segunda-feira, 12 de setembro de 2011

A IMUNIDADE DESPECOU....

Muitos de vocês sabem que tenho um problema sanguíneo, chamado de Púrpura Trombostopênica. Se refere a poucos números de plaquetas, as quais são responsáveis pela coagulação do sangue. Desta forma, caso as plaquetas fiquem em número muito baixo, posso ter diversos problemas dentre eles hemorragia.

Pois bem. Há cerca de um mês, fiz o tal exame. 67.000 plaquetas. O normal é no mínimo 150.000. Fiz por conta da dentista que ficou prepocupada com o excesso de sangramento da extração do siso (sim, ainda não os retirei). Todavia, uma tosse seca e contínua me acompanha há quase 2 meses, talvez desde o começo de alguns problemas de ordem pessoal.

Agora sinto dores nas costas e em meu rosto umas bolhas parecidas com a herpes surgiram. Minha imunidade despencou com toda certeza.

Como eu sempre digo, faço os meus posts trazendo fatos que acontecem comigo e por isso achei bacana trazer o assunto imunidade e corrida, até porque uns dizem que exercícios fazem com ela suba, outros que desça....

Ninguém discute: atividade física traz benefícios para o corpo, além de promover a sociabilização e combater o estresse. Pesquisa realizada por Reury Frank Bacuraru em 2001, do Laboratório de Metabolismo do Instituto de Ciências Biomédicas da Universidade de São Paulo, constatou mais um benefício dos exercícios: a atividade, quando praticada com moderação, contribui para o fortelecimento do sistema imunológico, enquanto o treino intenso e prolongado pode enfraquecê-lo.

Um estudo ainda mais antigo, de 1993, do Departamento Médico da Tufts University School Medicine, Boston, (USA, reforça essa ideia de proteção.
“Quando a atividade física é praticada com moderação, ou seja, ao menos 3 vezes por semana, com duração de 30 a 40 minutos e acompanhada por um profissional, pode fortalecer e melhorar o sistema imunológico, isso porque o esporte contribui para o aumento do número de glóbulos brancos (leucócitos), responsáveis pela defesa do organismo.

Essa prática é fundamental no caso de doenças crônicas como o diabete mellitus, e ainda diminui o risco de outras, como a gripe”, diz dra. Rebeca Boltes Cecatto, fisiatra do Einstein. Isso ocorre porque durante o esporte, o organismo libera substâncias como a endorfina, o cortisol e a insulina, que fazem bem ao sistema imunológico.

Além disso, após a prática do exercício de intensidade moderada, ocorre um aumento no número de células do sistema imune ativas no sangue, conhecidas como células NK (do inglês, natural killers). Elas são responsáveis por destruir vírus e até tumores presentes no organismo.

Outro fator que colabora para a proteção do organismo é o fato de a atividade física promover a diminuição do estresse. Como nosso corpo funciona de maneira harmoniosa, com inter-relação entre os sistemas nervoso, endócrino e imunológico, a redução do estresse faz com que o organismo se fortaleça e não fique mais suscetível a diversas doenças.

“A diminuição do estresse está ligada à concentração durante a atividade e da liberação de endorfinas. Nesse caso, proteção não é específica do sistema imunológico e sim do corpo de forma geral”, enfatiza dr. Sérgio Wey, infectologista do Einstein.

Outro fator que colabora para a proteção do organismo é o fato de a atividade física promover a diminuição do estresse...

É importante deixar claro, entretanto, que não existe um tipo de exercício correto para fortalecer o sistema imunológico. “Tanto exercícios aeróbicos, que incluem caminhadas e ciclismo, quanto anaeróbicos, caso da musculação, podem auxiliar. Mas isso só ocorre quando feitos com regularidade e de maneira moderada”, aconselha dra. Rebeca.

Apesar de todos os benefícios extras da atividade física para o sistema imunológico, se praticada em exagero e de maneira inadequada, pode surtir efeito contrário. Além das lesões musculares e articulares, o exercício em excesso traz sobrecarga cardiorespiratória, alterações hormonais, ansiedade e, principalmente, a depressão imunológica, causando a diminuição e a alteração funcional de algumas células do sistema imune, fazendo com que a pessoa fique mais exposta a doenças.

Olha eu mesma conheço um ultramaratonista que vive gripado. Óbvio...muita rodagem...Triatletas geralmente ingerem muuuuuita vitacima C, complexos e outras coisinhas para aguentar o tranco e não facilitar quando o assunto é saúde.. até porque seria mesmo um contra senso praticar esporte para ser saudável e não cuidar da saúde propriamente dita...

Essa baixa no sistema imunológico ocorre porque a substância responsável por alimentar os glóbulos brancos, chamada de glutamina e produzida pela musculatura, é consumida em excesso quando a atividade é praticada de maneira exagerada. Por isso, a receita de saúde exige moderação também na prática esportiva.

Unhas fracas, queda de cabelo, cansaço, problemas de pele... Se você apresenta um ou mais desses problemas, deve imaginar que está com a imunidade baixa, certo? Na verdade, não é tão simples assim. Sinais como esses podem ser muito vagos, já que podem significar uma infinidade de complicações, doenças e até fatores genéticos, que pouco têm a ver com uma imunodeficiência.

A médica imunologista Elisabete Blanc, do Hospital Universitário Clementino Fraga Filho, da UFRJ, conta que a baixa
imunidade pode ser de causa primária, ou seja, quando a pessoa já nasce predisposta pela genética. "Por outro lado, pessoas que são saudáveis, em um dado momento da vida, podem se expor a situações que levem à dificuldade do organismo em manter um equilíbrio imunológico", completa.

Exemplos dessas situações vão desde maus hábitos a tipos específicos de tratamentos: uso de medicamentos que suprimem a imunidade, exposição à radiação, quimioterapia, má alimentação, uso de drogas, consumo de álcool, excesso de exercício físico, estresse prolongado, doenças que levam a uma grande perda de proteínas - substâncias que são "a matéria prima dos
anticorpos", como explica Elisabete -, doenças crônicas, deficiências de vitaminas, falta de repouso adequado, entre muitos outros fatores.  

De olho nas doenças mais persistentes
Como saber, então, se você realmente está com o sistema de defesa comprometido? De acordo com o clínico geral Fernando Manna, do Laboratorio NASA, não existe um exame único capaz de detectar se a pessoa está com a imunidade prejudicada. "O ideal é procurar um médico ao perceber sintomas recorrentes ou persistentes. O exame clínico realizado pelo médico assistente, aliado à queixa e evolução de sintomas, são orientadores na solicitação de exames", completa.

É mais fácil, portanto, perceber que o sistema imunológico está pedindo ajuda quando há repetições de várias complicações no organismo, que demoram a ir embora. "A diminuição da resistência orgânica cria condições para o desenvolvimento frequente de doenças", conta Fernando. Se a pessoa apresentar um mesmo problema - ou mais de um - diversas vezes, deve procurar um profissional.

A lista dos sinais alarmantes. Ainda assim, não é tão simples a detecção, uma vez que repetir demais uma complicação não é certeza de uma queda na imunidade. Um indivíduo pode ter as
unhas fracas durante meses, por exemplo, mas isso pode ser apenas consequência de má higiene ou falta de alguns nutrientes na alimentação.  

Fique de olho nas doenças frequentes - Foto: Getty Images

Por isso, vale ficar mais atento aos sintomas decorrentes de doenças que são mais comuns quando as defesas do organismo estão frágeis. Confira exemplos dados pelo clínico geral Fernando Manna e a imunologista Elisabete Blanc:

Boca:
herpes, amigdalite e estomatite

Pele: infecções recorrentes, abscessos, doenças gerais causadas por fungos, vírus e bactérias

Ouvido: otites

Região genital: herpes

Sistema respiratório:
gripes e resfriados

O importarte é ficar atento...sentiu alguma coisa...apareceu alguma coisa no corpo e persistiu por um período acima do normal...vá ao médico...E quanto ao excesso de corrida...vale também a dica...tudo em excesso prejudica a saúde e o lema é: CORRER BEM PARA CORRER SEMPRE!


ps.: Hoje marquei médico...tudo dará certo!

fonte: Albert Einstein Sociedade Israelita Brasileira

3 comentários:

Avicor disse...

Amiga Lu !!
Gostei muito dessa postagem ., pois já senti na pele a baixa de imunidade por excesso de treino ., hoje treino dia sim dia não ., e olha melhorou tudo inclusive meu tempo em provas !!

UMA COISA É CERTA TUDO EM DEMASIA FAZ MAL!!!

Abraços e parabéns pela bela postagem !!

Romildo

Marcus,Realengo disse...

Luciane, estou na torcida por você, mas quando a cabeça não vai bem o resto do corpo paga. Saúde pra ti. Um abraço.

william yeh disse...

muito legal!