUA DEFINEM TRIO DE MARATONISTAS OLÍMPICAS


A Federação de Atletismo dos Estados Unidos usou a Maratona de Boston, realizada no último domingo, como segunda prova seletiva para sua equipe olímpica e definiu o trio feminino que representará o país nos Jogos de Pequim, em agosto. Deena Kastor, Magdalena Lewy Boulet e Blake Russel ficaram com as vagas.
Esta será a terceira Olimpíada da carreira da californiana Kastor. Nos Jogos de Atenas-2004, ela conquistou a medalha de bronze, marcando 2h27min20. Na qualificação deste final de semana, ela terminou com o tempo de 2h29min36. Ela também participou dos Jogos Olímpicos de Sydney-2000, mas nos 10.000m na pista e parou as eliminatórias com o 18º tempo.
Lewy Boulet marcou 2h30min19, enquanto Russel fez 2h32min40. Pequim marcará a estréia olímpica para as duas
competidoras.

segunda-feira, 21 de abril de 2008

ÚLTIMAS DA NOITE....

* A cidade de Campo Grande (MS) dá largada na disputa do Circuito de Corridas de Rua da Caixa de 2008 no próximo domingo. Primeira das dez etapas previstas para a competição, a prova terá percursos de 5km e 10km.
* O jamaicano Asafa Powell confirmou sua presença no Super Grand Prix de Doha, dia 9 de maio, no Catar. Atual recordista mundial dos 100m rasos, Powell ainda estuda disputar a mesma prova no GP de Oslo, em junho.
Como parte de sua preparação para os Jogos Olímpicos de Pequim, Powell programa uma temporada de treinamentos na Itália durante o mês de junho. Desde setembro do ano passado, o jamaicano ostenta sozinho o título de recordista mundial com a marca de 9s74.
Antes, ele dividia a marca de 9s77 com o norte-americano Justin Gatlin, que acabou tendo seu tempo invalidado após uma acusação de doping.
* O queniano Paul Tergat está fora dos Jogos Olímpicos de Pequim, em agosto. Ex-recordista mundial de maratonas, Tergat não participará do evento porque não conseguiu fazer a preparação que desejava.
O atleta de 38 anos passou quatro meses participando de um treinamento em área militar no Quênia. A preparação foi conturbada por causa de vários distúrbios violentos que sucederam a eleição presidencial no final de dezembro.
* A maratonista Marily dos Santos é a primeira brasileira com índice A para a maratona nos Jogos Olímpicos de Pequim. Neste domingo, a corredora venceu a Maratona de Florianópolis com o tempo de 2h36min21, o índice A estabelecido pela Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) é 2h37min.
Duas vezes campeã do ranking da CBAt de corredores de rua, Marily já tinha o índice B (2h42min) desde o ano passado. Em abril, ela completou a Maratona de Pádova com a marca de 2h39min45. Atualmente, o Brasil tem outras duas atletas com o índice B: Marizete Moreira dos Santos e Sirlene Pinho, as duas têm 2h39min08.
NOTÍCIA QUENTINHA.......

Acabou de passar ao vivo pela SPORT TV a Maratona de Boston.
Na verdade não consegui assitir desde o início, mas consegui ver o suficiente para constatar que a prova foi um espetáculo, o que era de se esperar.
Apesar de se esforçar muito e fazer uma excelente prova, Robert Cheruyot não cumpriu a promessa de quebra de recorde da prova que pertencia a ele mesmo, ficando 30 segundos acima da marca com o tempo de 2:07:49, o que lhe garantiu o 1º lugar no pódio com folga já que o 2º colocado, um marroquino chegou com quase 2 minutos atrás do queniano, com o tempo de 2:09:03.
Entre as mulheres a vitória foi de Diritune, com um tempo de 02:25:25. Tidavia, houve mais emoção na disputa feminina, já que uma russa travou uma disputa belíssima, até cruzar a linha de chegada em 2º lugar...

domingo, 20 de abril de 2008

SAINDO DO FORNO....
Pessoal, tem mais um blog novo sobre corridas no pedaço. É o viva correndo do Roberto Brunner lá do Rio de Janeiro. Apesar de novinho, praticamente recém nascido como o meu João.. o blog é bem bacana. Além de dicas, traz relatos sobre as corridas que Roberto participou...vale a pena conferir e adicionar aos favoritos...Pra quem quiser dá uma espiadinha, é só clicar...
FOI A DICA.

SERÁ QUE VEM O TETRA???


Três vezes campeão da Corrida Internacional de São Silvestre, o queniano Robert Cheruiyot pode igualar um feito histórico na Maratona de Boston, nesta segunda-feira, conquistando o título pela quarta vez na história. Aos 29 anos, ele também tenta confirmar seu nome na equipe queniana que irá aos Jogos Olímpicos de Pequim, em agosto.
Com apenas três vagas em jogo para a maratona na equipe do Quênia, Cheruiyot sabe que precisa fazer bonito em Boston, apesar de a maratona mais antiga do calendário internacional não ter um percurso favorável à quebra de recordes. Com muitos trechos íngremes e o clima tradicionalmente frio e chuvoso nesta época do ano, a prova oferece desafios extras aos corredores.
Mas Cheruiyot não perde a confiança. Em 2006, ele registrou o recorde da prova com 2h07min14. 'Eu espero me qualificar para os Jogos no percurso mais difícil do mundo', disse confiante na coletiva de imprensa antes da prova.
O nível da concorrência promete ajudá-lo no desafio. Brigando pelo título tanto quanto por uma vaga na equipe queniana, seus compatriotas Martin Lel, James Kwambai, Timothy Cherigat e Shadrack Kiplagat puxam a fila. Lel venceu a Maratona de Londres com o tempo de 2h05mi15 na semana anterior, Kwambai brigou pelo título no ano passado, Cherigat venceu em Boston há 4 anos, enquanto Kiplagat também teve uma performance marcante no ano passado com o tempo de 2h07min53.
Entre os desfalques, merece destaque o campeão da maratona de Chicago de 2007 Patrick Ivuti e o terceiro colocado em Boston no ano passado Stephen Kiogora. Ivuti está fora após ser diagnosticado com malária e Kiogora optou por não competir após sua preparação ter sido interrompida por causa dos incidentes de violência ocorridos no Quênia após a eleição presidencial no início do ano.
Feminino - Na prova feminina, a russa Lidiya Grigoryeva tentará defender o título do ano passado, lutando contra a campeã de 2006, a queniana Rita Jeptoo. Detentora do recorde da prova, a letoniana Jelena Prokopcuka está no páreo, determinada a repetir o feito.
Mas as veteranas já encontram concorrência em uma nova geração de alto nível. Aos 23 anos, Askale Tafa Magarsa já venceu em Paris, Dubai e Milão. Um ano mais jovem, Dire Tune foi a primeira em Houston em 2007 e 2008.
A baixa no feminino é da campeã de 2002 e ainda recordista da prova Margaret Okayo. Segundo a organização do evento, ela não participa por causa de uma lesão na perna.

sábado, 19 de abril de 2008


O CADARÇO DESAMARROU E AGORA????


Fala sério...quem já não passou por essa situação? Fuóóóó... foi dada a largada... Vc sai no maior gás...está indo bem, olha no relógio vê que seu tempo está abaixo do costume. Sente que dá pra apertar mais um pouquinho. O clima está bom. Logo a frente um atleta de sua categoria e logo atrás outro. Você aperta o passo, chega junto...estão emparelhados e então...tantantantããããã.... seu cadarço do tênis desamarra!!!! Ninguém merece!!! Mas não merece mesmo!!!! Não tem nada pior do que isso... pelo menos pra mim e pra uma centena de corredores não tem!

Isso já aconteceu comigo várias vezes até eu aprender a amarrar direitinho o cadarço do tênis que nem gente grande! rs... até então um desenrolar de coisas aconteciam comigo depois do tal cadarcinho desamarrar...Certa vez, eu estava exatamente nessa situação aí em cima.... atleta da minha categoria na frente e atrás... Na verdade preciso até abrir um parêntese quanto a isso. Aqui em santos, as figurinhas são tão carimbadas que acabamos muitas vezes nos prejudicando no meio da corrida, já que sabemos exatamente quem é e quem não é de nossa categoria. Acho isso meio ruim, pois você fica muito mais pressionado quando sente alguém se aproximando de você ou alguém muio à sua frente. Preferia não saber, mas fazer o que??? Bom, voltando ao assunto, vi a atleta na frente, senti outra atrás... e lá fui eu, mais na vontade de passar a da frente do que segurar a de trás, como se uma coisa não fosse consequência da outra. Estava ombro a ombro com a da frente, que devo dizer, era superior a mim...mas senti que naquele dia estava bem e podia, quem sabe, pelo menos um vez na vida, chegar na frente, junto ou um pouquinho só atrás, o que pra mim, já seria ótimo. Emparelhamos... faltavam apenas 2 km e meio...hora certa pra apertar e dar tudo de mim...Ela olhou pra mim, parecia não acreditar já que nos pódios era sempre a mesma história eu em 3º e la em 2º ou ela em 1º e eu em 2º...mas eu estava li, firme e forte, cheia de vontade e numa ânsia de deixá-la pra trás quando...o maldito desamarrou! Putz...foi só o tempo pra me abaixar e pronto: respiração já era, ritmo já era, prnas já eram... e o pior... o pódio já era, pois além de eu não passar a mocinha, a de trás veio na cola e se aproveitou da situação ficando em 5º lugar no pódio.. Sacanagem!!!! Juro naquele dia eu fiquei revoltda, me senti um lixo mesmo...

Além desse episódio catastrófico, presenciei outro ainda pior...10km 'A TRIBUNA FM'...Túnel. Pessoas correndo insandecidas para aparecerem na TV pelo menos 1 segundo...outras querendo pelo menos por 1 segundinho correr ao lado de um queniano ou sei lá o que...de repente um senhor abaixa para amarrar o cadarço... Pofff... o atleta que vinha na maior vula atrás simplesmente aterrisou por cima do velhinho, que pasmem saiu ileso da situação, mas não ileso dos xingamentos do atleta que caiu e caiu feio viu!!!!

Bom, fato é que poderia passar horas contando casos desses teríveis cadarços que sismam em desamarrar quando não devem, mas o bom é que no site da webrun eu achei algumas dicas legais para evitar que isso aconteça...

* Nunca pare repentinamente. Diminua o ritmo, ande alguns metros e só então procure parar para amarrar seu tênis... acho que isso já evitaria o tombo do atleta e os xingamentos para com o velhinho...rs...

* Tente faze-lo em um local onde você não precise se agachar totalmente, como por exemplo, um banco de um parque ou praça, ou até mesmo num pára-choque de um carro. Assim a perna do tênis desamarrado ficará num ângulo mais confortável e esse pequeno detalhe pode evitar futuras lesões;
* Depois de amarrar o tênis, antes de reiniciar a corrida olhe sempre para trás para ver se não há outro corredor vindo em sua direção evitando assim um “atropelamento” e um eventual tombo;.. outra dica pro velhinho...rs...

Existe no mercado uma pequena peça que custa em média de cinco a 10 reais e serve justamente para que o tênis não desamarre.
Se preferir utilize tênis cujo sistema de amarração não utiliza cadarços, como os tênis que possuem sistemas de velcros ou os auto-ajustáveis.

Para aqueles que não querem investir nenhum centavo num tênis novo ou em acessórios, lembre-se de amarrar firme o seu cadarço antes de correr... evitando assim... tombos, xingamentos e afins...rs...
DICA DO JORGE........

Oi Pessoal, recebi um e-mail do Jorge lá do Rio de Janeiro do blog jmaratona.blogspot.com dando uma dica bacana... vai rolar um treino que a Mizuno fará dia 26.04.2008 na loja CENTAURO do Barra Shopping às 08:30h. As inscrições podem ser feitas no site www.mizunobr.com.br e se Aqueles que se inscreverem irá ganhar uma linda camisa, participar de um treino técnico de 10km, além de degustar um bom café da manhá e concorrer a produtos da mizuno através de um sorteio que será realizado.
Agora o melhor... quanto custa??? É tudo de GRAÇA minha gente!!!!
Cabe dizer que esse treino é para o Rio de Janeiro, mas se entrar no site aí de cima, dá pra conferir outras cidades em que a Mizuno também está fazendo esse treino....

FOI A DICA.

sexta-feira, 18 de abril de 2008

SÃO PAULO RECUPERA PASSADO NA ROTA DE GRANDES PROVAS

São Paulo volta em grande estilo ao circuito dos meetings internacionais de atletismo. No próximo dia 4 de maio, o Estádio Ícaro de Castro Melo, no Ibirapuera, recebe o primeiro dos cinco Grandes Prêmios programados para o país durante o mês.
O Vice-líder mundial nos 400m com barreiras, Johnson só disputará sua prova principal no GP de Belém, que fecha a programação internacional no Brasil, a partir do dia 25 de maio. Entre os torneios em Minas e Pará serão disputados os meetings no Rio, dia 18; e em Fortaleza, dia 21.
Para o presidente da Federação Paulista de Atletismo (FPA), José Antonio Martins Fernandes, ou Toninho como é chamado, o fim da espera foi possível pelo desejo de São Paulo recuperar sua antiga posição. Apesar de organizar eventos do porte do Troféu Brasil e do Campeonato Sul-americano, este no ano passado, desde 1996 a cidade não é sede de um GP.
Temos o aval do Governo do Estado de São Paulo, através da Secretaria de Esportes, e da Prefeitura de São Paulo para agendarmos competições de porte para a cidade”, explica. “Apresentei o projeto e eles acharam que era hora de São Paulo retomar esta história antiga”. A BM&F e o grupo Rede de Energia vão ajudar a pagar as premiações.
Os GPs fazem parte do IAAF World Tour, principal circuito da modalidade e São Paulo foi sede de eventos do calendário durante 100 anos, de 1895 a 1995. Nos últimos anos, o evento era promovido pelo empresário Vitor Mazzoni.
Com a impossibilidade de mantê-lo, a Confederação Brasileira de Atletismo (CBAt) assumiu o meeting. De 96 a 2001, a sede foi o Rio de Janeiro. Desde então, ele acontece em Belém, onde tem o apoio direto do Governo estadual.
São Paulo teve a chance de voltar ao circuito graças à expansão de eventos promovida pela CBAt. “Quando assumi tínhamos apenas um, passamos a dois, três, quando já me perguntavam (a equipe de apoio) se estava tentando matá-los. Hoje, chegamos a cinco”, comemora o presidente da Confederação, Roberto Gesta de Melo.
Autorizados pela Associação Internacional das Federações de Atletismo (IAAF), os eventos são classificados de acordo com sua dotação orçamentária. A etapa paulista terá orçamento de R$ 700 mil, incluindo premiações e despesas de hospedagem dos atletas. “Este ano ainda é um meeting regional, não é um de área. Estamos fazendo um GP menor, mas é internacional e São Paulo volta a fazer parte do circuito mundial”, destaca Toninho.
Este ano? Isto significa que São Paulo ambiciona reassumir o principal evento do calendário? O dirigente desconversa.
São Paulo é o Estado com as melhores condições para que se realize um evento deste porte. Claro que temos intenção, mas depende de uma série de questões, principalmente a financeira, e do interesse do Governo. Estamos pleiteando e na medida que formos sentindo a necessidade ou que houver oportunidade, a gente entra com o requerimento. Mas isto não tem previsão. Depende de apoio e da aprovação das Federações Brasileira e Internacional porque um GP de Área equivale a um GP de Fórmula 1, guardadas as devidas proporções. São feitos apenas 18 no mundo hoje”.
Sem rivalidade e com mais pistas - Apesar da satisfação pelo retorno do meeting, o presidente da Federação Paulista descarta que a iniciativa seja uma tentativa de fazer frente à perda de espaço de São Paulo com o crescimento do Rio de Janeiro como núcleo das principais competições esportivas no país. “Acho que São Paulo nunca perdeu para o Rio, que sempre esteve à frente em eventos esportivos e internacionais por uma série de questões. Uma delas o fato de a maioria das Confederações ficar lá”, minimiza. “São Paulo tem o próprio caminho: a grande maioria das seleções brasileiras está sediada aqui por causa dos Jogos Abertos e Regionais e é o Estado que mais tem difundido o esporte no interior e na capital”.
Considerando intacta a força natural como celeiro competitivo, o dirigente lamenta apenas a defasagem em relação aos equipamentos esportivos. “São Paulo deixa a desejar na questão de equipamentos. Não temos uma estrutura que possa trazer eventos de nível realmente grande. O Rio está um passo adiante por causa dos Jogos Pan-americanos. Hoje São Paulo não tem um ginásio a altura de um evento internacional. Tem o Ibirapuera, mas é um ginásio antigo que reconhecidamente precisa de melhorias urgentes”.
Nem o atletismo escapa muito desta sina. A pista do Ibirapuera reina absoluta e praticamente isolada. “Só temos esta pista para treinar, competir e fazer eventos. Nenhuma cidade do mundo, do porte de São Paulo, tem uma quantidade tão insignificante assim”, reclama Toninho.
Uma outra foi construída na Praia Grande para os Jogos Abertos do ano passado. Piracicaba também está construindo uma, enquanto o Grupo Rede prepara outra, em Bragança, com recursos particulares. Todas com nível internacional.
Mas hoje temos apenas uma, o que é uma dificuldade em ano olímpico para treinamento dos atletas, competições e eventos internacionais”. A boa notícia é que há sinais de vontade política para reverter a situação. “Estão tendo boa vontade com o atletismo e acredito que no ano que vem já estejamos melhor”.
O Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa também deve ganhar uma pista nível 1 em breve. “Já foi feita licitação e estão em fase final para começarem as obras. A partir do momento que tivermos o Centro Olímpico, da Prefeitura, e o Ibirapuera, do Estado, você passa a ter referência forte no atletismo de duas pistas”, completa.

quinta-feira, 17 de abril de 2008



SÉRIE: LESÕES EM CORREDORES

V- ESPORÃO OU FASCITE PLANTAR

Os nossos pés são o meio de contato com o solo, são responsáveis pela absorção do impacto e distribuição do nosso peso quando corremos ou mesmo durante a marcha normal. Durante o apoio do pé no solo nem toda a planta do pé mantêm contato com o chão, temos um triângulo com três pontos que dá sustentação durante a marcha, posteriormente o osso calcâneo, na inserção da fáscia plantar e 2 apoios na parte anterior do pé que são as cabeças do 1º e 5º metatarsos. Um dos motivos mais frequentes de consultas ao cirurgião ortopedista é a dor no calcanhar. Pode ter várias causas, mas sem dúvida a causa mais frequente é o esporão de calcâneo, também conhecida como fascite plantar (FP).

O QUE É O ESPORÃO OU FASCITE PLANTAR?

A Fascite Plantar é a inflamação da fáscia plantar, uma estrutura fibrosa espessa localizada na planta do pé e se estende do osso do calcanhar em direção aos dedos. É importante fazermos a distinção entre fascite plantar e o esporão de calcâneo. O esporão é um crescimento ósseo que ocorre no osso calcâneo e localiza-se adjacente à fascia plantar. Antigamente um dos tratamentos era a resseçção cirúrgica do esporão e sabemos hoje que a presença ou ausência, bem como o tamanho do esporão plantar do calcâneo não é a causa da dor.


Pessoas com peso excessivo ou que necessitam trabalhar em pé ou andar por longos períodos são considerados de alto risco em apresentar a FP. Alterações na formação do arco dos pés (queda ou acentuação do arco, conhecidos como pé chato ou pé plano) também são fatores causais da doença. A queixa mais comum é a dor no calcanhar ao levantar-se no período da manhã e que melhora após algum tempo, dor intensa a tal ponto que o paciente tem que andar muitas vezes na ponta do pé. De maneira geral o quadro clinico é crônico, com duração de vários meses e acompanhado por períodos variáveis de remissão expontânea. Os exames de radiografias simples podem ou não mostrar um esporão ósseo, sendo a ultrassonografia um método importante de avaliação da integridade e qualidade da fáscia plantar.


TRATAMENTO:
O tratamento inicialmente é sempre conservador, isto é, medicação com antiinflamatórios, uso de palmilhas para absorção do impacto, fisioterapia com exercícios para alongamento da fáscia plantar. Deve-se suspender as atividades de corrida ou longas caminhadas e perder qualquer peso excessivo. Em torno de 70% dos casos o tratamento conservador traz bons resultados e naqueles pacientes que não melhoram está indicado o tratamento cirúrgico, apesar dos resultados serem discutíveis. A Medicina tem evoluído nos últimos tempos proporcionando novos métodos de tratamentos mais eficazes, menos invasivos e com menores riscos ao paciente. É o caso da Terapia por Ondas de Choque Extracorpórea, que chegou recentemente ao Brasil e está sendo ministrada por ortopedistas em algumas cidades como São Paulo, Brasília e Porto Alegre. Através de um aparelho fora do corpo humano, as ondas de choque são aplicadas no local da inflamação produzindo uma neovascularização com conseqüente reparação do tecido inflamado. Ondas de choque são ondas mecânicas, acústicas e não tem relação com eletricidade e não emitem calor. O procedimento é realizado por um médico ortopedista, em 3 aplicações com intervalos semanais e duração em média de 45 minutos. É uma alternativa ao tratamento cirúrgico, com 90% de bons resultados no tratamento da fascite plantar.Também está indicado nos pacientes que se submeteram à cirurgia e que continuam com os sintomas (30% dos casos). Apresenta muitas vantagens com relação ao tratamento cirúrgico:
a) método não invasivo, sem cicatrizes
b) não requer internação hospitalar
c) não necessita de anestesia, com eliminação dos riscos da cirurgia e anestesia
d)não causa outros problemas possíveis decorrentes dos riscos cirúrgicos e anestésicos
e) não é considerado doping
f) recuperação num curto espaço de tempo
g)não requer afastamento do trabalho
h) não necessita preparo especial prévio.


EFEITOS COLATERAIS:
Apresenta mínimos efeitos colaterais:
desconforto local discreto durante a aplicação
aparecimento de pequeno hematoma no local da aplicação que desaparece expontaneamente em 24 horas.


CONTRA-INDICAÇÕES:
- marca-passo cardíaco
- gestantes
- crianças
- pacientes com distúrbios de coagulação.
A terapia por ondas de choque é indicada para doenças do sistema osteomuscular tais como as calcificações no ombro, as epicondilites (cotovelo de tenista ou golfista) e pseudo-artroses (fraturas que não consolidam). Durante o tratamento utiliza-se um aparelho de ultrassonografia que traz um "cross-hair" (mira), proporcionando durante todo o tempo da terapia a localização exata e on-line da área a ser tratada, com precisão exata do local inflamado e focando a onda de choque no ponto necessário da lesão. O método é comprovadamente eficaz no meio médico internacional, sendo utilizado na Europa desde 1990 com bons resultados em torno de 90% dos casos. Aproximadamente 2,5 milhões de norte-americanos apresentam FP e estima-se que 1 milhão de brasileiros procuram os consultórios de ortopedia com os sintomas da doença.


MINI-CURSO PSICILOGIA DO ESPORTE APLICADA


Acontecerá nos dias 30 das 19:00hs às 22:00hs e 31 de maio das 08:00 ao 12:00 e das 13:30hs às 17:00hs, no Auditório Unidade Vita Higienópolis em Higienópolis, um Mini-Curso intitulado " Psicologia Do Esporte Aplicada.

Através de Samia Halllage ( Psicóloga da seleção brasileira de volei feminino e do Instituto Vita) e Carla di Pierro (Psicóloga especialista em psicologia do esporte do Instituto Vita), o curso abordará diversos temas como:


* controle de atenção e concentração;

* gerenciamento de estresse;

* aumentando a confiança;

* Relação treinador-atleta;

* ganhando motivação;

* reabilitação de lesões;

* Treinamento mental;

* Ansiedade.


O objetivo do curso é introduzir conceitos básicos e técnicas da Psicologia do Esporte para o desenvolvimento psicológico do atleta, do praticante de atividade física e do profissional do esporte.


O valor é um pouco salgado, R$ 150,00, sendo que estudantes pagam 50%...mas para aqueles que tem interesse em se aprofundar um pouco mais no assunto, talvez falha a pena conferir.


As inscrições e informações sobre o curso pdoem ser feitas através do e-mail: cep@vita.org.br

FOI A DICA.

quarta-feira, 16 de abril de 2008



VOCÊ SABIA?


O corpo humano através da corrida produz endorfinas e encefalinas que reduzem o estado doloroso.Com estes neurotransmissores inibindo a transmissão da dor, fica evidenciado um estado de tranqüilidade e prazer para o corredor.Tanto as endorfinas como as encefalinas são considerados analgésicos, e são endógenos (produzidos pelo próprio organismo), contrariamente a morfina que é exógeno.O individuo quando corre, mesmo em steady state (estado de equilíbrio) chega em determinado momento a uma situação de cansaço, a partir deste ponto passa a sentir dores musculares e conseqüentemente intranqüilidade emocional.Quando o corredor passa a exercitar-se diariamente, continuamente com batimentos cardíacos controlados fica evidenciado seu estado de bem estar e sua condição psicológica é positiva, seu humor positivo é melhor evidenciado.Seus níveis de estresse diminuem, a corrida passa a funcionar com eustress (resultado de acontecimentos positivos).Denominamos isso como “barato da corrida”.O estado de estresse direta ou indiretamente contribui para com situações de desequilíbrios do corpo e da mente, a corrida passa a ser um elemento preventivo de saúde.Os benefícios da corrida começam a se manifestar no corredor com uma maior disposição para as suas atividades profissionais, aumento da auto-estima e da autoconfiança, o que leva o individuo a ter maior resistência e passar a administrar sua vida a contento mesmo sob forte pressão ou num clima desfavorável, o raciocínio começa a ter melhores de condições quantitativamente e qualitativamente pois, o cérebro melhor oxigenado funciona com mais eficiência, isso demonstra um bem estar psicológico.
ô DELÍCIA........
VALENDO ÍNDICE...

A maratona do Rio de Janeiro, a ser realizada em 29 de junho, é uma das provas credenciadas pela Federação Internacional de Atletismo (IAAF) para obtenção de índice olímpico. Por este motivo, a corrida contará com a participação de atletas estrangeiros, além dos brasileiros.
A Maratona do Rio faz parte de um seleto grupo de eventos válidos para os Jogos Olímpicos, o que mostra a sua importância no cenário mundial”, afirmou o diretor técnico da prova, João Traven. “Já temos confirmada a participação de atletas argentinos e uruguaios, que estão em busca da vaga na China”, completou.
Com as inscrições já abertas, a prova contará com 42,195km de percurso a ser percorrido sobre a orla carioca até chegar ao Aterro do Flamengo. No mesmo dia, acontecerá, também, a meia maratona de 6km.
O Brasil já tem dez atletas com índice para a maratona nos Jogos Olímpicos. Entretanto, cada nação só pode ser representada por até três maratoniostas, neste caso, os brasileiros que possuem melhores tempos serão os representantes do País em Pequim. Os concorrentes são: Marílson Gomes dos Santos (mais cotado para representar o País), José Teles de Sousa, Frank Caldeira de Almeida, Vanderlei Cordeiro de Lima, Clodoaldo Gomes da Silva, Cosme Ancelmo de Souza e Geovane de Jesus Santos.



SÉRIE: LESÃO EM CORREDORES

IV- CANELITE

Ahã.. pensaram que eu ia me esquecer de continuar a série de lesões??? Nãnãnãnãnão!!!! Eis me aqui para falar um pouquinho sobre Canelite. Como não poderia ser diferente tb já senti dores na canela e diga-se de passagem.. eita dorzinha chata!!! Mas fiz tudo direitinho, passei a treinar corretamente, respietar os limite do corpo e não achar que correr 10km num dia e no outro pular para 20km fará de mim uma atleta de elite me ajudaram muito na recuperação...então, para queles que ainda cometem erros desse tipo...vamos lá...

Canelite é o nome popular da Síndrome de Estresse do Medial Tibial ou Periostite Medial de Tíbia, que é uma inflamação do principal osso da canela, a tíbia, ou dos tendões e musculos da Tibia, podendo se tornar fratura por estresse. É comum em atletas que praticam futebol, tênis, ciclismo e corrida.

CAUSAS

Alguns fatores podem desencadear a síndrome:

* pronação dos pés
* prática de esportes em terreno muito rígido
* uso de calçados inadequados
* fatores genéticos

PREVENÇÃO

Dê preferência a tênis de corrida flexíveis na parte frontal. Troque o tênis de corrida sempre que usá-lo de 480 a 640 km. Use uma calcanheira para reduzir o choque, assim como suporte para arco do pé ou palmilha de amortecimento, se necessário. Não aumente seu volume de treinamento drasticamente ou faça treino de velocidade prematuramente. Equilibre o seu treinamento. Corra uma menor quilometragem e o faça sobre superfícies mais macias. Inclua corrida em piscina ou outra atividade física complementar.
Concreto é seis vezes mais severo para os seus tecidos da tíbia do que o asfalto. O asfalto é três vezes mais severo do que a terra batida. A grama é ainda mais macia, e diminui significativamente o risco de inflação na região da tíbia. Retorne o volume de treino nas ruas em 1,5 ou 3 km por vez à medida que volta ao treinamento pleno. Use ortopédicos ou tênis antipronação.
Alongue antes da corrida, e mais uma vez depois do aquecimento. Cometeu um erro no treinamento e está com a canela doendo? Coloque gelo, tome antiinflamatórios não esteróides e não cometa o mesmo erro novamente!
A canela sempre dói depois de uma sessão de treino na pista de atletismo? Então faça seu treino de velocidade sobre terra batida, grama, areia, ladeira acima, na esteira ergométrica ou faça corrida na piscina. Também conserte qualquer erro no treinamento. Faça a quantidade apropriada de treino de velocidade e corra num ritmo adequado. Gradualmente aumente os treinos de velocidade para até 10% do volume semanal em uma sessão, e não corra mais rápido do que o seu ritmo numa corrida de 5 km até que seja capaz de realizar os 10% sem dores severas.
Não se esqueça de fazer o desaquecimento, ou volta à calma... Provavelmente a parte do treino mais negligenciada. Correr por mais 3 ou 5 km pode parecer horripilante depois de fazer 20 repetições de 400 metros no ritmo de corrida de 5 km. Isso é horripilante se você não está em forma suficiente para correr esses intervalos sem um pouco de reserva! A corrida leve introduz sangue com seus nutrientes e acelera a extração dos produtos do desgaste da corrida rápida. Adicione 400 metros de caminhada no final e você também estará diminuindo o acúmulo sanguíneo pós-exercício que contribui para inflamação nos músculos. Molhe suas pernas com água gelada, coloque seus pés para o alto por 20 minutos enquanto se re-hidrata e desaquece, e então tome uma ducha e faça os alongamentos.
A musculatura da tíbia trabalha de encontro aos grandes músculos da panturrilha, e é a última musculatura a aquecer e a primeira a esfriar. Com isso em mente, faça exercício para fortalecê-la. Sentado numa cadeira, desenhe círculos largos com o seu dedão do pé, e depois desenhe o alfabeto. Depois de algumas semanas, adicione o exercício "pote de tinta": sentado numa mesa, pendure um peso no dedão do pé e o levante flexionando o tornozelo numa seção de 12 repetições. Ou então enganche um cinto elástico, ou item similar, ao redor do dedão do pé e empurre conta ele 10 vezes e depois o puxe em sua direção 10 vezes. Reduza sua quilometragem para se livrar da inflamação na região da tíbia. Já que os músculos da região da tíbia são os últimos a aquecer, vestir meias de cano longo pode ajudar no aquecimento.
Dor na parte exterior da tíbia? Caminhe apontando os pés para dentro por um minuto por dia. Dor na parte interior? Caminhe com os pés apontados para fora por um minuto. Aumente gradualmente os exercícios descritos acima até atingir 5 minutos. Então, pratique a caminhada sobre seus dedos e sobre o calcanhar com os pés apontando para dentro e para fora.

EXAMES COMPLEMENTARES:


*A maioria das radiografias é normal. Pode ocorrer neoformação óssea periosteal longitudinal irregular ou hipertrofia cortical da tíbia.
* Já na ressonância magnética pode ser evidenciado um edema periosteal indicando a periostite de tração.
* A cintilografia óssea pode demonstrar lesões longas longitudinais chegando a um terço do comprimento do osso.
Alguns trabalhos mostram que a densidade mineral óssea tibial pode estar diminuída.

TRATAMENTO
Use gelo e antiinflamatórios não esteróides no começo da inflamação. Então trabalhe a flexibilidade: alongue antes e depois do exercício. Deite-se de costas com um pé no ar. Coloque uma toalha em volta da sola do seu pé, e puxe com a sua mão esquerda para trazer os dedos do pé para baixo e para a esquerda, o que irá alongar os músculos à direita.
Também massageie gentilmente o músculo respeitando sua tolerância à dor podendo utilizar um antiinflamatório tópico nessa massagem. Use gelo alternando com calor úmido... então submeta a musculatura à amplitude total de movimento. Use antiinflamatórios não esteróides.


PRÓXIMO TEMA: ESPORÃO