quarta-feira, 2 de setembro de 2009

RESPOSTA AO ANÔNIMO

Em que pese todo o meu respeito pelas diversas opiniões esboçadas nos comentários, até porque vivemos num Estado Democrático, me sinto na obrigação de esclarecer um ponto levantado por um anônimo que comentou o post anterior.
Segundo ele, o que fiz com meu pai (fazê-lo ir num ritmo de 5:30 por quilômetro numa Meia Maratona) foi contra todos os preceitos da corrida. Pois bem.
Meu pai corre há aproximadamente 20 anos. Aliás começou muito antes de mim. Todavia nunca almejou a competição, mas sim a busca por uma qualidade de vida. Há cerca de 5 anos passou a participar "ativamente" de provas. Obviamente ainda não tinha o intuito de vencer nada, mas também não queria chegar por último... quer quer?
Meu pai treina todos os dias religiosamente cerca de 10 a 13 quilômetros pela areia. Segue sem muita disciplina a mesma planilha que eu sigo, a qual me possibilita fazer meus 10k em aproximadamente 46 min. Já correu mais de 50 provas de 10k, sendo certo que seu tempo aproximado é de 55 min, cabendo dizer que sua melhor marca para a distãncia é de 53min, então qual seria mesmo o problema de testá-lo a 5:30? Não entendi, ou talvez quem não entendeu foi o anônimo. Eu tenho o meu blog há mais de 2 anos e sempre, sempre, sempre privei pela saúde, com dicas, aconselhando a ir a médicos antes de qualquer atividade. Não seria louca ou irresponsável a ponto de expor meu pai, e mais uma vez digo, não é qualquer pessoa, mas sim, meu pai, a qualquer coisa que pudesse trazer um pequeno risco que fosse. Eu sei o que estou fazendo.
Mais uma vez repito, respeito as opiniões, sejam elas quais forem, mas há de serem pelos menos com algum fundamento, principlamente quando criticam diretamente qualquer atitude que eu venha a ter.
Meu pai é uma pessoa absoltamente saudável. Possue 65 anos, faz exames periódicos, assim como eu e qualquer corredor deveria fazer. Portanto correr para 5:30 não é missão de queniano, muito pelo contrário, é um ritmo totalmente tranquilo. Se ele se cansou...acontece. Por várias vezes também me senti assim e com certeza por várias vezes muitos corredores também se sentiram, pelo menos os que realmente correm...é no mínimo injusto dizer que eu, estaria expondo meu pai a esforços superiores ao que ele pode suportar.
Quando treinamos juntos corremos abaixo desse tempo e jamais ele passou mal. Ademais se ele estava nesse ritmo, estava porque aceitou, tanto que a todo momento eu lhe perguntava se estava tdo bem e quando eu (e não ele) decidiu que seria melhor ele diminuir, ele diminuiu e terminou a prova no ritmo que desejou.
Não sou nenhuma amadora, eu corro há 15 anos e sei muito bem os limites tanto meu quanto do meu pai...aliás ele também sabe...

Em Desabafo...

5 comentários:

Anônimo disse...

Correr 10, 12 ou 13k em 5:30 é uma coisa, correr uma meia maratona é outra. Evidente que o corredor, sem experiência na distância, sentirá se tentar manter os 21k em 5:30. Ainda mais com 60 anos. Qualquer técnico de esquina - e são muitos hoje - sabem disso. É básico...Se o seu pai corre por prazer não há sentido dele chegar em péssimas condições e vomitando...forçou demais no início, incentivado por vc., queira ou não aceitar isso. Agora, se ele tivesse morrido vc. diria o que? azar? Sou seu adminirador Lu e não seu inimigo. Entenda essas observações apenas como um alerta para reflexão...

joaquim adelino disse...

Olá Amiga Luciane.
Eu volto aqui para ajudá-la a tranquilizar porque não fez nada de mal, a opinião do Sr. anónimo não passa disso mesmo, uma opinião anónima, mas dou-lhe a ele o benefício da sinceridade na sua opinião, mas não aceito que a culpe pela capacidade do seu pai fazer melhor ou pior ao dosear o seu esforço conforme as suas possibelidades. Se me permite dou-lhe só o meu exemplo, tenho 61 anos e também tenho uma filha com 30 anos, eu corro a Meia Maratona em 1,45h. e a minha filha em 1,24h. e ela sabe que eu sou capaz de correr aquela distância sem correr riscos e mesmo que interferisse ela sabe que nesta matéria a decisão é sempre minha, tal como você sabe que o seu pai também o fará sem colocar a sua vida em risco.
Aquilo que aconteceu ao seu pai no final da prova é normal em qualquer atleta, basta vir um pouco desidratado e beber líquidos em excesso e o organismo reage exactamente daquela maneira, mas é uma situação passageira e depressa a sua recuperação se fará.
Desculpe estar a meter-me neste debate mas não gostei da acusação que lhe foi feita e aconselho o Sr. anónimo a opinar sem acusar pois nesta matéria certamente faltam-lhe algumas bases para atingir o alvo que certamente pensará que tem razão.
Receba um beijo do Pára.

Luciane disse...

Só para constar e terminar o assunto:

Meu pai não corre por prazer, corre para competir. Há cerca de 2 semanas ficou me na 4a colocação no Circuito das Praias e briga para ficar entre os 5 até o final do campeonato. Também ficou na 2a colocação na Corrida das Torres, e aqui vale ressaltar, 12k em morro, sabe o que isso? M O R R O....Em 6 de julho tb ficou na 5a colocação na Subida da mata Atlântica...S U B I D A...


Nada mais...até porque Joaquim já disse tudo...

MANÚ disse...

Lucy,
Só para constar:
O teu pai terminou em 02h20min
Eu terminei em 02h22min
Outros membros da Equipe chegaram bem depois!
Senhor "Anônimo" nos dê o prazer de se identificar...
beijos
MANÚ

Anônimo disse...

Eu novamente, Lu. Seu Anônimo. Preocupado com a saúde do seu pai, não posso deixar de perguntar: qual foi a última vêz em que ele foi a um cardiologista? Fêz algum teste? Sabe qual é a sua FCM? Treina e corre respeitando esses limites? Usa o frequencímetro? Isso é o mínimo e os outros podem falar o que tudo, o pai não é deles. E sei que vc. ama seu pai. O que estou colocando é sério, não é brincadeira. Não se pode correr sem respeitar os próprios limites. Não é normal, de forma alguma, terminar uma corrida como ele terminou. O que aconteceu foi um sinal de que ele estava forçando, óbvio, além dos limites...