quinta-feira, 7 de fevereiro de 2008


A FAMOSA DORZINHA "DO LADO"...

Quem já não sentiu um dia, ao correr rápido, uma pontada forte bem embaixo das costelas, que às vezes até nos impede de continuar correndo? É aquela dorzinha bem conhecida dos atletas e que cada um costuma chamar por um nome: dor desviada, dor do lado, dor de atleta e tantos outros nomes que ela recebe. Fato é que é uma dor aguda nos flancos abaixo das costelas e que judia da gente principalmente quando estamos loucos por um sprint final.
Pois esta dor também conhecida como "pontada", uma dor aguda que aparece à esquerda ou à direita - mais freqüentemente - que acontece quase que exclusivamente quando realizamos exercícios na posição ereta obviamente tem uma explicação... como tudo na vida...Então vamos lá...
Anatomicamente possuímos um músculo que separa a cavidade do tórax da cavidade do abdome; que é o DIAFRAGMA.Esse músculo exerce uma função importante durante a respiração movimentando-se para baixo e para cima, aumentando e diminuindo respectivamente o tamanho da cavidade torácica, participando do ciclo respiratório. Vários órgãos do abdome , como fígado, estômago e baço, estão unidos ao diafragma através de ligamentos, que transmitem ao músculo o balanço destes órgãos durante o ato de correr, podendo causar tensão muscular que finalmente levaria ao espasmo, causando assim a pontada. Todo esse mecanismo agravar-se-ia quando o atleta assume o padrão respiração torácica ao invés do padrão abdominal. A tensão é sempre maior na área de inserção do músculo no rebordo costal, o que explica a localização mais freqüente da dor.
Falando nesse assunto, lembro bem quando eu fazia natação. Isso quando eu tinha uns 15 anos...Eu fazia parte da equipe e tinha que treinar rigorosamente 2 horas por dia, mesmo não sendo o meu objetivo participar de competições. Não importava, se vc fazia parte da equipe, tinha que treinar e treinar duro, pois eu representava o Clube nas competições. Eu nem queria ser da equipe, mas após ser vista num treino fui convidada e aceitei sem pensar no que me esperava. O técnico era um verdadeiro carrasco. Certo dia, estava eu lá, dando minhas inúmeras voltas na piscina, quando veio aquela pontada...Na mesma hora parei, era muito forte. Segurei na borda da piscina e menos de 1 segundo depois desse ato, recebi uma pisada nos dedos da mão e um grito: "Nãaaaaaaaaaaaaaaao páaaaaaaaaaaaaaara... vaaaaaaaaaaaaaaaai...." Acho que foi nesse dia que perdi o encanto pela natação... talvez o encanto que eu nunca tive mesmo, mas que no fim das contas me fez abandonar de vez o esporte... Não ansci pra isso não... só faço alguma coisa, se tiver um mínimo d eprazer.. e aquilo já era praticamente uma sessão de tortura aquática... A única coisa é que passados 15 anos, ainda não sei se maldito era o técnico ou a dorzinha... Detoda forma, após o breve desabafo do trauma sofrido, vamos ao que interessa...

Mas quais os fatores que nos levam a sentir a tal pontada "filha da mãe"?

a) Corridas em declives, normalmente quando se seguem a aclives acentuados;
b) Corridas rápidas e sustentadas (tomadas de tempo);
c) Fraqueza da musculatura da parede do abdome;
d) Falta de treinamento;
e) Tempo frio;
f) Começar uam corrida muito rápido;
g) Comer ou beber antes do exercício (pouco tempo antes);

Ah, ok, mas o que queremos saber mesmo é como fazer para parar de sentir essa dor, ou melhor, nem chegar a sentir...

a) Diminua o ritmo de corrida imediantamente;
b) Procure respirar profundo e vagarosamente (respirar superficvialmente ra´pido, só faz piorar)
c) Procure manter um ritmo de respiração apropriado, tipo 3:3 é o mais adequado;
d) Exercer pressão com os dedos sobre o local da dor;
e) Realize respiração abdominal.

Algumas boas dicas são: Treinar adequadamente sua respiração no padrão abdominal Treinar adequadamente a musculatura abdominal; Não exagerar o ritmo de corrida e Evitar refeições fartas imediatamente antes das corridas.

3 comentários:

Maria Sem Frio Nem Casa disse...

Cá em Portugal, chama-se "dor de burro".

E claro... atleta que se preze, já a sentiu.

Ana - Portugal

Jorge disse...

-------\\\\|/-------
------(@@)-------
-ooO--(_)--Ooo—
Olá Lu, boa noite, eitaaa santista que gosta de escrever hein...rsss...
Muito boa essa questão da dor do lado, bom eu sentia quando comecei a correr e graças a Deus eu nunca mais senti, sorte minha né...
Olha vc tá sumida do meu blog hein, o assunto lá é TRAVESSIA, compareça por lá e deixe sua msg.
Desejo a vc e sua família um bom final de semana.
Um abraço
JORGE CERQUEIRA
www.jmaratona.blogspot.com

Wladimir Azevedo disse...

Lucy,

aqui tem gente que chama de "dor de facão"...

Agora valeu pelas dicas de como resolver quando a dor chegar.

Abcs