terça-feira, 23 de fevereiro de 2010

CORRIDA REFRESCANTE


Gente, na boa, eu sei que aqui todo mundo é louco por corrida, mas vamos combinar que está sendo uma loucura bem maior do que essa nossa paixão, correr com o sol que está fazendo aqui em Santos. os termômetros, nada tímidos marcam 36ºC. E aqui ninguém é bobinho a ponto de não saber o quão ruim é correr com essa temperatura.


Eu tenho feito meus treinos às 08:00 e às 09:20 estou em casa, mas mesmo assim, a coisa tá feia. Encontrando uma amiga minha na praia hoje durante o treino, ela me disse que estava indo para uma aula de flopi (não sei se se escreve assim). Mas o que seria o flopi? É o que conhecemos como deep water running.





Agora imaginemos: 36ºC. Uma corrida diferente. Em vez de terra, água. No lugar do tênis, pés descalços. O maiô e o colete flutuador substituem a roupa de ginástica e o exercício é correr na parte funda da piscina, ou aqui em Santos, na praia sem tocar o chão. Assim são as aulas de deep running (corrida profunda), que ajudam e muito no condicionamento cardiorrespiratório e inclusive a ganhar velocidade sem correr risco de lesões...


Aliás, é uma ótima saída para quem está se recuperando d euma lesão e quer voltar a treinar sem medo de ser feliz.


De acordo com a professora de Educação Física Michele Heinen, o deep running consiste exatamente nos mesmos movimentos da corrida. A única diferença é o meio. Por isso, a freqüência cardíaca e a velocidade mudam. "Mas isso não significa que o esforço seja menor", destaca Michele. "O benefício da modalidade é a ausência de impacto nas articulações, o que favorece pessoas com lesões, sobretudo na coluna e no joelho, e os cinqüentões", ressalta Michele, que também aplica o exercício para atletas lesionados, que podem continuar treinando sem afetar o corpo.


O deep running surgiu nos Estados Unidos como uma forma de treinamento para os atletas lesionados. Em seguida, a atuação se estendeu para indivíduos com problemas nas articulações e interessados em perder peso. A atividade alia o trabalho aeróbio ao de resistência, já que aumenta o esforço das musculaturas do abdômen e braços. Daí que além de exercitar o condicionamento cardiorrespiratório e emagrecer, o praticante ainda tonifica os músculos.


E não pensem que é preciso nadar para aderir à prática, já que os praticantes usam o colete flutuador. Por isso, não há problema. Além disso, aqueles que ficam um pouco inseguros começam o exercício no raso, para depois ir para o fundo da praia ou da piscina.


Segundo esta minha amiga, as aulas aqui na praia de Santos, acontecem no canal 5 às terças, quintas e sábados às 09:30 da manhã...É uma boa opção para continuar a encarar a corrida nesse calorão, mas sem prejudicar a saúde.

3 comentários:

Felipe de Souto disse...

Para variar um pouco, hoje foi te chamar Dra. LÚ!! Pois bem, de fato correr com esse calor todo está de matar...aqui em Tubarão-SC nos dias mais quentes chegam perto de 40º...sem chances....trocar a corrida pela água é uma ótima pedida...como estou numa ilha deserta com tailandesas virgens, não tenho do que reclamar! Bom, deixa eu curtir o restinho das minhas férias!!
Beijos Dra!
Felipe de Souto

Joka disse...

Olá ta broca mesmo esse calor !!! rs Treinei muito e ainda treino c/ o cinturão, pois é a melhor coisa quando estou lesionado. Bons treinos !!!

Kleber RG disse...

Olá, amiga Luciane!
Nem me fale... o Deep Running é uma revolução no que diz respeito à recuperação e prevenção das lesões do esporte! Adoro estas aulas e, agora que estou cuidando de um problema (antigo já) no quadril, vou fazer algumas aulas como parte do meu tratamento. Show de bola!

Confira meu post sobre o assunto em: http://kleber-rg-runner.blogspot.com/2009/10/papo-rapido-deep-running-o-milagre-das.html

Abraço,
Kleber RG.