domingo, 30 de janeiro de 2011




É BOM DEMAIS, PORÉM REQUER CUIDADOS...





Eu sou suspeita em falar, mas não tem coisa melhor do que correr na praia. É ao ar livre, fortalece a musculatura, o condicionamento físico é infinitamente maior do que se corresse no asfalto, é contato direto com a natureza...e blablabla....Eu poderia ficar aqui falando e falando. Comecei correr na praia..até tentei o asfalto, mas não durou mais do que 1 semana. Há 17 anos corro pela areia.

Todavia, porém, entretanto, correr na praia também tem seus malefícios...(olha falei bonito..rs...) e requer muuuuuuuuuuitos cuidados.

Em primeiro lugar, temos que falar do tênis. Diferentemente do asfalto onde a gente pode às vezes usar aqueles tênis mais levinhos que eu adooooooooooro, na areia, é melhor nem pensar nisso. Aliás, é melhor ecolher um tênis com bastante amortecedor. Na verdade essa dica eu falo por experiência. Sempre gosto de frizar minhas experiências, o que muitas vezes pode parecer para alguns algum tipo de soberba. no enatnto, a intenção é sempre fazer com que não façam o que eu  fiz e consequentemente não sofram o que eu sofri.

Houve uma época, mas precisamente no ano de 2009, onde no intuito de treinar mais velocidade, optei por correr com o meu Sprint, que é muuuuuuuuito leve e quase sem nenhum amortecimento.No começo era uma maravilha sem fim...corria...quer izer voava mesmo. Foi a época em que quebrei meu recorde pessoal, e cheguei perto dele várias vezes. Mas isso custou caro. Qual o maior medo de um corredor? 

a) que as corridas passem a custar R$ 500,00 por inscrição;
b) que deixem se fabricar tênis Vomero, Nimbus e kayano...;
c) não poder correr e ter que encarar as terríveis sesssões de fisio com a médica gordinha dizendo a cada sessão que voce tem que ter paciência...

Tudo bem, a gente tá tem um certo medinhos das 2 primeiras opções, mas em relação á 3a, não se trata se medo, se trata de pãnico total. 

Por conta do uso de um tenis sem amortecedor aliado ao piso irregular das praias, lesionei o piriforme, e ainda tive uma bursite no mesmo lado e quase no mesmo lugar na lesão...tudo ao mesmo tempo agora. Irresponsabilidade de alguém que corre há tanto tempo. A culpa foi do tênis sim, pois com o tempo comecei também a sentir dores nos joelhos (nos dois), consequência também da falta de amortecimento. Depois que me curei, nunca mais voltei a fazer isso. Algumas pessoas criticam quem corr descalça, mas também corri pelo menos uns 3 anos da minha vida, descalça e jamais me lesionei...o máximo, foi um olho de peixe na sola do pé...que devo dizer...foi uma das coisas mais horríveis que passei...já que tive que fzer uma cirurgia a sangue frio, sem anestesia mesmo, pois o bagulho ficou de tal forma inflamado que não pegava nada ali...Sentí cortar, costurar...coisa que até super homem gemeria de dor, segundo o médico.

Outra coisa muito importante é saber que pela areia o eforço é maior e portanto, correr numa temperatura agradável  é essencial para que o treino chegue o final de maneira satisfatória. Muitas vezes sou obrigada a correr em temperaturas mais altas como 35ºC por conta da falta de tempo.. levantar cedo, arrumar o filho, levar pra minha mãe...qdo eu vejo já são mais de 10:00 e a temperatura já tá lá em cima. Algumas vezes o esforço é tão grande que quando chego em casa pra dar almoço para o meu filho, meus olhos pesam como se eu fosse dormir em pé a qualquer momento. É puro cansado. O sol judia, a areia judia. Portanto, sol e treino na areia não combinam. Acorde mais cedinho, lá pelas 07:00..muito embora o sol já esteja começando a ficar fortinho, é melhor do que correr ás 10 como a besta aqui.

Outra vantagem de correr cedo é que tanto o pessoal que joga tamboreu, como os banhistas ainda não chegaram na praia. Hoje por exemplo, cheguei na praia quase ás 08:00 e as redes já estavam armadas, o pessoal chegando...e conclusão.. tenho que ficar desviando aqui e ali e muitas vezes beirar rente á água molhando o tênis. O bom também de correr loggo cedinho é como eu disse, os banhistas ainda não chegaram e por isos a possibilidade de você pisar num buracão feito por crianças é menor. Experimente correr depois das 16 e voc~e saberá do que estou falando. A atenção tem que ser de escoteiro porque qualquer descuido ou você atropela uma criança barrigudinha bezuntada de areia, ou voc~e cai dentro d eum buraco e lá fica até o resgate chegar...Por isso..escolha bem o hórário. 

Uma coisa legal também de correr pela praia, é que você também pode dar umas paradinhas no chuveirinhos da praia durante o percurso. Eu dou uma paradinha nos 5km e outra no 10km e depois quando termino me jogo debaixo do chuveirinho e lá permaneço até dar a impressão de que eu poderia correr tudo de novo na maior tranquilidade. 

Ainda falando sobre o horário. O problema de correr mais no fim da tarde é que a maré costuma subir. E a partir das 16:00, o jogo de futebol tá liberado. portanto, maré alta e jogo de futebol, acabam fazendo com que você não tenha espaço para correr, sobrando a areia fofa, a grande culpada por torções, lesões, tombos...melhor evitar né...? 

Para quem quer começar a correr pela areia, não fique preocupado com o ritmo. O esforço físico, como eu disse, é maior. Por isso se voce tem uma sensação de que est´correndo mais devagar, não se preocupe. Com o tempo você se acostuma, e você acaba conseguindo fazer o mesmo ritmo tanto no asfalto como na areia. Veja eu por exemplo. Faço os 10km no asflto em 47 e tralalá e na areia já fiz desde 52 até 46:05 que inclusive foi meu recorde pessoal onde metade do percurso foi pela areia e a outra pelo asfalto. Mas confesso, ainda não sei dosar muito bem o ritmo na areia não...

O bacana  é que voce pode até se cansar mais treinando pela areia e inclusive ´percorrer uma distância menor da habitual, mas quando você participar de uma prova no asfalto verá a maravilha que é... A impressão é que você está levinho, pisando pena...realmente muito bom. Eu sofria muito nas provas, ainda sofro, mas depois que os meus tiros foram feitos na areia, eu tenho conseguido não sofrer tanto e quebrar no km 6...era uma maldição...rs...que felizmente estou conseguindo superar.

Mas olha só...Mais uma vez...correr pela areia é doferente do que pelo asfalto. Se resolverem participar de uma prova pela areia...treinem bastante. Digo que amo a areia, mas foi justamente ela quem me traumatizou na mais difíciol prova que fiz. 20km pela areia. Achei que fosse simples como no asfalto. Saí forte achando que o ritmo era o mesmo. Quebrei no km 17 com desidratação e direito a ver até bolinha preta. Nunca mais tive coragem de repetir isso. O engraçado é que alguns anos antes participei de uma meia na areia e fiquei em 3º com um tempo altíssimo. Acho que foi porque foi receosa, com medo mesmo e peguei leve. Daí, anos depois, mais experiente (?????????) achou que era a rainha da cocada preta e se lascou....Muito cuidado....

Correr na areia tem significativas diferenças que a corrida no asfalto. O impacto nesse chão é menor que no chão duro e exige mais condicionamento físico, portanto gasta mais calorias e é praticada para recuperações fisioterapêuticas. Os músculos inferiores, os tornozelos e todos que ficam abaixo do joelho fortalecem mais. Segundo a revista americana Runner´s World, a corrida na areia gasta em torno de 1,6 % a mais calorias que no asfalto.


Como eu disse, corre na areia é maravilhoso e realmente traz muitos benefícios, mas teenham cuidado. Ah, ia me esquecendo....muito filtro solar de rosto e de lábio e observem....quando verificarem nos braços que há algumas coisas brancas, como sal...é sal mesmo....sinal de desidratação...bebam muuuuuuuuita água.

Espero ter ajudado...

sexta-feira, 28 de janeiro de 2011


CORRIDAS DE RUA TEM MAIOR CRESCIMENTO DOS ÚLTIMOS QUATRO ANOS EM 2010


 Foram 374 provas realizadas no estado de São Paulo, na temporada passada, contra 301 em 2009, crescimento de 24,5%

São Paulo (SP) - O fenômeno das corridas de rua está cada vez mais consolidado. Levantamento feito pela Federação Paulista de Atletismo (FPA) mostrou crescimento em várias áreas na temporada passada. Foram realizadas 374 provas no Estado de São Paulo em 2010, contra 301 no ano anterior, crescimento de 24,3%, o maior dos últimos quatro anos.

Do total de 374 provas identificadas, a FPA oficializou e regulamentou 287 (76,74%), sendo que 87 corridas (23,26%) foram irregulares por não cumprirem todas as recomendações da entidade. Participaram dos eventos oficiais 416.210 corredores, totalizando evolução de 3,67% em relação a 2009.

"Nossa meta é aumentar o número de provas regulares a cada ano, pois as corridas precisam dar garantias de segurança ao corredor. O objetivo é que se cumpra a Lei Federal (Código Nacional de Trânsito), em que os departamentos de trânsito, federações estaduais ou confederações emitam o alvará da competição em conjunto, para que os itens de segurança e saúde sejam cumpridos. O problema maior é que muitos secretários de esportes, prefeituras e organizadores não seguem a Lei, quando deveriam ser os primeiros a cumprir", afirmou o presidente José Antonio Martins Fernandes, o Toninho. "Mesmo com essas dificuldades, o crescimento de 2010 foi espantoso," acrescentou.

Das 287 corridas oficiais, 117 aconteceram na Capital e 170 no Interior do Estado. As provas em São Paulo cresceram 23% em relação ao ano anterior (94 para 117) e no Interior a evolução foi de 16,5% (146 para 170).

A primeira metade da década passada foi marcada por um elevado número de novas corridas de rua no Estado. Em 2001, apenas 11 provas eram oficialmente reconhecidas pela FPA. Este número saltou para 168 em 2005 e foi subindo até atingir 287 oficiais da atualidade.

Interior apresenta crescimento entre os participantes - Dos 416.210 participantes nas corridas de rua oficiais do ano passado, 279.114 competiram em provas na Capital, praticamente o mesmo número que em 2009 (279.195). No Interior, todavia, o crescimento tem sido significativo. Correram em 2009, 122.270 pessoas e, no ano passado, o número subiu para 137.096 (evolução de 12,2%).

Na Capital o número de mulheres tem se mantido nos últimos anos. No Interior, o crescimento é grande. O salto entre 2009 e 2010 foi de 16,5% (33.593 para 39.110). Entre os homens, a estatística mostra evolução de 10,5% (88.677 para 97.986).

Em 2007, por exemplo, eram 75,68% de homens e de 24,32% de mulheres. O melhor índice percentual feminino foi em 2008, quando atingiu 29,34% das vagas nas corridas. Em números absolutos, a melhor participação feminina foi na temporada passada, com 115.413 (27,73%).

Agosto é o mês com mais corridas em São Paulo - Agosto, período de inverno no Brasil, é o mês com mais corridas de rua no Estado de São Paulo. Em 2010 foram 44 provas. Maio, com 34 e dezembro, com 30, aparecem na sequência.


Número de provas

2007 - 253
2008 - 278 (10,0%)
2009 - 301 (8,3%)
2010 - 374 (24,3%)



Número de provas regulamentadas

2001 - 11
2002 - 17 (54,55%)
2003 - 34 (100,00%)
2004 - 107 (214,71%)
2005 - 168 (57,01%)
2006 - 182 (8,33%)
2007 - 195 (7,14%)
2008 - 217 (11,28%)
2009 - 240 (10,60%)
2010 - 287 (19,58%)



Corridas de rua

2010

Regulares - 287 (76,74%)
Irregulares - 87 (23,26%)
Total - 374



2009

Regulares - 240 (79,73%)
Irregulares - 61 (20,27%)
Total - 301



2008

Regulares - 217 (76,95%)
Irregulares - 63 (23,05%)
Total - 278



2007

Regulares - 195 (77,08%)
Irregulares - 58 (22,92%)
Total - 253



Número de participantes

2004 - 146.022
2005 - 209.501 (43,47%)
2006 - 233.557 (11,48%)
2007 - 283.960 (21,58%)
2008 - 372.352 (31,13%)
2009 - 401.465 (7,82%)
2010 - 416.210 (3,67%)



Número de participantes - São Paulo

2008 - 268.191
2009 - 279.195 (4,1%)
2010 - 279.114 (0%)



Número de participantes - Interior

2008 - 104.161
2009 - 122.270 (17,5%)
2010 - 137.096 (12,2%)



Fonte: ZDL




OS TIROS QUE QUASE SAIRAM PELA CULATRA




 
Hoje pela manhã, a idéia era fazer um treino de 1horinha pela areia. Eu disse que a idéia era essa. E continuou sendo até os primeiros 5 minutos de corrida. Foi o sufiente. Quando olhei para o termômetro da praia e ví que ainda eram 09:00hs e já marcava 32ºC, imediatamente mudei de idéia. Mas também não sei se foi uma grande coisa não.

Corrí mais uns 3 minutinhos, até chegar no canal 1 onde mede aproximadamente uns 350metros talvez. Tava resolvído. Nada de correr 1 hoa deaixo de sol. O dia seria de tiros. Imaginei 16 tiros de 1 minuto para 1 de descanso.

Minha gente, nos 2 primeiros a coisa já pegou. Dali em diante foi um sofrimento só. Eu pingava tanto, mas tanto que os fones do mp3 escorregavam do ouvido. Lá pelo 6º tiro, pensei em parar, ir embora, abortar a missão, mas eu precisava dar mais alguns... e alguns foram exatamente mais 6, totalizando 12 tiros. Que horror! Não posso dize que foi um treino fraco, mas também não posso dizer que foi "O Treino". Eu simplesmente morrí e quase desintegrei.

O calor tá demais. É preciso cautela. E muitas vezes é preciso mudar os treinos para não prejudicar a saúde. Amanhã, vou acordar mais cedo, lá pelas 7 horas...assim não pego aquele solzão na praia...

E bora treinar que vem prova´por aí....

Ps: E se liga galera, que vem novidade....

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011


VAMOS NESSA????




Na verdade, como eu disse, a proxima corrida estava marcada para 20 de fevereiro, onde acontece a 1a etapa do Circuito das Praias e eu correrei com um amigo pela 1a vez fazendo dupla. Um desafio totalmente diferente de todos.

No entanto, eu tenho que admitir, sou um verdadeiro sirí na lata. Se bem que muitas vezes, aliás, inclusive como esta., eu não procuro...rs...

Estava eu, correndo hoje pela manhã, quando encontrei uma amiga minha corredora. "E aí, vai lá dia 06????" Ah, foi o suficiente. Na boa, eu não sou de parar no meio de treino pra conversar, mas a frase: "Vai lá"...rs...realmente me fez parar. "Lá aonde?" "Lá, na corrida da molico, no Guarujá..."

Putz...rs...Olha a combinação: 8km, Guraujá, Praia da Enseada, Kit bacanérrimo da Nestlé e ....uma corrida pela salvação do planeta...O objetivo é estimular a p´ratica de esporte aliada à promoção de sustemtabilidade ambiental e o equilíbrio entre o consumo e cuidados com o meio ambiente. Essa prova teve uma 1a edição que aconteceu lá em Campos do Jordão... e agora aqui veio para o Guarujá....

Dá pra não correr???? Conclusão, no sábado vou até o shopping fazer minha inscrição lá na Hering.

O bacana também é que será 15 dias depois da minha última corrida, que aconteceu no domingo passado. Então, o objetivo, além de continuar na fase "curtir" será um pouquinho diferente..já que vou tentar diminuir 20 segundos por quilômetro, tentando terminar a prova brincando em 40 minutos, ou seja, se no domingo eu rodei pra 5:20, vou tentar rodar pra 5 minutos. Não vale nada, é treino, porque dali há mais 15 dias, aí sim, a cobra vai fumar, já que a responsabilidade quando se corre em dupla é maior...Você tem que dar o seu melhor, pensando que o outro também está dando o seu. Pensar em parar não pode fazer  parte da coisa, já que envolve parar o outro também...Mas acho que vai ser legal...


Enfim...mais uma provinha. Aliás, convido a todos a participarem... Pw, envolve uma boa causa...show de bola...vamos lá...?

Pra quem tiver interesse, o site é:    http://www.molicocorridapeloplaneta.com.br/


terça-feira, 25 de janeiro de 2011

34, 10, 52.... UMA VERDADEIRA MOCINHA

05:45  de domingo...totalmente de pé. Dormi muito mal a noite toda por conta do calor e acordei de 1 em 1 hora. Como de costume, abrí a janela. Uma claridade lá longe pertinho do morro já me dizia que a coisa não iria ser tão fácil. No entanto, a intenção, como eu disse nos posts anteriores era fazer 52 minutos brincando e comemorando o meu aniversário.. então, que mal teria um solzinho?


Posando pra foto...os dedinhos entregam...34 aninhos..bem vividos, bem corridos....rs

Com dor de cabeça de tanto sono, pouco antes das 07:20, chegamos á concentração. Aí, claro, a gente chega, vê gente se aquecendo, se alongando, batendo papo, doida pra começar logo a prova, e esquece logo qualquer dor de cabeça, mau-humor...é incrível o que a corrida nos proporciona, mesmo madrugando num domingo.

Na fila, enquanto eu esperava a entrega dos kits, pensei numa coisa: Eu estava fazendo naquele dia 34 anos e isso significa que passei exatamente a metade da minha vida correndo, já que comecei a correr aos 17 aninhos...Que bacana! Ano que vem, já posso dizer que passei mais do que a metade da vida correndo...Mas que loucura...rs...


Pegando o kit...

Até que a camisa da prova era bonitinha, mas bem parecida com todos os verdes de todas as provas que já participei...enfim, pelo menos o tecido era bom, a squeeze também era bacana (já perdí as contas de qtas eu tenho) e as barrinhas de chocolate e gel também agradaram.

Estava tudo certo na minha cabeça. Nada de marcar tempo. Eu treinei para fazer 52, treinei sem relógio, para não me entusiasmar  com resultados e treinei com MP3 nos ouvidos, portanto, fiz tudo que eu nunca faço quando quero resultados. A idéia era curtir meeeeeeeeeesmo.

Carinha de quem não vai rachar o chão... só vai curtir...( ???????)

O povo tava animado e embora a menina que falava o microfone dizia: "Que legal pessoal, temperatura super amena para a prova"...cheia de alegria, o povo que ouvia respondia um para o outro: "Temperatura amena pra ti que não pára d efalar, vem correr aqui pra ver se a temperatura tá amena"... Ok..  rs... quem disse que corredor precisa ser o tempo todo bem humorado? rs...

De fato, o sol estava bem forte, aliás, confesso, ter sido o sol mais forte que peguei em todas as provas que participei até hoje .... Com largada maracad para às 08:00 hs, tivemos um atrasinho de poucos minutos. Rezei. Liguei o MP3, liguei o cronômetro, mas deixei nas horas.

Fuóóóóóóóóó.......Lá fomos nós. A largada foi pela areia e devo dizer, não foi  a melhor areia que corri, muito pelo contrário. Muito embora, no anúncio da prova tenha sido dito que a areia era batida, de longe eu vi isso. A areia estava irregular, com muitos buracos e a sensação era de que eu ia vira o pé ali a qualquer momento e dizer: Fim de festa pra você!.



Na boa, é difícil você ter em mente que não vai competir para marcar tempo e mais difícil cumprir a promessa de que não vai mesmo marcar tempo. Um mar de gente correndo na sua frente e a vontade era de sair correndo, olhar no relógio e tentar bater o recorde queniano.

Acelerei. Mas alguns minutos depois, decidí realmente fazer o que eu etava ali pra fazer: só curtir, caso contrário eu iria sofrer muito, já que treinei para os 52 e não para os meus 46. Aumentei o volume do som e sai cantando. Nada de relógio. Cheguei a encontrar Ezequiel, do blog corredor 40..na verdade é sempre ele quem me encontra, já que sofro de um problema chamado: Caramba, eu não te ví...

Na primeira canaleta metí o pesão na água. Tenho uma regra: JAMAIS PULE CANALETAS. Pode acontecer uma distensão, você torcer o pé...nada disso...mete o pesão mesmo e sai com o pé pesado...rs...Corridos, 2,5km totalmente sem marcação de percurso (isso era uma prova de que eu não tinha mesmo que marcar tempo), subimos para o asfalto.


Tava bem dificil, mesmo com o ritmo tranquilo que eu vinha fazendo. As sombras eramn quase que disputadas a tapa..rs...a gente percebia que todo mundo desalecerava quando via uma sombrinha que durava não mais do que uns 8 a 10 passos. Para quem estava competindo mesmo, talvez a hora seria de repensar uma estratégia ou correr o risco de sofrer desidratação, pois os postos de água não estavam sendo suficientes.


Quando passei pelo Val, marido de uma amiga minha (ambos fazem a cobertura dos eventos), batí palmas para mim...não pelo desempenho, claro, mas pelos 34 aninhos comemorados da maneira que eu queria....correndo....

O ruim, é que a gente corria 2,5km pela areia e depois subia para o asfalto, onde corríamos 5km direto e reto, até chegar no canto do Forte e fazer o retorno dos últimod 2,5km pela areia. Foi uma prova tecnicamente bem difícil para quem estava pra marcar tempo...na boa, difícil pra todo mundo, pois o calor estava infernal!

chegando perto do meu marido que aguardava pra registrar o momento dos quase 7,5km....

então, avisto o meu marido e.....


paradinha pra mais um parabéns pra você...quer dizer, para mim...rs...

Ê delícia quando a gente corre sem olhar no relógio...rs...pára pra foto, faz pose e que se dane se a guria da frente é da tua categoria ou não....Se Deus quiser, esse será meu lema daqui há alguns anos...rs...
Com direito a velinha e tudo....

Tudo bem ,meu marido disse ( e eu concordo) que isso nem de longe parecia uma velinha, parecia um ensaio de quem iria fumar um baseado...rs...Mas o importante é frisar: Sim, isso simbolizava, pelo menos pra mim, uma velinha....de 34 anos, saliente-se...

Descemos enfim para a areia. A prova estava acabando e faltando pouco mais de 1km, Pitty começa a tocar no meu mp3...e num trecho da música: "Eu estou exatamente, onde eu queria estar". Pronto. Era tudo. Olhei para o pórtico já bem perto, não acelerei. Torcí o pé, mas nada que me fizesse parar ou dizer: pqp...que que eu fui fazer?...E lá estava eu cruzando a linha....sorrisão aberto, corpo cansado...mas extremamente feliz.

E sabe e o que mais? Fiz o que eu disse que iria fazer.. nem mais, nem menos: exatos 0:52:03. Virei uma mocinha e agora sei que posso controlar o que eu quero. Se quero um resultdo vou atrás e se quero curtir, por que não?

Peguei minha medalha, meu gatorade quente pra KCT. E tive que dar uma sentadinha. O calor tava tanto que as mãos tremiam e demorou pelo menos uns 5 minutinhos pra voltar ao normal...Normal, gente, normal....O importante é: 34 anos correndo 10 km em 52 pelo menos uma vez na vida sem medo de ser feliz!

Como eu disse, uma prova tecnicamente difícil, aliás, aquela corredora, ANIMAL estava lá e ela mesmo achou a prova bem difícil, já que não está acostumada a provas pela areia...

Enfim...34 anos...muito bem comemorados. E à noite...dale carboidrato. A continuaçãoi da comemoração foi num rodízio de pizza com direito a eu cantar: Alcione...kkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkkk.....Não fosse a imwnsa alegria, diria que foi um fim de carreira daqueles!....

sábado, 22 de janeiro de 2011

MAS QUE SACOOOOOOOOOOOOO






Drogaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaaa....Já começou errado. Hoje pela manhã, acordei e logo fui ver onde seriam entregue os kits para a prova de amanhã. Fiquei p..da vida. As datas para s entregas seriam sexta e sábado. Tudo bem, eu já sabia. No entanto eu não sabia que na sexta, a entrega seria aqui no Mendes Convencion, há umas 3 quadras da casa da minha mãe e que hoje (sábado) será somente na Praia Grande, lá na casa do caramba.

Já liguei pra Jovem Pan e expliquei que sou de Santos. Eles me disseram que os kits estarão disponíveis amanhã na hora da prova, das 07:00 às 07:30 para o pessoal de São Paulo que não pode vim pegar ontem e hoje. Ninguém merece. Passei e-mail para uma amiga minha que cobre o evento e de repente, como ela sempre chega lá quando tudo ainda está sendo montado, pode ser que ela consiga pegar pra mim. Mas tô na expectativa do e-mail. Que saco! Detesto quando as coisas começam assim. Dá a impressão de que depois tudo vai ser igual.


Se não der certo dessa amiga pegar, vou ter que madrugar pra tá lá até ás 07:30.. que horror! Aliás, que começo de aniversário eu vou ter!

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

PARA NÓS...BARATO NÃO É O MARIDO DA BARATA


Certeza absoluta. Muitos por aí acham que a gente mente a respeito disso. O fato é que existe uma sensação de que todos os corredores já ouviram falar e que muitos deles já experimentaram. Alguns a descrevem como um sentimento de euforia que surge durante ou logo após o esforço físico. Outros falam de um bem-estar prolongado que aparece após um treinamento e pode durar um dia inteiro.

Eu vou ser bem sincera. Não foram muitas as vezes em que sentí essa sensação M A R A V I L H O S A  não. Aliás, foram pocas, mas com a certeza absoliuta de que se tratava do tal  "baratinho" mesmo. Hoje fui correr. Estava há alguns dias sem correr com o relógio com a idéia de treinar relaxada mesmo. No entanto, hoje coloquei o rel[ogio no pulso. O clima estav bem convidativo...sem aquele mormaço de costume. Era hoje. Na altura do km 5, avistei uma guriazinha lá na frente, bem pequenininha...Fui chegando num ritmo forte, mas ainda suportável e traqnuilo. Cheguei. Emparelhamos. Sabe se la por que a guria dispirocou a correr, no entuito de não me deixar passar nem a pau.

Na boa, não que isso tenha me irritado, mas me incomodou na medida em que eu estava companhando a guria desde lá d ebaixo na minha frente suuper calminha, tanto que a consegui alcançar nem muito esforço. E de repente a guria simplesmente trava um duelo e pronto. Ah, deu deu outra....Eu paertei, ela apertou, só que eu sabia que eu conseguiria chegar até o fim da coisa, atéporque se não sabe brincar, não brinca. Não vem fazer o que muitos fazem comigo de sair correndo, fazr questão de passar por mim feito um raio, daí eu compro o desafo e menos de 1km depois, o cara pára....ah, dá licença...vai procurar o que fazer!

Conclusão, fiz os 11km de treino em 51 minutos. A guria ficou lá no km 9 mais ou menos. Dei uma chuveirada, e sentí aquela euforia. Não pelo desafio em sí, mas aquela sensação mesmo que invade e te deixa ligada...é estranho demais....mas muuuuuuuuuuito bom....

Quase quatro décadas atrás, quando essa sensação começou a ser estudada, pesquisadores americanos a batizaram de "runner’s high", expressão que pode ser traduzida como "o barato do corredor". A razão disso sempre foi um mistério. Uma hipótese era a de que o responsável pelo barato do corredor fosse a endorfina, neurotransmissor produzido no cérebro e liberado para a corrente sanguínea em momentos de stress. Em exames feitos após a malhação, verificou-se que os níveis dessa substância no sangue duplicam. Seria natural imaginar que a endorfina também modificasse o humor do corredor. Contudo, como existe uma barreira física que impede o retorno da substância ao sistema nervoso central, a teoria passou anos sem comprovação. Muitos pesquisadores até acreditavam que o barato da corrida fosse simplesmente uma ilusão. Sabe-se agora que é real.

Estudo realizado por uma equipe conjunta da Universidade de Bonn e da Universidade Técnica de Munique comprovou pela primeira vez que a atividade física também provoca aumento da quantidade de endorfina dentro do cérebro. Os exames de tomografia foram feitos em dez atletas, antes e depois de realizarem corridas com duas horas de duração. As imagens revelaram que parte das endorfinas produzidas pelo cérebro permanece por ali, agindo no sistema límbico e no lobo pré-frontal, áreas responsáveis pelo prazer e pelas emoções. "Ao atuar nessas regiões, a endorfina promove uma sensação parecida com a de ouvir uma música empolgante ou se apaixonar", disse a VEJA o médico alemão Henning Boecker, coordenador do estudo e ele próprio um corredor.

O próximo passo será tentar repetir o estudo e comprovar a existência de outra substância, a anandamida. Enquanto a endorfina seria responsável pelo sentimento de euforia, a anandamida relaxaria o atleta, produzindo um efeito mais longo, capaz de durar várias horas. "O estudo alemão confirmou uma antiga hipótese, mas ainda é preciso estudar as outras, que também precisam de comprovação", diz a especialista em psicobiologia Hanna Karen, que estuda as mudanças de humor em atletas na Universidade Federal de São Paulo.



Apesar de os corredores levarem a fama, o barato é comum entre aqueles que praticam atividades aeróbicas de baixa intensidade por períodos superiores a meia hora. Nadadores, triatletas e ciclistas relatam sensações parecidas. "Sinto a euforia assim que subo na bicicleta e o vento bate no meu rosto", diz a triatleta Aglaé Menezes, de Brasília. Campeã brasileira de triatlo de longa distância no ano passado, em Vitória, ela criou até uma forma de aproveitar essa sensação após os treinos da manhã. Ao chegar em casa, Aglaé coloca roupas confortáveis e se deita na cama. "Fico curtindo ali por uns vinte minutos. Às vezes até durmo um pouquinho", diz ela, que treina seis dias por semana. O maratonista paulistano Adriano Bastos também é consciente do barato do corredor. "Correr por muito tempo causa uma felicidade incrível", diz o atleta, que em janeiro conquistou pela quinta vez a Maratona da Disney, nos Estados Unidos. "Depois de uma prova ou um treino, é como se eu tivesse devorado um enorme prato de feijoada com cerveja. Fico relaxado pelo resto do dia."

A descoberta de que o cérebro dos corredores e atletas funcionava de maneira diferente do de um sedentário ocorreu de forma quase acidental durante a realização, em uma universidade americana, de um estudo sobre o impacto da privação de exercício no sono. O primeiro indício de algo inesperado foi a dificuldade encontrada por Frederick Baekeland, o cientista responsável pelo trabalho, em recrutar voluntários. A idéia inicial era pedir a pessoas que se exercitavam de cinco a seis vezes por semana que ficassem de molho por um mês. Mesmo oferecendo dinheiro, foi impossível completar o número mínimo de cobaias exigido pelo rigor científico. Baekeland, então, afrouxou a exigência e convocou pessoas que corriam de três a quatro vezes por semana. Privados das corridas por um mês, os voluntários relataram ansiedade, problemas sexuais e interrupções no sono.

O quadro encontrado descrevia uma síndrome de abstinência, semelhante à experimentada por viciados em drogas. O assunto, a partir desse momento, passou a preocupar muitos médicos. Em outros trabalhos, atletas diziam que deixavam de comparecer a eventos familiares e outros compromissos para ir aos treinos. Uma pesquisa de 1992 mostrou que 72% dos atletas afirmavam se sentir tensos, irritados ou deprimidos quando havia interrupção dos treinos. "O barato do esporte é um efeito muito positivo e agradável, que estimula sua prática", diz Hanna Karen. "O único problema é saber dosá-lo para não se tornar um dependente."

Na boa, eu me enquadro aqui...totalmente viciada, e em abstinência, muito mal humorada. Eu fico insuportável. Quando fui obrigada a pararpor conta da lesão, fiquei num estado que eu mesma não me aguentava. Dava raiva de ver gente correndo e eu ali....Um horror. Coisa de dorgado mesmo...Acho qwue já deveriam pensar em criar clínicas especializadas nessa nossa doideira quando ficamos sem correr...Pw, aqui em Santos as clínicas bombariam...rs...Mas por favor, sem revisteiro com Runner´s, Contrarelogio, O2... e muito menos Tv plasma passando Vamos Correr...rs...salvo se quiserem presenciar suicídio em massa...kkkkkkkkkkkkkkkkk....


FONTE: Revista Veja

terça-feira, 18 de janeiro de 2011



VAI SER SÓ FESTA....




Olha, não está sendo nada fácil. Depois da crise no siso, controlada atualmente com um anti-inflamatório, a semana tá sendo punk. A decisão a lá Kamikase foi tomada, contrariando tudo que eu sempre digo aqui no blog. Aliás, contrariando todos os conselhos sensatos dos meus amigos corredores.

Decidí sim correr aprova de domingo. É meu aniversário e deixar de participar dessa prova comemorando mais um ano de vida (34) da maneira mais legal possível ...correndo....não iria me deixar feliz. A idéia é a mesma... é a 1a prova do ano,não tem premiação por categoria, apenas para os 5primeiros da geral e é pela...AREIA.. o que me faz concluir facilmente queo ideal é correr de boa, só para curtir o momento sem pensar (pelo menos uma ves na vida) no raio do cronômetro...

E essa semana que se passou levei isso tão a sério que fiz todos os meus treinos sem relógio,assim, no dia da prova não tem como dar aquela coceirinha pra saber se eu estou dentro do tempo tal no km tal...eu me conheço muito bem.

Mesmo assim, o corpo já está dandoos sinais de cansaço peculiares de vésperas de prova. Os treinos estão sendo feitos na areia e uma bolha gigantesca fez questão de aparecer bem no dedo do meio do pé direito. Um horror. Tá aquela coisa horrenda cheia de sangue. Não épor conta de tênis apertado, pois uso sempre um número a mais pra correr....nem por conta da meia grossa, pois uso meias finas. O caso é que tenho treinado, como hoje, na chuva e aí, não tem jeito... tênis ensopa, meia enxarga, e dedos roçam uns nos outros. Não me peçam pra furar com agulha, nem pra queimar, nem pra fazer qualquer ritual macabro. Ela ficará aqui no meu pezinho...e dane-se...corro com ela...só pra ela saber quem é que manda....rs...

Tem que amar muito a corrida mesmo...Se estrupiar toda a troco de ....um baratinho....rs...Ás vezes acho que certas coisas acontecem pra ver se a gente desiste dessas loucuras de ficar correndo sem rumo ela chuva, quando todo mundo normal prefere ficar dentro d ecasa assistindo tv u na pior das hipóteses omendo churros nop Mr. Churros...o que vamos combinar, nãoé pecado nenhum...rs..

Ah, tomei outra decisão. Vou correr ambém a prova em dupla com meu amigo Clayton. A prova, ao contrário do que eu pensava, não será dia 5 de fevereiro, mas sim, dia 20. na verdade até preferia que fosse no dia 5, assim, poderia marcar logo a cirurgia do dente e repousar pelos 15 dias. Agora acontecendo só no dia 20, tenho que o siso fiwue lá e que eu volte a ser uma garota sem juízo....rs...

Não obstante a isso, estou retendo líquidos, pois com essa coisa de dente, acabei comendo comidas mais salgadas e fáceisde digerir, fugindo da boa alimentação....me lasquei...estou me sentindo pesada... e nem posso colocar a culpa na panela de brigadeiro que comí ontem à noite....um desastre.

Bom, o jeito é continuar treinando até sexta-feira...sem relógio...rs...depois a gente v~e o que faz e o que aocntece no domingo. A idéia é terminar a prova. Só isso. Se vou fazer 40 ou 1 hora não importa....o negócio é cruzar a linha...bem... com o dente quietinho....bora vê o que acontece! Vai ser só festa....

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011



VOCÊ TEM MEDO DE QUE?






A corrida é mesmo fascinante. Acho engraçado. Já vi tantos blogs nascerem e tantos serem abandonados.Alguns por falta de tempo,outros por falta de assunto. O engraçado é que o JUST RUN! Irá fazer em maio 4 anos de vida e tem tanto ainda pra falar. As coisas surgem...não é preciso procurar assunto.. a corrida nos abre um leque incrível de assuntos...

O canal Multishow reprisa o Programa Altas Horas, apresentado por Serginho Grusman. Só assim mesmo pra eu assistir, pois sou do dia...rs...aliás, todo corredor é do dia, já que a maioria acorda cedo para treinar ou trabalhar.. Pois bem. Estava lá sendo entrevistado o lutador de MMA (vale tudo) Minotauro. Como apreciadora da luta de vale tudo, fiquei lá assistindo a entrevista e de repente alguém da platéia pergunta: “Alguma vez, você já sentiu medo do seu adversário?” E a resposta do lutador não poderia ser diferente: “Não, do adversário nunca, tenho medo do resultado”.

Pronto. Já fiquei pensando e pude transferir essa frase para a corrida e consequentemente fazer um post bem legal sobre isso. Eu confesso: Já senti medo das minhas adversárias. E durante muitos anos. Mas a partir de 2009 tudo mudou.

Na 1ª etapa do Circuito das Praias 2009, assim que pisei na concentração vi de longe Josefa, uma corredora da minha categoria da equipe Semes/Cubatão. Como eu sempre digo, aqui em Santos, sabemos exatamente quem é da nossa categoria. Eu sei nome, sobrenome, idade...rs... coisa de psicopata...Assim que avistei a guria, disse para o meu marido: “O 1º lugar é dela, agora eu tenho que correr atrás do 2º”. Disse isso pois desde que comecei a competir, lá em 2000, ele sempre chegou na minha frente. Me acostumei com isso, simples assim. Largamos.

Assim que cheguei, comemorei com meus amigos e meu marido,pois sabia que tinha feito uma prova bacana, deixando as meninas para trás. Lembro bem daquele dia: “Conseguí, o 2º lugar é meu!” Alguns minutos depois, tive a chance de ver Josefa chegando. Não era possível, mas aconteceu. Quando saiu o resultado, realmente eu havia ficado em 1º lugar.

Desde então,passei a acreditar em mim e não sentir medo de minhas adversárias. Na verdade nem as considero como adversárias, passaram a ser amigas...chego a torcer por elas em certas provas, reconhecendo que fizeram ótimos resultados., com exceção de algumas que não respeitam a ética esportista....

E então, nas 6 etapas do Circuito, em 5 cheguei em 1º lugar e Josefa em 2º., com exceção da última etapa em que lesionei o piriforme e cheguei 20 segundos atrás dela chorando e gemendo de dor. Nessa etapa, tudo já estava definido, eu terminaria mesmo em 1º lugar, e o que eu queria era simplesmente superar a dor que eu sentia. Superei.

A partir de então, nunca mais tive medo de nenhuma corredora. Seja ela quem for. Claro que ainda continuo fazendo pesquisas antes das provas para saber os úlimos resultados, mas medo...nunca mais. Tenho medo do meu resultado. Uma coisa comigo mesma que ainda tenho que superar. Medo de treinar e não conseguir fazer o tempo esperado, medo de sofrer na prova.. sinto mesmo e não tenho vergonha de admitir. Talvez esse seja o motivo de meus posts cheios de emoção quando consigo ultrapassar alguém faltando alguns metros, ou quando sofro em demasia, vomito, faço zig zag de tanto cansaço. Mais do que o pódio,é o resultado que eu procuro.

O engraçado,é que desde a 1ª etapa lá em 2009, sempre corro com as mesmas frases na cabeça. Para muitos parece pretensão, mas para mim, ainda é uma forma de não sentir medo novamente de ninguém, mas tentar a todo custo superar meus próprios limites quando eu estou totalmente desacreditada do que eu posso fazer.




“Não me entrego sem lutar,

Tenho ainda coração,

Não aprendi a me render

Que caia o inimigo então”

(Trecho da música Metal contra as Nuvens de Renato Russo)



“Hoje pode ser meu dia,

Pode até ser o seu

A diferença é que eu vou embora,

Mas eu levo o que é meu”

(Trecho da Música Tropa de Elite de Tihuana)


Talvez muitos de vocês achem que essas músicas sejam voltadas muito pra vencer a qualquer custo. No entanto de maneira nenhuma eu penso nisso. Penso sim, em fazer sempre uma ótima prova e fico muito puta quando isso não acontece. Mas vamos combinar, quem de voces não fica puto da vida quando treina pesado e não faz o esperado? A sensação de frustração não está ligada ao fato de eu ter ou não passado determinada corredora, mas sim ao fato de eu ter me preparado duramente para uma determinada prova e de repente não me sentir bem no dia, ou mesmo quebrar faltando poucos quilômetros como já aconteceu comigo algumas vezes. Essas músicas me empurram de forma que eu consigo me concentrar no que eu estou fazendo e pensando que se eu treinei eu vou levar...não um troféu, mas um bom resultado...o pódio, já disse, é uam conseqüência de um bom resultado.

Já fiz provas em que eu pulei de alegria e não ganhei o pódio. Hoje, pra mim, o mais importante é o resultado. Nada de medo de fulana ou de beltrana... como diz a música,m pode ser meu dia,pode até ser o seu, mas eu vou embora fazendo o meu melhor...Ano passado, corri 11 provas, levei 8 pódios, mas não quebrei meu recorde pessoal. Não foi um ano que me deixou completamente feliz...eu queria me superar, mas apenas conseguí superar pessoas...e isso, na boa...pouco me importa agora.

Mas ainda preciso trabalhar muito a minha cabeça em relação às competições. Me cobrar menos, deixar rolar. Eu falo mas não consigo mesmo sabendo que esse é o correto. Das vezes em que fui desencanada para as provas, foram as vezes em que tive os melhores resultados e que mais se aproximaram de meu recorde pessoal. Mas não.. quero chegar, quero mostrar que eu treinei e às vezes me lasco. Esse ano vou conseguir arrumar esse lado meu descompesado...rs...pelo menos eu vou tentar....rs...daria um ótimo post....Luciane Evolution...kkkkkkkkk


Mas e você, tem medo de quê????

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011


O QUE QUE EU FUI FAZER?????


Acho que muitos de vocês se lembram que em outubro do ano passado eu postei aqui sobre o meu dente do siso e que eu iria retirá-lo. Na ocasião, cheguei a fazer exames (raio x) que confirmaram que o dente do siso do lado direito superior estava nascendo na horizontal e forçando o dente do lado, motivo pelo qual eu estava com aquela dor infernal e com a gengiva toda inchada.

Pois bem. O que deveria ter feito era...pegar o resultado do raio x, levar para a minha dentista, a qual me indicaria um profissional especializado na extração do talzinho...Antes disso, deveria ter passado no meu hematologista, fazer um exame de contagem de plaquetas, para saber se o número era suficnete para poder fazer a cirurgia sem risco de hemorragia. O que eu fiz????

NADA

E não fiz nada porque simplesmente ele parou de doer. Mas ontem no final da tarde, a coisa ficou complicada. Tão complicada de não consigo ficar sem tomar DORFLEX por mais de 4 horas. A gengiva está muito alta e não consigo sequer encostar um dente no outro, tendo que comer somente d eum lado só.

O pior de tudo é que fui ler a respeito do procedimento da cirurgia. Quanto a isso tudo bem. As técnicas são bem simples e para pessoas como eu que não dormem 3 dias antes de sentar na cadeira do dentista de tanto medo, pode optar por sedação e não apenas anestesia. Pra mim tá beleza. Mas o pior é o tempo de recuperação. Pelo menos 7 dias de repouso absoluto e somente depois de 15 dias esforço. E agora???? Tenho porva dia 23 de janeiro e logo no dia 5 de fevereiro começqa o Circuito que farei em dupla com um amigo meu...KCT...

Tenho medo de esperar até lá para depois fazer a extração e complicar mais, tipo por conta de cisto ou sei lá o quê mais....Tô lascada. Se eu tivesse feito isso nas férias no período de regeração, agora já estaria tudo resolvido...Não sei o que eu faço, porque o meu lema é sempre a saúde em 1º lugar...todavia, porém, entretanto..... 

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

BAIXO IMPACTO...??? ENTÃO VALE A PENA.


Hoje eu estava treinando e vi um corredor correndo de costas.Nos cumprimentamos com uma risadinha.Na volta, coincidentemente,paramos no memso lugar. Alonga aqui, alonga ali, eu que nem gosto de falar e nem sou curiosa, perguntei sobre o treino de costas que ele fazia. Na verdade eu já o havia visto algumas vezes fazendo exatamente esse treino, mas nunca tive a curiosidade ou opotunidade de saber mais sobre o treino. Era o dia...rs...

Então, ele me disse, que há alguns meses atrás sofreu uma lesão na perna direita por conta de um atropelamento, a qual o deixou impossibilitado de voltar a correr. Ele fez de um tudo..fisioterapia, acupuntura, compressa,...sem pressa....rs....fez até mandinga...e nada. Os médicos foram enfáticos em dizer que um outro esporte para fazer,pois na corrida seria difícil. Ele inclusive entrou em depressão. Sei bem o que é sso. Não cheguei a entrar em depressão quando sofri a lesão, mas sofri muito vendo meus amigos correrem...Mais ainda quando meu médico me disse que não havia um tempo determiando para euvoltar a correr...Foi  $%#$$#*&¨$@....

Então, ele começou a correr de costas.  Eu já tinha ouvido falar, é a chamada marcha reversiva ou retrorunning. E então, veio a grande surpresa: alesão simplesmente curou, ele voltou a correr, inclusive pra frente...rs...e deixou todos os médicos de boca aberta. Considerararam um milagre quando seria bem mais fácil admitirem que correr de costas realmente ajudou no processo.

Na verdade, correr de costas se tornou modinha pro aqui. Isso porque muitas revistas começaream a publicar matérias sobre o assunto e inclusive a organizar provas desse tipo. Existe uma prova que acontece, acho que em Jundiaí que já vai pra sua 7a edição!!!!!

A corrida de costas já ocorre em outros países. A nova modalidade tem atraído a atenção de vários profissionais ligados ao esporte, além de terapeutas.

Assim como qualquer outro exercício físico, é preciso consultar um médico para saber se o seu corpo se adaptará à atividade. Os objetivos buscados na prática da corrida de costas são inúmeros. Saiba alguns benefícios:

- Estimulação e sincronização dos hemisférios cerebrais.
- Abertura da caixa torácica.
- Aumento da consciência corporal.
- Melhoria da Postura.
- Desenvolvimento da visão periférica e interior.
- Elevação do centro de gravidade do corpo.
- Fortalecimento e alongamento das musculaturas.
- Intensificador da circulação sanguínea.
- Favorecedor da perda de peso.
- Fortalecedor dos quadríceps.
- Redutor dos riscos de lesões.
- Redutor de impactos sobre as articulações.
- Intensificador da vida sexual.
- Intensificador da energia afetiva

Ah, e querem saber mais uma....rs....esse ano, houve um protesto na São Silvestre e como foi feito esseprotesto? Correndo de costas.

Roberth Mytchuwm Machado Rego, o 'Kalango', arrebanhou seis patrocínios em Brasília, onde trabalha como motorista de um órgão público, e desembarcou em São Paulo prometendo correr de costas pelas ruas da capital paulista.

Perguntado sobre o porquê da opção curiosa, a exótica figura - que ostenta 205 tatuagens pelo corpo, entre elas uma mulher nua, um escudo do Corinthians (ninguém merece) e uma frase com os dizeres "Deus é fiel -, utiliza um discurso de protesto.

"Eu decidi correr de costas para reivindicar premiações para todas as faixas etárias. As corridas só premiam atletas de elite", critica o baiano que, segundo suas contas, ganhou 320 medalhas e 132 troféus como corredor de rua. A São Silvestre é uma das poucas provas que distribui, no momento da retirada dos kits, uma medalha de participação. "Quero ser o homem que correu a maior distância de costas", revela em alusão a 2008, quando, à sua maneira, completou a São Silvestre com o tempo (segundo ele) de 1h58min28s.

É...segundo o meu mais novo amigo, José Carlos, correr de costas pode sim ajudar muito em recuperação de lesões, além de exercitar a mente,o equilíbri, além de outras coisinhas mais...e o melhor..sem muito impacto... Agora vamos combinar, correr 15km de costas....daí, o cidadão tem que tá muito na fissura....Nem a pau...rs....Mas de toda forma é sempre bom a gente experimentar novas formas de treino, atépara sair um pouco da mesmice...Eu prometí ao José que qualquer dia desses vou tentar fazre um treino desses de costas....mas exigi que ele nem tente dar sprint no final...rs....


segunda-feira, 10 de janeiro de 2011


E DALE ABACAXÍ...E DALE ÁGUA GELADÍSSIMA....



Gente, gente...Lá vem eu de novo com essas coisas. Acho que todos nós sabemos que pra corrermos mais ra´pido, o ideal é que a gente esteja no peso certo ou magro. Isso é comprovado. Até pela economia no gasto de energia ao correr. O problema é que muitas vezes a gente faz dieta, corre e nada...os quilinhos a mais continuam ali e nos deixam na dúvida se a gente está ou não fazendo algo errado.

Eu finalmente conseguí chegar nos meus 47.5kg. Tava difícil, mas agora com os treinos intensos e diários e muita rodagem, mandei os tais pra China. Claaaaaaaaaro que eles voltarão, mas pelo menos agora que a temporada de provas começa, estarei mais levinha e prontinha pra quebrar o meu recorde pessoal.

Pois bem. Estava eu assistindo a um Programa de férias da MTV chamado VIVA e a conversa era saúde. Eis que surge o assunto: acelerar o metabolismo na corrida e emgarecer mais rápido.

A dica era tão simples! Na verdade parte dela eu sabia...uma receitinha de suco de abacaxí, limão, hortelã e gengibre... esse suquinho pra lá de gostoso ajuda na digestão (abacaxí), refresca (limão e hortelã) e acelera o metabolismo (gengibre). Eu sabia disso porque toda dieta tem essa tal suco e eu como cobaia que adora testar coisinhas, pesquisei antes sobre todos os ítens das dietas verificando que esse tal suquinho é campeão de audiência...rs...

O que eu não sabia e achei legal (pra quem curte) é em relação à água. Eu odeeeeeeeeeeeeeeio água gelada...Não tomo e pronto. É água do filtro mesmo, natural. No meio das provas quando eu avisto aqueles copinhos já suados de tanto gelo, já fico nervosa, porque sei que ao tomar eu vou começar a tossir. Muitas vezes eu carrego o copinho bem apertado na mão até 1km depois para que ele atinja uma temperatura mais quentinha até eu tomar.

Tá, mas voltando ao assunto. O tal suquinho ou qualquer outro suquinho que você faça deve ser feito em água geladíssima. Isso porque, segundo a nutricionista do programa, quando a gente corre, o nosso corpo atinge uma temperatura bem alta, febril até e quando ingerimos a água geladíssima, o choque entre uma temperatura e outra, faz com que o corpo trabalhe mais ainda fazendo com que o metabolismo acelere para igualar a temperatura corporal, e acelerando o metabolismo, emagecemos.

Uauuuuuuuuuuuuuuu....Pra mim seria ótimo não fosse pela água geladíssima. Mas a dica é boa, ainda mais nesse calorão. Ah, e esse suquinho é bom tomar 2 vezes ao dia, antes do almoço e no meio da tarde...Então galera, se verem corredores fininhos por aí...a culpa é do tal suquinho...rs....
Foi a dica.

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

CHUÁ CHUÁ....



Tá bom. Vou falar uma enorme nojeira. Raramente lavo meus tênis. Mas nem é por preguiça ou por acreditar que viver na sujeira traz imunidade contra as bactérias..Isso é conversa de mãe que tem preguiça de lavar a chupeta da criança quando ela cai no chão..rs...

O fato é que só uso um tênis para treino e 3 para competir. E não uso o de competir para treinar e nem o de treinar para competir..porque acaba dando tudo errado. Desta forma, tendo apenas 1 tênis de treino fica difícil colocá-lo para lavar e correr o risco de no dia seguinte ter que correr com ele molhado e aí sim, rezando para que eu tenha imunidade contra todas a sbactérias possíveis e imagináveis que eu irei contrair calçando um tênis molhado.

Mas ontem, me deu a louca. Cheirei meu tênis...até que não tava ruim...mas ele tava molhado. Então.. que diferença iria fazer lavá-lo e deixá-lo limpinho ou não lavá-lo, deixá-lo futunzento e ainda molhado?

Das pouquíssimas vezes em que lavei meu tênis, era quase um ritual. O lavava quase a seco, com escovinha só para ele. Secava na sombra porque diziam que se secasse no sol, ele ficava duro. Eu duvido de-o-dó, mas também nunca quis assumir o risco de acordar e dar de cara com o meu querididnho petrificado...rs...Nunca iria me perdoar por abreviar uma vida tão jovem...rs...

Pois bem, como eu ia dizendo. Resolví lavá-lo. Mas de forma prática e rápida. Joguei o coitado dentro da máquina de lavar. Sem dó nem piedade. Com direito a tudo: sabão em pó, amaciante...kkkkkkkkkk....Tudo bem...sem dó, mas o @#*$#@ na mão. Fechei a máquina e fiquei esperando encher d eágua, esperando rodar, esperando centrifugar..tudo...Se fosse o caso de eu ter que me despedir, eu estarioa ali perto e não o encotraria já esfacelado..seria muita sacanagem para quem convive comigo diariamente faça chuva ou faça sol.

E não é que ele saiu d elá novinho em folha???? Eu nem acreditei...E o melhor...cheirosinho e quase seco. Uma maravilha. Tudo bem, depois eu fui pesquisar pra ver se eu tinha feito a coisa certa. Mais ou menos...não precisava colocar amaciante (kkkkkkkkkkkkkkkk) e deveria tirar as plamilhas...Ah, mas de que adiantaria um t~enis tão cheirosinho com palmilhas fedidas? Não seria justo ser perseguida por urubus por conta de .....palmilhas....Nada disso, todo mundo pro sabão!
Menos mal. Pelo menos não fui IMBECIL como um amigo meu (né Léo????)...rs....que secou o tênis no secador...o calor foi tão forte que os termoplásticos derreteram...kkkkkkkkkkkkkkkk....Depois ficou aquela cara de bolacha Maria.

Ah, até deixei o tênis até o dia seguinte pela manhã. Recomenda--se secar na sombrinha, porque como eu disse, secar no sol, pode petrificá-lo....rs....

Então pessoal, se quiserem colocar o tênis dentro da máquina de lavar...vai na fé que eu GARANTIU...rs....

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

ARREGASSE AS MANGAS: ESTABEÇA SUAS METAS PARA 2011



Pronto. 2011 já chegou, acabou a história de dedinho pra cima...Agora a hora é de esquecer aquela corrida maldita que te fez pensar em parar, aquele resultado que não veio, aquele recorde pessoal que não foi quebrado. Tudo ficou pra trás.

É bem verdade que tudo que não deu certo no ano passado nos impulsiona a fazer melhor nesse ano, mas isso não quer dizer que temos que guardar no fundo da memória tudo isso. Muito pelo contrário. A hora é de traçar novas metas para a corrida.

Pra tudo na vida é preciso estabecer metas e na corrida não poderia ser diferente. Desde aquele atleta de ponta até aquele que começou a correr hoje, é preciso traçar um objetivo. Um tempo a ser percorrido determinada distãncia, uma distãncia jamais percorrida..não importa.. o que devemos ter em mente é um objetivo.

A meta é importante para todos, até para definir o tipo de treino, ou você é daqueles que acha que tanto para 5km como para uma ultra o treino é o mesmo? Então. Se não temos uma meta, ficamos perdidos, e acabamos até por perder o estíumulo, já que o fato de colocar o T~enis e percorrer um caminho sem um propósito fica sem razão. Quem nunca quis diminuir 2 segundos correndo daqui até aquela pedra? 2 segundos...Minha gente...2 segundos tem gostinho de 2 minutos pra quem não sabe...rs...

Se você corre por prazer ainda assim precisa de uma meta. será emgarecer? Será poder dobrar a distância percorrida...você é quem sabe. As metas são pessoais. Mas querem um conselho? Para aqueles que pensam em diminuuir tempo (principalmente os iniciantes), muita calma nessa hora.

O caminho para diminuir o tempo não está em participar de provas toda semana, como muitos amigos meus fazem. Muito pelo contrário. O corpo tem um desgaste tão grande que seu rendimento não vai aumentar e sim cair, pois não há tempo entre uma prova e outra para recuperação. Aliás, o que você pode conseguir com isso é uma lesão e vamos combinar, lesão é tudo que um corredor não deseja...aliás corram agora mesmo e batam na primiera madeira que acharem...rs...

Em 2009 corri 25 provas no ano...Havia meses em que eu participava de 3 provas. Diminuí meu tempo? Sim, porém ganhei uma lesão no piriforme e uma bursite. Ano passado, optei por apenas correr 11 provas e tudo correu bem. Cheguei bem perto do meu recorde pessoal, ganhei 8 pódios, não me machuquei...e não me arrependí de ter corrido menos provas, até porque tive tempo de treinar mais de forma correta.

Também não pense que se você traçar uma meta ela será alcançada facilmente. muitasz vezes sem são alcançadas mesmo...mas e daí? É uam meta não é? E metas servem para serem perseguidas..um desafio, uma motivação e não uma obrigação. Campeões muitas vezes tem metas porém não alcançam de maneira satisfatória. Valmir Nunes Ultramaratonista, teve que desistir de uma ultra lá em Esparta por cãimbras. Imaginem uma pessoa que treina em média 50 km diários por meses, ter que desistir por cãimbras? Pode parecer frustrante num primeiro momento, mas é uma forma de impulsioná-lo para um outra oportunidade.

Isso já aconteceu comigo tantas vezes. Treinei forte, me sentia preparada e no dia da prova...um fiasco. Vem mesmo na cabeça aquele tipo de frase: " Mas que bosta de prova foi essa que eu fiz?" Mas é assim mesmo. Metas requerem disciplina, determinação e principalmente paciência. Ninguém melhora do dia pra noite, a não ser Usain Bolt...rs...

Pois bem, 2011 acabou de começar. Pense com calma e escolha provas que lhe favoreça, percursos bacanas. Nada de sair correndo qualquer pedreira por aí. Quem quer resultado tem que saber escolher e abrir mão de algumas provas. Nem adianta falar que vai correr pra treinar. A gente sabe que o ritmo que a gente impõe na prova é bem diferente de treinos. Ademais pra que correr o risco de se machucar em uma prova que não vai valer nada pra você?

Este ano a minha meta, muito mais do que pódios que eu sempre digo, é uma consequência, será quebrar o meu recorde pessoal nos 10km que é de 0:46:05. Também correrei um circuito de 10km em dupla. É a 1a vez que correrei essa distãncia em provas. Isso certamente me ajudará a ganhar mais velocidade nas de 10km, já que a prioridade serão tiros de 500 metros. Correrei meias maratonas e voltarei à Meia de São Paulo, onde corri no ano de 2009 com uma lesão no nervo fibulotalar..Ano passado fiquei com medo dessa prova. Em 2011 ela voltará ao meu calendário como uma maneira de superação. Sem pretensões, apenas diversão saudável.

Dia 23 de janeiro, meu aniversário, correrei a 1a prova do ano, os 10km Jovem Pan. Também não será uma prova para tempo, mas sim, para apagar a velinha correndo....Nunca tive a oportunidade de correr no meu aniversário e este ano completarei os 3.4...da melhor maneira...

De toda forma, tracem metas, tenham objetivos. É muito bom. Com certeza você acertará seu alvo!