domingo, 16 de setembro de 2012


EU DISSE QUE EU TAVA FERRADA...
 
Vamos começar com a frase: 4 noites sem dormir. Ok, dormindo em média 3 ou 4 horas. Na semana passada, assim que terminei o 3 treino dos 8 que estavam previstos até a prova que aconteceu hoje, o tempo aqui em Santos mudou bruscamente. O ar ficou muito seco e com isso minha bronquite resolveu fazer uma visita. Na mesma noite comecei a tossir compulsivamente e só parava quando quase vomitava. Um horror. Não dava pra dormir. Era xarope, própolis, antialérgicos e nada. Abortei os treinos. Simplesmente meu corpo não estava em condições. Lembro que no ano passado na mesma época sentí a mesma coisa. Uma tosse sem fim!
 
Então chegamos à explicação da frase anterior: ESTOU FERRADA!
 
E eis que chega o dia da prova. Acordei hoje lá pelas 06:15. Não estava me sentindo muito bem. Tossí muito durante a noite, e o antialérgico me deixou um pouquinho mais sonolenta. Mas, resolví encarar, mesmo no fundo achando que seria um pouco de loucura da minha parte, uma vez que o tempo ainda continua muito seco por aqui.
 
Pessoal da equipe totalmente animado, mas tão logo eu começasse minha crise de tosse, o povo parava e pedia para que se eu fosse correr, que fosse com calma e que durante a corrida, eu iria melhorando. Eu tinha que acreditar nisso né não?
 
A galera da fisioterapia estava na nossa tenda medindo a pressão antes da largada e depois da chegada. Resolví medir...11 por 8...Super boa...o que tava boa mesmo era a tosse...
 
Bora pra largada. Rituais feitos. Estava me sentindo estranha. Um mau estar. Quando baixei minha cabeça pra beijar o escapulário me sentí um pouco tonta. Eu sei, era a hora de eu sair da muvuca e voltar pra casa, mas de novo, fiz a coisa errada.
 
Fuóóóóó...E lá fomos nós. Sempre digo que a gente sabe quando faremos uma boa corrida ou não, já no primeiro quilômetro. A gente sente se está pesado, se está pisando em nuvens. Eu estava péssima. As pernas assim que largamos, estavam meio bambas, molenguetas mesmo...a sensação que eu tinha é que eu iria cair a qualquer momento....
 
Nem ví a placa do km 1. No km 2, o relógio cravou 10 minutos. Eu precisava me achar. Achar um pace ou um jeito qualquer de sair daquele desconforto todo...e dale tosse, tosse, tosse. Quando avistei o primeiro posto de água, percebí que todas estavam geladas. Se eu tomasse aquilo, ia ser caixão. Quando não estou em crise e tomo água gelada durante a prova já é um Deus nos acuda, imagine naquela situação calamitosa. Passei reto. Era o fim. Eu já saí totalmente do que costumava fazer...sempre tomo água em todos os postos.
 
No km 5, ví meu pai paradinho vendo a corrida. Ainda o chamei pra entrar, quem sabe não era o estímulo que eu precisava..mas ele preferiu continuar só assistindo. Quando uma amiga minha me viu indo quando ela ainda estava vindo, presenciou a crise de tosse. Só ouví um: Lúuuuu...pára!!!! Bom, se eu parasse, iria ser bem pior, teria que voltar andando 5km...não ia ser bacana, apesar de já não estar sendo de todo jeito.
 
No km 6, o relógio marcava 0:29:50. Eu havia achado o pace, mas não um jeito de acabar com a maudita tosse dos infernos. E assim permanecí. No km 7 eu fui obrigada a tomar um gole de água. A garganta estava seca demais, o mormaço apertou e eu não estava nada bem. Graças a Deus mesmo tomando a água gelada (dei um gole e joguei o resto fora) a tosse não piorou...talvez porque não tivesse como piorar mesmo...
 
E lá fui eu até o km 9, quando realmente não fosse aguentar. A tosse aumentou demais e eu estava ficando cada vez mais tonta. Faltava tão pouco. Não ia dar pra desistir naquela hora. Faltava apenas uma curva e alguns metros. Dava pra enxergar o pórtico....
 
Estava acabando...ou apenas começando...sei lá...Já podia ver o cronômetro...0:49:30, 0:49:31...Na outra etapa cheguei fazendo 0:51:48...e nessa pisei no tapete com 0:50:09.
 

Assim que cruzei, ví que o bicho ia pegar, mas ao mesmo tempo achei que fosse normal, pois já havia sentido sensação igual outras vezes...rsrs...quando eu apertava demais....

Minha amiga Ana estava fotografando...ainda deu tempo de fazer uma fotinho...esse  momento tinha que ser registrado.


Entrei rapidamente para dentro do Batalhão da Polícia (foi lá que aconteceu a prova). Não deu tempo quase de dar 3 passos...Já sentí aquele embrulho, e veio uma sequência de jatos e mais jatos. E tosse, e jato...era água pura..Não conseguia me erguer direito. Não conseguia falar e já vomitava novamente. Definitivamente a prova mais difícial de toda a minha vida. E olha que já sofrí tanto nas provas...Mas dessa vez, eu me sentí mal desde o início, terminei e continuei mal. A Ana ficou assutada, tadinha. Quando consegui me erguer, ainda deu tempo de tirar uma fotinho tirabdo sarro de toda a situação...


Passei a mão numa folha seca e comecei a me abanar..puro desespero viu....E assim permanecí por um bom tempo. Depois voltei bra barraca da equipe...Comí duas nectarinas...Medí minha pressão...



Lembram que começou com 11 por 8? Agora estava 10 por 5...Também boa...(aliás vou afzer um post sobre isso). Aos poucos fui melhorando um pouco, mas a tosse permaneceu.


Uma coisa bacana...Depois de 4 anos na equipe, totalmente sozinha no meio de 50 homens, eis que o grupo feminino cresceu..não estou mais só....mais uma atleta chegou pra ficar...aí sim!!!!!

Depois tiramos a foto que não pode faltar...galera reunida....e mais uma prova concluída pra delírio do pessoal! rsrsrs...


Agora é pensar na próxima, sem traumas. Essa já passou...essa já ficou pra trás. Ok...passei a tarde inteira mal ainda...a tosse ainda tá aqui, dor de cabeça...mas acho que também foi por conta da pouca água ingerida durante o percurso...talvez eu tenha me desitratado um pouco...mas enfim...já era...
 
E a todos que acreditavam que eu poderia chegar nos 46...não foi dessa vez....




 
 

5 comentários:

Eduardo Acacio disse...

Que odisseia Lú ... Eu tb tive minha penitencia neste domingo durante a PA quando tentei correr com o joelho a meia vida ...kkk E dos 11k para correr acabei correndo apenas 2km ... Mas faz parte e sempre me pego a pensar se aquelas frases de efeitos devem ser levadas em conta, quando podemos deixar em definitivo de correr por conta de teimosia em prosseguir ... Resolvi parar e deixar para outro dia!
Bem espero que vc esteja melhor que que esse clima de deserto vá embora rapidinho e que Deus lhe Abençoe Fera !!!

Sucesso Sempre !!!

Marcus disse...

Pô Luciane, dessa vez vc não terá meu apoio, sempre defendo vc quando faz algumas "loucuras", mas essa foi demais. Senão vejamos: tu já vinha mal a uns 4 dias, nenhuma melhora, pelo contrário, no dia da corrida ainda se sentiu mal pouco antes da largada, então a pergunta: Pq correr assim? Tenho certeza q vc não tem nenhuma resposta sensata. Mas tudo bem, espero q vc melhore, e que isso sirva de incentivo pras próximas corridas e treinos. Abraços.

Luciane disse...

Eu sei Marcus, vc está coberto de razão. Eu sei. Mas na verdade se eu naum fosse, perderia todas as outras etpas, tendo em vista que a justificativa deveria ser feita uma semana antes da prova. Enfim..sim, fui errada. Não haverá próxima vez....garanto!

Rafael Marrone Fonseca disse...

Luciane, boa tarde...

Parabéns pelo blog... muito bom...

http://marroneocorredor.blogspot.com.br

Marildo Nascimento disse...

Lu o grupo feminino vai aumentar...vc vai ver...2013 a meninas vão mandar na 4corredores...kkkkkkk
Abração
Marildo Nascimento
www.4corredores.com.br