sexta-feira, 8 de abril de 2011

TRÍADE DA MULHER ATLETA.. VOCÊ SABE O QUE É???

Mulher sofre mesmo, não tem jeito. Cadas dia mais a tv mostra que tr um corpo perfeo é a ferramenta mais efeciente para garantir o sucesso. Tudo bem...as piriguetes seguem à risca dietas inacreditáveis,porém, nós, corredoras, não podemos nos dar ao luxo de cair nessa não...muito pelo contrário...o lance é sealimentar muito bem, incluisve comendo o que é o primeiro a sair da lista: carboidratos.

Eu achei uma matéria muito boa na Revista Femina W Run que fala sobre um assunto que não é novo, porém muito importante...A TRÍADE DA MULHER ATLETA...vale a pena conferir.



Uma das principais motivações que levam a mulher a correr é a vontade de perder peso. De fato, exercitar-se é uma maneira benéfica de perder peso de uma forma saudável e duradoura.

Mas uma pratica mais comum do que se pensa entre as corredoras amadoras, pode colocar todos os ganhos em risco: A MÁ ALIMENTAÇÃO (ou ausência dela) de forma proposital., o que os especialistas chamam de DISTÚRBIO ALIMENTAR.

O hábito de comer deforma errada para emagrecer,aliado á prática da corrida faz com que o corpo gaste mais energia do que consome. Esse déficit causa um distúrbio que é conhecido como TRÍADE DA MULHER ATLETA que consiste em 3 alterações: alimentar, hormonal e óssea.

Quando o consumo e gasto de energia produzem um cálculo negativo, o organismo deixa de exercer alguma de suas funções fisiológicas, como a produção hormonal. Isso causa alterações menstruais, com ciclos de intervalos mais longos ou ausentes” explica a ginecologista do esporte Tathiana Parmigiano , do Centro Olímpico de Treinamento e Pesquisa e nas seleções nacionais de basquete e judô.

Como essa mulher está obcecada par emagrecer, correndo o máximo possível de vezes, a ausência d menstruação não é vista por ela como um problema, mas como uma solução. E mesmo que considere essa alteração como algo a se preocupar, tem vergonha de falar com o treinador.

Muitas mentem sobre a alimentação. E, além disso, elas não falam sobre a ausência de menstruação. Como a diminuição de rendimento vai demorar a aparecer, ela pensa que está tudo bem”, analisa Mário Sérgio Silva, diretor-técnico da Assessoria Esportiva Run&Fun.

Ignorar os primeiros sinais da Tríade é perigoso para o futuro desenvolvimento do problema. Tathiana explica: “O hormônio que está diretamente envolvido nesse processo é o estrogênio. Ele também ´´e o responsável pela saúde dos ossos, garantindo o processo de absorção e reabsorção deles”.

SE A PRODUÇÃO DE ESTROGÊNIO É INADEQUADA, O OSSO NÃO SE RENOVA E A CORREDORA DESENVOLVE QUADROS DE OSTEPENIA O ATÉ OSTEOPOROSE PRECOCE. “A longo prazo as lesões por estresse começam a aparecer. Além disso, atleta passa a demorar mais para se recuperar entre uma sessão d treino e outra”, observa o treinador.

Eliana Zucchi, Coordenadora do Ambulatório de Ginecologia Esportiva da Unifesp, conta que, tempos atrás uma mulher só era diagnosticada com a Tríade da Mulher Atleta se apresentasse quadros de bulimia ou aneroxia, ausência de menstruação por mais de 3 meses e osteoporose. Hoje, esses são considerados casos extremos. “Além de um apoio psicológico e do treinador para convencê-la de que ela tem um problema, o auxílio das pessoas em volta é fundamental. Já precisei chamar os pais de uma aluna para conversar sobre esse tem, já que sozinha, ela não se aceitava doente”, lembra Silva.


ALERTA NA PISTA


Além de se preocupar com alimentação, a mulher que se queixa do corpo e quer emagrecer a qualquer custo pode sofrer também com os excessos de treinamento. “A junção de má alimentação, diminuição d massa magra e treinos fortes, formam um quadro propício ao overtraining”, alerta o treinador Mário Sérgio Silva.

O principal cuidado deve ser em relação às alterações dos hábitos alimentares. “Dietas restritivas acompanhadas de práticas não recomendáveis – como abuso de diuréticos, laxantes e jejum, já merecem atenção de um profissional”., enumera Patrícia Campos Ferraz, nutricionista da Nutraid Assesssoria em Qualidade de Vida, do Vita e do Grupo Pão de Açúcar.

A curto prazo, a corredora perde desempenho por falta de carboidrato. Já depois de um período maior, há comprometimento muscular pela deficiência de nutrientes. No cso de restrições severas, o organismo aciona mecanismos protetores que visam a preservar gordura corporal e a degradar massa magra. O resultado é perda de peso acompnahda por flacidez muscular e queda de desempenho”, completa.


CONSCIÊNCIA PARA IR MAIS LONGE


Eliana considera as corredoras como um dos grupos de esportistas mais bem preparados para enfrentar o problema. “Amadoras e profissionais sabem da necessidade da alimentação correta, para continuar praticando a atividade física”, analisa.

É o que Thatiana complementa, lembrando que o distúrbio pode ser tratado: “O PROBLEMA NÃO É O TREINO, ELE NÃO ÉO GRANDE VILÃO. A QUESTÃO É O DESPREPARO, PRINCIPALMENTE NUTRICIONAL. Talvez a corredora esteja consumindo menos do que deveria por falta de orientação. Ou porque ache que assim vai emagrecer. Os dois estão errados. O corpo precisa de energia para manter suas funções. Logo a orientação nutricional é essencial para quem quer correr em qualquer nível”.


FIQUE ATENTA AOS SINAIS


Os especialistas relacionam os principais hábitos e ocorrências que podem sinalizar a TRÍADE DA MULHER ATLETA.

A ALIMENTAÇÃO IRREGULAR, e os hábitos como jejum e o uso de laxantes ou diuréticos são os principais sintomas. Considerar-se gorda e sempre achar que precisa perder peso também é comum.

Mesmo no início, as alterações hormonais devem ser investigadas. A amenorréia só aparece com a ausência de menstruação por 3 meses, mas os ginecologistas indicam o início das buscas antes disso.

FRATURAS POR ESTRESS, queda no rendimento, e diminuição da capacidade de recuperação pós-treino já são sintomas. A ocorrência constante de casos como estes, devem ser investigadas.

Em alguns casos, a busca pelo corpo perfeito, leva a atleta a querer treinar muito e a participar cada vez mais de provas, características que induzem ao overtraining.

Olha eu vou sincera com vocês. Já vi e ouvi coisas trríveis nesse meio da corrida. Certa vez, numa prova, estava na fila do banheiro e uma atleta (a conheço e não vou citar nomes) me disse que j´´a havia tomado o laxante dela. Na hora não entend´.Assim que ela entrou, uma moça que estava na minha frente disse que toda prova essa atleta fazia a mesma coisa na intenção de ficar levinha pra correr mais. Fiquei chocada. Ah, inclusive, em outra ocasião essa mesma atleta me disse que não menstruava mais....

Outra vez, numa prova de 7,5km pela mata Atlântica, uma menina chegou perto de mim também na fila do banheiro e me prguntou sobre a dificuldade da prova, já que seria a 1a vez dela. Encorajei a mocinha e disse que a prova iria requerer força física e que carboidrato era essencial. Eu mesma tinha comigo há alguns minutos 1 sanduíche de requeijão, um iogurte e 1 banana....Ela se virou pra mim e disse que não havia comido absolutamente nada e que sempre treinva em jejum...Vixe....

Esses são apenas exemplos que se Deus quiser não se transformarão em algo mais grave. No entanto é preciso orientar....Tem muita gente por aí que nem sbe o que é isso e portanto nem desconfia que está doente e precisa de ajuda...bacana mostrar o post....Magreza não é tudo na vida não....saúde em primeirolugar, ou voce acha que isso ai embaixo pode se chamar de beleza e saúde?






Eu acho que não. Então...alimentem-se bem  e oriente que precisa....

3 comentários:

Ingrid disse...

Lu,
Muito boa a abordagem desse tema.
Parabéns!
Bjo... Ingrid

DricaPeixoto disse...

Extremamente útil essa reportagem, obrigada por compartilhar conosco.

Por vezes achamos que estamos comendo o suficiente, mas o acompanhamento de um profissional sempre é o melhor caminho.

Meu corpo dá sinais claros de quando alguma coisa não vai bem, seja na alimentação ou no descanço entre os treinos. Temos que aprender a escutar nosso corpo e principalmente, a nos desprender de algumas imagens e manias de perfeição. Viver é bom demais, envelhecer bem é melhor ainda!

Bjsss

Dart Araújo disse...

Muito boa sua postagem e interessantissima.

Vejo muitas querendo emagrecer sem necessidade.