segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

E QUANDO TUDO COMEÇA ERRADO....

Bom, como eu sempre digo...Quando tudo começa errado...termina pior ainda...Como eu disse no post anterior, já comecei tendo problemas para pegar o meu kit. Telefonema daqui, telefonema dali, eis que uma amiga minha, Patrícia, ligou para um conhecido que coincidentemente me conhecia e então a esposa dele se prontificou a pegar o meu kit no Guarujá. Óbvio que deu problema lá...meu nome não batia..mas enfim...a questão estava resolvida e o meu kit estaria na minha mão no dia da prova.

E NO DIA DA PROVA...

Chegamos na concentração pouco antes das 07:00, já que a largada estava marcada para às 08:00. Como eu havia dito, resolví correr sem a camisa da Molico por inúmeros motivos: estaria muito calor, ã camisa era daquele tecio vagabundo que não conseguimos transpirar direito, era de manga, era gigante e o principal motivo: não poderiam me obrigar a correr com uma camisa se assim eu não quisesse e pronto. Acho que os motivos foram suficientes né?

A coisa parecia que iria ser meio assustadora. O termômetro marcava 27ºC e ainda eram 07:00 da manhã, cabendo dizer que estamos no horário de verão..portanto....




Não demorei muito e logo achei a Vera, a esposa do carlão que pegou o meu kit. Ela estav mais nervosa do que eu para me encontrar...rs...Quando vi a camisa da prova, o que eu já havia decidido estava mais do que ratificado...um lixo não poderia ser usado de jeito nenhum! O chip era descartável. Nunca tinha corrido antes com esse tipo de chip e pelo visto muita gentetambém não já que cada um vinha com uma informação diferente: "tem que colocar o número praa cima senão não vai marcar o tempo", "Tem que tomar cuidado pra não arranhar a parte d etrás, senão...não computar o tempo..." "Tem que colocar bem amarrado com o arame, senão ele fica virando no pé"..."Tem que...."Era muita informação para um negocinho de plástico muito do vagabundo e que não garantia muita credibilidade, pleo menos à primeira vista.


Eu decidí colocar a camisa na cabeça, assim poderia correr sem a camisa, porém ainda com ela. Era pra usar, então estava usando...No entanto quando fui pegá-0la na mochila..tãnã...kd???Não sabia. Quando coloquei o chip retirei  a mesma e a coloquei em cima do banco e simplesmente a deixei lá. Voltei correndo depois de uns 30 minutos. Um menino que estava no banco quando eu coloquei o chip ainda estava lá. Perguntei sobre a camisa...Felizmente o cara abriu a mochila dele e havia guardado a camisa lá...ufa...rs...

Do grupo, só o Sidnei abraçou a causa. Patrícia vestiu uma camisa diferente e eu coloquei a minha na cabeça no maior estilo Corredora do Deserto do Saara...


Olha elas...nananana.....
Como a largada estava prevista para ás 08:00 da manhã, fiz direitinho o meu ritual...pão, iogurte e 500ml de água 1 hora antes da prova. Dor de barriga. Muita dor de barriga. E uma fotinho á do alto...


Então, eis que começa a palhaçada. Um gordinho pega o microfone e anuncia sem nehum constrangimento: "É isso aí pessoal e às 09:00 hrs vai ser dada a largada". Caramba, o povo tava já posicionado e o cara me solta que a largada seria dali há 1 hora? Revolta geral. Então agora eu estava cheia da razão mesmo. Se eles poderiam mudar a hora da largada eu também poderia não usar a camisa e pronto. Ai começou a zuação geral..."ah é..então o percurso não será mais de 8km e sim de 10 milhas"..."E se a corrida é para salvar o planeta, vamos dar a volta ao planeta"...KKKKKKKKK...a gente sofre, mas tem humor...rs

Como eu havia bebido água para correr ás 08:00, a bexiga encheu e tive que voltar ao banheiro. Um horror. Uma fila enorme de mulheres que até agora não sei o que faziam lá dentro para demorar tanto. Então resolveram interditar o banheiro masculino paras as mulheres usarem também. O problema todo era que naquela altura os banheiros já não estavam tão limpos e a mulherada escolhia os banheiros. Flatando 25 minutos para a largada e numa fila gigantesca uma solta a pérola: "Ah gete me desculpe, mas necessidades fisiológicas se faz em casa e não na rua". Eu já tava num veneno só, tive que falar na boa, mas falar..."Ah, me desculpe, mas como o nome já diz NECESSIDADE...se faz em qualquer lugar quando tivermos vontade. Corredor que é corredor sabe disso"...

Quando enfim saí do banheiro, faltavam 10 minutos para a largada. Me posicionei na fita e portanto estava na sombra. Quem ficou lá atrás, estava com o sol no pino batendo na nuca. O gordinho pega de novo o microfone: "Gorducho filho da p.........." "Vem falar aqui no sol", "Tu nem deve correr por isso é que tá embassando pra dar a largada" . Nessa hora o povo começa a bater palmas para começar. E nada. "Daqui a pouco daremos a largada". Caramba a largada das 08:00 foi para às 09:00 que foi para daqui a pouco. Daqui a pouco quando? O povo revoltado começou a xingar. Uma bandeja com garrafas de água passava entre o povo...da frente...porque nem dava tempo da água chegar lá atrás e já era interceptada por corredores sedentos por líquido. Minha bexiga estava cheia de novo. Fudeu.

Eñtão, uma mulher resolveu fazer a contagem regressiva da prova. Ao contrários de todas as provas, eu estava tão desanimada a correr que até esquecí de rezar meu Pai Nosso e beijar o escapulário. 10, 9, 8, 7, 6, 5, 4, 3, 2,1..."sua puuuuuuuuuuuta"....Patrícia berrou do meu lado..."Filha da puuuuuuuuuuuuuuuta"...o povo berrava em coro largando pelo tapete vermelho.Nunca vi disso em toda a minha vida.

Minha bexiga doía tanto. A única saída era correr forte uns 2 quilômetros para o corpo soltar o líquido no suor e aliviar a bexiga. Fiz os 3 primeiros quilômetros em 13minutos e 30.

Aqui a coisa ainda tava legal....ainda....

o pior ainda estava por vir....e veio mesmo....

No entanto o sol estava tão forte, que quando desci para a areia (ah...esquecí...mudaram o percurso na hora H...seriam 8km pelo asfalto e agora 8km, sendo 4km pelo asfalto e...4 pela areia...) tudo mudou. A sensação que eu e todo mundo tinha era uma só...que forno é esse? Um bafo quente contra o nosso rosto dava a sensação de que o certo era parar por ali. Quebrei total. O povo não corria, caminhava e muitos nem isso faziam...paravam sem nenhum constrangimento. Tava muito calor. Uma sensação térmica de 41ºC.. tava todo mundo com febre....rs....

Eu conseguí pegar água em todos os postos, mas o pessoal que vinha mais atrás ficou sem água, segundo informações. Quando subi para o asfalto para terminar a prova, sentia como se tivesse corrido uma meia maratona. 39:55...que horror! Peguei a máquina, voltei para fotografar a Patrícia.



Ela chegou com hipoglicemia. Um puta calorão e ele com frio de cobertor. Me desesperei. Dale sorvete da nestlé. E nada de subir o açúcar. Depois vimos que o sorvete tinha 0% de açúcar. Que puta susto. Alguém passou mal. "Chamem a ambulância"..."Ela já tá vindo!" Porra tá vindo da onde? Ambulância não tem que tá vindo, ambulância tem que tá lá. Quanta irresponsabilidade. Enquanto isso sorvetes e mais sorvetes eram servidos. Eu tava tão nervosa.

Caiu bem o sorvetinho...
.

os sorvetinhos.....rs...."os"....


O kit até que era legalzinho...uma sacola contendo: 1 toalha de academia, um copo, um pacote  de bolacha, um litro de leite molico, 1 pote de achocolatado, uma barra de chocolate...Foi sofrível, mas deu para garantir o leitinho da criança....rs.... 

garantido oleitinho da criança....rs...

 
Mas também aproveitei tomei 3...coisa de pobre mesmo. Uma fila quilométrica se formava pra pegar o kit. Aquilo já tinha virado várzea mesmo...eu e a Patrícia furamos a fila grandão e logo pegamos o nosso kit. Um cara fazia um puta escñdaçlo pois no meio da prova jogou o número de peito fora pois com a água ele havia se desfeito. A moça não queria dar o kit para ele. Caramba, tudo bem, tinha que dar o papel, mas o cara tava suado, com a camisa da molico e com o chip no pé.. não dava pra duvidar que ele havia corrido. Depois de meia dúzia de gritos, resolveram liberar o kit pro cara

E no final ainda ouvimos uma história engraçadíssima, que eu nem vou contar agora, porque vale de exemplo para o p´roximo post....rs....mas que foi engraçado foi...

Sinceramente tô pra ver coisa tão horrível como esta prova. Totalmente desmotivadora, cujo lema, segundo minha amiga Patrícia é: SALVE O PLANETA E MATE OS SERES HUMANOS...Nunca mais....E muito me admira a Molico não fiscalizar a prova já que envolvia diretamente o seu nome...e achar que distribuição de sorvetnhos e água em garrafa na bandeja é o suficiente para nós corredores. Simplesmente lmentável!

Ainda cheguie me casa e depois dos 3 sorvetes, só d ecastigo, passei o dia inteiro no banheiro com dor de barriga. Desidratei total....

E pra terminar, agora fui olhar o meu resultado e não achei meu nome. Nem com CPF, nem com nome da equipe, nem com número de peito. Liguei lá na chiptiming e o que foi constatado depois de alguns minutos? ue eu estava na listagem masculina. Lá saí em 79º lugar e em 21º na categoria. No entanto, na feminina eu estº na categoria e 16º na geral....Eu posso com isso? Sou uma corredora transex sem saber....



7 comentários:

Jefferson disse...

Também corrí essa prova. Nunca ví tanta coisa errada. Foi um desrespeito com o pessoal. Saí lá atrás e nem conseguí beber água direito e as que eu bebí estavam totalmente quentes.

você está certa em meter a boca.

abraços

carolina disse...

Sou de São Paulo e participei dessa prova. Ví muita gente passando mal e nem tinha ambulância. Eu fiquei chocada! Vou queimar essa prova pra todo mundo e nunca mais corro isso.

Eu te ví na prova, mas fiquei sem graça de chegar.

bjs

carolina disse...

Sou de São Paulo e participei dessa prova. Ví muita gente passando mal e não tinha ambulância. Nunca mais corro isso e vou queimar essa prova pra todo mundo que eu conheço. Eu ví voce na prova, mas fiquei co m vergonha de conversar.

bjs

Andréia disse...

Meu, o que foi essa prova????? Que sol era esse????? Um desrespeito sem tamanho largar às 9 horas. A gente tem que começar a boicotar ese tipo de prova. Acho legal você meter a boca. A gente tem que ficar mais esperto.

abraços menina

luciane disse...

É verdade pessoal, foi mesmo uma falta de respeito. Tá na hora de começarmos a colocar mesmo a boca no trombone. Não dá pra ficar pagando sem o mínimo de estrutura. Faltar água é um absurdo...Não ter ambulância no local então...Mas a gente pode fazer um boca a boca e queimar a prova sim como disse a Carol...

abraços a todos

Vanessinha disse...

Nossa Lu! Você é demais, consegue manter o bom humor até nessas horas. Me diverti muito lendo esse post, e ainda me lembrei da corrida da Ilha Porchat... Espero que você esteja melhor!
Beijos

Vanessinha disse...

Nossa Lu! Você é demais, consegue manter o bom humor até nessas horas. Me diverti muito lendo esse post, e ainda me lembrei da corrida da Ilha Porchat... Espero que você esteja melhor!
Beijos