quinta-feira, 31 de março de 2011

VARIAR É PRECISO....É PRECISO VARIAR....

Vamos combinar: quem aguenta comer todo santo dia a mesma coisa? E não me venha falar em partos coloridos,porque ver as mesmas cores todos os dias também enjoa...rs...Na corrida é  a mesma coisa. Tem condições acordar todo santo dia, colocar o mesmo tênis, correr pelo mesmo percurso, a mesmíssima distãncia? Duvido...Não dá. Aliás, não pode.

Conheço muita gente que começou a correr empolgadíssimo e depois parou alegando monotonia no esporte. Claro que não. Muito pelo contrário, a corrid não é nem um pouco monótona, haja vista a diversificação de exercícios e treinos ue englobam o esporte.

E diversificar é a palvra correta. da monotonia, mas o principal mesmo, é para obter resultados. Eu custei a aprender isso. Passei pelo menos uns 14 anos da minha vida, fazendo o memso treino. Corria, 10, 12, às vezes 2 horas e meia sem parar. Qual a meta? Nenhuma. Obviamente muita gente corre por prazer e aí, variar é preciso somente para conhecer novos ares, novos caminhos, novas pessoas.

No entanto pra gente que curte uma provinha, curte baixar tempo, curte quebrar recordes pessoais  romper limites variar o treino e o percurso é mais do que necessário, é primordial.

Tem gente que ama correr no asfalto e diz que pela areia nem pensar. Aliás, foge de provas de areia. Até que pinta aquela provinha que todo mundo fala que é muito bacana e resolve se inscrever. O percurso tem areia. Aí...o que acontece? Sofre e sofre muito e jura d epés juntos que nunca mais vai se meter numa roubada dessas.

Mesma coisa com subidas...Não treina em alives porque dói joelho, falta o ar...Aí o pessoal da academia vem com uma conversa que vai ter uma prom São Paulo e que as subidinhas são muito tranquilas.... O cara vai ...bobinho, acredita w o que acontece? Se lasca inteiro,porque correr subidas em São Paulo ou em qualquer lugar do mundo sem um mínimo de preparo até Capitão Nascimento pediria pra sair...

Então, o negócio é mesmo variar. E é bacana viu...Hoje mesmo...Corri leve pela areia...Tava fofa, por conta da chuva da madrugada. Então, aproveitei para voltar pelo asfalto. Conclusão...um treininho básico de velocidade. Fechei a ida pra 25:32 e  a volta para 22:12. Quando eu saí da areia fiquei levinha...Claro que se eu faço o contrário, vou sofrer um pouquinho mais, todavia nas competições você verá resultados.

Como treinar em subidas. Eu odeio. Odeio mesmo. Mas quando há umaprova em que u estou visando um bom resultado como a de maio (ano passado por menos de 1 minuto não entro na elite c), então as corridas são de suma importãncia. Trabalha muito o sistema cardiovascular...Claro não vai querer começar subindo um morro de 1km direto...Vai devagar...Pequenos arranques de 1 minuto, descendo a mesma distãnciano trotinho, só pra recuperar a respiraçaõ. Com o tempo, vai dando pra aumentar tanto a distãncia quanto o tempo do arranque e com certeza quando corre rno asfalto também irá sentir uma diferençã de rirmo absurda.

Outra coisa legal, é pegar um percurso de 8kma 10km e ir dando pequenos tirinhos...correr forte 2 minutos e na boa 5, correr forte 2 minutos e na boa 5...Claro que no final suas pernas vão estar mais cansadas do que de costume, mas você nem sentirá o tempo passar e fará um treino de qualidade e variado.

Quer ver...Aqui na baixada tem mitas provas que mesclam areia e asfalto. Provas de 5km de 10km. É legal participar, até para ver qual a diferença de tempo entr um e outro. Dia 16 de junho haverá a 1a edição da Jovem Pan night run aqui em Santos e eu provavelmente vá...Serão 10km sendo 5km pelo asfalto e 5km pela areia...Interessante e diferente por ser prova noturna...com temperatura amena...dá pra puxar um puco, mas tem que treinar...

Eu s´baixei meu tempo dos 55 min para a casa dos 46 depois de variar o treino. Nada de ficar só no longão achando que isso fará voc|~e adquirir resistência. Pode até adquirir, mas não o fará ter velocidade e se você quer quebrar marcas, é preciso velocidade. Faça pequenos testes.

Esta semana farei o seguinte: pel menos 2 vezes na semana, orrerei em estado de exaustão até onde eu suportar...Não importa de só 5 minutos ou 40. Será um treino de explosão. Pra que Pra suportar sofrimento numa prova, pra adquirir resistência física e força muscular as quais são coisas totamente diferentes....Aí vou ver s emelhoro...O ne´gocio é testar...

Dia 17 começa o Campeonato Santista. Certamente a 1a prova não irei muito bem...Geralmente é assim. Ainda estou fria, a competição ainda não tá muito na veia...Depois vai melhorando, o tempo baixa...Já na outra semana é a 2a etapa do Circuito das praias. Aquela prova de rvezamento de 5km que eu cheguei toda torta....rs...mais m motivo pra acostumar a sofrer....rs..sei que vai ser pedreira....E assim vai...Eu tenho algumas metas pra esse ano eportanto acho que meus treinos devam ser mais exaustivos. A tendência são posts carregados de insatisfação comigo mesma, críticas, vontade de desistir...mas sempre terminando do jeito que eu gosto...mito feliz por ter alcançado os resultados prtendidos....vamos ver....

Então...mãos a obra.. quer dizer...tênis a obra e bora variar....


sexta-feira, 25 de março de 2011

SEXTA FEIRA: VAMOS RIR UM POUCO?




Show né????

 
Bom final de semana!

quinta-feira, 24 de março de 2011

MUITO CUIDADO: NEM TODA DOR É NOSSA CONHECIDA...

Hoje, como de costume, fui fazer meu treininho. Dia duro. 14T 1`1`D (14 tiros de 1 minuto para 1 minuto de descanso.  Quando eu estava no descanso do 10º tiro, um atleta estava parado ao meu lado sacudindo as pernas. Devia ter uns 40 anos. Assim que eu parei ele disse: "Dia quemte. Tá dureza pra mim. 6 meses parado por conta de uma dor  no púbis. O médico disse pra eu começar devagar, ma nem devagar tá dando".

Na boa, a frase doeu na alma. Só quem ama correr sabe o quão ruim é estar sem correr. Uma coisa é a gente acordar sem vontade e pronto. Outra coisa é você acordar na fissura e dar de cara com uma placa de proibido correr. A vontade de que dá, é pedir pra morrer.

A gente lê tantos artigos sobre lesões. Mas na boa, geralmente quase todos falam sobre as mesmass: é lesão por estress, canelite, fascite plantar, dor patelo femoral, estiramentoe blá blá blá...coisas que a gente tá careca de saber ou pelo menos tem uma base. No entanto, há uma dorzinha que incomoda e muito os corredores e também é muito comum...Minha amiga Patrícia já teve, meu pai já teve, meu amigo teve...Estou façando da pubalgia.



Certamente muitos corredores já tiveram  púbis.mas como existem muitas dores que rondam atletas e esportistas em geral, sendo que algumas têm características que chegam a ser confundidas com outras patologias, muitosa deles nem foram ao médico e pior, muitos deles ainda insistem em treinar com essa dor achando que é a famosa dor tardia, dor por execsso...

 Nestes casos, o diagnóstico correto é imprescindível para que o tratamento dê resultado. Uma dessas dores é a pubalgia, que incomoda alguns corredores e que precisa ser tratada para não atrapalhar os treinos e as competições. Como foi o caso de Vanderlei Cordeiro de Lima, que iria correr a Maratona de Turim (dia 13/4) em busca do índice para Pequim, e foi obrigado a parar por uns dias os treinamentos para tratar de uma inflamação no púbis. Em função do problema, ele adiou para a Maratona de Praga a busca por um bom resultado.

O termo pubalgia denomina dor no púbis (o osso que se localiza no final do músculo do abdome, sob a região genital; faz parte do osso do quadril. Essa denominação é muito abrangente, o que muitas vezes gera confusão, pois seus sintomas podem se assemelhar a outras patologias. Para alguns autores este termo é usado para a ocorrência da lesão do canal inguinal, mais conhecida como hérnia inguinal.

Outras patologias que têm sintomas parecidos são: hérnia inguinal, doenças geniturinárias, osteítes púbicas (síndrome do músculo grácil e síndrome do músculo piriforme), prostatite, bursites na região do quadril ou artrite do quadril. Porém, mais de uma causa pode estar associada à dor no quadril. Abordaremos nesta matéria somente a dor na virilha relacionada à tensão da musculatura dessa região com ou sem alteração do osso do púbis e sem hérnia inguinal.

A dor na região do púbis ou na virilha é muito comum em atletas e pode ser aguda ou crônica. Acomete principalmente jogadores de futebol e tênis, mas também corredores de longa distância (maratonistas) quando em treinos de tiro, ou corredores de aventura. É mais freqüente em homens do que em mulheres devido à quantidade proporcional de praticantes de futebol e também às diferenças anatômicas e biomecânicas dessa região do corpo (a bacia da mulher se adapta melhor aos impactos dos esportes).

Mecanismos de lesão e causas: Os mecanismos de lesão podem incluir alterações rápidas de direção, movimentos repetidos de corrida associados a desequilíbrios musculares, traumas diretos, diferenças no comprimento dos membros inferiores, prática esportiva em pisos duros, uso de calçados inadequados e excesso de treino.

A causa mais comum da dor na virilha é a distensão ou tensão exagerada da musculatura que envolve esta região, abrangendo os músculos adutor longo, reto abdominal, iliopsoas, pectíneo e reto femoral. Pouca flexibilidade da musculatura da região do quadril e pélvis, assim como instabilidade de quadril e desequilíbrio muscular entre adutores e músculos do abdômen, também podem contribuir para o surgimento da pubalgia.

Quando a pubalgia tem sua causa na musculatura, o músculo e tendão mais acometido normalmente é o do músculo adutor (porção longa), podendo apresentar uma inflamação crônica ou até uma lesão das fibras (ruptura de uma parte do tendão ou músculo). Outro músculo comumente acometido é o reto abdominal na porção que se insere no osso púbis. A tensão nestes dois músculos desequilibra o quadril, pois o músculo reto abdominal traciona o osso do quadril para cima, enquanto o adutor puxa para baixo.


Sintomas: A dor é bem localizada na virilha e pode acometer apenas um lado ou os dois. Normalmente ocorre durante a corrida (ou outro esporte), mas se o atleta continuar correndo a dor pode aparecer durante outras atividades como sentar-se e levantar-se de uma cadeira, subir e descer escadas, agachar, mudanças de direção abrupta, aceleração e chute. Corredores normalmente apresentam dor localizada e forte desde o início da doença.

Se houver irradiação da dor, o atleta pode sentir incômodo na região de abdome inferior, adutores, região genital e lombar, caso haja associação com alterações da articulação sacroilíaca (junção do quadril e porção final da coluna).

Diagnóstico:  Quanto mais demorado for o início do tratamento maior será o tempo de recuperação. Quando diagnosticado e tratado rapidamente o corredor tem a chance de não se afastar da corrida, tendo apenas o seu treino modificado até a recuperação total. O tempo de afastamento do esporte depende de cada caso.

O diagnóstico médico é de extrema importância. Além do exame físico, os exames de imagem auxiliarão o médico a fazer o diagnóstico correto. O raio X pode mostrar lesão do osso púbis, calcificação dos tendões acometidos, osteoartrite ou instabilidade pélvica. Já a tomografia computadorizada e a ressonância magnética podem evidenciar outras causas da dor na virilha, como a existência de hérnia inguinal ou lesões musculares e tendíneas.

Tratamento: O tratamento para dor na virilha decorrente da hérnia inguinal é, na maioria das vezes, cirúrgico. Já o tratamento para pubalgia decorrente das alterações musculares e ósseas é conservador. Esse é o principal motivo de escolhermos o segundo tipo para aqui abordarmos. Além do tratamento médico, a acupuntura e a fisioterapia auxiliarão a completa recuperação.

O objetivo do tratamento fisioterápico consiste em diminuir a dor e a inflamação, aumentar a resistência do tendão ou tendões acometidos, restabelecer o equilíbrio muscular, melhorar a estabilidade do quadril e da coluna. É recomendada a aplicação de bolsa de gelo por 20 minutos no local da dor, duas a três vezes por dia, desde o início do aparecimento da dor até o final do tratamento.

No início da patologia não se deve correr com dor. Muitas vezes, após a realização do tratamento correto, no retorno ao esporte pode acontecer um pouco de dor durante a corrida, mas essa dor pode ser descrita mais como um incômodo do que dor. A musculatura acometida precisa de um tempo de adaptação, o que justifica esse incômodo, bem diferente da dor durante a pubalgia.

A pubalgia é um grande desafio na medicina esportiva. Não é apenas um problema para ser diagnosticada, mas também de difícil tratamento. Se não tratada corretamente pode se tornar crônica e atrapalhar a vida esportiva dos atletas. É uma patologia que requer um acompanhamento multidisciplinar. Siga a orientação do seu médico e procure um profissional capacitado para acompanhar a sua reabilitação. O fisioterapeuta poderá utilizar técnicas de terapia manual e correções posturais como RPG (Reeducação Postural Global) para proporcionar uma recuperação segura e completa (sem recidivas). Dessa forma você não sentirá tantas saudades da corrida...

fonte: Revista contrarelógio

terça-feira, 22 de março de 2011

ORA BOLHAS...


Esses dias tive que andar, andar, andar e então resolví colocar um sapato baixo. Enquanto eu estava na correria pra lá e pra cá, apenas sentia a parte de trás do trnozelo arder, mas quando cheguei em casa, me assustei. Enormes bolhas (gigantescas mesmo) se formaram. Nos dois pés. Eu sempre digo que sou a Rainha das Bolhas...rs...

Já tive bolha debaixo da sola dos pés, na lateral, entre os dedos, dentro da unha...qualquer lugar. Obvio que ao longo dos anos e adquirindo um pouco mais de experiência, algumas bolhas nunca mais apareceram já que comecei a usar meias sem costura, mais fininhas, tênis mais largos o que realmente ajudou e muito...Vez ou outra tenho uma bolhinha debaixo dos pés, mas é normal, e geralmente acontece quando corro na chuva...

Mas na boa, bolhas como essas que apareceram nunca vi mesmo. Estavam imensas! Aí, ao contrário do que mandam fazer....rs...eu as estourei....

Este mês coincidentemente saiu na Runner´s World uma matéria sobre bolhas e vários procedimentos que devemos fazer e que não devemos fazer. Dentre eles, nunca estourar as bolhas, salvo se estiver muito grande e com agulha fina esterilizada...Tudo muito lindo, se eu não tivesse um medo gigantesco de agulhas...

Aí, fiz uma coisa que não deveria, mas fiz. Dei uma biliscadinha nas bolhas e deixei o líquido escorrer. Ficou ardendo um pouquinho, mas hoje, já está quase seca e deu pra correr sussegada, ao contrário da Revista que diz que podemos voltar a correr 1 semana depois...
O pior é que temos que conviver com essas bolhas assassinas... Como eu sempre faço aqui no blog...rs...Faça o que eu falo não faça o que eu faço...rs...Já disse o que eu fiz com minhas bolhinhas assassinas, mas agora tenho que mostrar a teoria linda da maioria dos médicos...



Parabéns você já conseguiu uma bolha nos pés, agora vamos aprender a tratar disso. Basicamente se a bolha esta ainda com líquido dentro e não rompeu a pele o melhor conselho é NÃO MECHA...ou pelo menos não faça como eu fiz....rs...


Apenas tire o sapato e pare oque quer que seja que esta causando a bolha, proteja a bolha com gazes limpas formando um curativo. E espere ela secar e se curar sozinha.


Agora se ela esta causando dor e você precisa continuar correndo (esta ha uns 10km da linha de chegada ou do final do longão)  bom neste caso a outra opção é drena-la e fazer um curativo. Existe também o caso onde a bolha ja estourou no calçado mesmo (o cabeça dura apesar da dor continua correndo até a bolha estourar e as vezes até formar sangue no ferimento).

Neste caso lave a área da bolha e em volta com um anti-séptico, em caso de estar longe e não ter anti-séptico na mochila, use sabão mesmo ou o álcool usado no fogareiro.


Agora se você tiver  numa corrida de trilha....Muita calma nessa hora... Nada pode faltar  na mochila, principalmente um anti-séptico. Se não tiver nada disso na mochila: poxa vida!! Vai fazer cursinho nos escoteiros da próxima vez antes de ir para aventura no campo, ou so faça passeio no shopping é mais seguro para pessoas como você...rs....


Não remova a pele da bolha, caso alguma ja tenha se soltado mantenha o resto no local. É pele morta ja, então você não ira sentir dor se tiver que cortar o excesso da pele solta.


Faça um curativo com gaze limpa, vista meias limpas por cima para evitar o ferimento pegar poeira e ser contaminado, caso tenha que continuar andando use chinelos ou sandália e vá devagar. O segredo para se curar rapidamente é manter a área do ferimento limpa mas arejada.

Muitas vezes nas trilhas encontramos com acampadores com teorias malucas sobre bolhas: enfie o pé na água fria para parar as bolhas(detalhe: com bota e tudo), tire toda a pele e deixe na carne viva(supostamente a outra pele crescera mais rápido se o ferimento tiver sujo) e outras coisas que nem sei de onde tiram isso.


É isso....

quinta-feira, 17 de março de 2011

INJEÇÃO DE ÂNIMO





Que tal começar o post com Fernando Veríssimo?

" Desconfie do destino e acredite em você. Gaste mais horas realizando que sonhando, fazendo que planejando, vivendo que esperando... Porque, embora quem quase morre esteja vivo, quem quase vive, já morreu..."



 
Felizmente a má fase acabou. E tudo parece estar entrando nos eixos. Ontem voltei a treinar. Treino leve, na chuva. Aproximadamente 7km. Nada mais do que isso. Como a areia estava fofa, fui os 3,5km primeiros em 18:39 e voltando pelo asfato, fiz os últimos 3,5km em 16:15. Deu para dar uma apertada.
 
Certa vez fiz uma pesquisa aqui no blog sobre se há mais prazer em ultrapassar o sexo oposto. Os homens juraram de pés juntos e comprovaram pela maioria que não, não sentem prazer e nem se incomodam em serem ultrapassados pelo sexo oposto. Já as mulheres admitiram que gostam sim de ultrapassar homens e que sente mais prazer quando isso acontece. Na teoria tudo muito lindo, mas ontem eu ví que na p´ratica a coisa não foi bem assim...rs
 
Quando eu estava voltando pelo asfalto, há uns 200m um homem correndo em bom ritmo na minha frente. A meta era simplesmente tentar chegar mais perto, até para ver o meu condcionamento após 1 semana sem treinar. Me aproximei, cheguei e passei. Todavia esse "passei" não foi uma boa idéia para ele. Assim que me viu ao seu lado, aumentou o ritmo de tal forma que era nítido que ele não aguentaria se manter. Eu continuei exatamente no ritmo que eu vinha sem aumentar um segundo sequer. Percebia ele olhando d erabo de olho e e fazendo um esforço maior, pois ouvia sua respiração. Estávamos braço a braço. Até que ele teve que diminuir. E eu o passei em meu ritmo. Assim  que parei o treino, me alonguei e depois de uns 3 minutos, ele passa por mim: "Tá bem hen?"...  Fato é que até agora tenho certeza que eu não estava tão bem, mas ele é quem falhou por querer estabelecer um ritmo que não era dele, simplesmente porque não queria que eu o ultrapassasse. Pode ser até que eu esteja engana, mas duvido que se fosse um homem ele teria feito o mesmo.
 
Mas o treino me deu um up...uma vontade de começar de novo. De treinar. Como eu sempre digo, pódios, troféus são consequências de um bom treino, mas de treinos feitos com vontade, disciplina. Vou respeitar mais minha vontade. A competição tá veia, não tem jeito, mas dentro dos limites, sem pressão, sem ter que fazer o tempo todo o melhor tempo de todos. Esse é barato das coisas.
 
Ontem também aproveitei e me inscrevi para os 10km A TRIBUNA FM. Camisa rosa para as mulheres, camisa azul para os homens e menos de 1 minuto para entrar na ELITE B...fazer o que????Quem sabe é esse ano??? Agora estou inscrita em 12 provas espalhadas ao longo do ano, fora as intermediárias que vou me inscrevendo quando me interessar. Devo correr esse ano cerca de 20 a 22 provas...pelo menos esse é o plano...
 
Viram....injeção de ânimo total!!!!!! Bora treinar!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!!
 

terça-feira, 15 de março de 2011

O QUE ESTA ACONTECENDO COMIGO?

1 semana. Esse é o tempo que estou sem correr. É engraçado. Quando estava com gripe há umas duas ou três semanas atrás, estava louca pra voltar. Corri o carnaval inteiro para tirar o atraso e na quarta-feira de cinzas descansei o corpo. 1semana se passou e cá estou eu descansando o corpo ainda.

Nada de lesões, nada de nada, simplesmente uma falta de vontade. Um momento de reflexão talvez. Daqueles que a gente se pega pensando se vale mesmo a pena sair todos os dias pra correr, mesmo estando sem vontade simplesmente porque você está inscrito em algumas provas e em todas elas "tem obrigação" de fazer um tempo m a r a v i l h o s o...

Já passei algumas vezes por essa fase e também já me peguei muitas vezes refletindo sobre isso. Certa vez fiquei 20 dias sem correr. Sem peso na consciência. Tudo bem, naquela época nem estava correndo os 10km sub 46, mas e daí...a fase foi a mesma...reflexão....

Visitei alguns blogs esta semana e felizmente descobrí que há muitos nessa situação. Na verdade muitos pelo cansaço, pelo esforço físico excessivo das provas, das cobranças feitas por nós mesmos ao término d ecada treino. No meu caso ainda não sei muito bem.

Passei e estou passando por um semana de ansiedade extrema. Meu marido (32 anos) foi parar 2 vezes no hospital esta semana. A causa? Pressão alta 16 por 8. Corredor de final de semana e atualmente nem isso, pois só corre no dia das provas, com péssima alimentação e estress excessivo no trabalho, o coitado tomou um baita de um susto e me deixou de cabelo em pé. Não obstante a isso no domingo meu filho irá completar 3 anos e realmente organizar uma simples festinha de aniversário foi praticamente organizar um casamento: um corre corre sem fim. Talvez seja alguns dos motivos pelo qual ando desmotivada.

O Campeonato Santista começa dia 17 de abril, o Circuito das Praias tem sua 2a etapa já na semana seguinte...Sei que deveria estar treinando feito louca, mas costumo dizer que se o corpo pede pra ficar um tempo quietinho...que mal tem? Ainda não sei se amanhã volto...mas estou com muita vontade de ter vontade...

Também ando me questionando se devo participar sem competir nas provas...Não sei...coisa louca demais. Confesso que a prova de revezamento que me fez chegar toda torta no último dia 21 me deixou um pouco assustada. Vamos ver....é tudo uma questão de tempo...assim espero.

sábado, 12 de março de 2011

CONVITAÇO....


Bom gente, hoje eu venho para convidá-los a correr uma das provas mais rápidas do país. Eu sou suspeitíssima em falar sobre ela, já que corro desde 2000, ou seja, em 11 anos, apenas deixei de correr uma das edições já que eu tinha acabado de ter meu filhote.

Com percurso totalmente plano, poucas curvas e um nível excelente de atletas (Marilson foi o cempeão da edição passada), os 10km A TRIBUNA FM, está definitivamente consagrado e dentro do calendário da maioria dos corredores. Inclusive a prova foi citada na Revista Contrarelógio entre as 10 melhores provas de 10km do Brasil...tá podendo hen???

Essse ano, aproximadamente 15.000 atletas participarão dessa prova. Porém, muita atenção, as inscrições abrem dia 15 de março e tendem a se esgotar logo na 1a semana, já que a procura por essa prova é muito grande. Pessoas de todo o país vem para a baixada só para correr os 10km mais rápidos do Brasil.

O bacana é que os 50 primeiros atletas amadores ganham passe para o ano que vem sair na elite C, o que já é fantástico para sair da muvucona. O kit não é lá essas coisas, mas a prova em sí...é show. Difícil algupem que corre aqui em Santos não participar dessa prova. E mesmo aqueles que nunca correram sequer 1km na vida, começam a treinar para estreiar nessa prova. Eu mesma estreiei nas competições nela...lá em 2000, muito embora já corresse há 6 anos. É engraçado, mas eu corria todo santo dia bem mais do que 10km e tinha medo de me inscrever para uma prova de 10km. Então, num ímpeto, me inscreví e confesso, foi a melhor coisa que fiz na vida, pois de lá pra cá, nunca mais parei.

O tempo válido nessa prova é pelo líquido, então, não precisa sair lá na fita e ficar sentindo cheiro de sovaco ou mesmo pisando em garrafinhas cheias de xixi. Também há placas indicativas de ritmo...muito embora há muita gente que voce ve que vai caminhar e na caruda vai para a placa de 45 min. Mas tudo bem...

O convite tá feito...Vale muito a pena...mas como eu disse, corram muito para se inscrever....

FOI A DICA.

terça-feira, 8 de março de 2011

HOJE É NOSSO DIA E DEPOIS E DEPOIS E DEPOIS....

No Dia 8 de março de 1857, operárias de uma fábrica de tecidos, situada na cidade norte americana de Nova Iorque, fizeram uma grande greve. Ocuparam a fábrica e começaram a reivindicar melhores condições de trabalho, tais como, redução na carga diária de trabalho para dez horas (as fábricas exigiam 16 horas de trabalho diário), equiparação de salários com os homens (as mulheres chegavam a receber até um terço do salário de um homem, para executar o mesmo tipo de trabalho) e tratamento digno dentro do ambiente de trabalho.

A manifestação foi reprimida com total violência. As mulheres foram trancadas dentro da fábrica, que foi incendiada. Aproximadamente 130 tecelãs morreram carbonizadas, num ato totalmente desumano.

Porém, somente no ano de 1910, durante uma conferência na Dinamarca, ficou decidido que o 8 de março passaria a ser o "Dia Internacional da Mulher", em homenagem as mulheres que morreram na fábrica.

Vamos combinar, não é fácil. Muitas de nós (como eu) acordamos cedo, cuidamos de filhos, casa, marido, trabalhamos e ainda assim, arrumamos um tempinho para treinar. E não fazemos feio não. Há tantos exemplos de mulheres corredoras com uma determinação de causar inveja a qualquer homem...queniano...rs...

E a história das mulheres na corrida, começou tão tarde..porém com tanta vontade..!!!!.Desde que a americana, Kathrine Switzer, correu a Maratona de Boston em 1967, disfarçada de homem, e quebrou o tabu, de que as mulheres “não tinham força e resistência para correr os 42.195 metros", as mulheres não pararam mais de aderir ao movimento de saúde e qualidade de vida, através da caminhada e corrida.

A primeira maratona olímpica feminina foi realizada em 1984, em Los Angeles, e a vencedora foi à norte-americana, Joan Benoit Samuelson. Nada de sexo frágil, a mulherada começava a mostrar para o mundo que aguentaria sim o tranco das provas pesadas e hoje a gente pode dizer que muito embora a força física dos homens sejam incontestavelmente superior, a garra da mulher muitas vezes a faz chegar na frente.




Márcia Narloch, Maria Zeferina, Sirlene Pinho, Rosa Mota (que colecionou vitórias na São Silvestre de 81 a 86), Marizete Rezende e tantas outras nos mostram diariamente o quanto as mulheres são capazes de se superar dia a dia...Elas treinam duro, elas ganham, perdem, sacrificam muitas vezes a família, a vida pessoal e nem por isso se tornam pessoas amargas, infelizes, muito pelo contrário...nos ensinam que para vencer é mesmo preciso abrir mão de muitas coisas, afinal a vida é feita de escolhas e caminhos diferentes...Somos um exemplo a ser seguido. Somos vencedoras....Somos Mulheres!

Hoje é o nosso dia...e amnhã, e depois, e depois e depois.....

FELIZ DIA DAS MULHERES....!!!!!

quarta-feira, 2 de março de 2011


TAÍ....GOSTEI!





Alguns de vocês devem se lembrar do post que eu fiz recentemente esculachando a prova da Molico, patrocinada ela Nestlé. Falta de água, atraso na ambulância, atraso na largada, obrigatoriedade de uso de camisa foram algumas coisinhas que eu descí o pau.

Um dia depois da prova, uma amiga minha, incluisive a que passou mal durante a prova (aê Patrícia..não queria ficar famosa para o mundo? rs...)enviou uma reclamação no SAC (Serviço de Atendimento ao Consumidor) no site da Nesté. E tinha recebido uma ligação de desculpas.

Ela me deu essa idéia, cantou a bola e eu fiz a mesmíssima coisa no mesmo dia. Já tinha até me esquecido da reclamação, quando ontem No fim da tarde recebí uma ligação do SAC da Nestlé.

Uma moça muito educada (aliás, sempre ser mesmo, não é favor falar com os outros com educação), me disse que haviam lido meu e-mail de insatisfação e me pediu para que eu falasse mais a respeito do ocorrido. Pw, vai pedir pra quem falar???? Mito educada, disse que eu corria há 17 anos e que quando se corre há muito tempo a gente já chega na corrida com olhos críticos, pelo menos eu sou assim. Vejo se tem água, se tem banheiro químico, a qualidade da camisa..enfim e talvez por esse motivo eu tenha achado tantos defeitos na prova. Diss também que a Nestlé como uma multinacional de grande porte deve prestar atenção nos organizadores antes de envolver-se em tais eventos, pois distribuição de sorvete kit bacana hoje em dia nãosão mais suficientes para satisfazer os corredores de rua.

Tudo explicado, ela termina a conversa perguntando se eu aceitaria participar como convidada ( a mesmíssima proposta feita a minha amiga) do próximo evento organizado pela Afronte 360, a qual organizou a prova da Molico. Talevento não tem data prevista, porém o convite foif feito.

Em que pese eu nunca tenha ouvido falar nessa Afronte e nem saiba se realmente vou a algum evento orgnizado por ela, chei bacana a atitude da Nestlé. Já ansei de dizer que a gente não tem que se conformar em pagar 50,70, 100,00por uma prova e sair de lá muitas vezes com uma banana debaixo do braço. Não somos macacos. Merecemos respeito.

Muitos atletas dizem: Ok, não corro mais essa prova. Certo, não deixa de ser uam forma deprotesto. Porém isso não basta. No ano que vem, certamente outro correrá em seu lugar.Devemos meter a boca no trombone. Quem tem blogjá tem uma grande ferramenta nas mãos. Quem não tem, faz como a Patrícia, entra no site do evento, mete a boca..passa adiante.

O que não dá é os organizadores embolsarem uma grana preta e não repassare o mínimo pra  gente. Reclamem, reclamem mesmo. Somos muitos, cansei de dizer. Não sei se a Nestlé irá fazer uma 2a edição daprova, mas se fizerem, tenham certeza que tentarão melhorar.  E se não tentarem...fazer o que? Se a gente se unir, dá pra ficar cada vez menor a participaão dos atletas nesse tipo de prova, como é o exemplo d Meia Maratona da Praia \Grande, onde cada ano que passa diminuí o número de atletas... uma vez porque deixaram de premiar pro categoria, preferindo enviar os troféus pelo correio, ora, porque apenas deram uma banana no final da prova...e assim vai...é o povo mostrando suas insatisfações...

A frasepode ser até batida, mas ainda funciona: CORREDORES UNIDOS, JAMAIS SERÃO VENCIDOS! e palmas para a Nestlé.!!!!!